sexta-feira, julho 16, 2010

Rumos da Igreja Presbiteriana do Brasil

Estamos aqui em Curitiba perto do final da reunião do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil. Até agora as decisões tomadas em temas polêmicos, todas elas por maioria quase absoluta do plenário composto de mais de mil representantes de todo o Brasil, revelam o desejo da IPB de se manter uma igreja bíblica, reformada, conservadora e comprometida com a fé histórica. Eu sei que muitos vão questionar isto. Mas, para os presbiterianos do Brasil resta pouca dúvida de que este é o caminho correto.

O plenário rejeitou veementemente propostas para reatamento de relações com a PCUSA – conhecida Igreja americana aberta para ordenação de homossexuais – bem como de retornar à AMIR – Aliança Mundial de Igrejas Reformadas – também de viés liberal. Passou a considerar a Igreja Universal do Reino de Deus e a Igreja Mundial do Poder de Deus como seitas, determinando que pessoas oriundas destas organizações sejam recebidas mediante rebatismo e profissão de fé. Reiterou a incompatibilidade entre a maçonaria e a fé cristã reformada. Reiterou decisão anterior que considera como errado o proibir que mulheres orem nos cultos, proibir que as igrejas tenham corais e instrumentos musicais e proibir a celebração do Natal. A IPB rejeitou estas proibições.

Rejeitou também proposta para estabelecer-se diaconos e diaconisas mirins. E rejeitou proposta para diaconato feminino, nomeando uma comissão para elaborar estudo sobre o assunto e prestar relatório em 4 anos.

Ainda há outros assuntos a serem discutidos em plenário e vamos aguardar a manifestação do plenário. Nosso ponto é que até aqui, não resta dúvida que a IPB segue na linha reformada e conservadora.

84 comentários:

Anônimo disse...

Olá Rev. Augustus.

Quero dizer que como membro da IPB concordo plenamente com as decisões tomadas sobre os assuntos mencionados.

Fico feliz por saber que estou sendo bem representado.

Que Deus continue abençoando nossos líderes!

Eduardo.

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Dr Nicodemus

Deus seja louvado! A minha oração é que Ele preserva fiel esta amada denominação.

Felipe Sabino disse...

Muito bom!

?????????????????? disse...

Augustus, parabéns!! Só queria sugerir que houvesse no portal da IPB algum tipo de resumo, resenha, os temas para acompanharmos de perto o andamento das atividades.

Continuemos firmes!!!
Luís H. Fanti

Thiago Geraldo disse...

Parabéns, fico feliz por ver algumas poucas decisões tão boas. Espero que Deus ilumine vocês para seguirem e normatizarem mais regras sérias como essas.
Forte abraço,
Thiago Geraldo.

Pastor Menga disse...

Mesmo não sendo presbiteriano, fico muitíssimo feliz pelas decisões tomadas até aqui.

Amo muito a IPB, mesmo não concordando com tudo. Mas amo principalmente a posição da IPB de manter-se uma denominação reformada e inimiga do liberalísmo. Quanto à condição, "conservadora", resta-me entender melhor o que isso significa!

Admirei o posicionamento quanto a IURD e a IMPD. Finalmente alguém tomou uma posição pública neste sentido. Creio que resta ainda a tomada de posição quanto a Internacional da Graça e outras tantas!

Queria ser uma mosquinha, e poder ouvir os debates!

Um forte abraço,
Pr. Menga

Marcone Figueira Cabral disse...

Querido Augustus!

Muito me alegra receber notícias das decisões tomadas neste SC, e que a IPB continua seguindo a linha de igreja reformada e conservadora, não se deixando levar pelo modismo que vem adentrando as igrejas evangélicas por este Brasil a fora e também pelas igrejas espalhadas pelo mundo, como é o caso da PCUSA.
Gostaria de saber a respeito da decisão tomada pelo SC no caso das chamadas "danças liturgicas" em nossas igrejas e qual a posição que as igrejas deverão tomar....

Sem mais, fraternal abraço

Marcone Cabral

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro
Rev. Augustus Nicodemus,

Sou pastor assembleiano, mas se tais assuntos estivessem em discussão em nossa próxima AGO, nesse caso meu voto seria presbiteriano! rsrs

Parabéns pela postagem e pelas notícias!

Um grande abraço!

Pr. Carlos Roberto

Asp. Arthur Corrêa disse...

Não canso de ser presbiteriano ! rs

Sinceramente, admiro muito o sr., especialmente nesse termo:
"E rejeitou proposta para diaconato feminino, nomeando uma comissão para elaborar estudo sobre o assunto e prestar relatório em 4 anos."

Eu estava acompanhando pela internet a reunião e vi que foi o sr., mesmo sendo contra (leia-se bíblico) ao diaconato feminino, propôs uma comissão permanente para discutir o assunto.
Isso é o que chamo de ética!
PARABÉNS!

Concordei em todos os termos das decisões citadas no post. Que Deus continue guiando esta reunião!

Soli Deo Gloria!

Mizael Andrade Reis disse...

E os santos dizem Amém.

Graça e Paz
Mizael Reis

Mizael Andrade Reis disse...

Nicodemos,

Aproveito para perguntar algo que é de interesse de muitos daqui onde moro (Vitória -ES): Soube, por meio de um amigo presbiteriano, que a Mackenzie está propondo criar algumas extensões de seminários em estados/capitais onde não há seminários reformadas da alçada presbiterina. Essa notícia me alegrou muito, mas até onde ela é verdadeira? Ele disse que esse seria um dos assuntos em pauta, no supremo concílio.

Graça e Paz
Mizael Reis

www.vozesdareforma.blogspot.com disse...

Agradeço todos os dias a Deus por sua misericórdia e graça para comigo na conversão e, também, pela segunda bênção: ser batizado na IPB.

Diego disse...

Irmãos presbiterianos
Sou Batista e louvei a Deus pelas decisões tomadas pelos irmãos. Que o Senhor Deus continue abençoando essa digna denominação e que nós (batistas)possamos aprender com a firmeza doutrinária dos senhores.

Obs:"considerar a Igreja Universal do Reino de Deus e a Igreja Mundial do Poder de Deus como seitas". Pelo amor de Deus, já estava na hora!

Pr. Nicodemus
Uma dúvida (e curiosidade!)
Qual é a decisão do concílio da IPB sobre a unção com óleo (se é que já exista alguma decisão)?
Obrigado
Diego

Maurício de Almeida Soares disse...

Só nos cabe agora entoar em coro o tríplice amém!!!

Anônimo disse...

Olá amigos presbiterianos. Sou Batista mas sempre admirei muito os reformados pelo zelo com o evangelho e com as doutrinas da graça. Mas algo sempre me pertubou aqui em Fortaleza.
A maioria das igrejas presbiterianas que conheço e já visitei estão afastadas de uma eclesiologia bíblica típica das igrejas reformadas. Não vi a disciplina eclesiástica. Os cultos estão tomados de entretenimento, como danças, jogo de luses, danças sensuais. Quando vi a pregação, era mais auto-ajudo e pouca exposição bíblica.
Nunca consegui entender isso.
E todas as que visitei eram Presbiteriana do Brasil.
Agora vejo que o dr Augustus diz "IPB de se manter uma igreja bíblica, reformada, conservadora e comprometida com a fé histórica".
Mas não é nada disso que vejo aqui em Fortaleza.
Entendam, não estou criticando, nem dando uma de superior (pois entre os Batistas também existe isso, porém sei o porque), estou apenas tentando entender o seguinte ponto:
Como a Igreja Presbiteriana do Brasil possui os principais teólogos do Brasil e ainda suporta igrejas tão distantes de uma igreja bíblica como o próprio dr. Augustus mencionou?
Amo os presbiterianos e sempre leio seus blogs.
Abraço fraternal em Cristo,

Ass: Tony Neto

Apolo Neto disse...

Augustus, sobre "Reiterou decisão anterior que considera como errado o proibir que mulheres orem nos cultos, proibir que as igrejas tenham corais e instrumentos musicais e proibir a celebração do Natal. A IPB rejeitou estas proibições." Não entendi essa decisão do Supremo. Existe isso na IPB? O que justifica essa decisão?

anselmoveras disse...

Lovado seja Deus pelas propostas aceitas, pelas rejeitas e, principalmente pelas medidas adotadas.
Deus seja louvado!

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Marcone,

"Gostaria de saber a respeito da decisão tomada pelo SC no caso das chamadas "danças liturgicas" em nossas igrejas e qual a posição que as igrejas deverão tomar...."

Não deu para tratar deste assunto nesta reunião. A IPB vai marcar uma reunião extraordinária do Supremo Concílio para breve, para terminarmos os assuntos. Infelizmente ficaram vários assuntos sem serem discutidos, e a questão das danças é um deles. Mas, o relatório que estava preparado para ir ao plenário para votação ratificava todas as decisões anteriores, que proibiam a dança litúrgica nos cultos das igrejas.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Mizael,

A extensão do Mackenzie de fato é assunto do Supremo Concílio, e é um dos que ficaram para a reunião extraordinária a ser ainda marcada.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Diego,

"Uma dúvida (e curiosidade!) Qual é a decisão do concílio da IPB sobre a unção com óleo (se é que já exista alguma decisão)?"

Não há uma decisão. Nomeou-se uma comissão para estudar o assunto. Eu faço parte dela, junto com outros estudiosos da IPB. A decisão será tomada em 2014 com base neste estudo.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Tony Neto,

"A maioria das igrejas presbiterianas que conheço e já visitei estão afastadas de uma eclesiologia bíblica típica das igrejas reformadas. Não vi a disciplina eclesiástica. Os cultos estão tomados de entretenimento, como danças, jogo de luses, danças sensuais. Quando vi a pregação, era mais auto-ajudo e pouca exposição bíblica. Nunca consegui entender isso. E todas as que visitei eram Presbiteriana do Brasil."

Se existem igrejas assim, elas não são presbiterianas, apesar de constar o nome na fachada. Deveriam ser corrigidas pelos presbitérios, que muitas vezes são omissos. Lamentável.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Anselmo,

"Augustus, sobre "Reiterou decisão anterior que considera como errado o proibir que mulheres orem nos cultos, proibir que as igrejas tenham corais e instrumentos musicais e proibir a celebração do Natal. A IPB rejeitou estas proibições." Não entendi essa decisão do Supremo. Existe isso na IPB? O que justifica essa decisão?"

Várias pastores da IPB passaram a proibir que as mulheres orem nos cultos. Passaram a proibir corais, instrumentos de músicas. Adotaram cantar somente os salmos e rejeitaram hinos e cânticos. Também começaram a pregar contra a celebração do Natal.

A IPB não aceita este tipo de atitude. Há dois anos tomou-se a decisão de que estes pastores estão causando confusão e que deveriam parar com isto. E agora o Supremo Concílio ratificou esta decisão.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Amigos,

Lamentavelmente acabei deletando dois comentários (sei que um foi da Tania Cassiano).Por gentileza, mandem de novo.

Abs.

o pregador disse...

Rev.
uma singela homenagem em Gratidão a Deus por voces no blog O pregador:
http://opregadordehoje.blogspot.com
Se poder visite. É um pedido meio ousado mas uma homenagem sincera.

tania cassiano disse...

Pastor,
O que comentei no anterior, foi que, Deus os abençoe, pelas decisões aprovadas, pois "sabia" que nossos representantes da IPB, estão atentos às doutrinas reformadas.
Parabéns!

Anônimo disse...

Pr. Nicodemos,
Aproveitando o ensejo, sou membro da IPB no ES e no culto passado ouvi do nosso líder na pregação do culto à noite exatamente estes termos: "devemos honrar as autoridades mesmo quando são corruptas".
Não concordei com esta colocação. Respeitar sim, eu concordo, mas daí a "honrar"...
Por favor, necessito de um esclarecimento quando à posição da IPB com relação a este aspecto,ainda mais que estamos em ano eleitoral...
Márcia

Anônimo disse...

Gostaria de saber a opinião do senhor sobre a incompatibilidade entre a maçonaria e os princípios da IPB.

Thiago Felipe disse...

Acho que o outro comentário deletado foi meu. Fico feliz de receber notícias da reunião do Supremo Concílio. E queria saber qual a posição do senhor em relação ao diaconato feminino.

Thiago

Danilo Neves disse...

Reverendo, e quanto aos seminários ligados à IPB? Qual é o diagnóstico atual geral e o que nessa reunião foi tomado de decisão sobre eles? Tenho ouvido apenas falar que eles estão "contaminados"... Isso é tudo o que sei.

Um abraço!

Em Cristo,

Danilo.

Maurício Barbosa disse...

Augustus Nicodemus Lopes disse...
Tony Neto,

"A maioria das igrejas presbiterianas que conheço e já visitei estão afastadas de uma eclesiologia bíblica típica das igrejas reformadas. Não vi a disciplina eclesiástica. Os cultos estão tomados de entretenimento, como danças, jogo de luzes, danças sensuais. Quando vi a pregação, era mais auto-ajudo e pouca exposição bíblica. Nunca consegui entender isso. E todas as que visitei eram Presbiteriana do Brasil."

Se existem igrejas assim, elas não são presbiterianas, apesar de constar o nome na fachada. Deveriam ser corrigidas pelos presbitérios, que muitas vezes são omissos. Lamentável.
Rev. Augustos, Sou como o Sr. sabe sou membro da Primeira Igreja Presbiteriana de Governador Valadares, primeiro quero externar minha alegria pela reeleição da direção de nossa amada Igreja, o posicionamento a respeito das IURD e a IMPD.
Porem existe uma coisa que não consigo entender em nossa Igreja.
Todo mundo sabe quais são as igrejas, seus pastores, endereços e até CNPJ, que teimam em ter em seus cultos o que o Tony Neto disse que existe lá em Fortaleza. Pergunto: Por que esperar uma denuncia de um membro para se tomar uma decisão pois se o erro é conhecido de todos?
Essa posição me dá a entender que a direção da Igreja está com “medo” ( me desculpe o termo ) de tomar uma decisão disciplinado tais igrejas, pastores e presbíteros.
Não seria essa morosidade e impunidade as causas da disseminação de tal prática em nossas igrejas?

Oro a Deus que continue a abençoá-lo, abraços.

Maurício Barbosa

Anônimo disse...

Se foi o meu comentário que foi deletado por engano, aqui vai uma versão reduzida dele novamente.

Eu havia dito que estava feliz com o rumo da IPB de se manter distante do liberalismo teológico e de manter a sã doutrina, e que entendia a alegria e até orgulho no bom sentido do Rev. Augustus com isso. O que eu questionei era o CONCEITO que a IPB tem de "sã doutrina".

Citei Tito 2.1 e seguintes, onde Paulo exorta Tito a falar o que convém à sã doutrina - e, onde o apóstolo passa, a seguir, não a falar de posições escatológicas, nem de questões tais como "pode haver diaconisas" ou modos de batismos etc. Para a surpresa de alguns, ao usar o termo "sã doutrina" Paulo passa a falar de coisas bem PRÁTICAS tais como ser exemplo aos fieis, pureza, sensatez, diligência no trabalho, não beber demais, não fofocar etc.

Não nego que seja importante ter posicionamentos claros e corretos sobre questões "teológicas" (ainda que creia que há coisas essenciais inegociáveis e coisas secundárias, onde pode haver variedade de opiniões). A minha crítica é que a IPB parece dar muito mais importância, na prática (na teoria talvez não, mas na prática sim) a ter tudo certinho na cabeça enquanto faz vista grossa a muitas das exortações de sã doutrina que Paulo faz a Tito.

Será que algum dia veremos a Assembleia Geral da IPB exortar os presbiterianos à santidade prática com tanto zelo quanto se preocupa em se manter na linha reformada?

Resumidamente, penso que o conceito de sâ doutrina precisa ser ampliado para incluir tudo o que a Escritura nele inclui. Não só posicionamentos teológicos, mas vida santa também. Disse no outro comentário que pode haver irmãos em denominações "menos certas" (digamos, uma comunidade dessas) que tem diversas posições teológicas sofríveis, mas que ama Jesus, que ora diariamente, que sai, trabalha, faz visitas, preocupa-se com os irmãos, contribui sacrificialmente, que cresce na santificação - e talvez um presbiteriano que subscreve tudo na CF, que sabe defender a doutrina reformada com sólida argumentação e, no entanto... Acho que me fiz entender.

Anônimo disse...

Sendo reformada e conservadora creio que a IPB deve ser aliancista. Quanto a isto não tenho dúvida pois uma das provas disto, é a prática do batismo infantil. Obviamente existe outras!
Entretanto, surge na minha pobre mente as seguintes perguntas
1- Onde nas Escrituras vemos numa Assembléia solene Deus tratar com pessoas que não são "cabeças"?
Todo culto solene é um encontro entre Deus e seu povo.
Se isto é um fato, então não dá pra imaginarmos a seguinte situação: Noé saindo da arca e no momento do estabelecimento da alinça noética, a mulher de Noé orando depois que o sacrificio é feito. Além de não está no texto, dentro da estrutura da aliança seria uma absurdo, já que ela não é cabeça do esposo. certo?
Outra obscura situação: Moisés juntamente com Arão e seus filhos e os anciãos e uma "mulher" sobem ao monte. E a mulher encarrega-se de fazer todo o serviço liturgico. Esta situação é bem absurda, certo? (rsrsrsrsr).
E antes que alguém venha com Gl 3.28 o contexto lá de Paulo é outro.
A lógica da funções do culto será que não está baseada na aliança criação????
No culto solene Deus fala com seu povo através da palavra e da Eucaristia. Será que seria correto pessoas que não são cabeças representarem a igreja em oração?
Será que a Teologia Bíblica daria esta "simples resposta"? Creio que sim. Sera que o mitte neo testamentário invalidou o mitte veterotestamentário? Será que os conceitos de aliança, Reino e Mediador não se encontra nas paginas do Novo Testamento?
Certamente que sim!
A não ser que não sejamos tão aliancistas assim. Será ?????
Será que existe um único caso em que na assembléia solene os santos foram representados numa oração por uma mulher?

Heitor Alves disse...

Augustus,

Sobre a decisão da IPB de não ter relações com a PCUSA por causa de ordenações e casamentos homossexuais por parte da Igreja Presbiteriana Americana, o que me chamou a atenção é que há um documento no site da PCUSA onde esta igreja diz que "a Escritura é claro que o casamento é entre um homem e uma mulher só e não suporta qualquer tipo de comportamento sexual fora do casamento" e que "a Assembléia manteve a definição de casamento como "um homem e uma
a mulher"
.

O documento está no link abaixo:

http://oga.pcusa.org/ga219/pdf/civilunion_final_FAQ.pdf

Houve uma mudança na postura da PCUSA ou isso é apenas "fachada"?

Abraços.

Warley Max disse...

Convido vocês a acompanharem as questões do cristianismo e deixarem também a suas opiniões sobre nós, cristãos:

http://cristaosseguidores.blogspot.com/

o pregador disse...

Rev.
1- Quero dar-lhe uma palavra de gratidão pelo estudos sobre Presbiterato na Carta de Pedro. Foi possível fazer com que novos convertidos entendessem a questão da vocação como uma coisa mais seria e não uma busca pela fama Deus o abençoe!

2- Também quero saber sua posição acerca de Diaconato Feminino.

Graça e Paz da parte de Deus pai de nosso Senhor Jesus Cristo!!

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Márcia,

"Aproveitando o ensejo, sou membro da IPB no ES e no culto passado ouvi do nosso líder na pregação do culto à noite exatamente estes termos: "devemos honrar as autoridades mesmo quando são corruptas".
Não concordei com esta colocação. Respeitar sim, eu concordo, mas daí a "honrar"...
Por favor, necessito de um esclarecimento quando à posição da IPB com relação a este aspecto,ainda mais que estamos em ano eleitoral...
"

A posição da IPB está em sua Confissão de Fé, no capítulo 23 que diz:

"É dever do povo orar pelos magistrados, honrar as suas pessoas, pagar-lhes tributos e outros impostos, obedecer às suas ordens legais e sujeitar-se à sua autoridade, e tudo isto por amor da consciência. Incredulidade ou indiferença de religião não anula a justa e legal autoridade do magistrado, nem absolve o povo da obediência que lhe deve, obediência de que não estão isentos os eclesiásticos".


Quando Paulo escreveu que "todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas" (Rom 13:1) o imperador era o corrupto, imoral e tirano Nero.

Enquanto as autoridades não nos obrigarem a tomar decisões e atitudes que sejam contrárias à Palavra de Deus, devemos obedecê-las - é isto que honrar significa.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Anônimo das 19:58,

"Gostaria de saber a opinião do senhor sobre a incompatibilidade entre a maçonaria e os princípios da IPB."

Acredito que a decisão da IPB foi correta. No relatório que foi apresentado no plenário, foram citados dos próprios livros da Maçonaria declarações que atestam o caráter religioso da maçonaria. E pelo que vimos, os aspectos religiosos da maçonaria são incompatíveis com a fé cristã reformada. Apoio totalmente a decisão.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Thiago Felipe,

"E queria saber qual a posição do senhor em relação ao diaconato feminino. "

Sou contra no atual contexto da IPB, onde o diaconato é visto como um ofício que traz autoridade sobre a igreja.

Calvino fazia distinção entre dois tipos de diaconato, um que exercia esta autoridade, e que era reservado aos homens; e outro, que se limitava ao cuidado dos pobres - neste último as mulheres poderiam participar. Penso da mesma forma.

A posição atual da IPB é parecida, embora não dê o nome de diaconisas às mulheres que trabalham com os diáconos no socorro aos pobres.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Danilo,

"Reverendo, e quanto aos seminários ligados à IPB? Qual é o diagnóstico atual geral e o que nessa reunião foi tomado de decisão sobre eles? Tenho ouvido apenas falar que eles estão "contaminados"... Isso é tudo o que sei."

O relatório da Junta de Educação Teológica sobre os seminários da IPB foi muito positivo. Não se falou sobre "contaminação" teológica. Se por isso você entende professores de linha mais liberal, que usam o método crítico de interpretação, pode ser que existam, mas são uma pequena minoria. A linha dos seminários da IPB, na sua totalidade, é a linha reformada. Estes professores estão remando contra a maré.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Maurício,

"Todo mundo sabe quais são as igrejas, seus pastores, endereços e até CNPJ, que teimam em ter em seus cultos o que o Tony Neto disse que existe lá em Fortaleza. Pergunto: Por que esperar uma denuncia de um membro para se tomar uma decisão pois se o erro é conhecido de todos? Essa posição me dá a entender que a direção da Igreja está com “medo” (me desculpe o termo) de tomar uma decisão disciplinado tais igrejas, pastores e presbíteros.
Não seria essa morosidade e impunidade as causas da disseminação de tal prática em nossas igrejas?
"

Não é tão fácil como parece. De acordo com a lei presbiteriana, não pode haver processo e disciplina sem que haja uma denúncia. Esta lei é para evitar que pessoas inocentes sejam processadas sem que sua culpa seja realmente provada. Há muitas maledicências, calúnias e mentiras que se levantam contra homens de Deus.

Um abraço!

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Anônimo das 9:22,

"Eu havia dito que estava feliz com o rumo da IPB de se manter distante do liberalismo teológico e de manter a sã doutrina, e que entendia a alegria e até orgulho no bom sentido do Rev. Augustus com isso. O que eu questionei era o CONCEITO que a IPB tem de "sã doutrina".

Alegre eu estou, orgulhoso, não. Pois é a graça de Deus que tem mantido a IPB na busca dos caminhos bíblicos.

O que a IPB entende por sã doutrina está em seus símbolos de fé, a Confissão de Fé de Westminster e os Catecismos de Westminster. É só dar uma lida e você encontrará ali a posição da IPB sobre a Bíblia, a Igreja, Cristo, Deus, o casamento, divórcio, etc. etc. etc.

Veja neste link:

http://www.luz.eti.br/do_confissaodewestminster1647.html

Você verá que não há esta dicotomia que você levanta entre boa doutrina e uma prática sadia. As duas coisas andam juntas.

O Supremo Concílio tem constantemente tomado decisões que mostram o lado prático e a busca da santidade nas igrejas. Nesta reunião tomamos decisões que aumentaram o foco da igreja na plantação de novos campos missionários e na evangelização. É só ler as decisões dos Concílios anteriores e você verá como há também esta preocupação com a vida de seus membros.

Se existem membros, pastores e igrejas que não estão vivendo em busca de santidade cristã, deve-se então seguir os passos mencionados por Jesus em Mateus 18, de repreender os faltosos. Caso eles não se arrependam, cabe denúncia formal.

O que acontece é que as pessoas ficam somente criticando os erros e não seguem o padrão bíblico para corrigir tais erros.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Anônimo das 9:35,

A IPB é aliancista mas discorda das suas conclusões, de que a mulher não pode orar em público. Eu também discordo desta sua conclusão, não por que sou da IPB mas porque sua argumentação é furada teologicamente e não tem a menor base bíblica.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Heitor,

"Sobre a decisão da IPB de não ter relações com a PCUSA por causa de ordenações e casamentos homossexuais por parte da Igreja Presbiteriana Americana, o que me chamou a atenção é que há um documento no site da PCUSA onde esta igreja diz que "a Escritura é claro que o casamento é entre um homem e uma mulher só e não suporta qualquer tipo de comportamento sexual fora do casamento" e que "a Assembléia manteve a definição de casamento como "um homem e uma
a mulher".


A decisão da IPB não foi somente por isto. Há outros motivos também, desde que a IPB rompeu com a PCUSA a 8 anos passados.

Mas examine a notícia direito. A declaração que você cita é do Minority Report, que ´o grupo minoritário conservador que ainda tem na PCUSA. Não representa a posição da maioria da PCUSA.

O que eles estão discutindo é se casais gays não casados (já que nem todos os Estados americanos aprovam casamento gay) podem viver juntos em abstinência sexual e se podem permanecer juntos se fizerem votos de união perpétua.

Eles não podem aprovar casamento gay pois isto depende da lei do Estado Americano, que varia de estado para estado.

O Supremo Concílio da IPB recusou voltar a ter relações com a PCUSA mas determinou que a sua Comissão de Relações Inter-eclesiásticas observasse os desenvolvimentos deste assunto na PCUSA e desse relatório daqui a quatro anos.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Pregador,

"Também quero saber sua posição acerca de Diaconato Feminino.

Já respondi acima.

Abs.

disse...

Rev. Augustus,

Já estive neste espaço como seu leitor para tecer críticas e fazer observações quanto a outros textos, mas hoje quero apenas tornar público o meu sentimento de admiração por sua postura durante a Reunião Ordinária do Supremo Concílio da IPB, tanto pelo que pude acompanhar via internet e também pelo testemunho de amigos que estiveram lá, "in loco".

Sua atitude branda e moderada, apesar de firme, em assuntos como a ordenação de diaconisas, bem como as práticas litúrgicas neo-puritanas são muito elogiáveis. Outro dia disse a um amigo, que é um grande admirador seu, que achava que o sr. deveria utilizar sua sabida influência no meio presbiteriano para também moderar os excessos do lado dos simpatizantes do puritanismo e do fundamentalismo, tanto quanto daqueles que são identificados como "liberais" (embora eu continue convencido da incorreção do uso deste termo... rs). Quero aqui reconhecer sua importante contribuição para a paz e a moderação na IPB, tanto em textos deste blog, quanto na recente RO.

E, se me permite uma pequena observação, (tinha que ter alguma... rs) a PC(USA) continua sem aprovar a ordenação de homossexuais, embora a proposta sempre apareça nas Assembleias Gerais da denominação.

Saudações em Cristo,
José Luiz M. Carvalho

Juber Donizete Gonçalves disse...

Rev. Nicodemus,

Parabéns ao Supremo Concílio pelas decisões tomadas. Apesar de não ser presbiteriano acredito que a posição tomada pela IPB possa até fazer coro em outras denominações, pelo menos eu espero.

Um abraço.

Bruno Carmanin disse...

Parabéns a liderança da IPB Rev. pois manteve a posição histórica Reformada, não se deixando contaminar com o fermento liberal que age aqui no Brasil. Só fico triste com algumas igrejas que permanecem em rebeldia sobre a decisão do supremo, o incrível é que os mesmos Presbíteros que estão no Supremo concílio,ao voltarem às suas Igrejas ficam omissos e não agem. Contudo, pelo menos temos um documento que mostra a todos que somos contra vários erros teológicos. Então, que agora pratique-mos essas decisões. Esperamos que em suas Próximas férias rsrsr o Rev. volte a Recife como fez indo a IPB do Pina. Foi muito instrutivo e marcou muitos jovens amigos meus. Bruno Rafael (IPB de maranguape 1 - Paulista-PE). Mantenha-nos Sempre informados Rev.

Gilberto Sampaio disse...

Graça e Paz, pessoal do Tempora-,mores.

Creio que todos os presbiterianos que vivem a fé reformada e seus principios devem estar felizes pelas decisões tomadas pelo SC, na ultima semana. Deus seja louvado por sustentar homens submissos a Palavra. Mas o que me preocupa é o fato de que ao que me parece existe uma insistencia crescente em contaminar a IPB com todas essas coisas que ja conhecemos, me parece que assuntos que nos concilios anteriores ja foram definidos insistem em "lotar" a pauta, do SC. Isso seria somente uma impressão, ou esta realmente acontecendo esta insistencia? Não seria a hora de purgar da IPB esses individuos que promovem tal tentativa, individuos que todos nós sabemos, muitas vezes são parte da propria liderança das igrejas?
Pastores neo-pentecostais, carismaticos, liberais, que utlizam apenas a estrutura Presbiteriana para se manterem, mas que na verdade não são Presbiterianos? Existem um ditado popular que diz "Agua mole em pedra dura tanto bate até que fura", nao seria essa a estratégia que vem sendo utilizada por esses falsos presbiterianos? Ao que me lembro no ato de ordenação de um ministro presbiteriano segundo o Art. 33 o ministro faz uma reafirmação publica de suas crenças reformadas e bem como sua lealdade a essas crenças, o que esta acontecendo? estes atos perderam os valores?

Em Cristo que nos fortalece
Gilberto.

Norma disse...

Olá, Augustus!

A Anônima das 9:35 me lembrou uma situação engraçada e trágica ao mesmo tempo: em um grupo de discussão, pretendendo defender a ordenação feminina, alguém respondeu ao anúncio do seu post (o da bispa Evônia) citando, além de "a letra mata, o Espírito vivifica" (pobre versículo, tão mal utilizado!), esse aqui:

"Estando ele ainda falando com eles, veio Raquel com as ovelhas de seu pai; porque ela era pastora" (Gênesis 29:9).

Não preciso dizer que morri de vergonha alheia, né?

O que fazer? Aulas de interpretação textual e bíblica pra esse povo, urgente! Hehehe!

Grande post, como sempre!

Abração!

Norma disse...

P.S. Ops! Escrevi "a Anônima das 9:35" porque achei que fosse mulher, de acordo com a frase abaixo:

"Sendo reformada e conservadora creio que a IPB deve ser aliancista."

Mas, como não é necessário ser reformado e conservador para crer que uma denominação é aliancista, logo percebi que havia algo errado. O negócio é que, segundo as boas regras sintáticas, o sujeito do gerúndio precisa ser o mesmo da oração seguinte. Se, como parece mais lógico, é a IPB que é reformada e conservadora, não o comentador (ou comentadora), o correto seria:

"Sendo reformada e conservadora, a IPB, creio, deve ser aliancista."

Então, reiterando meu comentário anterior: aulas de gramática e redação pra esse povo também! Hehe!

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Caro José,

Obrigado por seu email. Creio que todos queremos o avanço do Reino e da IPB. Vamos em frente, pois.

Sobre a PCUSA, a nossa Comissão de Relações Intereclesiásticas ficou encarregada de acompanhar os debates por lá, e havendo razões concretas que justifiquem uma mudança da decisão da IPB, tenho certeza que serão levadas em conta pelo plenário de 2014.

Um abraço fraterno.

Anônimo disse...

Prezado Rev. Augustus,

Fico imensamente feliz pelas notícias. Glória a Deus nas maiores alturas! Que IPB permaneça na Senda Reta e mantenha a sua posição bíblica.

Fiquei muito satisfeito com a decisão sobre a IURD e seria muito importante que outras seitas entrassem nessa lista até para educação dos membros.

Gostaria de adicionar aqui, em fraternidade ao irmão que encontrou igrejas presbiterianas que não seguem a doutrina correta que procure fiéis sérios para juntos denuncia-las. Se a denúncia no presbitério não funcionar, procure um presbitério maior e cada vez maior até chegar ao Supremo Concílio se for necessário.

Lembre-se que é um dever combater o bom e justo combate contra aqueles que, em muitos casos, já se tornaram verdadeiros heresiarcas e isto representa PERIGO imediato para os membros. Isto porque tais pastores ensinando doutrinas erradas e contrárias a confissão feita pelos mesmos na ordenação, invalidam automaticamente seu ministério e assim invalidam a comunhão dos membros. Isto é grave!

Aproveitando os comentários a respeito da PCUSA, gostaria de perguntar sobre a Kirk. Esta igreja também ultrapassou a linha da apostasia, inclusive ordenando um pároco publicamente homossexual. A IPB possui algum relacionamento com a Kirk hoje?

Deus seja louvado!

Saudações,

Eudes

Anônimo disse...

Caro reverendo Augustus, fico feliz em saber que a IPB mantém a sua postura bíblica. Parabéns pelas informações.
Deus o abençoe.
José Soares.

Anônimo disse...

Rev. gostaria de saber com foi o critério Preponderante para considerar as referidas "Igrejas" em seitas.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Anônimo das 20:38,

"Rev. gostaria de saber com foi o critério Preponderante para considerar as referidas 'Igrejas' em seitas."

A IPB adota a Confissão de Fé de Westminster como fiel interpretação das Escrituras.

De acordo com a Confissão, uma igreja é mais pura ou menos pura conforme a pureza com que celebra os sacramentos, aplica a disciplina e prega a Palavra. Algumas igrejas, de acordo com a Confissão, já disvirtuaram tanto estas três marcas, que nem mais igrejas são.

Nos estudos feitos sobre a IURD, já em 1998, ficou claro para a IPB que ela não prega o Evangelho fielmente (prega o Evangelho da prosperidade), já desvirtuou o sentido do batismo e especialmente da Ceia, e não exerce qualquer disciplina sobre seus membros. Na mesma linha vai a Mundial do Poder de Deus.

Abs.

Naziaseno disse...

Notoriamente a IPB tem buscado um equilíbrio nas suas decisões, que foram pautadas na base do bom senso, do zelo e sob os auspícios da sua fé confessional. Entretanto, a minha percepção é que a nossa amada Igreja não chegou ao grau de maturidade: ainda somos uma denominação teologicamente eclética. Isso explica o porquê das decisões não agradarem a todos. Temos 150 anos de história, mas muitos e muitos ainda estão bebendo leite.

Alfrêdo Oliveira disse...

Louvado seja Deus pela fidelidade da IPB!

Erikson F. de Araújo disse...

Louvamos a Deus pelas decisões do nosso Supremo. Foram decisões sábias e firmadas na palavra de Deus. Que Deus abençoe nossos líderes.

Em Cristo,

Pb. Erikson

Vandim disse...

“De acordo com a lei presbiteriana, não pode haver processo e disciplina sem que haja uma denúncia. Esta lei é para evitar que pessoas inocentes sejam processadas sem que sua culpa seja realmente provada. Há muitas maledicências, calúnias e mentiras que se levantam contra homens de Deus”.

Acho esse procedimento muito sábio. Já vi muita calunia nisso.

Uma vez visitei uma igreja presbiteriana da qual se diziam coisas ruins sobre sua liturgia. De fato a igreja celebrava um culto mais contemporâneo, com hinos em ritmos modernos e algumas músicas evangélicas conhecidas, mas nada que excedesse os princípios bíblicos. Em determinado momento do culto os adolescentes foram levadas para uma sala para estudar o breve catecismo. Todos tinham um exemplar em mãos. Dos difamadores essa era uma igreja que tinha cedido ao neo-pentecostalismo.

Tem gente que diz que o culto está tomado de entretenimento simplesmente por serem celebrações alegres. Outros dizem que a pregação é auto-ajudo simplesmente por ser uma pregação prática.

Pr. Raimundo Campos disse...

Parabéns pela unidade nacional. Esta característica deve ficar como exemplo para as demais denominações. Parabéns também pelo nível das discussões que demonstram ser bíblicos e de relevante importancia para a saúde espiritual da igreja de Cristo na terra. Como Pastor assembleiano, estou farto de discussões periféricas e que não são o cerne dos problemas que a igreja enfrenta no cotidiano. Louvo a Deus por vocês. Tenho carinho especial pelos Presbiterianos, pois na lida como Missionário, a Igreja Presbiteriana de Ipiraí, no município de Capela do Alto Alegre, na Bahia, me estendeu a mão, ajudando-me na evangelização e na consolidação do trabalho missionário que eu desenvolvia naquele povoado. Meus sinceros agradecimentos e profundo respeito.
Paz.

Anônimo disse...

Rev Augustus, bom dia.
O sr. falou que não foi possível votar a questão das danças litúrgicas, pois não houve tempo, e que será marcada uma reunião extraordinária para tratar do assunto. Será possível tratar do assunto ainda este ano, ou será que teremos que aturar os dançarinos por muito tempo? Aqui em Pernambuco, é o que mais tem no presbitério de Olinda.
Abs
Anderson Teixeira.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Anderson,

Não sei quando o Supremo vai se reunir outra vez para tratar do assunto. Mas observe duas coisas:

1 - Continua em vigor a decisão do Supremo de 1998 que considerou danças como inconvenientes e impróprias no culto a Deus;

2 - O relatório da Comissão que tratou do assunto, e que elaborou uma pastoral, foi em tese aprovado. Neste relatório fica muito claro o porque da proibição das danças e coreografias. É apenas este relatório pastoral que precisa ainda ser aprovado.

Independente desta próxima reunião, as danças litúrgicas já estão proibidas na IPB desde 1998.

Abs.

exegese biblica disse...

Olá Rev. Algustus! A paz de Nosso Senhor Jesus Cristo! Eu concordo plenamente com a classificação da IURD e da IMPD como sendo seitas heréticas. Gostaria de que o senhor, se possivel, me dissesse se a IMPD possui alguma declaração de fé escrita. Conheço as aberrações doutrinárias deles apenas através das "pregações" televisionadas. Um forte abraço!!!

William Gonçalves (pastor Batista) disse...

Sou pastor Batista (CBB) e quero congratular-me com os senhores pelas sábias decisões desse concílio. Especialmente no que concerne ao ensino teológico, perde-se muito em seguir o generalismo proposto pelo MEC e que de fato formará teologistas e não teólogos e por certo deixará e muito a desejar na formação pastoral até porque não é esse o seu objetivo.
Entre os Batistas, tem crescido os que igual a mim, fazem côro para que nossos cursos teológicos voltem a ser confessionais. Parabens, abraços fraternais.
Pr William Gonçalves (Rondônia)

Pra. Zenilda Reggiani Cintra disse...

Pr. Augustus
Como pastorais sou confrontada permanentemente com seus escritos contrários à ordenação feminina. Admira-me seu preparo que certamente o levou a uma função tão importante no Mackenzie aonde mulheres exercem funções em liderança. Por que essa dicotomia tão grande entre o secular e o religioso no tocante às mulheres? Não vale o argumento de que não é bíblico pastoras porque tb não é bíblico diversas outras funções eclesiásticas que temos hoje. Admirei-me que a IPI ainda não tenha diaconisas. Quer dizer, tudo isso oficialmente porque certamente ela tem muitas diaconisas e pastoras não reconhecidas.
Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Prezada Zenilda,

Sem dúvida, temos mulheres muito capazes e preparadas que exercem liderança aqui no Mackenzie. Temos professoras com doutorado e pós-doutorado, evidenciando a capacidade das mulheres e destruindo de vez o argumento ridículo de que as mulheres são intelectualmente inferiores ao homem.

O Mackenzie foi a primeira universidade brasileira a ter uma doutora na reitoria. Mais recentemente, tivemos outra reitora (2003). Espero que isto deixe claro que não há qualquer preconceito ou machismo da parte da IPB contra as mulheres.

O que acontece é que a IPB adota a Bíblia como regra de fé e prática. E a IPB não viu até agora base bíblica para ordenar mulheres ao ministério, embora reconhecendo claramente sua capacidade. A IPB entende que a falta de exemplos de mulheres ocupando posições oficiais de liderança religiosa, tanto em Israel (sacerdotisas) quanto na Igreja (presbíteras, pastoras e diaconisas), bem como as orientações do NT quanto às mulheres estarem em submissão aos maridos e de não exercerem autoridade nas igrejas são argumentos fortes o suficiente para não fazê-lo.

Da mesma forma, a IPB percebe que na Bíblia não há restrição a que a mulher ocupe posições de liderança em outras áreas da vida - a restrição é somente na família e na igreja, pois o casamento é visto como um tipo do relacionamento de Cristo com a igreja e a igreja é considerada Seu corpo. Não se pode dizer isto da sociedade em geral.

Você disse, "admirei-me que a IPI ainda não tenha diaconisas". Bom, a IPI (Igreja Presbiteriana Independente) tem diaconisas e presbíteras. Quem não tem é a IPB (Igreja Presbiteriana do Brasil), denominação à qual pertenço.

Pode ser que haja diaconisas e pastoras não reconhecidas dentro da IPB, se estamos pensando no dom de serviço, de ensino e misericórdia. Temos muitas mulheres presbiterianas dedicadas às causas sociais, ao cuidado dos pobres, que ensinam e aconselham nas igrejas. Elas são uma grande bênção.

Curiosamente, elas nunca fizeram qualquer manifesto, nunca mandaram um documento sequer à direção da IPB pedindo que fossem consagradas pastoras, presbíteras ou diaconisas. E elas têm todo direito e possibilidade de pedir isto, pois são membros de nossas igrejas. Em nosso sistema, qualquer membro pode mandar um documento ao Supremo Concílio.

Por fim, não veja meus escritos contra a ordenação feminina como algo contra sua pessoa - eu nunca nem tive o prazer de conhecê-la!

Abs.

Danniella disse...

Quanto a reunião do SC-IPB 2010 algumas decisões concordo e outras não principalmente quando se ESTABELECE COMISSÃO, diga de passagem que tudo que se cria uma comissão aqui no Brasil e a na igreja não é diferente é para não se resolver o assunto e se ganahr tempo , pois em média essas comissões levam anos e anos para uma conclusão em geral frustante e cansativa, quanto a MAÇONARIA ACREDITO QUE A IPB depois de 100 anos afirma não ser possivel ser maçon e cristão, ONDE O DIGESTO DA IGREJA POR UM SÉCULO NUNCA AFIRMOU ISSO, ou seja EM TERMOS JURIDICOS não temos na IPB a menor segurança juridica de suas decisões, lamentável e quanto ao irmaos do passado? não sao cristãos? cabe a IPB dar uma resposta e o digesto sobre o assunto? sempre foram errados? e quanto aos carismáticos da IPB ? o que a IPB irá fazer será tolerante com eles?

att::Roberto Souza..

luis souza disse...

Uma vez que foram consideradas seitas tanto a IURD quanto a Mundial do Poder Deus, como deve ser o procedimento a respeito dos “ramos neopentecostais? ” posto que quase em totalidade pregam e procedem da mesma forma das referidas, neste caso aproveito para fazer menção do Ministério Internacional da Restauração, em que seu líder foi declarado “patriarca” ( http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=9431), pois se o critério de avaliação é uma consonância com a Confissão de Fé de Westminster e os Catecismos de Westminster. O Neopentecostalismo passa longe, isso sem mencionar alguns pontos do Pentecostalismo... Gostaria de saber: quando foram tratados as questões da IURD e Mundial do Poder de Deus, foi falado algo sobre o Neo e Pentecostalismo?...

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Roberto Souza,

Não estou muito por dentro desta questão maçônica, mas pelo que me recordo das últimas reuniões do SC (2002, 2006 e agora) a IPB vem consistemente se definindo contrariamente à maçonaria. Nesta última reunião, votou o assunto e o resultado foi este, manteve decisões anteriores que sustentam a incompatibilidade da maçonaria com a fé cristã reformada.

Concordo com você que comissões nem sempre são para o melhor, mas tem certas matérias complexas que não dá para discutir num plenário com mais de mil pessoas, boa parte delas nunca estudou o assunto. NEste caso, uma comissão que estude o assunto e apresente um relatório pode ajudar.

Sobre sua pergunta, "e quanto ao irmaos do passado? não sao cristãos? cabe a IPB dar uma resposta e o digesto sobre o assunto? sempre foram errados? " eu suponho que uma resposta poderia ser esta: considerando que cristãos verdadeiros podem se equivocar em algum assunto, sem que isto implique que não são cristãos, segue-se que os irmãos do passado que eram maçons, diante da última decisão da IPB estavam equivocados neste ponto, sem que com isto sejam considerados não-cristãos.

Mas, o mais correto seria pedir ao SC-IPB um pronunciamento sobre este assunto, através dos meios conciliares (presbitérios, etc.).

Abraço.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Luis Souza,

Muitos pastores presbiterianos recebem pessoas oriundas de outras igrejas e ficam sem saber ao certo se devem simplesmente recebê-las como membros ou se devem rebatizá-las e então recebê-las.

Quanto às igrejas históricas e pentecostais, como Assembléia de Deus, nunca tivemos problemas. Quem vem de lá é recebido sem rebatismo. MAs com o surgimento das grandes "igrejas" neopentecostais e os problemas doutrinários associados com elas, muitos pastores pediram ao Supremo Concílio da IPB um posicionamento.

As perguntas que vieram foi sobre a IURD e a Mundial do Poder de Deus. E o Supremo respondeu dizendo que é para rebatizar quem vem destas igrejas, pois elas são seitas.

Não houve perguntas sobre as demais. Qualquer membro da IPB pode fazer esta pergunta diretamente ao Supremo Concílio, mediante o conselho da sua igreja local.

Abs.

Mauricio disse...

Eu gostaria que o o pastor Nicodemus nao continuasse a dizer que a ordenacao homosexual e permitida na igreja PCUSA. Por que nao e. Ja vi o reverendo dizer isso aqui e NAO E VERDADE. Ano passado ou foi o anterior falou que tinham aprovado a ordenacao homosexual. O que nao e verdade. NUNCA FOI APROVADO. Pra explicar pro reverendo caso nao entenda como a igreja PCUSA e governada. A ala liberal vive votando essas coisas e todo ano perde. Por que o que eles votam tem que ser aprovado pela maioria dos presbiterios e nunca e aprovado. Mais o reverendo como so conhece a PCA, OPC, etc sempre publica desinformacao que causa mal estar junto aos evangelicos e reformados da PCUSA. PCUSA e a igreja presbiteriana e reformada da america. E uma igreja de mais de 3 milhoes de membros enquanto a PCA tem um decimo dos nossos numeros. Os teologos de peso reformados estao na PCUSA e nao na PCA. Sugero que o reverendo lesse os seguintes teologos reformados da PCUSA Andrew Purves, Robert Gagnon (autor de The Bible and the Homosexual practice. O estudo mais bem feito sobre a biblia e o homosexualismo), Bruce McCormack, Scott Sunquist e tantos outros. O copo nao esta half empty reverendo ele esta half full. A PCUSA tem muitos desafios. Mais ainda e a igreja reformada que mais evangeliza, que mais contribui pro reino de Deus (apesar das alas hereticas). A PCA tem suas crises e problemas assim como a OPC e a RPC. Nao estou aqui defendendo que a IPB tenha relacoes com a PCUSA mais eu so gostaria que o retrato da PCUSA fosse mais fiel e menos fruto do bias PCA e de Westminster sobre a PCUSA. Meus dois vintens. Admiro o senhor e so gostaria que o senhor quando fosse bater na PCUSA se lembrasse dos milhoes de crentes dentro dela e nao so dos hereges que falam alto mais sao uma faccao apenas.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Mauricio,

"Eu gostaria que o o pastor Nicodemus nao continuasse a dizer que a ordenacao homosexual e permitida na igreja PCUSA. Por que nao e. Ja vi o reverendo dizer isso aqui e NAO E VERDADE. Ano passado ou foi o anterior falou que tinham aprovado a ordenacao homosexual. O que nao e verdade. NUNCA FOI APROVADO."

A última coisa que eu pretendo é ser desonesto ou injusto com a PCUSA ou qualquer outra igreja ou indivíduo.

Já estive errado antes e posso estar errado agora. Se estiver, não hesitarei em me corrigir. Não estou torcendo para que minha informação esteja certa e a sua errada. Esto na expectativa de que a sua esteja certa, pois "o amor se regozija com a verdade". Nada me daria maior alegria do que admitir que me enganei, e que não há união de homossexuais sendo celebrada dentro da PCUSA e que não há pastores(as) aberta e reconhecidamente gays ou lésbicas no ministério da PCUSA. Pois seria isto uma vitória do Evangelho.

Estou em contato com dois pastores da PCUSA que são proeminentes dentro da denominação e estou rementendo a eles este assunto. Assim que eles me responderem, volto a falar com você.

Abraços.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Maurício,

Pelas minhas pesquisas preliminares, nesta reunião da PCUSA em julho deste ano o assunto foi novamente trazido.

Havia uma Comissão Especial nomeada pela PCUSA para trazer um relatório sobre união de pessoas do mesmo sexo, para ser discutido e debatido na Assembléia.

Esta Comissão não conseguiu chegar a um acordo. Em vez de um relatório, trouxeram dois. O primeiro, representando a opinião da maioria da Comissão, queria mudar a Constituição da PCUSA e trocar "casamento entre um homem e uma mulher" por "casamento entre duas pessoas" e assim legalizar a união gay. O relatório da minoria era contrário e insistia que o único casamento aprovado por Deus é o entre um homem e uma mulher.

Os dois relatório foram discutidos no plenário da PCUSA em 10 de julho deste ano. NÃO CONSEGUIRAM CHEGAR A UM ACORDO!

Venceu uma proposta de que os dois relatórios, o da maioria e o da minoria, fossem enviados às igrejas locais para estudo por parte dos pastores e membros.

Veja a notícia em http://theaquilareport.com/index.php?option=com_content&view=article&id=2439:pcusa-week-long-skirmish-on-same-sex-marriage-ends-in-no-victory-more-study&catid=92:pcusa-general-assembly&Itemid=145.

Ou seja, a Assembléia Geral da PCUSA não aprovou a união de homossexuais MAS TAMBÉM NÃO DESAPROVOU.

Veja o que eu escrevi na minha postagem acima:

"O plenário [da IPB] rejeitou veementemente propostas para reatamento de relações com a PCUSA – conhecida Igreja americana aberta para ordenação de homossexuais – bem como de retornar à AMIR – Aliança Mundial de Igrejas Reformadas – também de viés liberal. "

Portanto, eu não disse que a PCUSA aprova - eu disse que ela está aberta, e está mesmo - ela não consegue, infelizmente, dar um sonoro NÃO na sua Assembléia Geral a este assunto.

Quero dizer que respeito, admiro e amo os irmãos reformados e bíblicos dentro da PCUSA. Conheço excelentes igrejas dentro da PCUSA. E lamento que esta denominação não consiga, já por tantos anos, dar uma resposta negativa defintiva a este assunto.

Por enquanto, entendo que a IPB tomou a decisão mais acertada, em se manter distante.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Maurício,

Uma outra decisão que a Assembléia Geral da PCUSA em julho tomou foi de mudar os padrões de ordenação dos pastores e pastoras da PCUSA.

Os padrões atuais requerem que os pastores e pastoras casados vivam em fidelidade, e que os solteiros e solteiras vivam em castidade.

Por esta porta entraram pastores gays e pastoras lésbicas, desde que não se casem.

No ano passado esta proposta de mudar estes requerimentos foi derrotada, mas agora, no dia 8 de julho deste ano, foi aprovada. A Assembléia Geral aprovou cair este item.

Agora, a proposta vai para a aprovação dos presbitérios e precia ter a maioria para poder ser definitivamente sancionada.

No momento, a PCUSA aceita pastores gays e pastoras lésbicas desde que eles e elas não tenham parceiros. Se a mudança for aprovada pelos presbitérios (e espero que não seja), os atuais gays e lésbicas que são pastores poderão ter parceiros.

Um dos sites dos gays e lésbicas da PCUSA, inclusive pastores e pastoras que defendem abertamente o casamento gay e o homossexualismo é:

http://www.mlp.org/

Como eu disse, não quero ser injusto com a PCUSA. Mas as informações me deixam triste.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Maurício,

Continuando nosso diálogo para esclarer as coisas.

Estatísticas oficiais da PCUSA até 2004:

http://oga.pcusa.org/perspectives/jun05/stats04.pdf

http://oga.pcusa.org/pdf/statistics.pdf

http://www.pcusa.org/media/uploads/research/pdfs/cs-2008-table1.pdf

Perceba como a PCUSA vem diminuindo de tamanho a cada ano. Não há nenhuma igreja nos EU que perca tantos membros, nesta sangria sem precedentes.

http://www.pcusa.org/media/uploads/research/pdfs/cs-2008-table3.pdf

Observe que em 2008 a igreja 2 milhões e 100 mil membros aproximadamente. Em 2008 já não tinham, efetivamente, 3 milhões de membros, como você afirma.

Estas são estatísticas oficiais da PCUSA.

Abs.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Maurício,

Continuando - visto que o assunto é uma questão de justiça.

A Assembléia Geral da PCUSA elegeu agora em julho sua nova moderadora. Uma presbítera chamada Cindy Bolback.

Eis as respostas desta senhora a respeito de casamento de pessoas do mesmo sexo:

"PERGUNTA: What do you think about civil unions and same sex marriages?"

“RESPOSTA DELA: Who poses the greatest threat to the institution of marriage: Larry King who has been married 8 times” or a couple whom she knows in Washington, DC who have been together for many years and just got married this year?" - note que o "couple" a que ela se refere é um casal gay.

Vários outros moderadores da PCUSA manifestaram-se abertamente a favor de casamento de homossexuais. Veja alguns deles no vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=rQpTA-h0dKA

Esta, a seguir, é Erin Swenson. Foi submetida a uma operação e agora é uma “mulher”. Como homossexual (homem) era pastor presbiteriano no Presbitério Sul de Atlanta. Foi operada, virou “mulher” e o seu presbitério manteve sua ordenação. Nenhuma ação foi feita contra ela. PCUSA viu tudo e calou-se. Veja ela dando "testemunho" neste vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=vzDGzbZICA0

Esta é a igreja, cuja ala liberal, “todo ano perde”. Mas, por sua tolerância, permitem a existência inclusive de transsexuais no ministério pastoral.

O vídeo a seguir é da Reverenda Janie Spahr, da PCUSA, que recebeu o premio de “Mulher de Fé” do ano de 1999, premio oferecido oficialmente a mulheres de destaque na vida da PCUSA. Premio recebido das mãos do seu Secretário Executivo, Dr. Clifton Kirkpatrick. Veja no vídeo ela aprovando e abençoando um casal de lésbicas.

http://www.youtube.com/watch?v=sqVysQIAUl8

Veja outros vídeos de pastoras lésbicas, livremente defendendo suas posições, sem qualquer disciplina da PCUSA

http://www.youtube.com/watch?v=045MpvJv00I

O Presbitério de Baltimore aprovou, sem qualquer ação contrária da PCUSA, casamento de pessoas do mesmo sexo.

http://www.youtube.com/watch?v=s1BOS0nae_c&feature=related

Lamento, Maurício, mas é pior do que eu pensava...

Nelson Nincao disse...

Estimado irmão Pr. Nicodemus. Por que a IPB está abrindo as portas para práticas carismáticas? Temos visto danças, música rock, instrumentos de som que fazem mal até aos nossos ouvidos, pastoras, movimento G.12, teologia da prosperidade, reuniões de libertação... Onde irá para a igreja que deveria prezar pelos credos, confissões de fé, e toda a herança da Grande Reforma?

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Nelson,

"Estimado irmão Pr. Nicodemus. Por que a IPB está abrindo as portas para práticas carismáticas?"

Não sei. Se o irmão me der um exemplo de como a IPB abriu as portas para as práticas carismáticas, talvez eu possa explicar. Tipo, uma decisão do Supremo Concílio abonando estas práticas, ou incentivando estas práticas, ou autorizando estas práticas. Você poderia citar?

"Temos visto danças, música rock, instrumentos de som que fazem mal até aos nossos ouvidos, pastoras, movimento G.12, teologia da prosperidade, reuniões de libertação..."

Curiosamente, a IPB proibiu deste catálogo que você mencionou acima as danças, as pastoras, o movimento G-12, a teologia da prosperidade e reuniões de libertação (ao considerar as igrejas que fazem isto como seitas). Portanto, continuo sem entender sua afirmação que a IPB está abrindo as portas para as práticas carismáticas.

"Onde irá para a igreja que deveria prezar pelos credos, confissões de fé, e toda a herança da Grande Reforma?"

Mas é só ela que deveria zelar? Você, não? É fácil esta atitude de colocar a responsabilidade nos outros. Se voce é reformado, por que não faz um documento dando provas de erro doutrinário e litúrgico nestas igrejas e envia aos presbitérios e sínodos? Ficar apontando os erros e se eximindo de responsabilidade é muito fácil, Nelson.

Abs.

Nelson Nincao disse...

Pastor, desculpe-me por não ter sido tão claro. O fato é que sou ex-pentecostal e estou conhecendo as doutrinas reformadas há não muito tempo. Mas enquanto em nossa igreja estamos, com muita dificuldade, retornando ao modelo litúrgico reformado, algumas igrejas presbiterianas locais fazem o inverso – tendem a implantar o modelo neo-pentecostal.
Como li os seus livros e seus artigos, assisti preleções suas, tenho-o como um grande expoente da fé reformada, e só por isso fiz a pergunta. Estou realmente preocupado com o que estou vendo (tenho pessoas da minha família que são presbiterianos).
Gostaria de ajudar, mas não sei o que fazer de prático. Perdoe-me pela inconveniência.

PASTOR LINHARES disse...

Que esta decisão de considerar estas igrejas como seitas seja seguida por outras denominações genunuinamente evangelicas deste pais. Que haja mais divulgação deste assunto nos meios de comunicação.

FABIO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blog do Zeca disse...

Prezado Pastor,

Gostaria de saber se essas decisões sobre comemoração de Natal, mulheres orarem em culto, corais, cantatas, instrumentos musicais são definitivas ou se terá uma outra reunião para definição, pois ouvi um comentário de alguém que foi a reunião que não são definitivas por terem sido decididas em comissão e que assuntos polêmicos assim têm que ser decididos por todos os participantes. Que a decisão dessa forma configura-se anticonstitucional. Por outro lado fui ao site da executivaipb.com.br/atas.htm e vi a ata com links para os documentos, porém os links não funcionam. Tentei entrar em contato com a executiva por e-mail, mas ninguém responde. Achei uma falta de consideração muito grande. Talvez o senhor possa falar com o pessoal para consertar os links para que possam ficar disponíveis. Contudo, acredito no senhor e sei que não viria ao seu blog trazer informações inverídicas e louvo a Deus pela decisão da IPB.

Mauricio disse...

Rev Nicodemus,

No meu post eu digo claramente que a ala liberal e forte. Eles estao na administracao da igreja. Por que? Por que suas igrejas nao crescem e eles acabam entranto na estrutura burocratica da denominacao. E importante que o senhor entenda que os membros da igreja sao em mais de 50% reformados e evangelicos. A ala liberal fala alto por que controla a parte do governo da igreja. Isso nao impede que a PCUSA tenha muito mais impacto do que PCA, OPC, RPC ARPC etc.
O problema e que o senhor so fala mal. O senhor pra falar bem da PCUSA so fala por que eu postei isso. Eu quero dizer que tem lesbica homosexual dentro da pcusa. Mais a denominacao nao e a igreja catolica ou episcopal. Ela e uma associacao de igrejas e presbiterios. Se tem um pastor gay num presbiterio e o presbiterio e conivente vai fazer o que? Nao ha por acaso coisa errada dentro da IPB? Agente vive em guerra civil o tempo todo. Eventualmente a igreja vai dividir no meio. Mais o que eu quero dizer e que a ala boa da PCSA ainda e boa. E faz muita coisa boa. Acho certo a IPB nao trabalhar com a PCUSA mais acho porem que a IPB deve trabalhar com o lado bom da PCUSA em associacoes como a outreach foundation, presbyterian for renewal, Presbyterian Layman, Reformed ministries international, com presbiterios conservadores como os da Pennsylvania (pittsburgh por exemplo). Eu acho que o senhor deve promover o dialogo com a ala conservadora da PCUSA. Por que eu acho que ela tem muito a oferecer. E ela tem muito mais a ver como a IPB do que as presbitrerianas menores. So isso. Eu quero lhe pedir que o senhor continue orando pela pcusa e eu gostaria que o senhor iniciasse contatos com a ala conservadora da minha denominacao. Quando o senhor bate na PCUSA o senhor bate em min junto com os apostatas. O senhor bate no Robert Gagnon. O senhor tem que mirar mais corretamente pra nao matar os refens junto com os bandidos.

Maurício de Almeida Soares disse...

olá Rev.
Aqui na minha cidade há uma IMPD, e tenho uns tres membros da igreja (pessoas que vieram anteriormente de denominações pentecostais), que vão lá de vez em quando.
Já transmiti a decisão do Supremo à Igreja, mas senti a necessidade de fazer com ela um estudo sobre o assunto.
gostaria que o senhor fizesse uma postagem exclusiva sobre a decisão do supremo sobre a IMPD (já que sobre a IURD já existe algo).
isso seria muito útil, pois o senhor que participou das discussões em plenário tomou conhecimento de fatos e argumentos que não temos.
obrigado.
um abraço.