quinta-feira, agosto 25, 2011

Augustus Nicodemus Lopes

Ué... e igreja tradicional cresce no Brasil?

Eu não havia ainda reparado para um detalhe que me parece muito interessante no "Novo Mapa das Religiões" no Brasil, da Fundação Getúlio Vargas (FGV). A pesquisa foi publicada esta semana e trouxe grande repercussão em vários setores da mídia.

Há muitos pontos de interesse na pesquisa, que podem ser objeto de comentário e reflexão em outra ocasião. No momento, quero me referir somente a este, que é a constatação de que entre 2003 e 2009 o crescimento percentual dos evangélicos tradicionais (presbiterianos, batistas, luteranos, etc.) foi maior do que o crescimento percentual dos pentecostais (Assembléia de Deus, Universal do Reino de Deus, etc.). De acordo com o Estadão,

"A pesquisa também apontou estagnação da proporção de evangélicos pentecostais (de igrejas como Assembleia de Deus e Universal do Reino de Deus), que teve grande crescimento nos anos 1990, e aumento do evangélicos tradicionais (batistas, presbiterianos, luteranos, etc)."
A notícia comenta ainda:

"Neri [o pesquisador responsável] associa os avanços econômicos na última década ao aumento de 38,5% dos evangélicos tradicionais (de 5,39% a 7,47%), enquanto os pentecostais tiveram crescimento ínfimo, de 12,49% em 2003 a 12,76% em 2009".
Entendo que há um erro conceitual da pesquisa, que é colocar a Universal do Reino de Deus como sendo pentecostal, ao lado da Assembléia de Deus. Isso pode ter puxado o resultado para baixo, pois enquanto é sabido que a Universal de fato vem perdendo membros, pensava-se que a Assembléia continuava a crescer como sempre fez. A queda da Universal pode ter superado o crescimento da Assembléia e empurrado o percentual para menor. Reconheço também que o pesquisador identifica como a causa deste crescimento a melhoria econômica dos brasileiros. A lógica é esta, quanto maior o poder aquisitivo, maior a preferência pelas igrejas tradicionais. A conferir.

De qualquer forma, está registrada a retomada do crescimento do Cristianismo evangélico tradicional no Brasil, fato que já havíamos pressentido a partir da nossa observação informal do cenário brasileiro pelas redes sociais, encontros, grande mídia, eventos, etc.

Em termos absolutos, os pentecostais são muito maiores. Resta saber se os tradicionais serão capazes de fazer a diferença, agora que estão começando a crescer.

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

30 comentários

comentários
26/8/11 00:30 delete

"Resta saber se os tradicionais serão capazes de fazer a diferença, agora que estão começando a crescer." [2]

Responder
avatar
26/8/11 00:41 delete

Acho normal que as igrejas tradicionais tenham um crescimento maior em relação as igrejas pentecostais!
Em uma comparação chula, acredito que esse crescimento seria mais ou menos como a diferença de crescimento do PIB de países emergentes em relação a países ricos:
As igrejas pentecostais (países ricos) já ocupam grande parte do território , e tem (em tese) menos espaço para expandir, enquanto as igrejas tradicionais (países emergentes) ainda tem vários 'vazios' para preencher!
Mas não sou economista, nem estatístico, e tudo isso que eu disse pode não ter o menor cabimento!
Mas em se tratando de Reino de Deus, espero que cada um faça a diferença onde quer que esteja, e que o Reino se expanda... e o denominacionalismo diminua!

(Segunda vez que digito isso! Espero que dessa vez seja postado!!)

Responder
avatar
Eduardo
AUTOR
26/8/11 02:10 delete

Reverendo Augustus,
Talvez deva-se levar em conta também a aceitação do fenômeno carismático e contemporaneidade no estilo de culto em igrejas chamadas tradicionais ou históricas como fator de enchimento de suas membresias.
Com o exemplo da Batista da Lagoinha.
Assim, estaria havendo um enchimento de templos com placas de igrejas tradicionais, e até ligadas à Convenções ou órgãos denominacionais históricos, mas sem o conteúdo doutrinário de suas origens e de suas antigas confissões de fé e declarações doutrinárias.

Responder
avatar
26/8/11 08:26 delete

Se a Igreja Batista de Lagoinha dor "tradicional", então a tendência dos números é crescer mesmo... todo dia eles inventam uma heresia.
Estive na cidade de Sobradinho visitando meu pai, e lá perto estava acontecendo um evento da Igreja Batista de Sobradinho, fui presenciar, e lá estava pregando um pastor da I.B.Lagoinha que dizia em sua pregação que "devemos orar com autoridade, exigir de Deus tudo aquilo que queremos...", eita que me deu vontade de ir ao púlpito e chamá-lo de fariseu (que orava cheio de orgulho). Nem todas as denominações tradicionais adotam uma doutrina genuína, e aquelas sincretistas são as que crescem rapidamente para satistafação humana.

Responder
avatar
ismael
AUTOR
26/8/11 09:51 delete

Apesar da Universal estar perdendo fiéis, estes mesmos fiéis estão indo para a Mundial do Poder de Deus. Então eu acho que o pentecostalismo está realmente estagnado incuindo a Assembléia de Deus.

Responder
avatar
26/8/11 10:18 delete

fico feliz de ler essa informaçao,por que a uns dois anos atraz eu falava para meu pai que é um pastor assmbleano que a mascacara das igrejas neo pentecostais vao cair aos poucos,( infelismente em alguns lugares minha denominaçao rumou para essa banda)pedi para meu pai para nos manternmos firmes aos principios da reforma, que a longo prazo veriamos uma mundança no pensamento evangelico brasileiro, devido a melhora economica do país, me lembro que na epoca meu pai achou meu pesnamento esquisito e nao creu muito,, mais hoje estou vendo que estava certo, mesmo as vezes precionado pela propria liderança pentecostal dentro de minha demnominaçao para usar estrategias neopentecostais nos cultos que realizo tenho resistido , não é facil ver a igreja do vizinho encher e vc ficar firme a principios biblicos mais eu sei que vale a pena o crescimento é mais lentto porem gratificante .


sandro barcelos

um abraço do meu tamanho

Responder
avatar
Celso
AUTOR
26/8/11 10:20 delete

Eu tenho outro entendimento sobre esse crescimento. Não creio que entrou na conta a Igreja Batista da Lagoinha. Mas de qualquer maneira muitas igrejas tradicionais tem aderido a estes modelos que "incham" da noite para o dia. É o caso de "igreja com propósitos", "Igreja celular" e outros mais.

Responder
avatar
26/8/11 10:27 delete

gostaria de deixar mais uma colaboraçao, acredito sem duvida que as redes sociasi, tem contribuido com esse crescimento das igrejas tradicionais o acesso a informaçao teologica de gualidade é maravilhosa e neste sentindo quero ressaltar o valor do mackenzie sem duvida com seminarios e conferencias e o blog tempora o mores rsrsrs.. eu mesmo tenho indicado a muita gente

sandro barcelos

Responder
avatar
Salomão
AUTOR
26/8/11 10:32 delete

É uma notícia que chama a atenção, sem dúvida. Mas pelo que temos visto e ouvido, já faz bastante tempo, as igrejas tradicionais absorveram muitas das práticas e teologias vistas nas igrejas pentecostais e neo-pentecostais. A maioria dos que escrevem aqui nesse importante espaço eletrônico sabe da luta contínua dentro das igrejas de origem histórica e confessionais reformadas, contra o arminianismo, pentecostalismo, liturgias estranhas a Escritura, como dança litúrgica, etc. Recentemente fui a uma reunião na bela praça central da cidade que moro. Era um sábado a noite, o clima estava bastante agradável. A reunião tinha sido promovida por duas igrejas locais, ambas confessionais - adotam a Confissão de Westminster. O motivo da reunião, chamada por um dos ministros do Evangelho de culto, era a comemoração pelos 101 anos de uma dessas referidas igrejas. Pois bem, chegamos na praça aproximadamente as vinte horas, horário em que foi iniciada a reunião evangelística. Um dos ministros do Evangelho anunciou a abertura da reunião e explicou os motivos da mesma: a pregação do Evangelho e comemoração dos 101 anos de existência da 1ª Igreja. Resumindo o acontecido, as vinte e uma horas as apresentações musicais ainda não tinham terminado, e eu, bem como outros irmãos em Cristo, aguardava-mos ansiosos a mensagem do pregador. Como o dia seguinte era o Domingo, infelizmente não consegui aguardar e ouvir o pregador. Fiquei pensando, então, e confesso que com tristeza: como uma igreja de confissão reformada, após 101 anos, não estava dando o valor a pregação do Evangelho, a marca distintiva das igrejas reformadas, a marca distintiva, por ser bíblica, da Igreja do Senhor Jesus Cristo? Nem quero comentar aqui o conteúdo das músicas cantadas naquela noite.
Mas concordo que a notícia pode significar o início de alguma mudança, para melhor, quanto ao crescimento da Igreja no nosso país. É motivo de mais humildade e oração por parte da Igreja.

Responder
avatar
Miguel Silva
AUTOR
26/8/11 11:11 delete

Muito bom sabe disto, qual e a rajão deste crescimento será a expansão da fé reformada no meio presbiteriano e outra denominações tradicionais. O fato econômico que o pais tem passado tem alguma contribuição?

Responder
avatar
Deyver
AUTOR
26/8/11 12:50 delete Este comentário foi removido pelo autor.
avatar
26/8/11 14:06 delete

Fator econômico? As pessoas estão "economicamente" mais desenvolvidas. Então, podemos dizer que as igrejas tradicionais são mais procuradas por pessoas de classes sociais, digo, poder aquisitivo mais estável? E que as mais pobres sempre procuram as pentecostais?

Responder
avatar
Deyver
AUTOR
26/8/11 14:47 delete

Fabiano E Pereira diz: "Então, podemos dizer que as igrejas tradicionais são mais procuradas por pessoas de classes sociais, digo, poder aquisitivo mais estável? E que as mais pobres sempre procuram as pentecostais?". Fabiano, a resposta é sim. Sou assembleiano e pelo que pude perceber, os irmãos daqui sempre afirmaram que o poder aquisitivo foi um ponto forte na escolha da igreja. Eles se sentiriam constrangidos sentando no mesmo banco com pessoas ricas. Afinal, são realidades diferentes certo? Outro ponto é que nas periferias é mais fácil encontrarmos congregações "pentecostais". Isso é fato! =D

Responder
avatar
Deyver
AUTOR
26/8/11 14:48 delete

Só acho triste chamar de igreja, as instituições IURD e IMPD. Pela lógica, se no lugar não tem o evangelho verdadeiro, então pq as mesmas tem o título de igreja? pq evangélica? e pra piorar, pq pentecostal? Pra mim, é um grupo de pessoas que se auto denominam bispos e apóstolos a fim de obter grandes lucros no fim do mês. Outro ponto é o envolvimento com a maçonaria. Na igreja IURD da Celso Garcia por exemplo, a estrutura é igual a entrada de um templo maçom. (na entrada: Triângulo em cima e 2/4 Bases ). Nada disso faz sentido. De qualquer forma, espero em Cristo que em vez do crescimento de denominações, aconteça o crescimento e expansão do Reino de Deus. Solus Christus!

Responder
avatar
Ednaldo
AUTOR
26/8/11 16:53 delete

Uai, se o crescimento dos tradicionais é devido ao aumento do poder aquisitivo, isso prova que "a benção do Senhor é que enriquece", e não a teologia da prosperidade.

Responder
avatar
Danilo Neves
AUTOR
26/8/11 17:09 delete

Seria interessante saber de onde provém os novos membros acrescentados às igrejas tradicionais ou históricas.

Cabe uma obs.:

O livro do pastor Paulo Romeiro, Decepcionados com a Graça, alerta as igrejas tradicionais a se prepararem para receber os muitos membros das igrejas neo pentecostais que se decepcionam com o pseudo-cristianismo oferecido pela grande maioria delas.

Responder
avatar
26/8/11 17:12 delete

Dr. Augustus Nicodemus, como sempre uma prazer interagir com irmão:

O Saudoso pastor Batista, Darcy Dusilek, disse há mais de 15 anos que as Igrejas históricas deveriam se preparar para receberem em suas membresias os crentes que viriam do movimento neopentecostal profundamente decepcionados e desejosos por igrejas mais saudáveis e equilibradas.

Além disso, Paul Freston, em seu artigo, publicado em ULTIMATO, comentou acerca do não cumprimento de alguns prognósticos publicados na década de 90 que apontavam para o fim das igrejas tradicionais. O sociólogo pontua que diferentemente do que alguns técnicos em estatística analisaram, as históricas não só não desapareceram, como, também, passa por uma fase estável (diferentemente das neopentecostais).

E, não podemos nos esquecer, do fenômeno do neocalvinismo, onde, inclusive, muitos de seus adeptos são oriundos de comunidades neopentecostais que cansados com as heresias do movimento, descobriram nas doutrinas da Graça o antídoto necessário para livrar-se de toda intoxicação teológica-doutrinária.

Portanto, Darcy estava certo. Pena não estar vivo para aferir com “profetizara” e Freston acertou também em suas análises!

Responder
avatar
26/8/11 18:07 delete

Dr. Augustus Nicodemus, como sempre uma prazer interagir com irmão:

O Saudoso pastor Batista, Darcy Dusilek, disse há mais de 15 anos que as Igrejas históricas deveriam se preparar para receberem em suas membresias os crentes que viriam do movimento neopentecostal profundamente decepcionados e desejosos por igrejas mais saudáveis e equilibradas.

Além disso, Paul Freston, em seu artigo, publicado em ULTIMATO, comentou acerca do não cumprimento de alguns prognósticos publicados na década de 90 que apontavam para o fim das igrejas tradicionais. O sociólogo pontua que diferentemente do que alguns técnicos em estatística analisaram, as históricas não só não desapareceram, como, também, passam por uma fase estável (diferentemente das neopentecostais).

E, não podemos nos esquecer, do fenômeno do neocalvinismo, onde, inclusive, muitos de seus adeptos são oriundos de comunidades neopentecostais que cansados com as heresias do movimento, descobriram nas doutrinas da Graça o antídoto necessário para livrar-se de toda intoxicação teológica-doutrinária.

Portanto, Darcy estava certo. Pena não estar vivo para aferir com “profetizara” e Freston acertou também em suas análises!

Abraços!!!

Idauro Campos

Responder
avatar
Salomão
AUTOR
26/8/11 20:25 delete

Pr. Augustus,
Tenho presenciado a graciosa e gloriosa manifestação do poder salvador do SENHOR, por meio da fiel pregação do Evangelho, na vida de dezenas de pessoas que estavam filiadas a uma grande e tradicional igreja pentecostal brasileira, que recentemente comemorou seu centenário. Essas pessoas, pela graça de Deus, tiveram o contato com o Evangelho da graça do Senhor Jesus Cristo, e então questionaram os ensinos antibíblicos dessa denominação; e após estudarem a Palavra de Deus, compreendendo as doutrinas bíblicas e suas implicações para a vida cristã, saíram dessa denominação. Esses irmãos em sua maioria são pobres. Digo isso, porque é perceptível crentes buscando associarem-se a igrejas reformadas por descobrirem a gloriosa e grandiosa mensagem e doutrina do Evangelho da graça do Senhor Jesus Cristo. Elas não se conformaram com ensinos e práticas estranhas ao santo Evangelho. Elas, pela graça de Deus, não se conformaram ao pobre e falso evangelho do arminianismo, esse "evangelho" que nega a divindade do Espírito Santo, ensinando que homens podem manipulá-lo, marcando hora para Ele "descer" em algumas das suas reuniões.Ou ensinando o absurdo de existem crentes de dois tipos: os batizados e os não batizados com o Espírito Santo.

Responder
avatar
Diogo
AUTOR
27/8/11 00:04 delete

Salomão,

Sua preocupação é também a minha.

Gostaria de partilhar uma percepão que tenho. É que parte considerável dos membros confessionais que vejo nas igrejas reformadas aprenderam isso por conta própria. Não foram ensinados ou doutrinados pelos oficiais da igreja.

O ensino em igrejas calvinistas tem sido fraco, diluído. Muitos membros de igrejas reformadas não sabem sequer do que se trata o assunto. Crêem tratar de mais uma igreja, sem diferença alguma das demais igrejas evangélicas, salvo um só diferencial, por muitos ainda por cima considerado inconveniente, que é o de que se batiza crianças.

Só conhecem a liturgia pentecostal. Só conhecem os ensinos pentecostais. Por isso parte considerável dos reformados vem de fora das igrejas reformadas. Aprendem por conta própria e, ao chegarem nalguma igreja reformada, muitas vezes acham igrejas que querem ser pentecostais para assim ganhar mais membros. Lastimável.

De fato, tem sido uma luta pra se evitar ensinos esquisitos.

Responder
avatar
Salomão
AUTOR
27/8/11 07:10 delete

Diogo,

O que você diz aqui é verdadeiro. A falta de ensino da sã doutrina por parte daqueles que foram ordenados para esse fim, foi, e ainda é uma triste realidade em muitas igrejas confessionais. Essa deficiência foi detectada já faz algum tempo; creio que há mais ou menos uns vinte anos, alguns irmãos têm labutado pela Fé, através de simpósios, literatura, formação teológica, etc. Graças a Deus estamos vendo os frutos: mais literatura reformada, simpósios, palestras, blog's (O Tempora, O Mores por exemplo), e a Pregação fiel da Palavra de Deus, por ministros fieis, se multiplicando também. Hoje é possível ver esse movimento se multiplicar, atingindo, pela graça de Deus, milhares de pessoas que se encontravam envolvidas com ensinos estranhos a Palavra de Deus.
Mas é de fato, uma luta, boa luta, para glória de Deus e fortalecimento da Igreja de Cristo Jesus.

Responder
avatar
27/8/11 13:44 delete

Rev. Augustus, graça e paz!

Acredito que a questão central é que o já antigo "transito religioso" que vinha ocorrendo no brasil apenas esta se expandindo.

Pelo que tenho observado o crescimento da membresia nas igrejas tradicionais deve-se em grande parte à emigração dos crentes desiludidos com as falsas promessas pentecostais e neo pentecostais. Não fosse isso creio que não haveria tanta preocupação por parte dos pastores, pregadores e editoras reformadas em dar respostas aos arminianos que ainda estão "em cima do muro".

Por "falsas promessas" me refiro ao ensino da "2ª benção", curas como resposta a fidelidade aos rituais impostos, santificação através da observação de costumes rígidos, etc.

Acredito que o povo esta vendo que isso não resulta em nada. O povo esta acordando nesse sentido.

Também tem a questão de que o povo esta encontrando uma teologia de peso nas igrejas históricas. Estão encontrando as respostas que nunca tiveram nos varios anos em que frequentaram o pentecostalismo e o neo pentecostalismo.

Eu mesmo, durante anos paguei altas somas de dinheiro comprando CD´s , DVD´s e livros de pregadores pentecostais que levantavam ainda mais duvidas em minha cabeça, e agora tenho a oportunidade e o alto privilégio de ouvir verdadeiras exposições bíblicas (do senhor e de vários outros) sem ter que pagar nada. E aprendendo a Palavra com profundidade.

Desse modo somente um tolo não mudaria né?!

Um abraço fraterno e que Deus, pois, se digne de continuar fazendo do senhor uma benção para a igreja no Brasil e no mundo.

Responder
avatar
Aprendiz
AUTOR
28/8/11 17:47 delete

Para mim, quase todas as igrejas estão desviadas de alguma forma. Muitos pularam do fogo para a frigideira.


Conheço uma pessoa que freqüentava a mesma igreja neopentecostal que eu. Ele saiu de lá, muito depois de mim, e fiquei contente por isso. Me falou que estava indo para a Assembleia de Deus Betesta. Acompanhando, depois, os descaminhos daquela igreja, meu coração se entristeceu. É duro, as pessoas querem escapar do erro, mas parece que o erro as persegue. Conheço vários casos assim.


Eu mesmo tenho tido dificuldade em encontrar a igreja certa. Tenho estado onde estou, mais por critérios negativos do que por positivos. Escolhi o que é menos ruim.

Responder
avatar
30/8/11 10:26 delete

Realmente essa migração já fora anunciada a anos atraz e realiza-se de forma acentuada nossos dias. Deus conhece os seus. Jesus é o bom pastor, as suas ovelhas ouvem a sua voz e o seguem. Onde não há a voz do Pastor ali as ovelhas nao permanecem, caso contrário morreriam de fome e sede.
Que O Sumo Pastor prepare e capacite homens para cuidar do seu rebanho tão cansado da aridez do falso evangelho.

Responder
avatar
30/8/11 22:01 delete

Pr Augustus,

Crescem, marginalmente.

Exceto os presbiterianos que cairam entre 2003 e 2009.
Estou vendo os microdados.
Abs
Danilo

Responder
avatar
Salomão
AUTOR
31/8/11 11:08 delete

Pr. Augustus,

Mas, pela graça de Deus, os presbiterianos têm crescido em conhecimento de Cristo e na Palavra de Deus. A qualidade do ensino teológico reformado tem sido fundamental para o desenvolvimento de Ministros do Evangelho fieis na pregação fiel da santa Palavra de Deus. O ensino confessional, tem voltado a ter o lugar devido em um número cada vez maior de igrejas presbiterianas pelo país afora. As ANTIGAS DOUTRINAS DA GRAÇA, estão retomando seu lugar na Igreja de Cristo. Isso é motivo de contentamento para os filhos de Deus. Ver o SENHOR agindo na Sua santa Igreja.
Deus seja louvado por isso.

Responder
avatar
31/8/11 17:04 delete

Danilo,

Obrigado por sua pesquisa, que pode ser vista aqui:

http://www.genizahvirtual.com/2011/08/evangelicos-tradicionais-crescendo-e.html#comment-form

Ela compensa e ajusta minhas observações no post acima.

Abraços.

Responder
avatar
Pessoa
AUTOR
2/9/11 17:08 delete

Li rapidamente todos os comentários.
Uns bons outros regulares outro que não acrescenta muita coisa.
Meu ponto de vista é: Quando as Igrejas e os que as fazem colocarem de lado o DINHEIRO e colocarem dentro a DOAÇÂO GRATUITA; muitas e muitas Igreja e muitos e muitos que fazem ou tomam conta das Igrejas, desapareceriam.
Vamos levar a verdadeira mensagem Bíblica o Evangélico do Nosso Senhor Jesus Cristo por DOAÇÃO, GRATUITAMENTE sem fazer um MEIO DE VIDA. Se Pastores, Dirigentes, Missionários, donos de Ministérios de Blogs, etc. TODOS trabalhassem gratuitamente e para ganhar seu sustento trabalhassem como todo mundo trabalha (menos trabalhar vendendo assunto de Religião, montando Igrejas, Ministério disso e daquilo para tirar proveito) eu acredito que não teríamos mais nenhuma Igreja e mais nenhum Pastor.
Pessoa – Recife/PE

Responder
avatar
3/9/11 09:02 delete

Graça e Paz, amado pastor!

Sou um assembleiano apaixonado pela teologia reformada. Louvo a Deus pelo avanço das Igrejas Históricas e espero que continue crescendo. Apenas como sugestão, as igrejas históricas poderiam investir um pouco mais em evangelização e assim conquistar mais almas para Cristo.

Forte abraço,

Responder
avatar
manulogos
AUTOR
3/9/11 22:02 delete

Pr.Manoel: Sepre disse que crecimento verdadeiro acontecia no meio tradiaonal ou histórico, pois entre os pentecostais e neo-pentecostais aconteccia migrações e não conversão,inchameto do número deles,saia de um lado, passava para o outro e assim sucessivamente, depois da decepção e convicção são convertidos e ele vem para as igrejas tradicionais...

Responder
avatar