sexta-feira, setembro 06, 2019

Augustus Nicodemus Lopes

HORA DE PENSAR NO PAPEL DA IGREJA


A igreja evangélica no Brasil deve refletir sobre os tempos que vivemos em nosso país. São tempos de perplexidade, inquietações e oportunidades. Listei abaixo alguns pontos que penso que devem fazer parte dessa reflexão.


1) Ao que tudo indica, é apenas uma questão de tempo até os valores da visão cristã de mundo, que mesmo superficialmente moldaram a cultura brasileira, sejam excluídos da política, economia, arte, educação e que o paganismo domine essas áreas. Ainda que os evangélicos representem um terço da população brasileira, caminham para perder a guerra cultural sobre aborto, ideologia de gênero, pedofilia, poligamia, e outras questões.

2) As dimensões e a profundidade da corrupção e desonestidade instaladas em todas as áreas do poder político e financeiro no Brasil ultrapassam qualquer esperança de mudança que cristãos fiéis e íntegros possam ter. Uma vez perdida a esperança da instalação dos valores do Reino de Deus aqui no país, devemos perguntar qual o papel da igreja cristã numa democracia corroída pela desonestidade, mentira e ganância, e que é irrecuperável.
3) A igreja evangélica perdeu sua autoridade para profetizar. A teologia da prosperidade ensinada em igrejas neopentecostais lança uma sombra de desconfiança sobre a verdadeira intenção de seus pastores e fundadores e os coloca, diante dos olhos do público, na mesma vala comum dos políticos gananciosos e corruptos. As alas da igreja evangélica que se aliaram e militaram incondicionalmente pelas agendas da esquerda ou da direita perderam todo respeito com a exposição constante dos malfeitos dos que representam tanto um lado como o outro. As igrejas históricas estão paralisadas, algumas delas comidas pelo liberalismo teológico que rouba a pregação do Evangelho de seus púlpitos. A igreja cristã perdeu seu discurso público. Quem sabe, agora, seja a hora dela recuperar sua verdadeira missão e pregar o simples e puro Evangelho de Cristo a ricos e pobres.
4) Um grande fatia dos evangélicos no Brasil estão deixando as denominações históricas e as igrejas pentecostais e neopentecostais e procurando modos alternativos de ser igreja, onde não tenham de se submeter à autoridade espiritual e disciplina moral, onde não haja exigências financeiras e formalidades quanto à membresia. Por um lado, pode representar uma renovação da igreja em sua busca de mais simplicidade, por outro, pode representar um afastamento dos requerimentos bíblicos para a igreja, como acatar liderança espiritual, contribuir financeiramente para a obra de Deus (ajuda aos necessitados e expansão do Reino) e disciplina dos faltosos.
É diante desse quadro pouco esperançoso que oportunidades aparecem, para a igreja refletir sobre seu papel, reformar-se, renovar-se e ser boca de Deus nesse tempo. O Tempora! O Mores!

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

10 comentários

comentários
8/9/19 10:20 delete

Rev. Augustus, bom dia! Como sempre, ótimo texto!

Semana passada mesmo estava pensando sobre isso. É repugnante essa "cultura" que estão colocando no Brasil e no mundo. Me perdoe mas tem horas que concordo com as atitudes e as leis dos países Árabes em relação ao aborto, homossexualismo, ideologia de gênero. Por outro lado, creio que isso que está acontecendo, esse mundo tão controversista, são sinais da volta de Jesus.

Responder
avatar
9/9/19 17:33 delete

Acredito que a Igreja Presbiteriana deveria focar mais em refutar e ensinar os jovens sobre esta questão. Eu sou um Jovem Presbiteriano, tesoureiro na UMP da primeira igreja presbiteriana de Araguaina/TO; entendo que os jovens de hoje são leigos e desinteressados, mas que isso vem por parte da doutrinação que recebem nas escolas e faculdades (algo que começa desde de muito cedo na escola). Na minha opinião, acho que a igreja tem esperado demais para ensinar os jovens, principalmente os rapazes - que serão líderes de família, a agirem como homens cristãos e conscientes! Nós criticamos o ateismo, mas a nossa principal luta tem que ser contra o liberalismo, assim como contra o neopuritanismo... E sabe, eu creio que ensinar os jovens sobre política e a bandeira que carregamos (a de Cristo, que é Rei!) despertará não apenas a noção de defesa do cristianismo e dos valores morais, como a necessidade de evangelizar! Digo isso por experiência própria: quanto mais conheço minha identidade como cristão (em todos os âmbitos da vida), mas sinto vontade de evangelizar e anunciar as maravilhas que me foram reveladas em Cristo e hoje tenho prazer em vivê-las (mesmo sendo imerecedor de tal graça).
Esse conhecimento de minha identidade me traz orgulho, orgulho em levantar a bandeira da nossa igreja, em cantar os hinos, em não ser liberal e saber que não preciso ser neo-puritano para ser o Homem Bíblico que Deus requer de mim! Vejo que isso também aconteceu com outros amigos meus (dois aqui da igreja e 2 que converso diariamente online, pois não moramos perto e temos nos reunidos na internet para nos educarmos diante a Bíblia e já estamos tentando tomar iniciativas de influência social e evangelismo); Os meus dois amigos locais também pretendem iniciar, comigo, algum projeto para influenciar os jovens da faculdade (pois aqui é uma cidade de faculdades), assim como para ajudar a própria igreja a tomar postura.

Então eu digo, cordialmente, sabendo que temos - como presbiterianos - uma boa teologia e uma boa igreja, que posso indicar com confiança para quem compartilho a minha fé, que deveríamos ensinar aos jovens (assim como quero ser ensinado também) mais sobre essa identidade que temos e não deixar que as ideologias anátemas digam a eles quem são!

Responder
avatar
19/9/19 18:14 delete

Então, rev. Nicodemos, na verdade o senhor se engana e se contradiz nesse texto e também acerta em um ponto!!.Quando fala que a igreja perdeu a autoridade e que não prega mais o EVANGELHO está certíssimo, realmente cansei de ouvir pregações sem sentido que só falam da própria vida do pastor, dos livros que leu e o pior piadinhas no púlpito! Louvor vazio, barulhento e cansativo! Agora quanto aos crentes que tem saído da igreja, vocês precisam parar de falar do que acham e realmente BUSCAR A VERDADE! Como o senhor disse no texto estamos sim buscando uma forma de ser igreja, pois nossas almas não tem encontrado abrigo nas igrejas tradicionais, pentecostais e neo pentecostais, não vemos porque frequentar uma igreja que não tem nada a ver com nossa FÉ!! Engana se quanto querermos uma igreja sem as autoridades, muito pelo contrário, sentimos falta dessa autoridade, além de sentir falta da boa pregação do evangelho,muito menos deixar de contribuir pois minha família era dizimista e continua a cuidar de estender a mão a quem precisa pois vemos que a igreja tem falhado tristemente nisso gastando nossos dízimos em ostentosa hospedagem para Supremo concilio que nada trouxe de palpável para a decaída igreja presbiteriana!! NÃO estamos fora por rebeldia estamos fora por não suportar mais o que um coração onde habita o ESPÍRITO SANTO, não combina com o que antes chamávamos carinhosamente de minha igreja!

Responder
avatar
Carlos
AUTOR
23/9/19 17:57 delete

Boa tarde, me chamo Carlos Alberto e sempre que posso venho acompanhando os trabalhos do nosso ilustre Augustos Nicodemos, bem sei eu que, o reverendo Nicodemos é um homem que escolhei e colocou neste mundo para nos mostra a simplicidade da palavra de Deus e como a bíblia fica fascio quando o senhor esta a lendo, que Deus o abençoe reverendo hoje e sempre...

Responder
avatar
renata ferro
AUTOR
28/9/19 03:05 delete

Reverendo cirúrgico nas palavras, estou tentando todo dia ter esperanças, mas não consigo enxergar se quer um tiquinho de tempos tranquilos pra igreja verdadeira, é hostilidade o tempo todo, a conta gotas, a fé cristã é atacada sem nenhum pudor. Na verdade ando bem desanimada, vejo que o conservadorismo está nos seus últimos suspiros, parece que secamos gelo o tempo todo. O q vai ser de nós? Que o Altíssimo abrevie nossos dias pq já sinto essa pressão o tempo todo. Deus nos ajude.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
13/10/19 00:56 delete

Daniel Dilúvio eu acho que você está no caminho certo,,,
Deus de abençoe..

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
13/10/19 22:01 delete

Parabéns pelo comentário...
Concordo assim também.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
27/10/19 15:44 delete

Deus é bom ainda Ele coloca no mundo pessoas que nem o senhor para através do Espírito nos orientar e nos alertar.

Responder
avatar
Lucas Alves
AUTOR
29/10/19 18:23 delete

ótimo texto, é necessário a todo momento enfatizar o papel da igreja que como diria Spurgeon "Não é prover entretenimento mas pregar a palavra"

Segue link do meu blog pra caso queiram dar uma olhada

https://mergulhanapalavra.blogspot.com/2019/10/viva-reforma.html

Responder
avatar
17/11/19 11:53 delete

Olá, Paz do Senhor.
Lendo este texto eu me reconheço no quarto tópico, onde os crentes estão deixando as igrejas e indo para outras alternativas, mas eu estou saindo de uma Batista Renovada e indo para a IPB. Desde que comecei a estudar e abraçar a fé reformada eu senti que as doutrinas da minha igreja são incompatíveis com o que estou aprendendo, e no culto ao Senhor eu não consigo deixar de perceber um culto antropocêntrico e cheguei ao meu limite! Não quero ficar em desobediência por não concordar com a doutrina da igreja, por isso estou saindo para fazer parte da estatística do Êxodo de pessoas indo para as igrejas reformadas.

Responder
avatar