terça-feira, fevereiro 11, 2014

Solano Portela

Quem Matou Santiago Andrade?

Santiago teve morte cerebral hoje, 10 de fevereiro de 2014. Um dos desordeiros e criminosos, que considerou um ato normal estourar bombas no meio das pessoas, já está preso. Aquele que, supostamente, colocou o explosivo no chão que culminou na morte do cinegrafista da Rede Bandeirantes de Televisão, provavelmente também já estará preso quando você estiver lendo isto. Mas quem; quem, realmente, matou o Santiago? Foram só esses dois? De jeito nenhum!

Muitos contribuíram para essa morte e carregam parcela de culpa, não somente desse assassinato, mas de outros e dos ferimentos de tantas outras pessoas; de propriedades que vêm sendo destruídas; de ônibus queimados, trens depredados, veículos destroçados – pelo estágio de desordem no qual nos encontramos, solo fértil para que Santiago viesse a morrer. É preciso que se apontem as consequências geradas por uma visão distorcida da pessoa humana; pela negligência dos limites entre o certo e o errado; pela complacência com o crime, falta de investimento em segurança, e outros tantos desvios do pensamento sadio que deveria sustentar a frágil matriz de nossa sociedade. Podemos seguir impunemente abandonando princípios e valores fundamentais de nossa sociedade judaico-cristã, provados durante séculos, como temos repetidamente testemunhando nos textos, palavras e ações de pessoas que ocupam posição de destaque ou mando em nossa nação?

Santiago foi morto por aqueles que acatam e incentivam os “rolezinhos”, com uma ingenuidade doentia, como se o desrespeito às pessoas, a falta de postura civilizada e a agressão à propriedade alheia, não fizessem parte de uma incubadora maligna na qual cresce e floresce a semente da violência indiscriminada, que progredirá a agressões maiores - até a assassinatos. Apavorar pessoas é coisa inocente? Sair atacando e beijando adolescentes e senhoras à força, não é assédio sexual? Roubar e depredar são legítimas expressões de divertimento? Muitos participantes e defensores dos rolezinhos parecem pensar assim. Carregam culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto por um judiciário leniente, que solta os indisputavelmente culpados. Por juízes que em vez de executarem justiça em proteção aos inocentes, jogam criminosos nas ruas, retardam o julgamento de processos. Não por coincidência, pelo menos um dos envolvidos com a morte de Santiago, tinha várias passagens pela polícia – e isso resultou em quê? Como suas prévias quebras da lei foram consideradas “de menor monta”, joga-se ele na rua, para que se envolva em coisas maiores – na morte de alguém. Sim, juízes inconsequentes são culpados do clima de violência que gera a morte de muitas pessoas, como Santiago.

Santiago foi morto por alguns comandantes da Polícia, que covardemente acatam as ordens de políticos e, sem contestação, repassam aos seus comandados diretrizes para “observar as coisas de longe” e “não se envolver” nas demonstrações e protestos, mesmo quando obviamente eles descambam para a depredação e baderna. Ordens que causam asco a qualquer cidadão de bem, quando observam as imagens, na televisão, de criminosos tocando fogo, agredindo, chutando, saqueando, enquanto a força policial só observa de longe, “cumprindo ordens”. Sim, esses que depois das violentas ações de black blocs e outros congêneres, dessa súcia repelente, declaram – “a polícia agiu exemplarmente”, sem coibir a violência, carregam culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto por políticos inconsequentes e imbecis, que satisfazem seus próprios ventres, preocupam-se com seus próprios interesses e, desavergonhadamente, no pleno exercício da incompetência, mantêm “diálogos” com baderneiros e criminosos; convocam a Brasília, para encontros com lideranças da nação, aqueles desocupados que claramente já se encontram à margem da lei. Políticos que, enquanto brincam com o perigo bajulando párias da sociedade, ignoram os que apenas necessitam de paz e segurança na ocupação de suas atividades diárias. Políticos que nem prestam atenção à principal função do estado, que é proporcionar segurança aos cidadãos, e deixam as pessoas de bem sucumbir dia a dia à incapacidade do governo em protegê-las dos malfeitores que tomaram conta das cidades e campos do nosso país. Esses políticos carregam intensa culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto por idiotas de plantão, travestidos de sociólogos e acadêmicos, que ignoram a necessidade básica da natureza humana de ser regida por lei e ordem, pois postulam que a maldade não faz assento nato no coração das pessoas. Estes que perderam a capacidade de identificar o mal. Ou por articulistas da grande imprensa que abraçam e propagam a noção irreal e deletéria de que comportamentos criminosos são apenas fruto de “pressões sociais” ou da “opressão da classe dominante”. Tais “intelectuais” são predadores que utilizam a arma da escrita e do discurso para, com suas ideias, insultar milhões de trabalhadores, aposentados e famílias que, mesmo com grandes e reconhecidas necessidades financeiras, conseguem seguir a trilha da honestidade e do trabalho, mantendo uma consciência tranquila e promovendo a paz, em vez da discórdia e dissensão.   Esses intelectualoides, anões do pensar, carregam culpa pela morte de Santiago.

Santiago foi morto por religiosos espúrios que ignoram a origem divina e a realidade da justiça retributiva; que desprezam a clara rejeição às pessoas violentas encontrada nos textos sagrados, e a delegação ao estado, para combatê-las “com o poder da espada”. Religiosos que dedicam mais atenção aos criminosos do que às vitimas da violência, quer do chamado “crime organizado”, quer da criminalidade “desorganizada” que se aproveita da ausência de repressão encorajada por esses enganadores de mentes e corações. Esses não têm desculpa e carregam, também, culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto pelos que atualmente ocupam um poder executivo falho, fraco e maquiador da triste realidade de insegurança que reina em nosso Brasil. Governantes que não combatem de frente e sem apologias a criminalidade institucionalizada; que ignoram as fábricas de criminosos e vitrines de barbárie, que são as nossas prisões. Líderes omissos que, encastelados em suas fortalezas, ignoram que o mundo está desabando ao seu redor e acham que a tarefa de corrigir esses infernos estatais dos presídios pode tranquilamente passar à próxima geração. Como carregam, estes, culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto por pessoas como eu e você, quando esquecemos as lições da história, o debacle dos impérios socialistas moribundos, as atrocidades de ditaduras cruéis que agem “em nome do povo”, e acatando filosofias e políticas de esquerda, aplaudimos os ditadorezinhos  emergentes idiotas que pululam ao nosso redor. Escorregamos quando votamos em políticos de partidos anacrônicos que falam no bem estar das pessoas, mas apoiam todo o descalabro e desrespeito que vivenciamos; quando encorajamos os movimentos violentos de ocupação e desrespeito às autoridades; quando não enxergamos que os “sem isso” ou "sem aquilo”, na cidade ou no campo, são constituídos por uma infeliz massa manipulada, eivada de aproveitadores, sugadores do dinheiro público, agitadores, baderneiros violentos e até assassinos profissionais, os quais, apoiados por partidos que têm na essência a destruição da própria sociedade que os gerou. Sim, se não utilizarmos a inteligência, voltarmos aos fundamentos universais que regem uma sociedade pacífica e apoiarmos candidatos que concentrem as ações do governo na sua proteção e na da sua família, estaremos todos contribuindo para a derrocada final e carregaremos a culpa da morte de Santiago e de muitos outros Santiagos que virão por aí. 

Solano Portela - 10.02.2014

Solano Portela

Postado por Solano Portela.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

45 comentários

comentários
Amanda Cali
AUTOR
11/2/14 07:36 delete

Infelizmente essa é a pura verdade do nosso País hoje!!!
Todos temos parte de culpa em tudo que temos visto na TV...
O caos em que se encontra o Brasil, só poderá ser mudado por pessoas que realmente acreditam em Deus e lutam com todas as suas forças pra fazer e viver uma vida diferente de tudo o que se tem visto por aí.
Que Deus nos ajude!!!

Responder
avatar
11/2/14 09:52 delete

muito apropriado e oportuno, boa leitura e bom discernimento dos fatos. Deus continue iluminando sua mente. paz.

Responder
avatar
11/2/14 10:31 delete

Espetacular!!!! A população perdeu os valores, infelizmente. Falta temor de tudo, principalmente temor a Deus.

Responder
avatar
11/2/14 15:37 delete

Perfeito, Solano Portela! Eu acrescentaria em sua lista aqueles que, ignorantes ou não, continuam votando ou sendo divulgadores de políticos e partidos com ideologia marxista (clara ou velada) em nosso país. Colocaria os "evangélicos" e "católicos" que abraçam o marxismo cultural (péssimo nome para descrever o fenômeno) e, irresponsavelmente, misturam a fé cristã com o pensamento utópico/assassino/demoníaco de Marx, Engels, Gramsci, More, etc... Se formos cavar mais fundo, encontraremos muita gente "boa" e amada em meio aos responsáveis por essa barbárie que acontece em nosso país.

Responder
avatar
11/2/14 16:12 delete

Em resumo, não há novidade alguma na conduta dessa sociedade que caminha à revelia dos preceitos da verdade e da justiça de DEUS. O que se vê na imprensa geral, é a exploração sensacionalista dos fatos. Até agora, pelo que sei, não vi ninguém ter a coragem e a dignidade de tocar no ponto crucial dessa tragédia que acabou ceifando a vida de mais um trabalhador brasileiro. Eu pergunto, será que o Santiago teria morrido, se a TV Bandeirantes, tivesse se preocupado com a integridade física e a segurança do trabalho desse profissional? Pelas imagens mostradas na TV, não havia, sequer, um auxiliar de cinegrafista para ajudá-lo. O que se viu, foi um rapaz segurando uma câmera, no meio do tumulto, sem um colete a provas de bala, sem nenhum equipamento de segurança que pudesse lhe dar proteção. Nesse ponto, ninguém tocou até agora, porque será? Cabe agora, aos advogados da família, tratar dessa questão. Lamentável!

Responder
avatar
11/2/14 16:38 delete

Excelente comentario!!! Solano

Voce descreveu bem a inconsistencia de nossa sociedade - -
ridicularizamos com valores morais - - - e ficamos chocados com politicos e governo corruptos - - violencia -

Alguns argumentam que essa capacidade de discernimento moral é um produto do processo de evolução do ser humano. Porém, se a base é o instinto natural, qual instinto deveríamos obedecer?

Nossos instintos estão em guerra. A decisão de agir corretamente não pode ser baseada em outro instinto -- vem da lei natural ou moral escrita em nossos corações - mesmo afetados pelo pecado.

Qualquer civilização ou cultura que rejeita a realidade e a importância dessa lei moral torna-se insustentável e caminha para a autodestruição. A cultura moderna não é uma exceção. Continuamos a clamar por qualidades impossíveis, e esse é o caráter tragicômico da nossa cultura e condição. Estamos produzindo homens sem coração, sem estrutura moral, e esperamos deles virtudes e ações corretas.

Ridicularizamos a moralidade e o pudor e nos chocamos ao encontrar os corruptos, pedófilos e criminosos em nosso meio.

À medida que essas distorções e heresias morais penetram em nossa vida, o resultado é a conivência com o subjetivismo, o relativismo, o materialismo, o sensualismo exagerado etc.

Precisamos lutar contra as distorções sutis das virtudes e características da nossa cultura, como por exemplo, a tendência do jeitinho e da flexibilidade brasileira se transformarem em corrupção; a disposição da criatividade se converter em heresia; da alegria e do calor humano se tornarem promiscuidade.

Este subjetivismo atua até nos eufemismos da língua, atenuando o caráter imoral de certos comportamentos. Por exemplo, a promiscuidade sexual é hoje chamada de “ficar”, infidelidade sexual de “pular a cerca”, e qualquer outra forma de pecado de “pisar na bola”.

Santo Agostinho define a virtude como a disposição ordenada das afeições, na qual cada objeto corresponde ao grau de amor que lhe é apropriado.

Uma reação exagerada da igreja é se isolar por meio de modelos de um puritanismo do passado e de culturas diferentes quando, na realidade, o que necessitamos é o desenvolvimento de uma estratégia que se aplique ao contexto da cultura brasileira. Precisamos de um movimento sólido de purificação autêntica nas igrejas nos moldes da nossa própria cultura.

Com aprumar o peito desse indivíduo e lutar contra essa condição trágica? A resposta vem da ênfase nos princípios universais de comportamento humano, tais como o respeito à vida humana, a lealdade às obrigações da família, a prática da justiça, da misericórdia e da veracidade.

Ao enfatizarmos e promovermos a objetividade e a necessidade da prática desses princípios escritos no coração do homem como um pré-requisito para mantermos a sustentabilidade da sociedade e nossa humanidade, estaremos participando como agentes de restauração e redenção - -

Paulo

Responder
avatar
Palominio
AUTOR
11/2/14 17:27 delete

Perfeito! Mais lúcido e claro impossível!

Responder
avatar
11/2/14 18:00 delete

Há tempos não lia um texto tão reacionário e revoltado. Ficou claro que foi escrito sob forte emoção, como se um dos passeios ao shopping do autor tenha sido abortado por alguns garotos não tão bem nascidos.

Sou um leitor assíduo e admirador do blog (mas confesso que prefiro o Augustus e o Mauro.
Por isso, no reino dos comentários que fazem coro ao status quo, espero não passar pelo crivo que não respeita ou entende que um cristão pode discordar do outro, afinal, não é para isso que servem os comentários?

Fiquem com Deus.

Filipe



Responder
avatar
11/2/14 18:17 delete

"...abandonando princípios e valores fundamentais de nossa sociedade judaico-cristã..."

Desde quando o Brasil tem uma herança judaico-cristã?

Responder
avatar
11/2/14 18:28 delete

Caro Márcio:
Creio que é herança muçulmana... Devo ter me enganado...
Solano

Responder
avatar
João Mario
AUTOR
11/2/14 21:14 delete

De acordo com o pensamento do Filipe Zaleschi, se expressar de uma maneira em que esteja em desacordo com o que ele pensa é "escrever sob forte emoção", como se algo que também fosse escrito sob forte emoção invalidasse o pensamento ou opinião.
Mas o que eu mais gostei do comentário do cidadão, foi indiretamente ele dizer: não julgue o meu comentário, porque senão você será julgado na mesma proporção. Patético!
Por fim, vemos mais uma mente lesada pelo sistema "Paulofreiriano do sistema brasilis de educação "

Responder
avatar
Saulo
AUTOR
11/2/14 21:37 delete

Não me importo com a morte deste cinegrafista mais do que com a morte de um trabalhador que morreu atropelado no trânsito essa semana na minha cidade. Quando alguém causa uma morte, seja de um cinegrafista ou de um trabalhador braçal o peso é o mesmo. Mas para a imprensa e para os oportunista de plantão, não. Um texto que se apoia exclusivamente no problema atual, e culpa um partido político nas entrelinhas de seu discurso, para mim não passa de uma tentativa de fazer valer uma ideologia mediante a outra. Esse blog deveria apresentar questões que levassem ao pensamento cristão e não ao pensamento ideológico da direita brasileira. A propósito, sou morador da maior invasão da América latina, e não me orgulho disso. Mas se não fosse assim, não imagino onde estaria morando, ou ainda se estaria vivendo pois na época não houveram esforços da feliz massa não manipulada para me ensinar qual era a solução. Creio que fazer apologias a questões partidárias não vai resolver problemas de ninguém, e sim causar mais confusão na cabeça de pessoas que estão procurando qual a saída para o Brasil.

Responder
avatar
11/2/14 22:21 delete

Prezado Prof. Solano Portela,
No parágrafo:
"Santiago foi morto por um judiciário leniente, que solta os indisputavelmente culpados. Por juízes que em vez de executarem justiça em proteção aos inocentes, jogam criminosos nas ruas, retardam o julgamento de processos."
Creio que onde se lê "indisputavelmente" deveria ler-se "ininputavelmente" (se o senhor estiver se referindo a menores de 18 anos).
E também, gostaria de tecer um humilde comentário, sobre o parágrafo supra citado. Pois, acredito que realmente existam juízes que julguem, às vezes, de forma displicente. Porém, na maioria das vezes são obrigados por nossa legislação ultrapassada a soltar delinquentes por se valerem de artifícios jurídicos e brechas nas leis que os defensores se aproveitam para pleitearem a libertação de custodiados. Assim, não acredito que o problema seja o poder judiciário e sim o poder legislativo que só legisla em causa própria.

Responder
avatar
11/2/14 22:46 delete

Excelente! Texto claro, feito por uma mente esclarecida e sábia. Irretocável!
Valdecir - Poços de Caldas/MG

Responder
avatar
11/2/14 23:26 delete

Que o Senhor tenha misericórdia do Brasil e nos livre de mais quatro anos dessa provação!

Responder
avatar
João Mario
AUTOR
11/2/14 23:45 delete

Em destaque no topo só blog:

Que tempos os nossos! E que costumes! [Cícero]
Reflexões fortuitas de alguns calvinistas sobre praticamente tudo, com destaque a temas de religião, cultura e valores morais.

E vejo comentários do tipo: se limite a comentar sobre religião, você não pode expressar sua posição, vai confundir a cabeça das pessoas ... Lamentável.

Em tempo, no meu último comentário acabei esquecendo de lhe parabenizar, Solano, pelo excelente e corajoso texto!

Responder
avatar
Átila LVG
AUTOR
12/2/14 01:53 delete

Fraco e oportunista.

Reducionista e oportunista (de novo).

Responder
avatar
12/2/14 03:11 delete

Faltou acrescentar a mídia que através de seus ensinamentos tem formado pessoas violentas e sem nenhum limite!

Responder
avatar
12/2/14 07:16 delete

SÓ FALTOU DIZER QUE QUE DEUS TAMBÉM TEM CULPA POR HAVER FEITO CRIADO O HOMEM. NESTA DISSOLUÇÃO GERAL DA CULPA, ME DEIXE DE FORA, CARA PÁLIDA.

Responder
avatar
12/2/14 09:58 delete

Excelente! Que Deus continue abençoando o amado irmão!

Responder
avatar
12/2/14 10:00 delete

...abandonando princípios e valores de nossa sociedade judaico-cristã..., sim! Quem segue os princípios cristãos 'deixados por Cristo', vive a lei do amor, sem ser conivente com injustiças e barbaridades. Não aceita suborno, nem deixa se levar por respeitos humanos, não se cala ante a injustiça, e reconhece que uma sociedade sem limites está fadada ao fracasso.

Responder
avatar
12/2/14 11:26 delete

Caro Paulo:

Obrigado por seus comentários e tão pertinente análise e pontuações reforçando a importância da Lei Moral, como elemento aglutinador da sociedade, pela Graça Comum de Deus. Que o Senhor da Graça continue a lhe abençoar e a dar visão clara dos seus caminhos e da necessidade do nosso testemunhar, neste mundo tenebroso.
Solano

Responder
avatar
12/2/14 11:31 delete

Agradecimentos aos diversos amigos e amigas que comentaram e que conseguem enxergar, abaixo da superfície, a raiz dos males de nossa sociedade permissiva. Que Deus os abençoe.

Aos detratores, que escolhem continuar inebriados com uma visão irreal da humanidade e das coisas que nos cercam, e não vêem o perigo e os precipícios aos quais a dissolução moral está levando o nosso país, deixo-os também com Deus.

Responder
avatar
12/2/14 11:38 delete

Maravilhosamente bem colocado. Acho que somente nós, cristãos, podemos erguer as mãos (Em oração e em ação) para lutar para que a Verdade e a justiça prevaleçam.

Responder
avatar
12/2/14 11:58 delete

Caro DIEGO:

Você disse:
No parágrafo:
"Santiago foi morto por um judiciário leniente, que solta os indisputavelmente culpados. Por juízes que em vez de executarem justiça em proteção aos inocentes, jogam criminosos nas ruas, retardam o julgamento de processos." Creio que onde se lê "indisputavelmente" deveria ler-se "ininputavelmente" (se o senhor estiver se referindo a menores de 18 anos)... etc.

Eu:
Não. Não estou me referindo aos menores de 18 anos. Isso é outra história (diminuição da maioridade penal - com a qual concordo). Eu quis dizer, mesmo, indisputavelmente - ou seja, situações onde a quebra da lei é clara, evidente, filmada, constatada - mas mesmo assim os culpados são soltos por juízes lenientes. Concordo que a legislação é ultrapassada, mas essa desatualização, em grande parte, é culpa não somente do legislativo, mas do judiciário, que não estimula as reformas necessárias (muitas vezes se insurge contra elas).

Um exemplo de justiça leniente:
09.10.2013 - Notícia na imprensa - "O Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu nesta quarta-feira (9) soltar o casal Luana Bernardo Lopes, 19, e Humberto Caporalli, 19, conhecido nas redes sociais como "Humberto Baderna", presos anteontem durante um protesto no centro de São Paulo...". Esse pessoal estava depredando e tocando fogo em coisas. Foram soltos para fazerem mais do mesmo. Os dois envolvidos na morte do Santiago já tinham várias passagens pela polícia. Cumpriram pena? Não estavam na rua, livres, para continuarem a quebrar a a lei. É a isso que me refiro.

Obrigado pelos comentários.

Solano


Responder
avatar
Caio Mello
AUTOR
12/2/14 15:20 delete

Solano, eu compartilhei este teu texto no meu facebook, e um conhecido meu comentou assim:

"Já li. Concordo com tudo, só não vi ser citada a questão da miséria e da pobreza, não como justificativa do que está acontecendo, mas como uma realidade a ser resolvida. Sendo o autor um grande estudioso do AT, ele poderia lembrar o tratamento dispensado por Moisés em Deuteronômio em relação a uma tríade que aparece, se não me engano, 10 vezes: pobre, órfão e a viúva. E poderia ser trazido para o debate também as questões levantadas pelos profetas Miquéias e Amós, mas parece que o autor não curti muito esses textos bíblicos, parece."

Eu respondi ele assim:
"Aí não é comigo, pergunte pro autor Solano Portela. Haha
Sugiro até colocar esta observação nos comentários do blog, com certeza ele irá responder."

Responder
avatar
12/2/14 16:12 delete

Excelente texto!!! Nos faz repensar em nossa própria vida! O quanto somos culpados não só neste caso de Santiago, mas em tantos outros, seja na política, na vida cristã, etc!!

Responder
avatar
13/2/14 20:44 delete

Um texto inteligente e útil para todos aqueles que querem entender não só a morte de Santiago Andrade, mas de todos aqueles que acabam sendo vitimados por esse sistema devastador de nosso país. Parabéns Presbítero e irmão Solano Portela por essa reflexão iluminadora sobre esse triste episódio.

Responder
avatar
16/2/14 13:38 delete Este comentário foi removido pelo autor.
avatar
Aprendiz
AUTOR
19/2/14 21:05 delete

Caio Mello

Permita-me meter a minha colher. Sinceramente, não acredito que as pessoas que praticaram essas violências (e mais ainda, as pessoas que financiaram, promoveram e instigaram essas violências) fossem "pobres, órfãos e viúvas". Não acredito de forma nenhuma que isso parte de pessoas miseráveis. Creio que as pessoas que instigam e pagam por essas manifestações violentas são, no mais das vezes pessoas que estão muito bem de vida, de classe média-alta para cima.

Então, respondendo a essa pergunta desse seu parente, eu diria que os culpados da morte do cinegrafista são também aqueles que se fingem falar como miseráveis, mas vivem muito bem, talvez até às custas de nossos impostos...

Responder
avatar
Aprendiz
AUTOR
20/2/14 09:27 delete

Com respeito ao terrorismo praticado pelos black blocks, com apoio do governo federal, não é de se admirar, considerando que o governo brasileiro tem apoiado regimes terroristas no mundo todo.

O blog abaixo é uma boa referência para entender o terrorismo apoiado pelo governo Dilma:

http://amigodeisrael.blogspot.com.br/

Responder
avatar
23/2/14 14:50 delete

Na verdade estamos num teatro da vida e nós somos os atores, portanto, devemos interpretar como será a nossa atuação ou não. E com isso daremos um final feliz ou não.

Responder
avatar
23/2/14 15:05 delete

Uma reportagem da REVISTA VEJA diz que "A sociedade é culpada"como diz em entrevista o presidente do TSE e ministro do STF que mais importante do que reclamar nas ruas da ineficácia do governos é ir para a urna escolher bem os governantes.
Outra afirmação é que nós somos atores numa peça de teatro,portanto devemos atuar conforme a palavra de DEUS.

Responder
avatar
Adir Freitas
AUTOR
9/3/14 11:14 delete

O autor fala de uma visão irreal da humanidade certamente aquela visão que Adão passou a ter depois que pecou contra Deus e passou a crer que poderia discernir entre o bem e o mal. Por isso, divinizar a direita e diabolizar a esquerda não é nada diferente de fazer o contrário. Como pessoas impuras podem purificar (endireitar) a sociedade? Como um ser humano pecador em essência, poderia ter acesso epistêmico à certeza absoluta de que o receituário liberal para o mundo é a solução de todos os seus problemas? Em que, pensar assim é diferente do que fez Hitler (direita) ou Stalin (esquerda)? Todos pecaram. Todos pecam. Todos relativizam os absolutos de Deus (como fez a serpente no Jardim) para absolutizar a parte que lhes convém. Jesus nunca disse para os cristãos seguirem Hayeck ou Marx. O que ele disse foi: "Eu sou o Caminho". Por causa do pecado, todos já nascem "quebradores de janelas" e se sentem capazes de como filósofos-rei, serem os que se auto-intitulam os que devem impor "lei e ordem". Os pecadores da esquerda dizem: " a propriedade é um roubo", porque sonham em dizer: agora, o roubo é minha propriedade". Mas, para toda a humanidade, a Lei e a ordem é eterna e irrevogavelmente a mesma: Ame a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.
Quem ama a seu próximo, não lhe rouba a propriedade, mas também não lhe deixa nas ruas no frio e na miséria, ainda que seja um esquerdista samaritano.
Quem ama a seu próximo, não põe no inferno nem mesmo o inimigo, a quem deve amar, mas se alegra com aqueles que, sem merecer, é abençoado por Deus, quando a economia do país prospera e a desigualdade diminui.
Quem ama a seu próximo, admite que o Jardim do Eden não será reconstruído pelos republicanos norte-americanos, nem pelos comunistas de Havana. Mas haverá novo céu e nova terra, e somente aqueles que considerou todas as suas certezas e todas as suas propriedades e todo o seu rancor e ressentimento travestido de zelo por Deus, irá, arrependido e rendido ao único que discerne o bem e o mal dos homens, glorificar e dignificar Aquele em quem reside todos os tesouros da sabedoria, o nosso amado mestre manso e humilde de coração.

Responder
avatar
Adir Freitas
AUTOR
9/3/14 11:39 delete

Mas, você não acha que misturar a fé cristã com o pensamento "angelical" , sem utopia e sem erro de David Ricardo, Adam Smith ou Hayeck, é incorrer no mesmo erro? Ou os brancos e ricos das sociedades mais ricas viviam em paz absoluta antes desses homens (ou seriam demônios) nascerem?
Somente os esquerdistas podem usar a Bíblia para distorcer a verdade do Evangelho, ou os direitistas também o podem?

Responder
avatar
Adir Freitas
AUTOR
9/3/14 11:51 delete

Caro João Mário, são os positivistas e liberais que defendem a "neutralidade" num discurso científico ou técnico, mas concordo com VC que isto não é possível, posto que, mesmo um cientista, ninguém pode deixar os valores e emoções trancados numa gaveta antes de escrever algo. Por isso, nós cristãos deveríamos preparar o espírito e pedir direção ao Espírito antes de emitir juízos de valor contra o servo alheio. Deus o abençoe!

Responder
avatar