sexta-feira, fevereiro 03, 2012

Augustus Nicodemus Lopes

Palavrão? @#%*!!!! Como assim?!

O Solano Portela já escreveu aqui sobre palavrão. Acredito que ele já mostrou com clareza os argumentos bíblicos para que os seguidores de Jesus não fiquem usando palavrões em suas comunicações, faladas ou escritas. Há outros argumentos baseados no bom senso, educação e etc.

É que de vez em quando leio os murais e comentários de alguns dos mais de 3 mil "amigos" que tenho no Facebook e não poucas vezes me deparo com murais compartilhando fotos meio-eróticas, palavrões, para não falar de comentários cheios de palavras chulas e palavrões do pior tipo. Sei que boa parte destes amigos não são crentes em Jesus Cristo. Mas estou me referindo aos que se identificam como crentes, que postam tanto declarações de fé e amor a Jesus quanto material chulo.

Os argumentos a favor do uso de palavrões pelos crentes podem parecer bons: todo mundo usa, trabalho ou estudo num ambiente de descrentes e não quero parecer um ET, não tenho nenhuma intenção maligna ou pornográfica, etc.

O problema - para os crentes que tomam a Bíblia como regra de fé e prática e como o referencial de Deus para suas vidas - é o que fazer com estas passagens:

"Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem" (Ef 4:29).

"3 Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos;  4 nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças.  5 Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.  6 Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.  7 Portanto, não sejais participantes com eles" (Ef 5:3-7).

"34  Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o coração.  35 O homem bom tira do tesouro bom coisas boas; mas o homem mau do mau tesouro tira coisas más.  36 Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo;  37 porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado" (Mat 12:34-37).

"Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes" (1Cor 15:33)".

"Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar" (Col 3:8).

"A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um" (Col 4:6).

"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento". (Filip 4:8).

As interpretações destes versículos podem variar entre si, mas resta pouca dúvida de que o conjunto deles traz uma mensagem uniforme: o filho de Deus é diferente do mundo, no que pensa e no que fala. A pureza e a santidade requeridas na Bíblia para os cristãos abrange não somente seus atos como também seus pensamentos e suas palavras.

Eu sei que muitos vão dizer que o problema é a definição de palavrão. Entendo. Sei que palavras que ontem arrepiavam os cabelos de quem as ouviam, hoje viraram parte do vocabulário normal. Sei também que palavras que são palavrão numa região do Brasil não são em outra. Mesmo considerando tudo isto, ainda há muitos cristãos que usam palavrões no sentido geral e normal. É só ler blogs, comentários em blogs, murais e comentários no Facebook, tuítes da parte de gente que se diz crente.

Acho que a vulgarização do vocabulário dos evangélicos é simplesmente o reflexo do que já temos dito aqui muitas outras vezes: o cristianismo brasileiro é superficial, tem muita gente que se diz evangélica mas que nunca realmente experimentou o novo nascimento, as igrejas evangélicas estão cedendo ao mundanismo e ao relativismo da nossa sociedade. em vez de sermos sal e luz estamos nos tornando iguais ao mundo no viver, agir, pensar e falar.

Proponho o retorno daquele corinho que aprendíamos quando éramos crianças nos departamentos infantis das igrejas históricas:

"O sabão, lava meu rostinho
Lava meu pezinho, lava minha mão.
Mas, Jesus, prá me deixar limpinho,
Quer lavar meu coração".

PS: Comentários com palavrões não serão publicados, obviamente!

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

35 comentários

comentários
Lucas Ozawa
AUTOR
4/2/12 03:10 delete

De fato, a língua é muito difícil de refrear, e todo cristão deveria ter um cuidado especial ao falar dando bom testemunho de Cristo.

No próprio meio secular existe um dito popular que diz: "Quando um homem morre deve-se ter dois caixões, um para o corpo e outro para a língua."

Além dos versículos citados pelo Rev. Augustus, é sempre bom lembrar de Tiago capítulo 3, um verdadeiro tratado sobre o assunto.

Para finalizar a segunda parte da canção:

"Quando o mal faz uma manchinha

Eu sei muito bem quem pode me limpar

É Jesus, eu não escondo nada

Tudo ele pode apagar"


Bons tempos, hehehe

Responder
avatar
4/2/12 09:10 delete

Excelente postagem Rev. Augustus! Concordo com o senhor em gênero, grau e número.

Responder
avatar
Eduardo
AUTOR
4/2/12 09:38 delete

Quando se trata da bíblia, na minha opinião, é indiscutível. Assim não falo palavrão, mas tbm não condeno os cristãos que falam palavrão. A questão é que, eles falando palavrões no meio de incrédulos, só irá escandalizar a Fé que ele acredita seguir.

Responder
avatar
4/2/12 09:52 delete

Augustus,

De fato, o uso corrente de palavrões pode significar muita coisa, dentre elas, certamente, a distância do desejo da santidade.

Tenho para mim que a definição de palavrão não é tão difícil. Veja que palavrão nunca menciona algo de bom odor, algo que não seja relacionado a erotismo e sexualidade desviada ou que busque o bem do outro.

Me lembro de uma ocasião em que eu falava sobre o assunto na EDominical e afirmei que eu mesmo tinha demorado um bom tempo, depois da conversão, para deixar de falar os famigerados #@%**%#!

Uma senhora, lá no fundo da sala, levantou a mão e disse: pastor, eu já vi o senhor falar palavrão! Eu não tinha outra opção, se não perguntar: mas quando foi isso irmã? Ela respondeu: no sermão, o senhor falou 'desgraçado'!

abs

Responder
avatar
4/2/12 11:04 delete

Cristão falando palavrão? É no mínimo antagônico! Deve ser repreendido em nome de Jesus.

Responder
avatar
4/2/12 11:04 delete

Pois bem, "desgraçado" é ou não é palavrão? Talvez esse seja o problema de definição que o Pastor Augustus se referia...
Como ele mencionou, também acho difícil definir o que é, e o que não é... Ainda que eu creia e busque não usas palavras torpes...

Responder
avatar
4/2/12 11:53 delete

Mesmo que pareça piegas, vou cooperar com outro cântico infantil:
"Mentirinhas, não, não, não.
Minha língua já tem dono.
Nomes feios também não.
É de Deus meu coração!
Perto, perto de Deus eu quero andar
Quero ser parecido com Jesus!"

Responder
avatar
4/2/12 12:13 delete

Augustus,
Ótimo texto, como de praxe.
Me sinto as vezes imposto a participar dessa "in"santidade nas redes sociais, em especial o Facebook, pelo fato de ser aceito pela sociedade.
Contudo, ser santo é ser separado e diferente para dar exemplo.
Para mim, é mais do que suficiente Efésios 4.29.

Deus te abençoe, irmão!

Responder
avatar
4/2/12 15:25 delete

Com certeza isso é alo que me preocupa muito no caso das redes sociais, porque tenho visto muitos irmãos compartilharem coisas inconvenientes, mas enquanto não faço isso,preciso me preocupar em minha vida particular, quando ninguém esta olhando, pois nessas horas as vezes nos iramos e falamos coisas que não edificam.
Sigamos as recomendações Bíblicas.

Responder
avatar
Jairo Sena
AUTOR
4/2/12 17:00 delete

Em um filme sobre Malcolm X, durante seu período na prisão, um muçulmano que o catequizou disse-lhe que o homem pragueja quando não consegue expressar o que quer. Após sua conversão ao islamismo seu comportamento marginal se transformou radicalmente no sentido moral e intelectual. Como podem os Cristãos, os cidadãos dos céus, a raça eleita, a nação santa, serem tão "flexíveis" quanto ao proceder e ao se expressar? A maior dificuldade que percebo hoje ao apresentar-me como cristão é que isto não representa nenhuma identidade. Na verdade isto não quer dizer nada para as pessoas hoje em dia. A forma de se expressar idêntica é um dos sintomas desta falta de identidade em que vivemos.

Responder
avatar
4/2/12 19:20 delete

Rev. Nicodemus, graça e paz!

Acredito que a raiz desse problema seja que muitas igrejas estão se valendo de meios carnais na "evangelização".

Se uma pessoa é alcançada por um evangelho sem a genuína mensagem da cruz, sem arrependimento, sem convicção de pecados, etc, ela certamente continuará com as mesmas praticas de sempre. E o pior: o pastor terá de ficar com o "bico calado" a fim de manter esses bodes arrebanhados.

Não consigo entender a atitude de alguns colegas pastores que ao ver suas "ovelhas" contando até mesmo piadas obscenas em sua presença, ao invés de tomarem uma atitude a respeito, caem na risada junto com eles...

Acredito também que chega uma hora em que devemos colocar um limite em nossas conversas com esse tipo de "crente" que fala palavrões (assim como o senhor fez neste blog...pelo que lhe dou os parabéns!).

O apostolo Paulo diz em 1 Co 5.11 que não devemos nos associar com pessoas maldizentes (no grego "LOIDOROS" que denota um tipo de linguagem abusiva, ultrajante, insultuosa e injuriosa)

Creio que isso inclua todo tipo de maldizentes: "boca suja, fofoqueirso, caluniadores, etc.

Um abraço fraterno!!!

Responder
avatar
Sergio Menga
AUTOR
4/2/12 20:53 delete

Concordo em gênero, número e grau. Fico muito triste quando escuto um "crente" usa o palavrão como forma de comunicar algo que, certamente, poderia se usar outra palavra.

Mas as desculpas estão aí, como já se falou. A pior delas, no meu entender, é quando se diz que a língua (o português), é viva e sofre mudanças no uso corrente. Os liguistas que me perdõem, mas estão errados quando justificam o uso corrente de certas palavras.

As razões que estão por trás, como bem disse o Mauro Meister, deve-se levar em conta. Uma delas, e muito forte, é que por trás de um palavrão, está um sentimento de ira, raiva ou ódio.

Digo mais, já ouvi pessoas, "pregando" no púlpito, em culto dominical, usando palavrões. Não uma mas duas ou três vezes, no mesmo sermão.

LAMENTÁVEL. E ainda têem coragem de dizer que isso é ser relevante.

Responder
avatar
5/2/12 00:49 delete

Eu acredito piamente que um "crente" possa viver falando palavrões,e não somente isto. Mas também roubando, adulterando, mentindo,enganando, etc, etc...

Agora por favor me permita explicar;

EIS ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DESTE CRENTE;

1º ELE AMA MUITO DOUTRINA, PRINCIPALMENTE A DE BALAÃO E DOS NICOLAÍTAS.
2º ELE DESPREZA POR COMPLETO A BÍBLIA E SEUS ENSINOS.
3º SEUS IRMÃOS MAIS CHEGADOS SÃO, SIMÃO O MAGICO, ANANIAS E SAFIRA, HIMINEU E FILETO,JANES E JAMBRES, ANÁS, CAIFÁS, ETC....
4º ELE É RELATIVISTA E PLURALISTA E VIVE DE MÃOS DADAS COM O MUNDO.
5º VIVE DE VITÓRIA E PROSPERIDADE,E TEM UM MÉTODO NOVO PARA RESOLVER TUDO.

SABE QUEM É ELE???

R= O crente carnal!

graça e paz a todos.

Responder
avatar
5/2/12 09:04 delete

Caro Augustus sua preocupação é correta e só reflete o espírito mundano que tem contaminado muitos crentes. Quero só pensar na raiz da questão, ou seja, a boca fala do que o coração está cheio. É lá que deve ser tratado este mal. Afinal, como minha esposa comentou ao saber de seu post, muitas vezes o desejo é de dizer um baita palavrão, mas escoa-se esse desejo através de palavras, digamos, menos ofensiva ou politicamente correta.

Responder
avatar
Jaime Alves
AUTOR
5/2/12 11:19 delete

Rev. Augustus

Eu parei de fazer comentários no seu blog nestes últimos dias, acredito que é por tolice já que me sentia como um penetra em uma festa requintada...

Glorias a Deus por isto!

(Pela festa é obvio)

Vejo as idéias muito bem elaboradas, mas às vezes sinto-me como aquele jacu da roça que tenta usar talheres sofismados para sua degustação...

Só que se não interagir serei sempre um inconveniente jacu, mas se participar ainda que não entenda muito no âmbito teológico acabarei assimilando a exuberância a que se propõe...

Sei que não és o único que existem outros celebres pensadores, mas vivo numa ilha conheço tão poucos!...

Porquanto meu mestre!
Para não falar palavrão e tornar a argumentação chula!

VOCÊS VÃO TER QUE ME ENGOLIR!!!

Se bem que esta frase antológica de Zagalo é agressiva, mas não é suja...

O problema que sou parte de uma massa que já foi chamada de massa ignara por alguém da mídia que graças a Deus não me lembro mais quem...

Só que existe outro problema, tem ouvido tanta sandice no meio evangélico que soa aos meus ouvidos como terríveis palavrões...

Nós necessitamos urgentemente de pessoas idôneas em todos os aspectos para edificação da casa de Deus...

Já ouvistes uma expressão que se tornou comum?

[Extenso e raso]

Quanto a impropérios, acredito que não a necessidade nem mesmo de nos ater nos versículos exposto pelo amado irmão...

É tão salutar um dialogo rico e hegemônico...

Sinceramente se Augustus Nicodemos tivesse uma certa queda por preceitos de Bocage, eu não lhe daria ouvidos, e nem Deus!

Só não aconselho nossos irmãos da atual conjuntura a procurar no Google quem é Bocage, se bem que do jeito que anda a coisa, Bocage é lúdico para eles...

Responder
avatar
5/2/12 16:08 delete

Obrigado pela postagem! Achei de uma tremenda responsabilidade.
Temos que elevar nossa intelectualidade, mesmo nos crentes em Jesus como os não crentes em Jesus.
A verdade é que a coisa está feia mesmo.

Responder
avatar
5/2/12 18:51 delete

Irmão Jaime Alves, graça e paz!

Eita... você disse que não sabia se expressar bem e, de repente começou a "inveterar genetrizes e ab rogar as concreticidades desconexas mirambólicas e grafoestáticas das assincronias glossolalicas..."

Se você for um jacu da roça...então eu serei um Mazzaropi! Um abraço meu irmão! (e me perdoe pelos palavrões he he he)

Responder
avatar
5/2/12 20:30 delete

É bom encontrar postagens que se possa ler e meditar, é bom encontrar irmãos que se esforçam para se manterem íntegros, que se afastam do pecado, e o desmascaram. É bom encontrar irmãos que amam mais a Jesus do que a posição que ocupam. É bom encontrar irmãos que se alegram na verdade e falam dela como uma forma de vida, Isto alegra o coração de Deus, e traz verdadeira recompensa. A pessoas assim deixo um abraço em Cristo Jesus, e que a paz e a graça de Jesus sature o seu coração.

Responder
avatar
6/2/12 13:55 delete

“Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo”. João 3:3

Respondeu Jesus: Digo-lhe a verdade: Ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito. João 3:5

Muito bom ler a verdade.
Gloria a Deus.

Responder
avatar
6/2/12 16:23 delete

Jaime Alves

Isso é complexo de inferioridade amado...
deixo o que um filosofo disse:
"só sei que nada sei"
Não existe grandeza no homem se Deus NÃO há der.
Por isso vejo-lhe um grande homem de Deus pela sua postagem.
...e sobre os palavrões:
esses são os cristãos pos-modernos, corrompidos pelos valores do mundo, em sua falta de conhecimento da Palavra de Deus.

Responder
avatar
6/2/12 17:58 delete

Parabéns pela postagem. Realmente os cristãos superficiais são a imensa maioria na net. E o que esperar deles? palavrões e coisas muito piores como calúnia, detratação, maledicência e coisas semelhantes. Os realmente nascidos de novo entenderão sua postagem, os demais certamente nos acharão ultrapassados e hiper críticos. E a vida continua...
Deus continue a lhe abençoar Rev.

Responder
avatar
6/2/12 21:41 delete

Sincero e edificante post!

"A boca fala do que está cheio o coração!"

Responder
avatar
Simone
AUTOR
7/2/12 16:47 delete

Esses sinais só mostram o triste retrato do cristianismo no Brasil. Onde hoje existem os "crentes não praticantes" e "crentes praticantes". Concordando com o autor lembremos que devemos ser a diferença neste mundo tenebroso.

Responder
avatar
8/2/12 00:46 delete

Gostei muito deste artigo. Vou postá-lo no mural do meu Facebook. Talvez algum amigo meu que se diz cristão e posta palavrão venha a ler e seu coração seja tocado.
Acho o cúmulo ouvir palavrão saindo da boca de quem se diz cristão, o pior é que isso virou mania nas redes sociais.
Sinceramente, não sei como eles não se envergonham...

Responder
avatar
9/2/12 16:48 delete

Pastor Augusto, te parabenizo pela coragem de postar esse artigo.
Concordo plenamente com o irmão, pois somos servos do Deus altíssimo e devemos dar testemunho de que Jesus transforma o homem.
Se continuar fazendo o que fazia antes é porque não encontrou Jesus, pois ELE é mudança de vida.
Peço autorização para postar no meu blog. http://www.adeliabrunelli.blogspot.com/ e no www.spacecristão.com.br
Que Deus te abençoe grandemente.

Responder
avatar
haghios
AUTOR
9/2/12 22:41 delete

O que são "Más Conversações"? Calunias e Difamações são tão Nocivas quanto os Palavrões ... Temos tantos Cuidados com os Palavrões ... e vivemos de forma Ostensiva ... Caluniando e Difamando a Honra e a Dignidade das Pessoas... Tais pecados são Condenados por Deus da mesma forma que os ditos "... Palavrões... isto me lembra uma estorinha que ouvi .... o Cristão Proibiu os Filhos de Aprender a Capoeira .. dizia ele .. que a Capoeira era do Diabo... e ele e a mulher ... eram Praticantes de Yoga... Somos Zelosos com algumas coisas e relapsos em outras

Responder
avatar
10/2/12 19:17 delete

Haghios,

Se este nome é uma transliteração da palavra grega para "santo" o certo é hagios. Não tem o segundo "h".

Bom, mas sobre seu comentário. Você está certo, maledicência é tão ruim quanto palavrão. Devemos combater a ambos.

Abs.

Responder
avatar
Rute
AUTOR
17/2/12 23:51 delete

Completando a idéia: o comportamento dos que se dizem cristãos nas redes sociais tem sido lamentável!

Responder
avatar
13/4/12 20:00 delete

Boa noite,Rev.Acredito que uma das maiores lutas em nossas igrejas atualmente,seja a pureza na internet.Eu trabalho com jovens e adolescentes e é muito triste quando entro em meu FaceBook e me deparo com esse tipo de linguajar vindo dos meus adolescentes.Por várias ocsiões,dei estudos sobre isso na EBD.Mas acredito que parte desse problema é culpa dos pais,por não se incomodar com o tempo que seus filhos gastam na frente do computador.Moro com meus pais,tenho mais de 21 anos,e ainda sou controlada por eles sobre o meu tempo,frente a tela!E detalhe,eles sabem tudo o que eu acesso,porque tem acesso aos sites que eu utilizo!!!E eu acho isso bom.É necessário uma vida santificada e o único modo de fazer isso,é correr para a cruz.E esses valores,nossos jovens desconhecem...Deus tenha misericórdia de nós,pois viver nesse mundo a cada dia fica mais dificil!
Deus o abençõe!

Responder
avatar
20/5/12 09:52 delete

Faz tempo que não leio algo tão útil. Nunca li ninguém falando a respeito de como nos policiar quanto as nossas palavras. De princípio muitos podem achar que é algo pequeno, mas eu enquanto lia seu me analisei e pensei: "Eu sou essa cristã?" Minha resposta a mim mesma foi: "Não que eu me lembre." Mas temos a mania de nos auto defender.
A verdade é que você tocou num assunto seríssimo mas que tem passado batido pela maioria dos cristãos, em particular os protestantes, já que nos somos tão visados.
Que Deus continue abençoando suas palavras.
Concordando com as palavras desse texto que são as de Cristo: "A boca fala do que o coração está cheio!"

A Paz!

Responder
avatar
daniruy
AUTOR
3/9/12 14:21 delete

Eu tenho um problema com palavrões, Rev.

Na verdade, a minha questão é a seguinte: quando leio "palavra torpe" na Bíblia, entendo que isso significa que torpe é algo ruim, ofensivo. O objetivo parece conservar um bom testemunho ante às pessoas.

Sou professor de Ensino Médio. Portanto, convivo com alunos que falam palavrão o tempo todo. E para eles, muitos desses palavrões não são ofensivos: pelo contrário, tornaram-se adjetivos descritivos de algo. E, por mais que eu tente, não consigo considerar isso como uma torpeza, no sentido em que entendo a expressão bíblica. Se não há ofensa de qualquer tipo, creio que não se encaixa no texto. Por outro lado, muitas vezes a ironia e o sarcasmo podem soar ofensivos (e não em um bom sentido: a "ofensa" ou provocação, melhor dizendo, que desperta reflexão, essa vale. Mas às vezes a ironia pode se encaixar no uso "racca" que Jesus condena, creio).

Honestamente, tento condenar os palavrões, e na imensa maioria dos casos a condenação é justificada. Mas insisto no problema da atualização da língua: às vezes, "fazer coisa errada" não é tão expressivo e claro quanto "fazer cag...". Entende?

Obrigado pela atenção. Por favor, me ajude a esclarecer isso de uma vez por todas, porque "bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova". (Se bem que eu não sei nem se aprovo isso ou não, mas sei que se faço algo baseado em dúvida, peco. E isso eu não quero.)

Abraço e Deus abençoe,

Daniel.

Responder
avatar
20/9/12 14:27 delete

Meio tarde, mas ainda no contexto: não são só os palavrões condenáveis na Bíblia. Há inúmeras palavras torpes tais como: invocação a santos (ex.: Nossa!, que vem de N.Sa, e Af!, de Ave Maria) e que Deus falou no AT que não deveríamos mencionar nomes de deuses com nossos lábios), interjeições como Puxa!, Pôxa!, Caraca! Sac@n#%em (coloquei assim por causa da advertência do autor do blog), que são derivadas de PQP, Car@#%*& e outras coisas mais, que o crente põe na boca sem saber.

Responder
avatar
20/5/14 18:48 delete

Marcos de Melo.
Excelente explanação.
De Augustus Nicodemus
Graça e paz a todos
Eu creio que o conceito de certo e errado é algo que esta bem definido na bíblia palavra de Deus, e que a pratica de palavrões para o crente é algo inaceitável, mesmos esses que usam de palavrões, como forma de se expressar, quando estão dentro de um recinto,(fórum, igrejas, determinados clubes etc.), em que a regras que define um comportamento adequado constituído de moral e respeito, este mesmo individuo repentinamente deixa de usar palavrões ou o faz moderadamente, Interessante isso não?
A questão é temos ouvidos, alias dois, para ouvir todo tipo de palavras seja agradável ou desagradável, algumas chega ate a doer. Mas é isso ser cristão autentico requer esforço é ser contra cultura o sal da terra, fazer a diferença ser reconhecido pelo seu comportamento ilibado e carregado de decência, dar testemunho de vida. mesmo que a pratica, dos alunos ou colegas de trabalho e pessoas do convívio diário, seja dotada de palavras chulas e torpes, temos que ter postura cristã pautada nas escrituras sagrada. "Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte"; Mateus 5:14.

Responder
avatar
21/5/14 13:27 delete

Tenha o significado que tiver,palavrão é palavrão e pronto,não traz sentido educativo nem proveitoso,aliás,desde quando palavrão tem bom significado?A não ser para aqueles que usam de pretexto porque não conseguem refrear sua linguá,ou seja ,precisa ter um encontro real com Deus!Não digo que não pode ocorrer de uma vez perdida sair sem que você queira,como por exemplo em um momento de imensa raiva e ânimos alterados,pode acontecer sim,mas não podemos encarar isso como algo normal entra os cristãos!Deus nos Deus o Espirito Santo e com ele uns dos frutos do espirito,que é o domínio propio,precisamos apenas praticar!

Responder
avatar
Paulo M.
AUTOR
8/6/14 22:35 delete

Defendo não usar palavrões por dois motivos:
- Eles viciam, viram muletas de expressão que fazemos uso quando não conseguimos expressar certa ideia
- Ofendem, não são universais em sentido, palavras sexistas não são palavras para qualquer contexto, além de poder trazer ambiguidade.
Mas como testemunho pessoal, dentre meus colegas não cristãos, um deles ressaltou minha conduta e até citou que não falo palavrão, isso até me impressionou no dia, pq não falar nos tempos atuais é ser exceção.

Responder
avatar