sexta-feira, abril 04, 2008

Augustus Nicodemus Lopes

Evento sobre Darwinismo será Transmitido pela Internet

Atendendo a inúmeros pedidos, haverá transmissão pela Internet ao vivo das palestras e da mesa redonda do evento I Simpósio Internacional "Darwinismo hoje", que foi noticiado aqui no nosso blog no post Mackenzie Debate Darwinismo.

O link para a transmissão será postado no site do evento logo no início de cada palestra. Veja a programação do evento aqui.

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

6 comentários

comentários
Anônimo
AUTOR
5/4/08 11:59 delete

Eu me chamo Danilo Neves de Almeida.Sou de Goiânia, graduando em eng. de alimentos pela (UFG) e membro da 1ª IPC. Gostaria de saber se os organizadores do debate irão disponibilizar e vender as conferências. Caso isso for possível, gostaria de obtê-las. Aguardo resposta!

Graça e paz em Jesus.
Soli Deo gloria.

Responder
avatar
Wagner Kaba
AUTOR
7/4/08 13:58 delete Este comentário foi removido pelo autor.
avatar
7/4/08 18:41 delete

Wagner,

Por enquanto, somente transmissão ao vivo. Estamos ainda verificando a possibilidade de disponibilização posterior do material.

Abraços.

Responder
avatar
Norma
AUTOR
9/4/08 12:24 delete

Olá, Augustus!

Espero que o evento esteja sendo maravilhoso!

Olhe, ontem eu tentei ouvir a palestra na página indicada, sem sucesso. O link não apareceu. Que será que houve de errado?

Grande abraço!

Responder
avatar
Norma
AUTOR
9/4/08 22:11 delete

Caro Augustus, caros amigos do Tempora,

Em primeiro lugar, peço desculpas pelo tamanho do comment que se segue, mas vocês verão por que eu não podia deixar de escrever tanto.

Fiquei muito feliz por ter conseguido acessar o site hoje e assistir ao debate do penúltimo dia. De fato, o evento primou tanto pela elegância e cordialidade dos cientistas quanto pelo esmiuçamento inteligente de cada dado e argumento apresentados, de um modo que certamente informou e empolgou os espectadores ali presentes.

Queria dizer duas coisas. A primeira é que, por coincidência, estou revisando o badaladíssimo livro de Dinesh D'Souza a sair pela Thomas Nelson, What's so great about christianity (que deve ser publicado com o título O que há de tão surpreendente no cristianismo), uma obra extraordinária de apologética centrada nas objeções em geral furiosas de cientistas notoriamente anticristãos como Richard Dawkins, Sam Harris e Christopher Hitchens. Foi muito interessante ter assistido ao debate após a leitura de parte desse livro, pois pude perceber o quanto as informações e argumentos levantados pelos debatedores no Mackenzie complementaram de um modo muito rico o que eu havia lido – por exemplo, enquanto Dinesh menciona os 98% de semelhança genética entre nós e os chimpanzés como ponto pacífico (embora discorde dos efeitos desse dado tal como os darwinistas os apresentam), um dos cientistas presentes questionou o método comparativo utilizado para essa afirmação, ao mencionar o conceito de “junk”, ou seja, o 1% de material genético humano que concentra uma imensa quantidade de informação. Essa complementação ao que li da importante obra de Dinesh deu o tom, para mim, da excelência do que foi apresentado pela universidade ao público no evento.
A segunda é que eu faria uma pergunta ao Prof. Aldo de Araújo. No início do debate, ele afirmou – usando inclusive uma historinha de Rubem Alves, algo que me fez inevitavelmente sorrir – que as áreas da ciência e da teologia são como linguagens distintas, que cuidam cada qual de suas próprias questões. Eu perguntaria até que ponto sua afirmação não refletiria aquilo que C.P. Snow chamou de “duas culturas”, ou seja, o afastamento entre a ciência e as humanidades, algo como “não se mete na minha praia que eu não me meto na sua”. Essa separação é algo muito danoso, pois parece corroborar a terrível fragmentação de nossos dias: desde Descartes, é como se a ciência tratasse da “realidade” enquanto as humanidades (e, nelas, o pensamento teológico, que versa sobre algo intangível como a fé) se ocupariam estritamente de subjetividades não passíveis de prova considerada válida, ou seja, científica. É com base nessa fragmentação que alguém como Dawkins, como bem mencionou o prof. Paul Nelson, pode afirmar que prescinde da distinção entre certo e errado, algo que teria se tornado, para a ciência materialista de nossos dias, de pouca importância devido à intangibilidade. Enfim, creio que é nessa separação que reside toda a falsa dicotomia – e a falsa rivalidade – entre ciência e teologia hoje.
Pena que não poderei assistir ao Prof. Nelson amanhã (estarei em sala de aula), mas não podia deixar de vir parabenizar vivamente a você e aos demais organizadores desse evento pela inquestionável qualidade do tratamento do tema, que certamente edificou a todos os cristãos que o assistiram!
Grande abraço!

Responder
avatar
Anônimo
AUTOR
11/4/08 16:22 delete

Caros, gostaria de saber se os palestras irão ser distribuidas em DVD ou semelhante. Em caso afirmativo, onde poderemos encontra-las. Gratos

Responder
avatar