domingo, janeiro 23, 2011

Augustus Nicodemus Lopes

O Apóstolo Pródigo

Estudando Paulo para dar aulas esta semana, percebi mais um aspecto interessante do apóstolo que o distancia dos apóstolos modernos. Ao contrário dos tais apóstolos que se lançam para fazer carreira solo e ter seu próprio ministério, Paulo sempre fez questão de mostrar que ele fazia parte do grupo apostólico de sua época, embora tivesse sido chamado para ser apóstolo quando o prazo de matrícula já tinha expirado ("nascido fora de tempo", 1Co 15:8).

Se alguns têm uma visão de Paulo como um individualista que seguiu carreira e ministério próprios, isto se deve, em parte, à Igreja Católica que colocou Pedro acima dos demais apóstolos e portanto longe de Paulo. Os liberais também contribuíram para isto, quando fizeram de Pedro o líder do Cristianismo judaico da Palestina e Paulo o líder do Cristianismo gentílico de Antioquia, em constante tensão e hostilidade mútuas.

De todos os apóstolos, Paulo era o mais culto, o mais preparado intelectualmente e com maior experiência intercultural. Nascido em Tarso da Cilícia, em território grego, educado no que havia de melhor e mais refinado na erudição judaica, de família rica o suficiente para lhe dar o status de cidadão romano, Paulo se destacava dos pescadores, cobradores de impostos, artesãos e ex-guerrilheiros galileus que compunham o quadro dos Doze apóstolos de Jesus Cristo ("iletrados", At 4:13). Com facilidade ele poderia ter iniciado um movimento independente e ter seu próprio ministério e até mesmo fundar uma religião. Todavia, ele se negou a fazer isto e até mesmo repreendeu os seus fãs que queriam começar o "partido de Paulo" (veja 1Co 3:4-9).

Na realidade, o retrato que temos de Paulo em suas cartas e no livro de Atos é de um apóstolo que não se via tendo um ministério solo nem próprio, mas em perfeita harmonia e cooperação com os demais. Para ele a igreja está edificada sobre o fundamento "dos apóstolos e dos profetas" (Ef 2:20). Ele não se vê como um fundamento à parte. Ele honrou os apóstolos antes deles, visitando-os em Jerusalém e procurando comunhão e harmonia com eles (Gal 1:18). Foi provavelmente nesta ocasião que ele aprendeu com eles acerca de várias tradições originadas em Jesus (1Co 11:2; 15:3-7). Paulo declara que eles eram importantes e colunas da igreja, apesar de terem uma condição humana muito humilde - o que realmente não importava, pois Deus não olha para o exterior (Gal 2:6). Os sinais e prodígios que ele realizava eram "credenciais do apostolado" (2Co 12:12), isto é, sinais que eram operados por todos os que eram apóstolos. Paulo não teve problemas em se submeter às instruções de Tiago quando esteve em Jerusalém (At 21:18-26).

E quando é obrigado a dizer que trabalhou até mais que eles, Paulo logo acrescenta que é somente pela graça (1Co 15:10). E quando teve de repreender a Pedro por sua inconsistência (Gal 2:11-21), isto não fez com que se separasse dele - na verdade, Pedro mais tarde até mesmo recomenda as cartas que Paulo escreveu como se fossem Escritura! (2Pe 3:15-16).

A melhor maneira de descrever como Paulo se via entre os demais apóstolos é aquela do filho pródigo, que disse ao pai, ao regressar, "não sou digno de ser chamado teu filho" (Lc 15:21). Por ter perseguido a Igreja, Paulo fala de seu apostolado como uma honra nunca merecida, um favor especial concedido por Deus: "Porque eu sou o menor dos apóstolos, que mesmo não sou digno de ser chamado apóstolo, pois persegui a igreja de Deus" (1Co 15:9) [- devo este parágrafo a J. Van Bruggen].

Fico com a impressão que a inspiração dos modernos apóstolos evangélicos não é Paulo ou um dos Doze, mas o atual bispo de Roma.

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

28 comentários

comentários
23/1/11 18:56 delete

Sei não Pastor, acredito que a influência atual dos modernos apóstolos é pior do que a do bispo,
de Roma.
Abr.

Responder
avatar
Casal 20
AUTOR
23/1/11 19:29 delete

Querido Pastor, somos novos nessa blogosfera, mas já deu para perceber como há "independentes", "desigrejados", "ressentidos" e irresponsáveis por aí. Pessoas que afirmam, sem a menor preocupação com o bom testemunho, de que a "Bíblia não é a Palavra de Deus"! Mas o que eu acho pior, Pastor, é que elas não estão falando sério; elas "apenas" querem causar impacto. Quando se aprofunda a discussão, elas são capazes de darem mil rodeios para, por fim, dizerem que foi só "ruído de comunicação".

Ninguém mais defende a fé que de uma vez por todas foi dada aos santos; parece mesmo que todos eles se interessam, tão somente, na defesa do ministério do próprio umbigo.

Há entre esses quem diga que não precisamos de uma reforma na Igreja, mas de uma revolução!... Esta mentalidade revolucionária é o que se esconde por trás de tantos desses apóstolos guerrilheiros, dispostos a estabelecer uma "nova ordem religiosa".

Parabéns pelo post.

Responder
avatar
Heitor Alves
AUTOR
23/1/11 22:19 delete

Augustus,

A Bíblia é tão fascinante que a cada nova leitura do mesmo aprendemos coisas novas!

Sua "descoberta" sobre Paulo faz sentindo e é mais um motivo para nós desacreditarmos dos falsos apóstolos de hoje.

Abraços.

Responder
avatar
Diogo
AUTOR
23/1/11 23:36 delete

Olá Pr. Augustus, parabéns pelo excelente post: conciso, esclarecedor e edificante!
Aproveitando a oportunidade, gostaria de pedir ao senhor, algumas indicações bibliográficas sobre a teologia do Reino de Deus. Estou estudando o tema, mas não estou encontrando muita coisa.
Grato.

Responder
avatar
leo
AUTOR
24/1/11 01:04 delete

Pr. Augustus,

Paulo já foi casado?

O bispo de Roma, ensina que ele é a pedra sobre qual a igreja foi edificada. Apocalipse 21.14 fala que a igreja tinha 12 fundamentos, com os nomes dos doze apóstolos. Esse versículo dá alguma base á doutrina papal?

abraços!

José Leonardo de S. Santos

Responder
avatar
24/1/11 12:16 delete

Dr. Augustus

Vc pegou pesado com o Bispo de Roma, fiquei com dó do Papa.

Nunca vi o Bispo de Roma colocar sua foto na placa de sua igreja.
Nunca vi o Bispo de Roma colocar seu nome na sua igreja.
Nunca vi o Bispo de Roma fazer na televisão apelos para levantar $$.
Nunca vi o Bispo de Roma preparar parente seu como sucessor.

As decisões do Bispo de Roma não são arbitrárias, havendo um concílio.


Tales

Responder
avatar
24/1/11 15:30 delete

Diogo,

Dê uma lida no Teologia do Novo Testamento de Georger Ladd - ele trabalha bem o tema Reino de Deus.

Leo,

Acredito que Paulo era solteiro. O requerimento do Rabinismo judaico que os membros do Sinédrio tinham de ser casado data por volta do ano 100 d.C.

A reivindicação do papa é usurpação, naturalmente. Apocalipse 21:14 não dá base alguma para a doutrina do papado.

Responder
avatar
24/1/11 15:31 delete

Caro Tales,

Tudo bem. Não vou contra argumentar, embora pudesse qualificar algumas de suas colocações, como por exemplo:

"Nunca vi o Bispo de Roma colocar sua foto na placa de sua igreja" - nem precisa, pois todos os os membros têm uma foto dele em casa e a beijam todo dia.

"Nunca vi o Bispo de Roma colocar seu nome na sua igreja".- nem precisa pois só tem ele mesmo e todo mundo sabe quem ele é. Em compensação, ele diz que é o único legítimo apóstolo e sucessor de Pedro.

"Nunca vi o Bispo de Roma fazer na televisão apelos para levantar $$".- ele não precisa fazer isto, pois todos os padres fazem voto de pobreza, não recebem salario e custam pouco à Igreja de Roma. Além disto, os padres fazem quermesse, bingo, feiras, festas, e ainda cobram dízimos dos fiéis. Para não falar nas promessas feitas aos santos, etc. No passado o Papa vendeu perdões e indulgências, o que não é muito melhor do que os apóstolos pentecostais.

"Nunca vi o Bispo de Roma preparar parente seu como sucessor". - e como poderia, se não é casado? Não tem mulher nem filhos a quem deixar a coroa.

Os apóstolos neopentecostais imitaram o bispo de Roma nestes pontos: (1) autoridade máxima e exclusiva; (2) palavra final e infalível; (3) mediadores entre Deus e os homens; (4) promoção do misticismo em torno de relíquias, objetos, etc; (5) pouca Bíblia; (6) e outros.

Responder
avatar
24/1/11 17:16 delete

Dr. Augustus
Parabéns (rsrsrsrs)
;)
É a alma católica dos evangélicos no Brasil. (artigo de sua lavra publicado pela Fiel, e que merecia estar nesse blog).
A paz
Tales
P.S: No frigir dos ovos são farinha do mesmo saco. Embora eu continue achando o Papa mais pop e menos esdrúxulo que os papinhas "góspel".

Responder
avatar
Kleber Teles
AUTOR
24/1/11 19:03 delete

Bom post, só não concordo com o título "O Apóstolo pródigo", pois pródigo significa aquele que gasta mais do que o necessário, esbanjador, gastador, e não está ligado ao fato do sentimento de humildade do filho pródigo na sua volta para casa quando diz:"Não sou digno de ser chamado seu filho (Lc 15.21)"
Dr. Nicodemos, com todo o respeito, esse título na minha opinião não ficou bem apropriado ao desenvolvimento de sua idéia.

Kleber Teles
www.salmoparavoce.blogspot.com

Responder
avatar
romulo
AUTOR
24/1/11 20:57 delete

Parabéns Rev. Augustus Nicodemus. Que Deus continue iluminando a mente do irmão. Òtimo texto.

Responder
avatar
Alexandre
AUTOR
24/1/11 23:28 delete

Dr. Augustus muito bom o texto. Uma dúvida: Onde posso ler mais sobre a questao sobre o casamento dos membros do sinédrio? Tinha pra mim que esta questao ja estava presente como norma no periodo intertestamentário. Obrigado pela ajuda antecipadamente...

Responder
avatar
25/1/11 08:51 delete

Prezado Reverendo Nicodemus,

A Editora PES produziu um livrete com o nome Verdades Chamadas Calvinistas, extraída e adaptada da obra de C. H. Spurgeon, Autobiography: 1, The Early Years, Banners of Truth. Pp162-175, 1976.

Para esclarecer o que ele entendia por “calvinismo” por não ter outro nome para a doutrina defendida por Calvino, afirmou:

“”Somente usamos o termo “calvinismo” por uma questão de brevidade. A doutrina conhecida como “calvinismo’ não teve sua origem em Calvino; acreditamos que ela se originou com o grande Fundador de toda a verdade. Talvez o próprio Calvino a tenha extraído dos escritos de Agostinho. E Agostinho, sem dúvida, chegou às suas conclusões através do Espírito de Deus, a partir do estudo diligente dos escritos de Paulo, o qual, por sua vez, os recebeu do Espírito Santo e de Jesus Cristo, o grande Fundador da era cristã. (...)"" – C.H.S.”

Assim como Apocalipse 21:14 não dá margem à reivindicação do papado, a mesma passagem não torna problemática a reivindicação de Paulo ter sido escolhido Apóstolo?

Esse esclarecimento é importante para mim, pois estou tentando compreender a doutrina presbiteriana, na qual fui instruído na infância sem ter sido apresentado aos seus aspectos mais difíceis.

Em Cristo,
João Martins

Responder
avatar
leo
AUTOR
25/1/11 14:10 delete

Pr. Augustu,

Obrigado pela ajuda. Não sabia que Paulo fazia parte do Sinédrio. E nem que, para fazer parte do mesmo teria que ser solteiro.

O casamento na época do antigo testamento era feito no templo?

A resposta que o senhor deu ao "advogado teólogo e cristão bíblico" foi muito boa!

Abraços!

José Leonardo de S. Santos

Responder
avatar
25/1/11 17:53 delete

Kleber,

Tudo bem, não dá para acertar todas...

Alexandre,

Procura na Enciclopédia Zondervan, no verbete "Paulo" a indicação detalhada das referências. É um artigo muito bom. Esta Enciclopédia foi publicada recentemente pela Cultura Cristã.

Mas observe o seguinte: as fontes documentárias para nosso conhecimento do Judaísmo Rabínico são os Midrashes, A Mishna e os Talmudes. Nenhum deles data de antes do séc. II. É neles que vamos encontrar a regra do casamento para membros do Sinédrio. Portanto, fica sempre em aberto de a regra existia no tempo de `Paulo ou se tornou-se um requerimento mais tarde, quando o Rabinismo se fortaleceu.

Abs.

Responder
avatar
25/1/11 17:54 delete

Professor João Martins,

Eu entendo sua pergunta. A resposta clássica à ela é que Paulo não fazia parte do número dos Doze apóstolos de Cristo, muito embora esteja à altura dos mesmos e até tenha trabalhado mais que eles.

Apocalipse 21:14 apenas mostra que a Igreja está fundamentada sobre a doutrina dos apóstolos - Os Doze e Paulo, certamente, que se não incluido numericamente, o está de fato e verdade.

Um abraço.

Leo,

Que Paulo fazia parte do Sinédrio é aparente dos seguintes pontos:

1) Somente o Sinédrio poderia julgar e condenar cidadãos judeus - portanto, foi o Sinédrio quem julgou e condenou Estêvão à morte, veja Atos 6:12 e 15, onde isto fica claro.

2) Muito tempo depois, Paulo, referindo-se a este evento, declara sua participação, consentindo e dando voto a favor, veja Atos 22:20 com Atos 26:10.

3) A implicação (embora não 100% segura) é que ele era membro do Sinédrio na ocasião.

Eu não disse que tinha que ser solteiro, mas sim que podia ser solteiro, se está correta a informação de que a lei que obrigava o casamento dos membros do Sinédrio é posterior a Paulo.

Duvido que os casamentos eram feitos no Templo. Provavelmente na casa do noivo ou da noiva.

Um abraço.

Responder
avatar
Isaias Lobao
AUTOR
26/1/11 09:26 delete

Olá. Passei por aqui para acrescentar meus elogios ao texto. Parabéns pastor Augustus. Sua defesa da teologia paulina demonstra a riqueza da ortodoxia bíblica. Não precisamos comprar o pacote liberal, como muitos tem feito no Brasil, para termos uma análise profunda do pensamento paulino. Nada de nova perspectiva de Paulo, nem de Paulo inventor do cristianismo, muito menos de Paulo contra Cristo ou contra Pedro. Basta ficarmos com o Paulo seguidor de Cristo. Ah, uma palavra para o irmão Kleber. Segundo o dicionário Houaiss, pródigo é um adjetivo que tem em suas acepções:
1 que dissipa seus bens, que gasta mais do que o necessário; gastador, esbanjador, perdulário
Ex.: parábola do filho p.
2 que é generoso ao dar; liberal, magnânimo
Ex.: é p. na caridade mas não faz alarde disso
3 que produz em abundância; fértil, fecundo
Ex.: o Brasil é uma terra p.

Creio que o pastor Augustus quis dar a última acepção ao apóstolo Paulo. Um abraço.

Responder
avatar
26/1/11 11:22 delete

Excelente contribuição a blogosfera com esse artigo irmão Augustus, sempre gostei de artigos que tratam da vida do apóstolo. Realmente ele não tinha nenhuma semelhança com todos os "apóstolos" modernos. Importante também foi você tratar sobre a questão do celibato de Paulo.

Forte abraço!

Responder
avatar
Luciano
AUTOR
26/1/11 11:58 delete

Rev. Augustus,
sei que não tem nada a ver diretamente com o posto, mas gostaria de saber se o senhor conhece o livro "Filosofia e Cosmovisão Cristã", de J. P. Moreland e William Lane Craig, que saiu pela Vida Nova, e qual sua opinião sobre ele. Comprei-o, achando que tinha visto o nome na bibliografia reformada básica que foi publicada nesse blog, mas não estava, e como estou escaldado de ler literatura dita cristã de duvidosa fidelidade ao Senhor, gostaria de saber sua opinião antes de me embrenhar por ele.
Abraços.

Responder
avatar
leo
AUTOR
26/1/11 14:44 delete

Pr. Augustus,

Vou dar uma pesquisada na internet sobre o "Sinédrio". Lembrei também que Paulo foi ensinado por Gamaliel! E por ser citado seu nome na Bíblia, isso nos mostra que na época ele tinha um nível teológico parecido com nosso amado irmão Augustus Nicodemus Lopes!!! heheheheh! Só pra descontração!

Como o texto fala de "Apóstolos" vou contribuir com mais um tema:

14 razões porque Paulo morreu na miséria:

À luz dos ensinamentos dos teólogos da prosperidade que afirmam que o servo de Deus tem que ser rico, descobri os verdadeiros motivos que levaram o Apóstolo Paulo a morrer na mais profunda miséria.

Infelizmente, o Apóstolo de Cristo aos gentios, não "entendeu" as revelações bíblicas cometendo erros gravissimos como:

1º- Não decretar a bênção da vitória na sua vida.
2º- Não amarrar o principado da miséria.
3º- Não quebrar as maldições hereditárias provenientes de seus antepassados.
4º- Não entender a visão da multiplicação do movimento G12.
5º- Não receber a revelação do DNA da honra de Deus.
6º- Não possuir as unções do cachorro, leão, águia, macaco, lagartixa, vômito e etc.
7º- Não tomar posse da bênção.
8º- Não semear as sementes da prosperidade.
9º- Não ter sido promovido a "paipostólo"
10º- Não ter trocado de anjo da guarda.
11º- Não ter elaborado nenhum mapeamento de batalha espiritual.
12º- Não ter recebido revelações do inferno.
13º- Não ter emitido nenhum ato profético.
14º- Não ter desenvolvido o hábito de orar em montes.

Caro leitor, segundo a ótica dos teólogos da prosperidade Paulo foi um fracassado, um pastor incompetente que não soube desfrutar das bênçãos de Deus.

Triste isso não?

Isto posto, resta-nos rogar a Deus pedindo misericórdia, como também que livre a sua igreja desta doutrina nojenta e anticristã.

Pense nisso!

(fonte: http://www.pulpitocristao.com/2010/06/14-razoes-porque-o-apostolo-paulo.html)

Abraços!

José Leonardo S. Santos
Aproveitando

Responder
avatar
Kleber Teles
AUTOR
26/1/11 18:13 delete

Caro irmão Isaias Lobão,

O que eu disse foi apenas uma dica de um leitor um pouco mais atento, uma dica de como as palavras nos remetem a símbolos, quem lê a palavra pródigo num texto seguido de uma citação do texto bíblico do filho pródigo, logo a remeterá ao símbolo da palavra naquele contexto, ou seja, esbanjador, gastador e não como você disse: “fértil, fecundo”, mesmo que a palavra também signifique isso.

O Dr. Nicodemus entendeu, suas palavras foram: “Tudo bem, não dá para acertar todas...”

Forte abraço a todos!

Pr. Kleber Teles
www.salmoparavoce.blogspot.com

Responder
avatar
Isaias Lobao
AUTOR
26/1/11 20:43 delete

Caro Pr. Kleber. Obrigado pela correção. Sua leitura foi mais atenta do que a minha. Um abraço.

Responder
avatar
FPS3000
AUTOR
5/2/11 16:11 delete

Considerando-se que o bispo de Roma é oficialmente um apóstolo ("Papa" é a sigla para "Pedro Apóstolo Príncipe dos Apóstolos"), não se espantaria que o apostolado moderno fosse exatamente como um "papado protestante".

Senão, vejamos: os apóstolos modernos são líderes incontestáveis de organizações moldadas à sua imagem e semelhança, defendidos como infalíveis pelos membros e donos de poderes supremos em suas denominações; se isso não é a prova de que os apostolados neopentecostais são "novos papados", então não sei o que isso seria ...

Responder
avatar
Eraldo
AUTOR
7/2/11 16:32 delete

Reverendo Augustus,

Seu post me fez lembrar que dias atrás, esteve “ministrando” em minha cidade, um desses apóstolos atuais que está fazendo muito sucesso (e dinheiro também), arrastando após si uma multidão incauta em busca de cura física, prosperidade financeira e outros bens terreais; que em si mesmos, entendo eu, não são pecados, mas dependendo do contexto são no mínimo idolatria e completo desconhecimento dos verdadeiros tesouros que temos em Cristo: “A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo.” - Efésios 3:8.

Mas o que mais me chamou a atenção foi a fato de que enquanto os fiéis, na sua grande maioria, se dirigiram até o local da reunião com apóstolo, de ônibus ou a pé, e ali ficaram se apertando debaixo de um sol escaldante de mais de 35 graus, o tal apóstolo chega à cidade de helicóptero, é levado até o local de reunião de carro blindado e seguido por forte escolta de seguranças particulares (homens armados), e fica abrigado em uma tenda com ar condicionado e uma farta mesa com finas iguarias, enquanto aguarda o momento de subir ao palco.

Chegado o momento de se apresentar, dirige-se ao palco escoltado por seus seguranças, de onde, por aproximadamente 40 minutos, pede “dinheiro para manutenção da obra”, arrecadando seis malas de viagem cheias de dinheiro, as quais, juntamente com o apóstolo, são levadas em carros blindados até o aeroporto, e colocadas no helicóptero que retorna para a cidade de São Paulo, deixando para trás uma multidão...

São Paulo, cidade cujo nome me remete a um outro apóstolo de Cristo, esse verdadeiro, pois seguiu as pegadas do Mestre que o considerou fiel chamando-o para o ministério. “De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestuário. Sim, vós mesmos sabeis que para o que me era necessário a mim, e aos que estão comigo, estas mãos me serviram. Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.” (Atos 20: 33-35).

Um fraterno abraço.

Responder
avatar
RODRIGO
AUTOR
9/2/11 15:08 delete

http://f2link.f2b.com.br/www-produtossiao-com-br

Responder
avatar
RODRIGO
AUTOR
9/2/11 15:12 delete

Em Gênesis 3.9 Deus perguntou a Adão: "Onde você está?"
Deus continua fazendo essa mesma pergunta a cada um de nós hoje...
Onde estamos no que diz respeito ao plano de Deus para nossa vida?
O que fazemos no que se refere ao dons e talentos que Deus nos deu?
Por muitos anos essas perguntas pulsavam e ardiam dentro de mim.
Como disse Edmund Burke: "A única coisa necessária para que o mal triunfe é os homens de bem não fazerem absolutamente nada." Acredito que mais do que todas as questões, devemos ser decididos nas de natureza ESPIRITUAL. Não existe neutralidade nos assuntos espirituais. Muitos cristãos relacionam a expressão "tempo de colheita" com a conversão de almas por todo mundo. Entretanto, é muito mais do que isso: É o tempo em que o povo de Deus deve PREPARAR-SE PARA A BATALHA. As fases do ciclo da colheita dos últimos dias foram planejadas por Deus para levar o seu povo a uma NOVA DIMENSÃO de crescimento e de maturidade espiritual. Trata-se da época mais importante da história da Igreja, um período em que tudo que os cristãos aprendem de Deus será traduzido em uma ATITUDE DINÂMICA. Esse ciclo ira encerrar a última era da Igreja com a colheita de almas mais miraculosa e intensa que o mundo já viu. Os últimos dias revelarão para os que conhecem a Deus uma nova dimensão de amor e intimidade. Eles saberão quem são no Senhor e terão consciência de que são co-herdeiros das riquezas divinas em Cristo Jesus. Irão exercer esse privilégio para se apropriar de tudo que Deus colocou à disposição para eles e completar a obra que lhes está proposta. Por fim, responderão à ordem de marchar a fim de conquistar o mundo para o Senhor Jesus Cristo. Os soldados do exército que atuará na colheita dos últimos dias não apenas ouvirão o toque da trombeta a convocá-los para a ação, serão capazes de interpretar esse som; sabendo que Deus espera deles. O Senhor irá despertar o seu povo - aqueles que sabem quem realmente são e têm poder para realizar tudo que o Pai deseja, os dias de sons incertos terminaram. Estamos entrando em guerra espiritual: O ciclo da colheita dos últimos dias!
Faça mais que existir: VIVA!
Faça mais que ajudar: SIRVA!
Faça mais que sonhar: REALIZE!
Faça mais que somar: MULTIPLIQUE!
Faça mais que viver: VIVA COMO JESUS ENSINOU!

MINHA OPINIÃO

Responder
avatar
28/5/11 15:20 delete

Rev. Augustus Nicodemus sou grato a Deus por ser um arduo defensor das doutrinas reformadas e pricipalmnete pela ortodoxia biblica, parabens. Gostaria de saber sua opiniao sobre a entrevista do Pr Ricardo Gondim a Revista Carta Capital, onde ele declara defensor dos homossexuais, como segue:
O pastor herege
Gerson Freitas Jr 27 de abril de 2011 às 8:48h

CC: O senhor é a favor da união civil entre homossexuais?

RG: Sou a favor. O Brasil é um país laico. Minhas convicções de fé não podem influenciar, tampouco atropelar o direito de outros. Temos de respeitar as necessidades e aspirações que surgem a partir de outra realidade social. A comunidade gay aspira por relacionamentos juridicamente estáveis. A nação tem de considerar essa demanda. E a igreja deve entender que nem todas as relações homossensuais são promíscuas. Tenho minhas posições contra a promiscuidade, que considero ruim para as relações humanas, mas isso não tem uma relação estreita com a homossexualidade ou heterossexualidade.
Alias gostei muito do posicionamento do Rev Roberto Brasileiro sobre a pl.122 no programa verdade e vida.
Abraços.

Responder
avatar
29/11/12 15:16 delete

VOCÊ NA PLACA DE UMA IGREJA ESCRITO, IGREJA DA GRAÇA, QUANDO ENTRA LÁ VÊ NÃO É NADA DE GRAÇA TEM QUE COMPRAR TUDO.

Responder
avatar