sexta-feira, agosto 20, 2010

Augustus Nicodemus Lopes

Liberalismo e Teísmo Aberto

Clark Pinnock
Neste domingo faleceu o conhecido defensor do teísmo aberto Dr. Clark Pinnock. A notícia foi dada pelo colega dele, também teólogo relacional, Greg Boyd.

A morte de Pinnock foi comentada por um de seus ex-alunos, Dr. Russell Moore, deão da Escola de Teologia do Seminário Teológico Batista do Sul - uma das denominações mais conservadoras nos Estados Unidos. No início do artigo Moore diz que devemos agradecer a Deus por Pinnock ter influenciado positivamente, no início de sua carreira, vários pastores que hoje são conservadores. E então passa a relatar como Pinnock se desviou da doutrina da inerrância bíblica e passou a questionar praticamente todos os pontos centrais da fé cristã, os quais antes defendia ardorosamente.

Não pude deixar de ver a conexão clara que este ex-discípulo de Pinnock faz entre as posições finais de Pinnock quanto ao teísmo aberto e o seu abandono inicial e gradual da inerrância bíblica.

Transcrevo aqui partes do artigo de Moore em seu blog.
"Clark Pinnock conduziu-me à fé em Cristo. O Evangelho em que acreditei veio a mim através de pregadores que foram treinados por Clark Pinnock. Mais do que isto, a maior denominação evangélica nacional [os Batistas do Sul] nunca teria voltado atrás e adotado de novo a inerrância bíblica não fosse este homem, que mais tarde viria a rejeitar este conceito."

"Pinnock [quando era professor no Seminário Batista do Sul], preocupado que os Batistas do Sul, como outros Batistas antes deles, fossem para o deslize do liberalismo teológico, argumentou fortemente aos seus estudantes em prol da autenticidade completa das Sagradas Escrituras. Mais do que isto, ele apresentou uma narrativa abrangente da obra de Deus em Jesus Cristo de tal maneira a convencer muitos estudantes."

"Não consigo pensar em uma única pessoa que seja de importância crucial para o ressurgimento da influência conservadora na Convenção Batista do Sul que não esteja a dois passos da influência direta de Pinnock."
"Nos anos 1970, ele começou a questionar a sua compreensão prévia da inspiração bíblica... depois disto, começou a questionar a Grande Tradição da ortodoxia cristã, a cada ponto. Ele conduziu este movimento de vida curta em direção ao 'teísmo aberto,' questionando a crença da igreja histórica que Deus conhece todas as coisas, inclusive as futuras decisões livres de suas criaturas. Ele abandonou a sua crença que a fé consciente em Cristo é necessária para a salvação, e começou a ver o Espírito Santo em ação em outras religiões mundiais. Ele denunciou o conceito da punição eterna como cruel e contrário à natureza do Deus. Desvinculado da Sagrada Escritura e da tradição, Pinnock assumiu a vanguarda da inovação evangélica na doutrina, uma após a outra. Isto é lamentável."
Como vemos, neste artigo Russel Moore diz que devemos agradecer a Deus por ter usado Pinnock no início de sua vida acadêmica como instrumento na formação de tantos pastores que, como o próprio Russell, continuam acreditando hoje na inerrância da Bíblia e nas grandes doutrinas do Cristianismo histórico, e que são responsáveis por manter os Batistas do Sul na linha conservadora. Todavia, a marca que Pinnock vai deixar no campo teológico mundial será esta, de alguém que se afastou dos pontos centrais do Cristianismo evangélico e influenciou a muitos nesta mesma direção, inclusive aqui no Brasil.

Não pretendo discutir aqui o pedido do Russell. E nem a doutrina da perseverança final dos crentes.

Quero apenas mostrar aquilo que tantas vezes temos dito aqui: quando uma pessoa começa a questionar as doutrinas fundamentais da fé cristã é por que ela já rejeitou antes a autoridade e infalibilidade das Escrituras.

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

55 comentários

comentários
20/8/10 23:25 delete

Caro Rev. Nicodemus!
Só não entendo como que alguém tão conhecedor das escrituras, pôde se desconectar do conceito de autoridade e infalibilidade.
O fato de deixar de confiar na palavra de Deus seria por "achar que seus achismos" podem ser mais corretos que a Bíblia?
Pelo menos "deu tempo" de ele influenciar positivamente os Batistas do Sul.
Se a "vanguarda da inovação evangélica" confunde até tradicionais convictos, o que dizer dos que ainda estão amadurecendo na sã doutrina.

Que Deus nos conserve em Seu bom caminho.

Em Cristo

Rafael

Responder
avatar
20/8/10 23:39 delete

Dr. Augustus, a pergunta não provocativa ou especulativa. Mas Pinnock morreu salvo?

Ou só a negação de Jesus Cristo como Salvador e o pecado contra o Espírito Santo é que determinam isso?

Até mais, Marcos.

Responder
avatar
Diego Cosmo
AUTOR
21/8/10 00:38 delete

Pra falar a verdade quando uma pessoa começa a questionar as escrituras, ela já deu mais um passo em direção a verdade, e com isso ela fica mais perto da liberdade que Cristo nos deu.

Responder
avatar
21/8/10 00:43 delete

Pastor Augustus Nicodemus,

Infelizmente, é assim que alguns pastores brasileiros serao biografados em alguns anos, caso nao se arrependam de ensinar um deus finito e mediocre, totalmente desvinculado do texto bíblico e da tradiçao histórica: Gente que algum dia foi uma boa influência, mas que infelizmente apostatou.

Um pena...

Leonardo Gonçalves

Responder
avatar
21/8/10 00:59 delete

Estimado Pr. Algustus, graça e paz!

Realmente, quando a base é construída com materiais "comprometidos", ou quando esses materiais vão se comprometendo no decorrer do tempo, todo o restante da edificação fica igualmente comprometida.

O ponto de partida determina o ponto de chegada.

Recordo-me neste momento das palavras de Norman Geisler e Peter Bocchino em "Fundamentos Inabaláveis" (Ed. Vida): "Numa série de ensaios chamado "Lógica" ou "Órganon", Aristóteles estabeleceu a diferença entre as formas válidas de raciocínio humano. Seu objetivo era tornar claros os passos pelos quais um conjunto de conhecimentos deve ser construído logicamente. Aristóteles mostrou que cada ciência começa com certas verdades óbvias que ele chamou de "primeiros princípios", explicando como esses primeiros princípios constituem o fundamento sobre o qual repousa todo conhecimento. Primeiros princípios são as verdades fundamentais das quais se deduzem ilações e sobre as quais se baseiam as conclusões.

Faz alguns anos, um teólogo "liberal" [...] observou que pouco importava se um determinado par de calças, originalmente perfeitas, hoje estavam cobertas de remendos. Ao que o destemido e sempre espirituoso David James Burrel retrucou dizendo tratar-se de coisa de somenos importância para o dono das calças, embora o alfaiate que as confeccionou jamais teria permitido que saíssem de sua loja naquele estado. Por fim, acrescentou que se o altíssimo fosse achado entre os mestres da tesoura, sem dúvida seria Ele o mais hábil de todos, incapaz de liberar uma roupa se nela houvesse uma costura mal feita.

Se as Escrituras, a exemplo das palavras de Homero e de outros, chegaram até nós graças simplesmente à providência divina geral da história, disso decorre que a presença de erros nos originais pouca diferença faria para nós; já a inspiração é coisa totalmente distinta. No momento em que, a semelhança de Pinnock, admitimos que as Escrituras contém algum erro, perdemos (como ele), em princípio, o fundamento derradeiro do conhecimento teológico. Nossa certeza pessoal de salvação, alicerçada objetivamente nas Escrituras, vai por água abaixo.

Como sempre, uma ótima postagem! Parabéns.

Responder
avatar
21/8/10 10:23 delete

Diogo Cosmo,

"Pra falar a verdade quando uma pessoa começa a questionar as escrituras, ela já deu mais um passo em direção a verdade, e com isso ela fica mais perto da liberdade que Cristo nos deu."

Se você é crente e considera a Bíblia como a Palavra de Deus, sua afirmação significa apenas que devemos examinar a Bíblia melhor para nos livrarmos das interpretações erradas e distorcidas, como estas de Pinnock.

Se você não é crente e portanto acredita que a Bíblia está cheia de erros, sua afirmação é um dos melhores exemplos da contradição dos liberais que já apareceu neste blog: rejeitar a Bíblia para encontrar Jesus quando a Bíblia é nossa única fonte para sabermos o que é a verdade que Jesus ensinou e a liberdade que ela traz.

Responder
avatar
21/8/10 11:34 delete

Nossa, as opiniões do "irmão" Diego Cosmo são realmente impressionantes... Na postagem anterior (Sobre a matéria da Revista Época) ele disse que é a favor da "inconstitucionalidade" da igreja. Demonstrando claramente ser favorável as igrejas emergentes, que como vimos, são "igrejas" (?!?) sem pastores, sem doutrina sólida, sem uma fundamentação razoável para se "emergirem", etc,etc. Agora ele apoia as distorções de Pinnock... Realmente estou impressionado!

Responder
avatar
fisio
AUTOR
21/8/10 12:07 delete

Disse Diego Cosmo:
"Pra falar a verdade quando uma pessoa começa a questionar as escrituras, ela já deu mais um passo em direção a verdade, e com isso ela fica mais perto da liberdade que Cristo nos deu."
Ora, se a pessoa questiona as Escrituras, por qual *critério objetivo e infalível* ela conhece a verdade, e que está mesmo em direção à verdade? Se você questiona as Escrituras, já está pressupondo um padrão não-escriturístico. Mas ele é racional, em primeiro lugar?
Cristo nos deu uma liberdade, mas não uma liberdade *para o erro*, que é o que você acaba sugerindo. E se você questiona as Escrituras, por qual autoridade *mesmo se considera cristão*?

De fato, àqueles que rejeitam a infalibilidade e inerrância da Bíblia, onde Deus entra em sua explicação? Afinal, a própria Bíblia pressupõe, a partir de Gênesis, o Deus soberano e onipotente! Se a Bíblia revela um Deus que deixou Sua Palavra como princípio autoritativo e normativo às pessoas, acusá-la de erro é negar o próprio Deus. Logo, acusar a Bíblia de erro é nada mais que ateísmo velado.

Abs

Responder
avatar
Lalá
AUTOR
21/8/10 13:57 delete

Bom, olhando a grosso modo todos os bons teologos podem cair, como ja aconteceu com muitos, isto serve de alerta para aqueles que acham q detem a verdade, para que não caiam, é um alerta para todos nós...não somos melhores que ele...

Responder
avatar
Naziaseno
AUTOR
21/8/10 22:44 delete

Augustus

Alguém comentou, alhures, que "quando uma pessoa começa a questionar as escrituras, ela já deu mais um passo em direção a verdade". Sabendo ou não, tal comentarista lança um dardo básico da artilharia liberal: a dúvida. A dúvida, em dado momento histórico-filosófico, ela foi glamorizada intelectualmente. O interessante é que no Éden satanás inaugurou o liberalismo tendo a mesma postura: levando o primeiro casal a questionar a Palavra de Deus. Tem rastro de cobra por aí! hehehe

Responder
avatar
Maykon Johny
AUTOR
21/8/10 22:54 delete

Concordo plenamente com a idéia de que “quando uma pessoa começa a questionar as escrituras, ela já deu mais um passo em direção a verdade”... o que eu discordo é quando se deixa de questionar as escrituras e passa a se questionar a Autoridade Divina delas.

E acredito que isto só acontece quando aquilo que é o mais importante na fé passa a ser desconsiderado: o Sagrado... e quando o aspecto Sagrado das Escrituras é deixado de lado, a primeira atitude que se percebe é a tentativa de atribuir às Escrituras um tipo de racionalidade que elas não tem... via de regra, uma racionalidade laica, profana e cartesiana que daí sim passa a ser a autoridade interpretativa dos textos religiosos...

E lamentavelmente a função primordial das academias nos últimos séculos tem sido justamente a de disseminar tal pensamento que considera o Sagrado como sendo apenas uma construção cultural herdada de sociedades primitivas, desprovidas da “imparcialidade científica” do pensamento ocidental que considera real somente o caráter orgânico e fisiológico a vida, e mitológico o caráter Sagrado da mesma.

Só que essa suposta “imparcialidade científica” não passa de um discurso ideológico e panfletário... e ao que parece, muitos setores da teologia também vem sofrendo influência de tal pensamento a muito tempo, onde determinadas correntes teológicas vem, contraditoriamente, contestando o Caráter Sagrado da fé, que é justamente o mais essencial! Particularmente, penso que o que esses grupos defensores dessas teologias liberalistas e demais vertentes do gênero buscam mesmo, em última instância, é a LAICISAÇÃO DO CRISTIANISMO.

Que Deus preserve sua Igreja e faça com que ela jamais deixe de considerar as Escrituras como sendo Sagradas. Que os questionamentos do cristão sejam voltados para o conhecimento da Bíblia e não para a contestação da Autoridade que ela tem enquanto Palavra Infalível de Deus.

Um abraço a todos...

Responder
avatar
22/8/10 01:32 delete

O Cristão é conhecido pelos frutos e não pelos dons...pode ser o melhor pregador do mundo, mas se não tiver frutos, não é nada.O que mais importa é o que Deus tem decretado pra todos nos, não adianta muda o quadro da historia.Uma pessoa que conhece e temer a cristo verdadeiramente,nunca se desviara do seu caminho.

Responder
avatar
22/8/10 02:59 delete

Realmente, os questionamentos teológicos precisam ter parâmetros, pois quando as bases são abaladas já não haverá mais fé para prosseguir.

Palavras sábias e ponderadas como sempre no blog, te admiro muito!

Se puder dar uma olhada no meu, ficaria lisonjeado: http://entendes.blogspot.com

Abraço!

Matheus Soares

Responder
avatar
AUTOR
22/8/10 09:57 delete

Quando se começa a questionar a escritura, aí já era. Lamentável. Paz seja contigo!

Responder
avatar
AUTOR
22/8/10 10:01 delete

Lalá disse: Bom, olhando a grosso modo todos os bons teologos podem cair, como ja aconteceu com muitos.

Eu digo que tem muitos bons Teólogos caídos dentro do sistema, infelizmente. Paz

Responder
avatar
22/8/10 21:52 delete

Caro Rev. Augustus,

É realmente lamentável. A apostasia é algo terrível.

Pinnock parece ser um retrato vivo de Hebreus 6.4-6.

Um abraço!

Felipe Sabino

Responder
avatar
Matias
AUTOR
23/8/10 08:12 delete

Pinnock não é o primeiro e nem será o último que deixa um sistema teologico e abraça outro, totalmente contrário. Não basta ser uma academico da fé, é necessário ser discípulo de Jesus. E muitos teólogos, mesmo os conservadores, tratam a teologia como ciencia academica, mas não como graça e revelação. O termo "teologia" já é uma contradição. Deus está além e acima dos nossos sistemas ("teologia sistemática").
A Biblia é regra de fé, infalível Palavra de Deus. O(s) sistema(s) que criamos a partir de nossa suposta interpretação academica da mesma é(são) falho(s) e questionável (veis). Pinnock sofreu naufrágio, vítima do sistema. Se era salvo ou não, sinceramente, não cabe a nós julgar!
Abraço,
Matias

Responder
avatar
Danilo Neves
AUTOR
23/8/10 09:49 delete

A morte da teologia de Pinnock, além de ser um alerta amarelo, digamos, direto aos batistas do sul e a todos consevadores desse mundo, é também um alerta vermelho à alguns muitos irmãos (neo)pentecostais do nosso Brasil, pois em matéria de negarem a autoridade das Escrituras com suas revelações eles são tão decididos quanto Pinnock!

Responder
avatar
23/8/10 11:31 delete

Infelizmente, a apostasia é comprovado pela Bíblia e isso demonstra que aqueles que aderem à teologia relacional e igreja emergente abandonaram a inspiração e inerrância das Escrituras de alguma forma. Podem examinar que esses pregadores como Gondim, Caio Fábio têm uma hermenêutica própria e desvinculada de coerência do todo bíblico ou usam outros livros e escritores como Gondim.

O interessante que eles falam muito em "liberdade", mas Deus nos chamou à liberdade do julgo da condenação da Lei e dos demônios; não para fazermos o quisermos, pois é ele que efetua o querer como o realizar. Somos ainda escravos de Deus ou do pecado (não há liberdade aos moldes da teologia relacional). Afinal Deus sempre será o Senhor.

No entanto, gostaria de discordar de um comentário do Matias (com todo respeito) porque achei muito perigoso.

["O termo "teologia" já é uma contradição. Deus está além e acima dos nossos sistemas ("teologia sistemática")."]

Isso é o pensamento liberal - está completamente errado isso. O próprio Jesus que disse: "John 5:39 Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim."

Jesus ordena que examinemos as Escrituras para conhecê-lo. Apesar de não conhecermos Deus de uma forma exaustiva, ele se revelou nas Escrituras o bastante para o conhecermos.

Paulo manda Timóteo manejar bem as Escrituras e a palavra grega demonstra algo técnico.

Portanto, Rev Nicodemus, esse pensamento do Matias é liberal e deve ser rejeitado junto com os de Clack Pinock.

Responder
avatar
23/8/10 17:56 delete

Gilmar Lourenço
Entendo a fala do Matias, ["O termo "teologia" já é uma contradição. Deus está além e acima dos nossos sistemas ("teologia sistemática")."]
e concordo com ele, pois as 'escolas teológicas' cada uma tem a sua interpretação, sua linha, não são coesas, a palavra sim é real, Divina, Suprema. Tanto que ela nos adverte até sobre este debate (salutar), em 1 Coríntios 3:3,4 e 11. Quanto ao questionar é bom e agradável ao Espírito Santo,-João 14:26- que é nosso consolador, pois daí Ele nos responderá na sua plena sabedoria.
Concordo também com a fala do Francismo Mário,"(...)mas Deus nos chamou à liberdade do julgo da condenação da Lei e dos demônios; não para fazermos o quisermos, pois é ele que efetua o querer como o realizar." Mas não nos esqueçamos que somos racionais, e que o nos guia enquanto cristãos verdadeiros, é sim as escrituras, o andar de Cristo, sejamos seus imitadores, seguidores, discipulos em espírito e em verdade e não nos escravizemos por homens.

Agraça e a paz do Senhor a todos.

Responder
avatar
23/8/10 19:56 delete

Graça e Paz

Meu nome é Edinelson Lopes, sou coordenador de evangelismo do ministério Siga o Mestre, um ministério cristão de evangelismo e discipulado, quero lhe parabenizar por seu excelente trabalho de evangelismo atraves deste blog (site) e oferecer nosso apoio, lhe encorajando a continuar, afinal esta não é um trabalho que devamos realizar sozinhos.

Quero aproveitar para te convidar a conhecer nosso site, textos e vídeos que procuram apresentar o evangelho simples, sem misticismos ou fábulas, apontamos para o cristianismo prático, culto racional, como a resposta de Deus para a ardente expectativa dos homens, tanto dos salvos quanto dos que se perdem.

Aguardamos sua importante visita no desejo de servirmos ao SENHOR eficazmente através desta ferramenta, a internet.

Forte abraço, em Jesus, o Mestre.

Edinelson Lopes
MINISTÉRIO SIGA O MESTRE

Obs 1: Devido a relevância e importância deste blog, passamos a seguí-lo.
Obs 2: Acesse PARCEIROS e faça parte.

Responder
avatar
23/8/10 21:13 delete

Caro Francisco Mário, permita-me discordar de você també, com respeito a Jo. 5:39. Pois neste texto Jesus não está ordenando examinar as Escrituras, mas sim fazendo uma afirmação. é como se ele estivesse dizendo: "vocês examinam as scrituras" , veja o versículo 40 do mesmo texto (contexto imediato).

Pb. Edinei, Th.B

Responder
avatar
23/8/10 22:25 delete

Se alguém ensina um deus que não conhece todas as coisas já apostatou da fé.

Responder
avatar
Danilo Neves
AUTOR
24/8/10 10:52 delete

Irmão Matias,

Pinnock sofreu naufrágio, vítima do sistema ou Pinnock sofreu naufrágio por rejeitar "a fé e a boa consciência" (1Tm 1.19)?

Responder
avatar
24/8/10 13:19 delete

Se eu tivesse um deus que não conhece todas as coisas, não o seguiria, nao o teria como deus. Limitado já basta eu...

Responder
avatar
24/8/10 13:44 delete

Olá Rev. Graça e paz!
É lamentável afirmar, que situações como essas se repetem em larga escala. Sustentar a doutrina da soberania de Deus é um dever de todo cristão autentico. Mas, desprezar esse Deus, e negar seus atributos é escarnio. E Deus não mse deixa escarnecer.

Responder
avatar
180°s
AUTOR
24/8/10 16:40 delete

Pense comigo...

Você já notou que algumas pessoas, no mundo secular mesmo, chegaram ao sucesso e perdem tudo?

O que será que aconteceu?

No início, lutam, trabalham até mais tarde, se dedicam, buscam conhecimento, suam e, enfim, SUCESSO!

Só que, uma vez lá, o cliente, que era seu alvo e a reboque o sucesso e dinheiro, agora já não é mais tão importante, pois o dinheiro cegou a visão que tinha do cliente.

Assim, qué qué qué quéééé, é o fim!
Todo o império começa a ruir.

Acho que é bem isso que aconteceu com este Senhor, que Deus o tenha, e pode acontecer comigo e com você, caso percamos o que tínhamos no começo, lembra?

"tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor" Ap.2.4

O difícil não é alcançar as grandes verdades bíblicas , mas manter-se, ingenuamente amoroso, na busca constante de Deus!

Grande abraço,
Carlos Henrique

Responder
avatar
Matias
AUTOR
24/8/10 18:58 delete

caro Irmão Danilo,
Pinnock sofreu naufrágio por rejeitar "a fé e a boa consciência" (1Tm 1.19)e a pedra de tropeço foi o "sistema".
Acho que alguns me consideram liberal só porque não me dobro ao sistema calvinista. Mas tambêm não me dobro ao sistema arminiano. E leio os teólogos calvinistas com prazer, enquanto estou ainda procurando um teólogo arminiano contemporâneo que me agrade. Porém, com fé e a consciencia submeto-me a Palavra de Deus. E não posso sempre chegar as mesmas conclusões do "sistema".
Agora, Pinnock não é o primeiro reformado que entrou em conflito com o seu sistema de crença. Pinnock abraçou o oposto, porque se decepcionou (e creio que a decepção não envolvia apenas a questão doutrinária, mas questões pessoais, emocionais, experiencia de vida). Teologia sadia deve ser fruto de reflexão a partir do texto bíblico. Teologia sadia tambêm permite deixar em abertos, i.e. sem sistematizar, alguns temas intrigantes sem que isto desqualifique o teólogo. O teólogo deve ser discípulo de Cristo e não se limitar as quarto paredes do mundo acadêmico. A teologia do discipulo não é uma ciencia empírica, mas fruto da Palavra e do Espírito, cujo vento sopra onde quer. Deus é soberano!
Abraço e Deus os abençoe,
Matias
P.S. oponho me ao pensamento de Pinnock, assim como vejo com preocupação a popularidade de Gondim e Ed Kivitz no Brasil, e a distorção do evangelho feita pelo Brian McLaren.

Responder
avatar
24/8/10 19:16 delete

Ao Pb. Edinei, Th.B,

Irmão, para o irmão dizer isso, no mínimo o irmão não analisou o texto original. Vou analisar para o irmão:

O verbo: ερευνατε τας γραφας

o verbo grego ερευναω pode estar TANTO NO PRESENTE DO INDICATIVO, COMO NO IMPERATIVO PRESENTE.

O que acompanha o imperativo está a tradução da King James e o léxico da Bible Work.

Sei que muitos comentaristas ficam com o presente, mas eu simpatizo com o imperativo por causa da construção. Entendo um imperativo demonstrando como essa paráfrase: "ao examinarem as Escrituras, vocês podem ver que elas testificam de mim".

Ou seja, o imperativo pode ser entendido como uma provocação de Jesus a respeito das Escrituras que eles examinavam, mas não conseguiam relacionar a sua pessoa. A ênfase de Jesus é no segundo verbo como acontece com o particípio que tem valor de imperativo: "Πορευθεντες μαθετευσατε" (Mt 28.19)

Portanto, irmão, no mínimo, existe uma outra possível opção; mas não que esteja errado.

Em todo caso, Jesus está demonstrando que as Escrituras testificam dele e isso ninguém tira.

Quanto à Teologia, o problema não está nela, mas nos pressupostos de quem a faz. O que estamos fazendo aqui é simplesmente diferenciando uma teologia errada (teísmo aberto) de uma teologia ortodoxa. Se alguém fala mal da teologia, é incoerente criticar alguma interpretação que tem implicações teológicas em vários níveis.

Responder
avatar
25/8/10 11:20 delete

["Teologia sadia tambêm permite deixar em abertos, i.e. sem sistematizar, alguns temas intrigantes sem que isto desqualifique o teólogo. O teólogo deve ser discípulo de Cristo e não se limitar as quarto paredes do mundo acadêmico."]

A gente encontra cada comentário nesse post: Esse é um pensamento liberal com capa de piedade e de ortodoxia.

Esse pensamento não tem base nenhuma nas Escrituras, já que a Escritura fecha o seu escopo de doutrina e não existe esse negócio de deixar aberto. No entanto, essa frase cai no velho erro de "proibir a proibir". Ela se autodestroi porque o irmão está já trazendo uma teologia fechada: "não se pode sistematizar". Não percebe que os primeiros a sistematizar foram os apóstolos, como nas epístolas aos romanos. Caso alguém negue, nunca a estudou.

É afirmado que o teólogo tem que ser discípulo de Cristo e olha o que Cristo falou: "ensinando a guardar todas as coisas que vos tenho dito". Isso exige conhecimento e sistematização

Precisamos entender que o problema não está na teologia (estudo sobre Deus pelas Escrituras), nem na academia, mas nos pressupostos. Os pais apostólicos, Calvino fizeram credos, escreveram tratados e até hoje muitos são abençoados por causa disso.

Alguém que confunde toda sistematização com o sistema desse mundo erra no entendimento do básico de muitas coisas.

Não é porque existe um sistema mundano e perverso que toda sistematização é danosa. Isso não é inteligente.

Esse pensamento deve ser rejeitado, na minha opinião. Além de não ser inteligente é liberal.

Rev. Caso queira colocar esse comentário, se não, fique à vontade.

Responder
avatar
Danilo Neves
AUTOR
25/8/10 11:35 delete

Ok. Parece-me que o irmão não vê a Teo Sistemática da mesma forma que vê a Teo Bíblica. O irmão concorda que cada uma dessas teologias tem o seu lugar na busca pelo conhecimento de Deus? Você entende que elas não são conflitantes entre si?

Um abraço, Matias.

Em Cristo.

Responder
avatar
26/8/10 10:59 delete

A Teologia Relacional ou Teismo Aberto é dar nome bonito para um conceito feio. Eu lemabro quando há uns dois anos atrás, levaram um pastor que não vou citar nome masem um encontro de pastores da minha denominação para fazer uma das ministrações, e a grande maioria dos presentes aguardavam ouvi-lo pois ele há alguns anos atrás tinha uma boa teologia. Para a decepção destes (eu ja sabia na epoca que ele andava flertando com a teoogia relacional), ele fez afirmações que deixou muitos colegas boquiabertos e decepcionados. Teologa Relacional não devereia nem ser chamada de teologia. Não passa de negação sistemática de atributos de Deus.

Responder
avatar
Matias
AUTOR
26/8/10 11:22 delete

Danilo, de fato acho que devemos distinguir entre teologia "sistemática" e bíblica.
Porém ambas tem o seu valor na busca do conhecimento da vontade de Deus revelada na Bíblia, pois, somos desafiados a rever nossos conceitos e "sistemas" e assim aproximarmo-nos o mais perto que é possível do significado do texot sagrado. Mas nunca vamos saber tudo. Por isto devemos ser humildes e discípulos (sempre aprendendo e praticando) de Cristo,
Abraço fraternal,
Matias

Responder
avatar
Luciano
AUTOR
26/8/10 18:30 delete

Coloquei no meu blog, o testemunho de Eta Linnemann. Alguém que já bebeu da água liberal.
Lamentavel que ainda ouvimos que entre os professores presbiterianos, essa praga ainda não acabou...mas oremos.
mcapologetico.blogspot.com

Responder
avatar
Danilo Neves
AUTOR
27/8/10 11:22 delete

Matias,

acho que eu posso inferir pelos seus comentários (especialmente pelo último) que o problema de Pinnock então não foi o "sistema", entendendo ele aqui como teo sist. ou qualquer outro construto racional.

Portanto, acredito que nós podemos entender que o problema daqueles que rejeitam as doutrinas essenciais do cristianismo não é nada além do pecado deliberado do homem em rejeitar à Deus, Sua Palavra. Um exemplo forte nesse sentido é o comentário do Luciano. Eta Linnemann tinha um sistema liberal e não foi guiada às consequências trágicas desse sistema, como Pinnock foi. Nesse caso não faz sentido dizer que o sistema dela foi pedra de tropeço. Ou faz?

Entendo porque o reverendo Nicodemus encerrou o seu post dizendo estas palavras:

"Quero apenas mostrar aquilo que tantas vezes temos dito aqui: quando uma pessoa começa a questionar as doutrinas fundamentais da fé cristã é por que ela já rejeitou antes a autoridade e infalibilidade das Escrituras."

Um abraço, irmão.
Em Cristo.

Responder
avatar
Nill Lobato
AUTOR
29/8/10 01:01 delete

Lá como cá o Teísmo Aberto tem feito seus estragos dentro das Igrejas históricas semeando sua maior arma,a dúvida,o questionamento sistemático das doutrinas cristãs e é dai que se originam Igrejas que são um buraco negro pra alma dos incautos.
Vejo com tristeza que uma Igreja hoje reúne bem menos fiéis numa escola dominical do que num show gospel.É ai que age os gurus do Teismo Aberto,na falta de conhecimento do cristão ultramoderno movido à show gospel e que Jesus é um cara legal e blablabla e por ai vai.
Que Deus abençoe à todos desse apologético blog...

Responder
avatar
29/8/10 15:14 delete

Se "devemos agradecer a Deus por ter usado Pinnock no início de sua vida acadêmica como instrumento na formação de tantos pastores que, como o próprio Russell, continuam acreditando hoje na inerrância da Bíblia" certamente Pinnock receberá o seu galardão por tão nobre serviço.
Embora não saibamos, o Pinnock pode até constar da lista dos predestinados para a salvação. Ai meu, vamos ter que cruzar com o cara lá nas ruas de ouro.

"Mas Pinnock morreu salvo"? A pergunta do Marcos continua sem resposta.

Paulo Silvano

Responder
avatar
30/8/10 00:04 delete

Paulo Silvano,

Russell disse que "devemos agradecer a Deus que usou Pinnock". Ele não atribuiu a Pinnock a firmeza doutrinária destes pastores e a sua própria. Logo, não há nada a ser recebido por Pinnock, da mesma forma que nenhum de nós receberá coisa alguma baseada em mérito próprio.

Os predestinados para a salvação perseveram na fé. Você já ouviu falar dos cinco pontos do calvinismo? Predestinação e perseverança na fé andam juntos, a primeira sendo a causa da segunda, e a segunda a evidência da primeira.

Se Pinnock morreu crendo em Jesus como único e suficiente Salvador, o Filho de Deus que morreu por seus pecados na cruz, certamente foi salvo. Se não, morreu em seus próprios pecados. Como só Deus sabe como ele passou seus últimos minutos, deixemos este assunto nas Sua mãos.

Responder
avatar
2/9/10 23:20 delete

Realmente, Pinnock fora um grande influenciador de grandes nomes da teologia ortodoxa nos ultimos anos. lembro-me que ao ler o Livro mais que um carpinteiro do Josh Mcdowell, algumas vezes ele cita Pinnok. Tudo que podemos fazer é trazer a memória o ensino do apóstolo Paulo ICor 10.12 "Aquele que esta em pé cuide para que não caia".

Amplexos. Pr. Fanuel Santos

Responder
avatar
Clóvis
AUTOR
3/9/10 19:36 delete

Fico triste com a notícia da morte de Pinnock, ainda mais triste pelo fato de que a notícia veio acompanhada de outras dando conta de que ele estava questionando praticamente todos os pontos da ortodoxia cristã.

Eu tinha conhecimento do abandono da inerrância bíblica e do teísmo aberto, o que por si só já era triste. Infelizmente, é como Spurgeon disse: uma vez que se coloque ladeira abaixo, só se aumenta a velocidade e o impacto da queda.

Quanto ao destino eterno dele, não pequemos com especulações. Tomemos apenas como advertência para nós próprios.

Em Cristo,

Clóvis
Editor do Cinco Solas

Responder
avatar
apbomfa
AUTOR
4/9/10 09:07 delete

Bom dia reverendo ?
Tenho lido muitos comentários de Ricardo Gondim e René Kivitz...
esse espetacular Twitter!
Mas comentaram comigo que eles são adptos do Teísmo aberto... o Rev. tem alguma informação a respeito ?

Responder
avatar
Diego Cosmo
AUTOR
6/9/10 04:37 delete

Augustus Nicodemus,

"Se você é crente e considera a Bíblia como a Palavra de Deus, sua afirmação significa apenas que devemos examinar a Bíblia melhor para nos livrarmos das interpretações erradas e distorcidas, como estas de Pinnock.

"Se você não é crente e portanto acredita que a Bíblia está cheia de erros, sua afirmação é um dos melhores exemplos da contradição dos liberais que já apareceu neste blog: rejeitar a Bíblia para encontrar Jesus quando a Bíblia é nossa única fonte para sabermos o que é a verdade que Jesus ensinou e a liberdade que ela traz"

Concordo quando voce disse que: "devemos examinar a bíblia melhor para nos livrarmos das interpretações erradas e distorcidas". Se pensa assim, então para você é fato que não podemos levar ao pé da letra a bíblia, pois uma passagem da bíblia pode significar uma coisa ou outra...

Bom... Creio que a bíblia tem erros sim, pois foi um livro feito por homens, deixando assim a bíblia sujeita as interpretações pessoais de quem a escreveu.

"um dos melhores exemplos da contradição dos liberais que já apareceu neste blog: rejeitar a Bíblia para encontrar Jesus quando a Bíblia é nossa única fonte para sabermos o que é a verdade que Jesus ensinou e a liberdade que ela traz".
Nessa sua afirmação, voce foi bem radical... Não é preciso rejeitar totalmente a bíblia, não foi isso que eu quis dizer, na bíblia encontramos vestígios de quem foi Jesus, e é mesmo o único documento que pode nos levar a conhecer a pessoa de Jesus.

E se eu sou crente ou não, isso não vai depender do que eu acho da bíblia... convenhamos... rsr

Responder
avatar
Vinícius
AUTOR
8/9/10 17:24 delete

Boa tarde amigos do O tempora, O mores.
Como sou novato aqui, e nao sei muito bem onde deveria escrever esse comentario, prefiro que seja aqui mesmo porque é mais facil pra mim.
Bom a questao que gostaria de lhes perguntar é o seguinte:

Na parabola do semeador Jesus lista quatro solos.
Infelizmente eu creio que me encontro caracterizado no segundo solo, o solo pedregoso.
Gostaria de saber se voces acham que tal pessoa caracterizada nesse "grupo" um dia pode ser salva? e o texto também fala de terra.Qual é a importancia dela?e a ultima pergunta. Sendo eu esse "solo", o que faço? ja tem quase quatro anos que estou na igreja e no inicio, um tres ou quatro meses foram maravilhosos, porem dai pra frente lentamente veio a queda constante. Por favor, me ajudem.
abraços
Vinícius

Responder
avatar
9/9/10 15:35 delete

Prezado Diego,

Seu comentário tem vários pontos em aberto. Quando você diz "não podemos levar ao pé da letra a Bíblia" e que "uma passagem da Bíblia pode significar uma coisa e outra" e ainda que "a Bíblia tem erros sim" e mais ainda que isto deixa a Bíblia "sujeita as interpretações pessoais de quem a escreveu" você simplesmente está acabando com a possibilidade de sabermos com certeza quem foi de fato Jesus e quais as coisas que ele falou.

Você tenta remediar isto dizendo que "não precisamos rejeitar totalmente a Bíblia" e diz que nela "encontramos vestígios de quem foi Jesus".

Mas ai vem a pergunta: qual o critério que usaremos para determinar quais as partes da Bíblia que nos dão os vestígios corretos de Jesus? Que partes dos Evangelhos? Ou ainda, que Evangelhos? As narrativas dos milagres - são autênticas? E os ditos de Jesus sobre sua pessoa, os chamados ditos dominicais em que ele se chama de Senhor - são reais? O sermão do Monte é autêntico? E o sermão escatológico?

Estas questões já foram propostas pelos liberais fazem trezentos anos e eles nunca nos deram uma resposta, após retalhar a Bíblia de todas as maneiras possíveis.

Portanto, desculpe, mas você continua sendo incoerente ao dizer no seu primeiro comentário "Pra falar a verdade quando uma pessoa começa a questionar as escrituras, ela já deu mais um passo em direção a verdade, e com isso ela fica mais perto da liberdade que Cristo nos deu."

Pois por sua própria afirmação, não se pode saber que liberdade é esta que Cristo nos deu, e muito menos o que é a verdade que ele pregou.

Responder
avatar
9/9/10 15:38 delete

Vinicius,

Meu conselho é que você procure um bom conselheiro, que seja apegado à Palavra de Deus, e converse com ele. Minha experiência mostra que aconselhamentos à distância são superficiais e raramente podem chegar ao cerne dos problemas. Não me recuso a ajudá-lo, se você morar em São Paulo terei prazer em recebê-lo para uma conversa. Meu ponto é que via internet não adianta muito.

Grande abraço!

Responder
avatar
Samuel
AUTOR
11/9/10 09:59 delete

Caro Sr Augustus Nicodemus,

Você acha que os erros conceituais e a crença em doutrinas incoerentes podem ter levado Pinock ao inferno?

Obrigado

Responder
avatar
Samuel
AUTOR
11/9/10 10:04 delete

Sr Augustus Nicodemus,

Ao ler alguns comentários, percebi que você já havia respondido minha pergunta realizada em comentário anterior.

Obrigado.

Responder
avatar
Luiz Augusto
AUTOR
11/9/10 12:45 delete

Olá Rev. Augustus! Leio com frequencia suas análises neste blog. Gostaria muito de poder conversar com o senhor sobre algumas questões concernentes ao cristianismo e História, fui membro da 1ª igreja de Recife, acompanhei o senhor e o Rev. Lutero, hoje não vou mais a igreja... sou professor de História e pesquisador, ultimamente tenho buscado entender diversos assuntos de teologia, enfim estou querendo retornar a DEUS,mas muita coisa emperra, são muita dúvidas! Se o senhor puder me ajudar nestas dúvidas agradeço!

Responder
avatar
15/9/10 02:48 delete

Caro Luís Augusto,


Que o Espírito de Deus habite em você para que todas as suas dúvidas sejam sanadas, através da fé que somente Ele pode lhe dar.


Abraços.

Responder
avatar
Nilton
AUTOR
15/9/10 15:57 delete

Graça e paz Augustus,

Estou lendo um livro de sua autoria "O que estão fazendo com a Igreja", e tenho uma dúvida e não tem ninguém melhor para tirar essa minha dúvida do que o sr.
Na página 62, onde o sr. fala sobre "A inerrância da Bíblia", o sr. escreveu: "Ao afirmar que a Bíblia é inerrante, não estou negando que erros de copistas se introduziram em seu longo processo de transmissão." e logo no final do parágrafo o sr. escreve: "Se não temos os autógrafos para provar que são isentos de erros..."
Por isso gostaria de saber, na sua opinião, se as copias que possuímos tem algum erro(de copistas) ou não? Se sim, quais são estes erros?

Muito obrigado.

Em Cristo.
Iranilton Assis

Responder
avatar
16/9/10 10:25 delete

Nilton,

Sim, as cópias que temos têm vários erros, facilmente detectáveis pelos especialistas. São geralmente erros de cópia cometidos pelos escribas, tipo copiar a mesma linha duas vezes, esquecer de copiar uma linha ou uma palavra, trocar letras, omitir versículos inteiros. Como temos milhares de cópias, fica relativamente fácil detectar esses erros. Outros são mais difíceis e temos dúvidas. Mas no geral, estas dúvidas não prejudicam em nada a mensagem do Novo Testamento.

Responder
avatar
Nilton
AUTOR
16/9/10 21:54 delete

Graça e paz Augustus,

Muito obrigado pela resposta.
Só mais um comentário: excelente livro!

Em Cristo.

Iranilton Assis.

Responder
avatar
Diego Cosmo
AUTOR
25/9/10 09:49 delete

Quando disse que podemos encontrar vestígios de quem foi Jesus, isso será o bastante para sabermos, no mínimo, o que ele não é... E embasado nisso criaremos a forma que veremos ele... (baseado no que ele não é)

Quando disse que "não precisamos rejeitar totalmente a bíblia", só queria enfatizar principalmente a importância que ela tem para podermos ver os vestígios de Cristo, mesmo com todos os erros que ela tem! Eu disse que ela tem erros e não que é toda errada, uma leitura inteligente e lógica da bíblia poderemos perceber algumas coisas!

Tento seguir a personalidade de Cristo, a forma que ele via o mundo, pois nisso consiste o cristianismo e o Reino de Deus, muitos fazem uma leitura da bíblia ao pé da letra, ficando assim com uma visão mitológica dela, dessa forma se protegem do desafio que é ser como Cristo...

OBS: vc continua me interpretando sem bom senso... rsr suponho que da mesma forma que ler a bíblia, não precisa levar muito a sério essa observação. rs

Responder
avatar
27/9/10 15:20 delete

Diego,

Não tem como sabermos o que Jesus não era a partir de fontes que estão cheias de erro. Pois se estes erros foram cometidos pelos discípulos deles ao escreverem, o que temos é uma imagem distorcida de Jesus. Não dá para afirmar o que ele não era e nem o que ele era.

Vestígios de Cristo? Não podemos nem ter certeza deles, pois não saberíamos a proporção em que seus discípulos erraram.

Você disse que uma leitura inteligente e lógica da Bíblia revelará alguns de seus erros. Mas, será? Muitos dos que afirmam que a Bíblia não tem erros são inteligentes e lógicos, têm mestrado e doutorado, são formados nas mais diversas áreas do conhecimento. Estou acabando de ler um livro com o testemunho de 50 cientistas renomados que declaram receber a Bíblia como inspirada, infalível e inerrante.

Você diz que tenta seguir a personalidade de Cristo, a forma como ele via o mundo... mas, como você sabe qual era a personalidade dele e como ele via o mundo, se estas coisas podem estar entre os erros da Bíblia?

Você diz que eu continuo a lhe interpretar sem bom senso. Ao contrário, creio que lhe interpretei de maneira correta e justa. O que ocorre é que você simplesmente não aceita o óbvio: se a Bíblia tem erros, não se pode com segurança saber quem era Jesus. E isto os liberais já afirmam desde o século XVIII.

Abs.

Responder
avatar
Sentinela
AUTOR
5/10/10 14:00 delete

Olá, Dr. Nicodemus.

Não conheço Pinnock tão profundamente. Mas de uma coisa eu sei: foi um homem de coragem. Culmann ja dizia que a crença na imortalidade da alma é uma das doutrinas mais mal compreendida pelos protestantes e católicos. Pinnock também abandonou tal concepção, e, por isso, e não apenas isso, tem sido considerado teólogo liberal. Pergunto: que aspectos da doutrina reformada Pinnock abandonou, e por que motivo era considerado teólogo liberal?

Responder
avatar