sábado, novembro 24, 2012

Augustus Nicodemus Lopes

Afinal, casamento é bíblico ou só convenção humana?

Com a desvalorização do casamento em nossa cultura, junto com a relativização dos valores morais e a tendência contra tudo aquilo que é estabelecido, muitos cristãos nutrem esta ideia curiosa de que a Bíblia não ensina o casamento, o qual se resume num acordo mútuo de duas pessoas viverem juntas. Pronto, estão casadas diante de Deus.

Com isto, não é pequeno o número de evvangélicos que têm uma vida sexual ativa com o namorado/namorada.

Alguns anos passados fiquei impressionado com uma estatística publicada por uma revista evangélica após entrevistas feitas com jovens evangélicos de 22 denominações. Estes jovens, a grande maioria composta de solteiros, haviam nascido em lar evangélico e eram freqüentadores regulares de igrejas. De acordo com a pesquisa, 52% deles já haviam tido sexo. Destes, cerca da metade mantinha uma vida sexual ativa com um ou mais parceiros. A idade média em que perderam a virgindade era de 14 anos para os rapazes e de 16 anos para as moças.

Essa reportagem foi publicada em setembro de 2002. Desconfio que os números são ainda mais estarrecedores se forem atualizados para 2012.

Não vou aqui gastar muito tempo defendendo o que, acredito, a maioria dos nossos leitores já sabe que é nossa posição: sexo é uma bênção a ser desfrutada somente no casamento. Namorados que praticam relações sexuais estão pecando contra a Palavra de Deus. Mesmo que não tenhamos um versículo que diga "é proibido o sexo pré-marital" (desnecessário à época em que a Bíblia foi escrita, visto que na cultura do antigo Oriente não existia namoro, noivado, ficar, etc.), é evidente que a visão bíblica do casamento é de uma instituição divina da qual o sexo é uma parte integrante e essencial.

Alguns textos que mostram que contrair matrimônio e casar era uma instituição oficial entre o povo de Deus, e o ambiente próprio para desfrutar o sexo:

"...nem contrairás matrimônio com os filhos dessas nações" (Dt 7.3).

"...Majorai de muito o dote de casamento e as dádivas, e darei o que me pedirdes; dai-me, porém, a jovem por esposa" (Gn 34.12).
"... e lhe dará uma jovem em casamento..." (Dn 11.17).

"... Respondeu-lhes Jesus: Podem, acaso, estar tristes os convidados para o casamento, enquanto o noivo está com eles?" (Mt 9.15).

"... nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento" (Mt 24.38).

"... Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, achando-se ali a mãe de Jesus. Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento" (Jo 2.1-2).

"... Estás livre de mulher? Não procures casamento" (1Cor 7.27).

"... Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência, que proíbem o casamento..." (1Tim 4.1-3).

"... Se um homem casar com uma mulher, e, depois de coabitar com ela, a aborrecer, e lhe atribuir atos vergonhosos, e contra ela divulgar má fama, dizendo: Casei com esta mulher e me cheguei a ela, porém não a achei virgem..." (Dt 22.13-14)

"... qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério" (Mt 5.32).

"... Se essa é a condição do homem relativamente à sua mulher, não convém casar" (Mt 19.10).

"... Caso, porém, não se dominem, que se casem; porque é melhor casar do que viver abrasado" (1Cor 7.9).

"... Mas, se te casares, com isto não pecas; e também, se a virgem se casar, por isso não peca" (1Cor 7.28).

"... A mulher está ligada enquanto vive o marido; contudo, se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, mas somente no Senhor" (1Cor 7.39).

"... ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade" (Jo 4.17-18).

"... alguém (o presbítero e/ou pastor) que seja irrepreensível, marido de uma só mulher..." (Tito 1.6).

"... quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque em mulher; mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido." (1Cor 7:1-2)

"... Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros" (Heb 13.4).

"... que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação" (1Tes 4.4-7).

As passagens acima (e haveriam muitas outras) mostram que casar, ter esposa, contrair matrimônio é o caminho prescrito por Deus para quem não quer ficar solteiro ou permanecer viúvo. O casamento era, sim, uma instituição oficial em meio ao povo de Deus. As relações sexuais fora do casamento nunca foram aceitas, quer em Israel, quer na Igreja Primitiva, a julgar pela quantidade de leis contra a fornicação e a impureza sexual e pelas leis e exemplos que fortalecem o casamento como instituição para o povo de Deus em todas as épocas.

O ônus de provar que namorados podem ter relações sexuais como uma coisa normal é dos libertinos. Posso me justificar biblicamente diante de Deus por viver com minha namorada como se ela fosse minha esposa, não sendo casados? Como eu lido com essa evidência massiva de que o casamento é a alternativa bíblica para quem não quer ficar solteiro ou viúvo?

O que existe na verdade é aquilo que Judas menciona em sua carta, sobre pessoas ímpias que transformam a graça de Deus em libertinagem (Judas 4). Os argumentos do tipo, "quem casou Adão e Eva" demonstram o grau de má vontade e a disposição do coração de continuar na prática da fornicação, mesmo diante da resposta: "O caso de Adão e Eva não é nosso paradigma, a não ser que você tenha sido feito diretamente do barro por Deus e sua namorada tenha sido tirada de sua costela. Se não foi, então você deve se sujeitar ao paradigma que Deus estabeleceu para toda a raça humana, para os descendentes de Adão e Eva, que é contrair matrimônio, casar-se, um compromisso público diante das autoridades civis".

Os demais argumentos - "é melhor que os namorados cristãos tenham sexo responsável entre si do que procurar prostitutas, etc." nem merecem resposta. O que falta realmente é domínio próprio, castidade, submissão à vontade de Deus, amor à santificação.

Chegamos ao ponto em que os rapazes e as moças cristãos têm vergonha de dizer, até mesmo em reuniões de mocidade e de adolescentes, que são virgens.

Tenho compaixão dos jovens e adolescentes de nossas igrejas. Mas sinto uma santa ira contra os libertinos, que pervertem a graça de Deus, pessoas ímpias, que desviam nossa juventude para este caminho. "A vingança pertence ao Senhor" (Rom 12.19).

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

9 comentários

comentários
Luciano
AUTOR
24/11/12 19:26 delete

Pr. Augustus,
falta de domínio próprio, de submissão à vontade de Deus e de amor à santificação - acredito que aí o senhor identificou o nó górdio, não só da questão aqui tratada, como de tantas outras que tem estado na ordem do dia do meio evangélico nesses tempos de relativização das verdades bíblicas.
Olhando o cenário geral, a impressão que se tem é de uma grande letargia entre os crentes, uma preguiça moral diante do processo de santificação, sendo muito mais cômodo - ao menos imediatamente - moldar-se à frouxidão que grassa à nossa volta, que lutar contra ela com o auxílio do Senhor Deus que nos fortalece.
Excelente texto!

Responder
avatar
Mirna Silva
AUTOR
25/11/12 12:30 delete

Em um tempo onde vivemos, precisamos estar vigilantes... "a carne é fraca, mas o Espírito de DEUS é quem nos fortalece a todo instante." Oremos em praticar a verdade, sendo puros e íntegros!

Mirna Anara

Responder
avatar
Mirna Silva
AUTOR
25/11/12 12:31 delete

Publiquei no meu blog com o nome e o endereço do autor.

Responder
avatar
26/11/12 19:07 delete

Até no caso de Adão e Eva existiu o casamento, mediante a união pelas mãos do Criador, como o senhor mesmo colocou. Tanto é que as palavras do contrato conjugal foi a implicação natural, como vemos em 2.24. A convenção do Estado para legalizar o casamento foi freio para o pecado, mas poderia não ter existido em um mundo não caído. Hoje um dos grandes argumentos para o sexo no namoro é afirmar que os "tempos mudaram", mas isto não significa que foi pra melhor, rs.

Responder
avatar
27/11/12 23:46 delete

No artigo anterior, quando tratava-se dos questionamentos de um jovem que praticava o sexo com a namorada, concordei que o sexo era somente apos o casamento, pois acho que a biblia é clara neste ponto. E hoje reposiciono minha colocação quanto o casamento "oficial", o qual acreditava que era acordo entre homens, os versiculos falam por si só, sem necessitar de comentarios. Nunca havia me atentado ao fato de ocorria uma cerimonia, com festa, noivo, noiva, e convidados. Fico esclarecido e agradecido.

Responder
avatar
27/11/12 23:47 delete

No artigo anterior, quando tratava-se dos questionamentos de um jovem que praticava o sexo com a namorada, concordei que o sexo era somente apos o casamento, pois acho que a biblia é clara neste ponto. E hoje reposiciono minha colocação quanto o casamento "oficial", o qual acreditava que era acordo entre homens, os versiculos falam por si só, sem necessitar de comentarios. Nunca havia me atentado ao fato de ocorria uma cerimonia, com festa, noivo, noiva, e convidados. Fico esclarecido e agradecido.

Responder
avatar
Edgard Diego
AUTOR
28/11/12 14:47 delete

Fica a dica
Eunucos Pelo Reino De Deus - Uta Ranke-Heinemann

espero ajudar!!

Responder
avatar
Lucas
AUTOR
8/12/12 17:11 delete

Seria, contudo, o controle de natalidade um pecado grave?

Vejo que até Calvino, base da reforma, escreveu sobre o assunto condenando-o. Se este for o caso, estamos nós caminhando cada vez mais para a concordância com o Catolicismo no que diz respeito? Posso eu, fazendo uso de métodos não abortivos sofrer a condenação de Deus?

Responder
avatar
3/3/13 12:10 delete

Bom dia !

Adorei o seu blog ;)

Eu criei um tambem, irei me casar em 2015..se você puder dar uma olhadinha...


http://casamentoideiasedicas.blogspot.com

bjs!!
Vanessa

Responder
avatar