sexta-feira, setembro 01, 2006

Solano Portela

Cuidado! O Ministério da Justiça pode ser prejudicial à família!


O protesto abaixo foi encaminhado ao e-mail: acs@mj.gov.br que foi o único endereço eletrônico do Ministério da Justiça que consegui encontrar. O "fale conosco" do site do Ministério, não funciona e dá erro, toda vez que você tenta:


Sr. Ministro da Justiça, digníssimo Dr. Márcio Thomaz Bastos:

Os considerandos da recente portaria No. 1.100, que regulamentam a classificação de espetáculos e filmes, apontam, corretamente:
"... que cabe ao poder público regular as diversões e espetáculos públicos" que se mostrem inadequados... "nos termos art. 74 da Lei 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA)";

Ocorre que, na prática, o Ministério da Justiça está fazendo EXATAMENTE o contrário - em vez de proteger a criança, a expõe; em vez de proteger a FAMÌLIA, a dissolve; em vez de proteger os valores, os DESTROI.

Não pode haver outra interpretação, além dessa, para a ação liberatória de chamado "beijaço gay" em horário livre; programa a ser mostrado antes das 20 horas na MTV.

Registro o meu mais veemente protesto, na esperança de que haja uma lúcida reversão desse curso em suas decisões.

Respeitosamente,

Solano Portela, cidadão brasileiro, cristão afrontado e pai irado.

Solano Portela

Postado por Solano Portela.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

15 comentários

comentários
wilson bento
AUTOR
1/9/06 02:55 delete

Assino com voce Solano.
Precisamos começar a apoiar os corajosos posicionamentos que este blog tem publicado.
Neste caso "assino com voce"

Responder
avatar
Nagel
AUTOR
1/9/06 09:20 delete

Solano, eu estou por fora desse tal programa. Vou procurar me inteirar da questão. De qualquer forma, grato pela iniciativa.

Abraços.

Responder
avatar
Alex
AUTOR
1/9/06 10:05 delete

Olá presbítero Solano

O MJ já se posicionou a respeito do "beijaço gay" da MTV, e segundo o Ministério não há que se diferenciar o beijo hetero do beijo gay, e se o beijo hetero ocorre antes das 20:00 horas nada há que se opor o Ministério ao "beijaço gay" neste horário.

É lamentável. Motivado pelo meu pastor também enviei os meus protestos ao MJ na semana passada, e como a resposta não foi satisfatória, pesquisei o posicionamento do MJ e descobri que há um Projeto Alvorada que visa difundir a idéia de um Brasil Sem Homofobia, sendo que neste projeto a discriminação(seja lá o que isto signifique) é homofobia.

Ainda insatisfeito enviei aos patrocinadores do programa "Beija Sapo" mensagem de repúdio aos seus produtos.

1.Close Up - Unilever
2.Colcci

Até agora nada de resposta dos patrocinadores.

Conclusão:
Não compro os produtos dos patrocinadores, pelo menos os produtos ligados diretamente, e vou pedindo a Deus para curar a nossa nação.

um abraço.

Alex

Responder
avatar
Tiago
AUTOR
1/9/06 10:36 delete

Caro Solano,

Apesar da sua iniciativa digna, com a qual só posso concordar, não acredito que o ministro da justiça seja um sujeito receptivo para qualquer idéia no sentido de salvaguardar a família. Um sujeito que advogava para o PT, PCC, e ainda organizava grupos de advogados do IBCCrim para ensinar a livrar os membros do MST da cadeia, está mais interessado em garantir a dissolução da ordem e da família em prol do projeto de esquerda que ajudou a estabelacer, onde suas considerações importantíssimas não passam de "moral burguesa".

Atenciosamente,

Tiago Ramos

Responder
avatar
Fabio
AUTOR
1/9/06 10:38 delete

Caro Solano,

Parabéns pela iniciativa. Realmente necessária!
Um abraço,
Rev. Fábio Bezerra (Chile)

Responder
avatar
daniel_yang
AUTOR
1/9/06 11:23 delete

Caro Solano,

sera que nao existe algo que os cristaos, principalmente reformados, possam fazer para manifestar sua desaprovacao diante do governo. Como, alem de muita oracao, nos cristaos poderiamos nos envolver de maneira mais ativa? Alguma sugestao?

Abracos

Responder
avatar
1/9/06 18:55 delete

Pb. Solano,

E se nós mostrássemos nossa indginação de uma forma mais impactante redigindo um documento e enviando-o aos meios de comunicação como fez a lista CR sobre os evangélicos envolvidos em corrupção na política?

Há disposição para tal? Creio que devemos pelo menos começar, como o Sr. fez. Se cada reformado mandasse um e-mail ao ministro nós poderíamos ser considerados como uma voz mais ativa na censura da mídia.

Precisamos de soluções...estarei pensando em algo.

Obrigado ao despertamento trazido pelo post.

Abraços Reformados

André Scordamaglio

Responder
avatar
Hernan
AUTOR
4/9/06 21:21 delete

Com todo o respeito Rev. Portela.

Seria essa uma atitude cabível a um discípulo de Jesus? Será que Ele, Jesus, agiria dessa forma diante de situação semelhante? Que eu saiba o Mestre disparou suas críticas e deu voz à sua ira justamente contra religiosos moralistas, e não contra os "pagãos imorais". Ele acolheu prostitutas asseverando que elas precediam aos mestres judaicos no Reino que Ele viera anunciar. O Rev. acredita que assim está trabalhando em prol daquele Reino?
Permita-me dizer que penso serem essas atitudes um desserviço ao evangelho, uma vez que fazem parecer que a missão de Cristo e da Igreja é promover assepsia moral da sociedade através de discursos sectários de tom intolerante.
O Ministério da Justiça não é evangélico, portanto acredita que deve incentivar ações que representem o fim do preconceito contra quaisquer grupos sociais, inclusive os gays. Isto, para ele, é um valor. E, sinceramente, acredito que em face da Palavra de Cristo não deixa de ser. Refiro-me ao fim do preconceito.
Estou ensinando meu filho a respeitar as escolhas das pessoas. Sei que ele será aquilo que Deus o criou para ser e não receio que seja corrompido ou influenciado pela cultura secular. Confio no ensino que dou. Não diz o sábio que a criança não há de desviar-se do bom Caminho? Creio que meu exemplo e, sobretudo o exemplo de Cristo, a quem direciono as atenções de meu filho, são a base sólida do comportamento futuro dele, inclusive de sua sexualidade.
Respeito sua posição e entendo sua preocupação, mas quero registrar que não vejo que essa seja uma posição alinhada com a mensagem do Galileu de Nazaré, chamado Amigo dos pecadores.

Respeitosamente,

Hernan Pimenta

Responder
avatar
Rubem alexandre
AUTOR
5/9/06 01:15 delete

Caro Solano, concordo com sua manifestação de indignação!

Temos de erguer nossa voz, é um direito que temos como cidadãos brasileiros. Nossos representantes deveriam representar nossos valores. E devemos lutar para que o façam! Se não o fazem, cobremos deles!

Discordo, com todo o respeito, do Hernan, haja vista não tratarmos neste caso de "evangelização", mas de fazer valer uma sanidade de valores no governo.

Confesso que temo que se não nos manifestarmos agora, sofreremos depois. Senão vejamos.

Em Goiania, temos um precendente jurisprudencial que permite se obrigue arrombar as portas de igrejas para que se realizem casamentos não aprovados pela liderança. E, a isto temos o parecer favorável do Dr Ari Queiroz, juiz de Direito da capital e Jurista.

Semana passada li no Correio Brasiliense que o TJ do DF já está permitindo a mudança de sexo no registro civil, no caso de cirurgia de mudança de sexo para os transexuais (tendência que sobe do Sul e ja conquistou todo o Brasil).

Ora, tecnicamente, o impedimento ao casamento entre homossexuais era justamnte o registro civil. Nos termos de nossa CF, um homem, que muda o sexo para "feminino" (por ser transexual), poderia se casar com outro homem, cujo registro conste "masculino". A CF diz "casamento entre homem e mulher".

Juntemos os dois precendentes e lembremos que a maioria de nossas igrejas estão sob o registro de sociedades civis (que geram direitos aos sócios).

Tecnicamente, caso um membro "descubra" ser transexual e queira que um Pastor Neo-ortodoxo faça seu casamento, hoje, ja existem argumentos para que o tal seja feito de forma compulsória sob a força de um mandado judicial.

Fico preocupado, queridos!!!

Concordo com André Scordamaglio, que poderia ser elaborado algo que nos fizesse ser ouvidos! Me disponho a ajudar.

Meus caros, gritemos em prol do valores bíblicos antes que seja tarde!!!


Abraço.

Rubem Alexandre, IP de Vila Formosa, Anápolis, GO.

Responder
avatar
5/9/06 08:19 delete

Hernan,

Cara, que visão mais deturpada de Cristo! Na verdade, se assemelha muito à visão espírita do Senhor dos Exércitos, fazendo-O um "ursinho carinhoso".

Creio que MacArthur resume bem esse mal: "A heresia vem montada nos lombos da tolerância".

Acorda rapaz!

Abraços REFORMADOS

André Scordamaglio

Responder
avatar
7/9/06 22:40 delete

Caro Wilson Bento:
Obrigado pela subscrição.
Outra coisa - mande-me o seu comentário posterior em pvt para solano@portela.com .
Quero fazer algumas ponderações nele.
Um abraço,
Solano

Responder
avatar
7/9/06 22:42 delete

Caro Nagel:

O ALEX, no comentário seguinte, esclarece qual foi o programa que motiviou a tal classificação do Ministério da Justiça, que prefere ofender a muitos e os absolutos de Deus, no que diz respeito à sexualidade, em função de uma pseudo-tolerância não discriminatória. Agindo assim, discrimina aqueles que querem manter a instituição da família como célula mãe da sociedade - da forma como foi estruturada por Deus.

Um abraço,

Solano

Responder
avatar
7/9/06 22:51 delete

Caro Tiago:
Você tem, com toda probabilidade, razão quanto a pouca receptividade do Sr. Ministro, afinal está colocando em ação a visão distorcida de moralidade frouxa, que sempre esteve presente em seu partido. Essa inclui a legalização do aborto e vários outros ataques à nossa frágil estrutura social.

De qualquer modo, é nosso privilégio e direito protestar.

Um abraço,

Solano

Responder
avatar
7/9/06 22:58 delete

Fábio - Obrigado!

Daniel Yang - A primeira forma é protestar como cidadão. Grupos de Cristãos podriam emitir um pronunciamento conjunto, possivelmente com mais força. A lista "Cristãos Reformados" tem feito isso. Se a suposta "bancada evangélica", ou melhor, se tantos deputados evangélicos não estivessem tão preocupados em preencher o próprio bolso, mas em viver a fé que declaram professar, estariam trabalhando avidamente para assegurar um mínimo de respeito à sociedade, impedidndo que a demolição de limites protetores venham a implodí-la.

André - É isso aí. Escrever algo é, pelo menos uma ação concreta.

Abraços a todos.

Solano

Responder
avatar
7/9/06 23:21 delete

Caro Hernan:

Obrigado pela forma respeitosa de discordância, mas acredito que você esteja equivocado e continuo com uma posição contrária à sua.

A Palavra de Deus estabelece claramente que a igreja e o estado são duas esferas independentes - isso é uma verdade. Mas isso não significa que o estado seja autônomo para proclamar o que quiser, por vontade de uma minoria fortalecida no poder, ou até por uma maioria equivocada. Não signfica, também, que o cidadão cristão não deva relembrar o governante de suas responsabilidades.

Absolutos morais não são legislados, nem pela vontade da maioria. Democracia é uma forma administrativa de governar, que prevê a alternância do poder, não de estabelecer ou quebrar princípios.

O outro princípio claramente estabelecido na Palavra de Deus é de que os governantes são "ministros de Deus" para promover a justiça. A verdadeira justiça é harmônica com os princípios de Deus e não contraditória a esses.

Pela Graça Comum, Deus possibilidta que os códigos civis e penais dos povos reflitam a sua lei moral, que está, concomitantemente, impressa nos corações de suas criaturas - ainda que afetada pelo pecado (Rm 2). Uma civilização, ao legislar moralidade contrária àquela estabelecida por Deus está rapidamente contribuindo para sua destruição. A aproximação da Lei de Deus milita pela sua preservação. O governante, mesmo não crendo em Deus, tem a apossibilidade (e a obrigação) de manter harmonia com a justiça que vem de Deus.

Na minha carta não citei nenhum versículo (até poderia fazê-lo) da Bíblia, que o Sr. Ministro usa para jurar nos tribunais, mas não acata no que define; no entanto apelei para a contradição intrínseca existente entre as ações da malfada portaria e os seus "considerandos (que pretendem "proteger a família"). Isso quer dizer que se existir um mínimo de coerência e rescaldo de lógica - ele deveria reconsiderar a decisão.

Quanto à criação do seu filho, responsabilidade sua, como pai, espero que seja encaminhada fazendo-o ter uma visão crítica da sociedade e não deixando-o absorver tudo que é proclamado como "visão moderna" ou "promotora de inclusão social"; antes, procurando que ele compreenda e aceite a visão bíblica da sexualidade, que estabelece, além de parâmetros para o seu exercício (o casamento), a clara distinção entre os sexos - não como "opção", mas como projeto e estrutura intrínseca procedente do nosso Criador. Homem e Mulher, Ele os criou. Reconhecer isso não é promoção de intolerância ou de discriminação - é simplesmente não querer fechar os olhos às evidências da natureza (revelação geral) e da Palavra (revelação especial).

Quanto às demais questões, os comentários do Rubem Alexandre e do André, que se seguiram ao seu,deram tratamento adequado - pelo que agradeço a esses dois irmãos.

Com o desejo de que procure sempre firmar nas Escrituras suas convicções éticas e sua compreensão da sociedade; bem como de que reconheça que os governantes também são responsáveis perante Deus por suas ações, firmo-me,

Em Cristo Jesus,

Solano

Responder
avatar