quarta-feira, novembro 18, 2009

Augustus Nicodemus Lopes

"Pastores evangélicos" homossexuais irão se "casar" no Rio?!

Em resumo, trata-se do "casamento" nesta sexta-feira, 20 de novembro, feriado do Dia da Consciência Negra, de dois homossexuais que a revista chama de pastores evangélicos, e que são fundadores da chamada Igreja Contemporânea no Rio de Janeiro.

Não tenho dificuldade com a liberdade destes dois indivíduos de escolherem o estilo de vida que escolheram. É uma decisão deles e, como em todas as decisões que tomamos, eles são responsáveis por ela, aqui e na eternidade. Não me considero homofóbico. Convivo com pessoas que são homossexuais e as respeito. Isto não quer dizer que concordo com as idéias, valores e práticas delas.

Meu desconforto, portanto, não é com este filme que já vimos bastante nos últimos anos, de dois indivíduos homoeróticos que resolvem tentar legalizar sua relação simulando um casamento. Meu desconforto é com estas expressões de natureza cristã que aparecem na notícia: "pastores evangélicos", "igreja contemporânea", "Bíblia não condena homossexualidade", etc.

Eu acho que o jornalista ou redator da notícia cometeu alguns equívocos.

Primeiro, a notícia diz que são "pastores evangélicos". Deve haver algum engano. Evangélicos são seguidores de Jesus, e este disse "Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne?" (Mt 19:4-5). A visão de Jesus sobre o casamento - e conseqüentemente dos evangélicos - é que o mesmo se realiza entre um homem e uma mulher.

Segundo, é um equívoco aparente da notícia considerá-los "pastores". Um dos requerimentos para que alguém seja um pastor evangélico, de acordo com a Bíblia, é que ele, se for casado, "seja marido de uma só mulher" (1Tm 3:2 e 12), que "governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito" (1Tm 3:4). A razão apresentada é "se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?" (1Tm 3:5). Logo, deve ter sido engano do repórter chamá-los de "pastores evangélicos".

Terceiro, a notícia diz que eles são fundadores da "Igreja Contemporânea". Acho que é outro engano da notícia. Igrejas são compostas de pecadores arrependidos, que encontraram em Cristo perdão para seus pecados e que seguem o que Jesus disse à mulher adúltera, "vai e não peques mais" (Jo 8:11). Por exemplo, a igreja de Corinto era composta de pessoas que tinham sido sodomitas e efeminados, mas que tinham abandonado esta conduta (1Co 6:9-11). Não existe isto de uma igreja composta de pessoas que não se arrependem de seus pecados, erros, desvios, quaisquer que sejam eles. O repórter errou na designação.

Quarto, ele errou também ao dizer que esta "igreja" é "Contemporânea." É um erro histórico, pois o homossexualismo é tão antigo quanto Sodoma e Gomorra. Na verdade, retrocede historicamente às culturas pagãs anteriores a estas cidades. Não há nada de moderno, contemporâneo, novo e avançado em "igrejas homossexuais". Nas religiões do antigo paganismo há uma associação entre os sacerdotes e a homossexualidade. Nada novo, portanto.

Quinto, a notícia diz que um dos nubentes "... lançou um livro chamado A Bíblia sem preconceitos, onde mostra que a Bíblia não condena a homossexualidade". Deve ser outra Bíblia, diferente daquela que protestantes e católicos usam. Pois nesta, existem dezenas de passagens, já bastante conhecidas, que dizem, em resumo:

  • É abominação um homem abusar de outro homem, Gn 19.5; Jz 19.22.
  • Também, deitar-se com homem como se fosse mulher, Lv 18.22.
  • Condena-se homem deitar-se com homem, Lv 20.13.
  • Proibe-se um filho de Israel prostituir-se no serviço do templo, Dt 23.17
  • Homem não pode parecer-se com mulher e vice-versa, Dt 22.5.
  • Denunciados prostitutos-cultuais ou sodomitas, 1Re 14.24; 15.12; 22.46; Jó 36.14.
  • Paixões homoeróticas chamadas de paixões infames, Rm 1.26.
  • Lesbianismo visto como mudar o modo natural das relações íntimas, Rm 1.26.
  • Relações homoeróticas são consideradas como um modo contrário à natureza, Rm 1.26.
  • São consideradas uma inflamação mútua na sensualidade, Rm 1.27.
  • Também, torpeza e erro, Rm 1.27.
  • Sodomitas estão na lista de pecados, 1Tm 1.10, 1Co 6.9 (arsenokoites)
  • Efeminados da mesma forma, 1Co 6.9 (malakoi).
Não estou entrando no mérito das passagens, se a Bíblia está certa ou errada. Estou apenas dizendo que a Bíblia condena claramente as relações homoafetivas e que a notícia está equivocada ao sugerir que o livro do autor mostra o contrário.

É evidente que a notícia foi escrita por quem não tem conhecimento do que é o Cristianismo, do que é igreja, do que é um pastor, do que é um evangélico, do que é o casamento e o que a Bíblia diz. A única coisa que o jornalista corrigiu na notícia é que os dois indivíduos de orientação homoerótica (estou tentando seguir a linguagem politicamente correta, para ir me acostumando quando isto se tornar obrigatório no Brasil), que os dois, repito, iriam "se casar". A correção é feita em seguida: não vão casar porque no Brasil (ainda) não tem casamento de homossexual. Eles vão somente assinar um "contrato de união homoafetiva".

É óbvio que eu sei que a notícia reflete exatamente o que os dois "noivos" acreditam, declaram e vivem, e que o coitado do articulista apenas registrou isto. Mas é que eu estou fazendo experiências de como poderei manifestar minhas opiniões contrárias às idéias e práticas homoafetivas sem ir em cana, quando aprovarem a lei da homofobia.

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

23 comentários

comentários
Anônimo
AUTOR
19/11/09 20:58 delete

Vou seguir a ordem de Jesus de recolher-me ao meu aposento e orar em silêncio por este mundo perdido!

Abraços,

Responder
avatar
Anônimo
AUTOR
19/11/09 21:04 delete

Graça e Paz Prezado Reverendo Augustus


O preconceito de parte da mídia contra os evangélicos é notório, sempre nos dando alfinetadas. Concordo com o Senhor nas suas ponderações, e pensar que existem ministros cristãos que aprovam essas uniões homossexuais, conselhos de igrejas que aprovam, vemos em comunidades do Orkut de membros de igrejas reformadas e históricas (até se da à impressão que a comunidade é da Igreja) onde muitos defendem essas uniões, a comunhão deles na Igreja e o pior é que muitos são jovens seminaristas e candidatos a pastor! O que os seminários estão produzindo, entrem nessas comunidades e vejam com os próprios olhos. A Igreja de Cristo e o seu ministério (guardiões do bom depósito) jamais podem tolerar essas aberrações na Igreja. Não sou homofóbico, respeito à liberdade de escolha mas condeno a pratica no amor de Cristo. Me assusta o caminho que parte da Igreja esta tomando, vamos nos posicionar como verdadeiros cristãos atuar e orar.

No amor de Cristo!

Responder
avatar
19/11/09 22:27 delete

Caros leitores,

Recusei vários comentários de teor homofóbico e origem anônima. Apesar de discordar do homoerotismo, rejeito a homofobia.

Responder
avatar
luiz gonzaga
AUTOR
20/11/09 00:38 delete

De fato , Reverendo Augustus essa é a tendência européia que tenta invadir nosso país como foi no passado a começar com a teologia liberal e a terminar com movimentos como esses que desejam deixar a sociedade culpada e como pagamento de nossa "culpa " pelo homofobismo e exigem da sociedade a aprovação incondicional de todas as variantes do movimento homosexual no Brasil.

Responder
avatar
20/11/09 00:48 delete

Equilibrada, bíblica e relevante tua abordagem!

Tema interessante!

Como qualquer cidadão brasileiro, as pessoas que quiserem entabular um contrato de união homoafetiva estão livres para isto.

É um direito constitucionalmente assegurado de orientação sexual, e exercício da mesma. E, como reflexo de tal liberdade, hoje é possível (ainda que não seja absolutamente pacífico na jurisprudência em todos os pontos):

a) por "ação de retificação de registro civil" a alteração do gênero registral (mudar o sexo no registro civil);

b) a realização de cirurgia de transgenitalização (res. do CFM), sem necessidade de autorização judicial;

c) juridicamente, o transexual que teve seu gênero alterado no registro civil, poderia, em tese, contrair núpcias (casamento mesmo!) com pessoa do sexo diverso do registral mas idêntico ao genético;

d) o convivente homoafetivo pode ser beneficiário da previdência, pública ou privada, no que pertine ao falecimento do outro integrante da união homossexual;

e) adoção conjunta por casal homoafetivo;

f)o não tratamento discriminatório pelo comportamento de demonstração de afeto em locais públicos,

g) etc.


É de grande relevância que os direitos constitucionais sejam plenamente assegurados à todos os cidadãos. O Estado é laico em tese! E o ministério profético da igreja de denunciar o erro e o pecado também é igualmente assegurado pela nossa "Carta Magna":

a) "é livre a manifestação do pensamento [...]"(CF, art, 5º, IV);

b) "é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto (CF, art, 5º, VI);

c) "é livre a expressão da atividade intelectual [...] independentemente de censura ou licença(CF, art, 5º, IX);

d)"ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa [...];

e) "é plena a liberdade de associações para fins lícitos [...]" (CF, art, 5º, XVII)

f) "a criação de associações[...] sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento"(CF, art, 5º, XVIII)

A Lei 10.406/2002 assegura no art. 44, §1º:

"São livres a criação, a organização, a estruturação interna e o funcionamento das organizações religiosas [...]"

Assim, Reverendo, faz muito bem ao exercitar o ministério apologético!

Abraço!

Prof. Rubem Alexandre Maia Fontes

Responder
avatar
o pregador
AUTOR
20/11/09 01:06 delete

Graça e Paz
Rev.
Creio que a Igreja no Brasil tem que aprender a diferença basica entre e defesa da fé.

Não é função da Igreja ,nem desejo nosso que homens ou mulheres que tenham costumes deste tipo sejam agredidos pela Igreja. O medo de muitos Critãos é misturar essa visão com liberalismo e apostasia.
Creio que a Igreja vai ter que parar e amadurecer um pouco mais acerca da Defesa da fé e das questões morais destes nossos tempos!!!
Como já dizia Cícero: O temporas, O mores!!!

Responder
avatar
Tânia Cassiano
AUTOR
20/11/09 01:22 delete

Rev. Augustus,
O que eu não entendo, é que se eu não quero ou não consigo obedecer, porque procuro legitimidade em algo
que tento desacreditar?
Em uma aula de Especialização de Arte-Educação, o professor que declara ser homessexual, nada contra ele, levou umas fotografias onde os modelos representavam várias passagens bíblicas, com a Santa Ceia, o Samaritano, etc. todas com conotação homessexual. Na minha sala existem uns "gatos pingados" de protestantes, e todo, foi ques se calaram, inclusive eu, só uma que dizem não ser "equilibrada", questionou se eles não "temiam a Deus", houve risadas, chacotas, fiquei envergonhada porque fui omissa.
E agora? Fazer o quê?
Tânia Cassiano

Responder
avatar
Danilo Neves
AUTOR
20/11/09 08:08 delete

Reverendo,

ontem assisti este vídeo de John MacArthur Jr. http://www.youtube.com/watch?v=MDBRtv6Tt1s

O que que o senhor acha das afirmações dele? O senhor concorda com ele? Achei ele "inédito" no conteúdo da pregação ("eu"nunca ouvi uma msg igual a dele com o mesmo tom)

Responder
avatar
20/11/09 08:14 delete

Pr. Nicodemus,

O pouco que disse já é suficiente para ir em "cana" segundo o PL 122/2006. Para fugir da detenção, terá que retirar, no mínimo, uns 99% do texto escrito. É que, a simples alusão à homossexualidade como pecado é suficiente para condenar o "detrator".

Como o irmão, considero impossível (a menos que Deus impeça) a não aprovação dessas e outras leis discriminatórias e exclusivistas, tendo-se em vista o estado a que a sociedade pós-moderna chegou, e o estado ao qual a igreja se submeteu (a maioria) adequando-se às trevas, desistindo de ser luz neste mundo perdido.

Quem sabe assim a igreja verdadeira seja purificada, e o nome de Cristo ao invés de blasfemado seja glorificado? Talvez esse seja o projeto de Deus para nós, pois, historicamente, onde há perseguição e sofrimento, a igreja se multiplica, não apenas numericamente, mas no testemunho e prática bíblicas.

Quero ver os liberais, neo e pós de todas as linhas heterodoxas aliando-se aos ímpios (agrupando-se seria o termo mais apropriado) enquanto os crentes fiéis e verdadeiros são lançados em cadeias e perseguidos unicamente por proclamarem o Evangelho do Reino.

Alguns dirão que se é possível pregar Cristo sem falar de homossexualismo. Sim, é verdade. Mas para isso, teremos de jogar esse e outros pecados para debaixo do tapete, até o momento em que exigirão que as passagens "preconceituosas" da Bíblia sejam retiradas, e ela seja reescrita, não apenas através da interpretação corrompida dos teólogos contemporâneos, mas literalmente, no papel.

Oremos para que Deus tenha misericórdia desse país, e sustente os Seus filhos.

Cristo o abençoe!
Abraço.

PS: Admiro a sua fina ironia.

Responder
avatar
20/11/09 09:25 delete

Rev. Nicodemus, excelente comentário.

Foi bom o sr. ter destruído os argumentos deste jornalista, e denunciado esses falsos pastores, pois essa é o tipo de matéria encomendada que serve muito bem aos interesses dos militantes pró-homossexualismo.

O que está acontencendo no Brasil atualmente é uma guerra ideológica, uma tentativa de inverter os conceitos morais do povo brasileiro com argumentos falaciosos tentando tornar o homossexualismo aceitável na mente das pessoas.

Isso não vamos permitir!

A graça de Cristo seja contigo.

Responder
avatar
20/11/09 12:04 delete

Caro Augustus,

Acredito que o articulista se referia a "evagélicos" de acordo com o sentido histórico do termo. Mas gostei da sua abordagem, reverendo, que mostou o que é de fato ser evangélico (no sentido bíblico do termo). Quanto ao fato de a igreja ser "contemporânea", bem... Penso que de tanto querer sê-lo, deixou de ser bíblica.

O senhor tocou num ponto importante. Se a Lei da Homofobia for mesmo aprovada, como deverá ser a postura e a linguagem dos pregadores, pastores, blogueiros e etc? E se, em alguns casos, nossa linguagem for politicamente correta mas biblicamente incorreta, e vice-versa? Como deveremos lidar com isso?

Grande abraço! Continue sempre escrevendo artigos que edificam!

Leonardo
5calvinistas.blogspot.com

P.S: O link que o Danilo Neves indicou acima é realmente muito bom. Vale a pena assistir ao que o MacArthur falou sobre isso. Acho que qualquer um que leve a Bíblia a sério chegaria à mesma conclusão.

Responder
avatar
20/11/09 12:35 delete

Pastor Aldo de Moraes- Fortaleza-Ce.
É incrivel que sem tem lei que protege os homos... e se faz todo tipo de apologia, no entando, as verdades absolutas de uma fé que ultrapassou gerações e que estão escrita e que só tem feito o bem para todos os seguidores dos escritos sagrados são descriminados e sofre pre-conceitos. Então, como caducar algo que é eterno? Como validar um comportamento antigo e que por sinal as escrituras serve como base historica da reprovação deste leviano comportamento.
Sejamos honestos o maior pre-conceito é com os homos ou com o que é eterno e absoluto? Essa geração imediatista não consegue visualizar principios eternos. As Escrituras é minha escolha.

Responder
avatar
Josaías
AUTOR
20/11/09 13:39 delete

ótimo post, Rev. Augustus. bastante esclarecedor e tratando o assunto de uma maneira respeitosa - tanto o autor da matéria quanto os próprios protagonistas dela.

gostaria de saber como o Pr. responderia o velho argumento de que Estado e Igreja se separaram. muitos irmãos acabam ficando na dúvida se devemos ser contra os "direitos" homossexuais por causa disso.

um abraço, e obrigado pelo post.

Responder
avatar
Paulo Fontes
AUTOR
20/11/09 14:20 delete

Caro Rev. Augustus,

Parabéns pela abordagem do tema.

Creio que existe um tipo de tolerância que aos cristãos interessa cultivar. Falo daquela postura que estimula o respeito a todas as pessoas, quaisquer que sejam os seus pontos de vista. É a atitude que procura compreender e valorizar as pessoas sem discriminá-las.


Esta minha convicção deve-se ao fato de que todos os seres humanos são criaturas de Deus e portadores de sua imagem. O fato de que todo ser humano tem uma dignidade inerente resultante da imagem de Deus é uma convicção cristã. Portanto, é convicção cristã que todas as pessoas, independentemente de suas convicções, devem ser tratadas com respeito, dignidade e bondade.


Todavia, é minha convicção também, que o espírito da época exige mais do que o respeito à dignidade humana e às convicções das pessoas. O espirito da época exige que cultivemos uma mente tão aberta que seja capaz de abraçar qualquer opinião e prática, por mais falsa ou danosa que seja, sem nunca rejeitar coisa alguma. A “tolerância” que estão a exigir é a de não dizer abertamente nem tão pouco dar a entender que seus pontos de vista podem ser errados ou possam precisar de mudança.

Creio que precisamos de uma tríplice atitude: 1) Encontrar meios de manifestar a nossa opinião contrária sem ir em cana; 2) Praparar-nos para os embates nos tribunais e 3) Preparar-nos para o martírio. Pode ser que Deus queira mostrar a Sua glória por meio da nossa dor. Se assim for, assim será.

O Senhor reina (Salmo 2)

Paulo Fontes

Responder
avatar
The Standard
AUTOR
20/11/09 14:31 delete

olá Rev.Augustus excelente resposta biblica ao "coitado do articulista que apenas registrou tudo", registrou o que na visão dos citados na reportagem achavam ser correto sem a luz das Escrituras, quanto aos milhões de evangélicos do nosso pais muitos aceitam esta lei da homofobia talvez mais por uma visão pós moderna do que com a visão biblica verdadeira e absoluta que não deixa "brecha" nenhuma para aprovação deste tipo de lei. Vi o post do Rev Mauro um pouco mais abaixo e na enquete que o Senado faz sobre o assunto ,lamentavelmente como já divulgado pode se votar varias vezes apagando-se os cookies do navegador do computador,como querem obter dados em uma pesquisa que pode ser facilmente burlada. agora a pergunta, um cristão votaria várias vezes? certamente que não pois deveria confiar na Soberania do nosso Deus.Já o outro lado dos defensores da lei da homofobia que Lei moral os regeria para que não votassem varias vezes pois na enquete o placar quase sempre esta praticamente empatado, o Senado retirou a enquete do ar a alguns dias atrás alegando invasão de hackers , a enquete que ja tinha quase 500 mil votos foi zerada e na data de hoje tem uns 200 mil votos os que votaram a primeira vez e tiveram seu voto anulado deveriam votar novamente pois esta é uma nova enquete , aproveitando este espaço muito visitado queria propor que nossa votação NO NÃO FOSSE MACIÇA podendo até ser marcado um dia exemplo domingo para que todos os crentes que não votaram votassem podendo assim mostrar o nosso posicionamento contrario a está Lei.
Que Deus nos ajude e tenha misericórdia de nós !

admam

Responder
avatar
Adriano Gama
AUTOR
20/11/09 23:19 delete

Caro Rev. Augustus,

Mais uma vez o amado irmão apresenta de modo claro o que a Escritura diz. Desta vez em relação ao homossexualismo.
Que o Senhor Deus continue abençoando o seu ministério.

Em Cristo,

Rev. Adriano Gama

Responder
avatar
21/11/09 00:33 delete

Olá prezado Prof.Dr. Rev. e principalmente Pastor Augustus,
Muito boa suas palavras quanto ao assunto, que o Senhor Deus continue iluminando-o em suas postagem.
Como trabalhei muito tempo com excelentes advogados gostaria de lembra-lo (posso estar enganado), que não é crime enquanto não há lei, logo as suas considerações não enquadrariam na "lei da homofobia" uma vez que estão sendo postadas antes da mesma. Neste mesmo sentido, ainda que aprovada a Lei, a simples leitura dos textos bíblicos que o senhor citou também não o seria, uma vez que a lei não pode retroagir ao período em foram escritos.
Um abraço fraterno!
PAZ - só em Jesus Cristo!

Responder
avatar
fabioroco
AUTOR
21/11/09 11:54 delete

Muito boa reflexão Reverendo, tenho visto como está difícil esolher as palavras "certas" para se manifestar a este respeito.

Porém não podemos deixar qualquer indivíduo com uma bíblia debaixo do braço se nomear pastor ou mesmo evangélico.

Responder
avatar
Evandro Lemes
AUTOR
21/11/09 22:15 delete

Sinistro! O texto é muito bom, nunca tinha lido (ou escutado) essa de união homoafetiva...

Responder
avatar
22/11/09 14:13 delete

É bom ter pessoas que refutam tais erros que estão sendo feitos e apoiados de forma tão livre no Brasil.
Que Deus continue lhe dando forças e a firmeza necessária para continuar nessa luta!
(Se o sr. for em cana, espero que muitos outros outros não exitem de sofrerem o mesmo pelo mesmo motivo rsrsr)
Pr. João Duarte

Responder
avatar
Evandro
AUTOR
24/11/09 22:54 delete

kkkkkkkkk
Olha Augusto, gosto de ti maluco, espero que não caia em cana por causa desse texto e de outros...

Responder
avatar
30/11/09 19:46 delete

Caro Reverendo,

Por ter formação jurídica e por viver em um país supostamente democrático, um Estado declaradamente laico, sempre haverei de defender a liberdade de expressão plena - respeitados, obviamente, os direitos de terceiros.

E essa liberdade oriunda do texto constitucional, associada ao laicismo, não pode ser restringida, especialmente no que se refere ao ministério profético da igreja. Veja bem, vale dizer que as verdades bíblicas serão mantidas, subsistirão mesmo às leis seculares - ainda que tais verdades se confrontem com o "politicamente correto".

Cumpre salientar que sempre se poderá posicionar contra o homossexualismo nos átrios dos templos, não como uma forma de restringir direitos alheios, ou para discriminar essas minorias, ou, ainda, como uma forma de exteriorizar a incontida homofobia (que orienta alguns grupos reacionários), mas como posicionamento religioso, tão somente, orientado por determinações bíblicas.

Por mais leis que se aprovem, os cristãos sempre saberão julgar entre o certo e o errado, o sagrado e o profano - e ensinarão os seus filhos a discernirem entre um extremo e outro.

Por derradeiro, acredito que a pregação profética remanescerá, ainda que os homens tentem subjugar a lei moral.

Ps. Ora Reverendo, não tema, haverá jeito de dar o "seu recado" e ao mesmo tempo evitar a "cana".

NEle

Ricardo

Responder
avatar
Anônimo
AUTOR
7/12/09 03:16 delete

O fato,isto é,a verdade é que os mundanos são mundanos em tudo que fazem, sendo portanto,coerentes.Os ditos evangélicos são mundanos
no que fazem e se consideram evangélicos,portanto,hipócritas e exercem mera profissão de fé.
Jesus disse que quando viesse a este mundo haveria porventura fé. O apostólo Paulo disse que os últimos dias seriam tempos difíceis
Tudo que estamos assistindo é cumprimento das profecias.Nos assis
te o direito de estribochar,porém
cada um deve manter o olhar em JESUS,pois a salvação é individual.

Responder
avatar