quinta-feira, outubro 26, 2006

Mauro Meister

Procurando uma escola para meus filhos

Em 2002, Deus me deu a oportunidade de começar a trabalhar no campo da educação cristã escolar (chamo-a assim para que não se confunda o leitor com a idéia de que educação cristã é um campo que se limita à educação na escola dominical). Esta oportunidade me abriu imensos horizontes e me fez trilhar caminhos de grandes descobertas. Desde então, tornei-me um ‘militante’ da educação cristã escolar, ao lado de outros que Deus chamou para este ministério. Porém, ainda que alguns poucos sejam os ‘chamados’ para esta aventura, este é um ministério do corpo de Cristo que precisa, urgentemente, ser abraçado por todos. Creio que na educação cristã escolar reside um dos pontos de esperança para a mudança da nossa nação e para que os chamados evangélicos comecem a fazer alguma diferença neste país.

Digo isto porque a escola cristã verdadeira tem nas mãos a possibilidade de formar gerações inteiras com uma visão de vida e de mundo cristãs, o que muitas vezes não acontece na igreja. Nem sempre a conversão implica em uma mudança plena da forma como as pessoas enxergam toda a realidade. É por isto que continuamos a ver tanta ‘coisa estranha’ no meio evangélico.

Chegamos à época do ano em que as decisões sobre a vida escolar de nossos filhos precisam ser tomadas. Se alguma coisa vai mudar, é agora. Dentro em breve os jornais da cidade começarão a publicar as “dicas” sobre como escolher uma escola, que características devem ser observadas e que serviços uma escola moderna deve oferecer. As revistas de circulação nacional farão o mesmo, como todo ano, lançando seus desafios para os pais da nação em busca da escola ideal para seus filhos.

E os pais cristãos, devem ter algum critério para escolha da escola de seus filhos? Com certeza, sim. Sabemos que a situação da educação cristã em nosso pais é muito precária e o número de escolas cristãs é ainda diminuto em relação às necessidades que temos. Mas, em havendo a possibilidade de escolhas, o que devemos procurar em uma escola cristã?

Um compromisso inalienável com a Verdade , sabendo que toda a verdade é verdade de Deus e que a realidade do mundo a nossa volta deve ser inquirida com os olhos da Revelação Especial de Deus, as Escrituras. Só uma escola legitimamente cristã é capaz de fazer isto. Logo, é fundamental que os pais procurem reconhecer a filosofia da escola onde pretendem expor seus filhos a educação. Se é verdade o que Escritura diz, que Cristo deve ter a primazia em todas as coisas (Cl 1.18), isto deve incluir a educação escolar. Se é verdade o que a Escritura diz, que em Cristo estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência (Cl 2.3), estes tesouros só podem ser plenamente descortinados com uma visão clara de Cristo. Se o fundamento teológico exposto por Calvino for verdadeiro, que o homem foi criado para conhecer a Deus, é na escola cristã que nossos filhos terão a melhor condição de fazê-lo.

O segundo compromisso essencial da escola cristã, que necessariamente deve acompanhar o primeiro, é o compromisso com o desenvolvimento intelectual do aluno. Logo, o serviço da escola cristã, exatamente por ser escola, deve enfatizar o desenvolvimento intelectual de seus alunos, para a glória de Deus. Escolas cristãs não podem ter apenas “fachada” de escola e promoverem uma educação desqualificada. A boa escola cristã deve buscar em todas as áreas de sua atuação a excelência acadêmica. Deve ficar estampado no ensino da escola cristã o fato de que ela não está ai simplesmente “servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus.” (Ef 6.6)

Em terceiro lugar, a escola cristã deve buscar a excelência entre os Educadores Cristãos. A questão é muito simples: educação cristã, na sua essência, é feita por seguidores comprometidos com Cristo. Só o educador cristão pode entender e implementar os dois princípios acima de maneira completa.

É também fundamental que a escola cristã promova as experiências de aprendizado com o fim de que seus alunos alcancem o seu pleno potencial em Cristo, preparando o educando para uma vida de serviço cristão, compreendendo as suas responsabilidades com os pais, família, autoridades, nação e a criação de Deus como um todo. Procure saber se a escola busca envolver seus alunos no discipulado e se há uma preocupação de que as atividades curriculares apontem para o desenvolvimento do aluno.

Uma última questão a ser analisada é a Integridade Operacional. A escola cristã precisa ser conhecida pelo mais alto padrão de justiça e verdade em todos os seus processos administrativos. É uma incoerência para a comunidade e para o próprio aluno que sua escola cristã seja motivo de desconfiança em meio à sociedade. A integridade operacional da escola cristã precisa ser clara desde a sala de aula até os níveis mais altos de sua administração.

Onde se encontra esta escola? Creio que não a encontraremos na próxima esquina e nem tão próximo de nosso tempo. No entanto, existem escolas cristãs que estão buscando estas coisas e nós, como pais, devemos procurá-las e incentivá-las. Ainda mais, deve ser sonho de pais e educadores cristãos buscarem e sonharem em construir esta escola. Peço a Deus que dê a muitas igrejas, conselhos e pastores a visão de começarem escolas legitimamente cristãs junto a suas comunidades.

Um dos recentes projetos em que eu e Solano temos trabalhado (junto com uma crescente equipe) é na criação de um sistema de ensino que parte de uma cosmovisão cristã.

Recursos:
Conheça o site da ACSI - Associação Internacional de Escolas Cristãs
Conheça o site da AECEP - Associação de Escolas Cristãs de Educação por Princípios

Livros:

  • Educação Cristã? Solano Portela (FIEL)

  • Livros publicados pela ACSI-Brasil:
  • Fundamentos Bíblicos e Filosóficos da Educação
  • Fundamentos da Psicologia da Educação
  • Fundamentos Pedagógicos
  • Enciclopédia das Verdades Bíblicas - Fundamentanção para o Currículo Escolar Cristão
  • Sala de Aula, Disciplina e Gestão
  • Introdução à Educação Cristã - Perry G.Downs - Ed.Cultura Cristã

  • Sobre a formação de uma cosmovisão cristã:
    • Todos o livros de Francis Schaeffer, principalmente a 'trilogia': O Deus que Intervém, Morte da Razão e O Deus que se revela. Também, Como viveremos e Morte na Cidade.
    • Verdade Absoluta (uma tradução infeliz do título original -Total Truth) - Nancy Pearcey - CPAD
    • Alma da Ciência - Nancy Pearcey & Charles Thaxton - Cultura Cristã
    • E agora, como viveremos? - Charles Colson & Nancy Pearcey - CPAD
    • O Universo ao Lado - James Sire - Editorial Press
    • O Cristão e a Cultura - Michael Horton - Cultura Cristã
    • Fundamentos Inabaláveis - Normal Geisler / Peter Bocchino - Editora Vida
    • Crer é também pensar - John Stott - ABU

    Mauro Meister

    Postado por Mauro Meister.

    Sobre os autores:

    Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

    O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

    O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

    24 comentários

    comentários
    tripoco
    AUTOR
    26/10/06 13:10 delete

    Muito bom este artigo agora deixe me fazer uma pergunta para o Meister quais os requisitos necessarios para um professor de uma escola dessas ????

    e a estrutura é mudada tipo entre evolução e criação é ensinada a criação nao teria nenhum problema do ponto de vista legal pois falao como ignorante pois nao sei se este tipo de ensino é regulamentado no país

    bom fico por aqui

    Responder
    avatar
    26/10/06 13:54 delete

    Rev. Mauro,

    Essa escola não deveria ser o Instituto Presbiteriano Mackenzie? Ela, por ser gerenciada pela IPB, não deveria ter esse objetivo maior?

    Obrigado pelo excelente post e pelo alerta quanto à educação das nossas crianças.

    Abraços

    Responder
    avatar
    JP
    AUTOR
    26/10/06 14:24 delete

    Olá Mauro

    Infelizmente até os cristãos se esqueceram do papel na educação no desenvolvimento pessoal, principalmente no que tange a consciência...




    Abraços
    JP

    Responder
    avatar
    26/10/06 15:18 delete

    Prezado tripoco (estranho nome... é de origem zulu?)

    O perfil do professor desta escola é que, idealemente, seja cristão, mas, não só isto, seja um cristão que aprendeu a associar a sua crença com sua prática, ou seja, trabalha e ensina a partir de uma cosmovisão cristã (isto se aplica a todas as áreas do conhecimento). Outra característica é que, não sendo cristão, seja bom profissional e atenda à missão da escola onde ensina, uma questão de profissionalismo!

    Quanto ao conteúdo do ensino, qualquer disciplina ensinada deve obedecer aos contéudos programáticos estabelecidos pela lei brasileira. Logo, é impossível não ensinar a teoria evolucionista em seu formato darwinista pq faz parte deste conteúdo e vai ser exigido do aluno em algum momento (vestibular, por exemplo). A diferença é a forma como será ensinada e o conteúdo complementar que será ensinado. Isto se aplica a línguas, geografia, históra, física e etc. A própria lei brasileira assegura o direito da escola ensinar 'confessionamente'.

    Prezado André,

    Esta escola deveria ser toda a escola que clama para si o nome de 'escola cristã'. Infelizmente, no Brasil, as escolas cristãs perderam sua ênfase confessional e assimilaram a forma e o conteúdo do ensino secular. Até mesmo se fala se fala em educação cristã (escola dominical) e educação secular (escolas).

    Estamos na luta...

    abs
    Mauro

    Responder
    avatar
    tripoco
    AUTOR
    26/10/06 17:06 delete

    e por parte das escolas cristãs já existentes voçê acredita que estejam desempenhando esse papel já hoje ou pelo menos estão trilhando o caminho certo ??

    tripocó
    nao é de origem zulu nao é um apelido apenas

    Responder
    avatar
    Anônimo
    AUTOR
    26/10/06 22:36 delete

    Excelente artigo! Agradeço pela solução da publicação completa do Feed o qual o Augustus configurou. Está funcionando excelentemente, tenho a mensagem completa no meu computador, somente necessitando acessar o site para realizar algum comentário.... Obrigado!!!
    E quanto a Escola Cristã, sei que não é uma realidade nacional mas em alguns polos educacionais já existem tais escolas....
    Foi o que observei quando mudei minha residência para Campinas. Aqui existem no mínimo duas escolas cristãs (evangélisca). Com certeza não é o ultimo termo em educação cristã, conforme abordado, todos estamos amadurecendo a idéia de educação cristã. Ainda há a necessidade de aperfeiçoamento constante até o amadurecimento pleno, a ponto de adotar-se livros tipicamente cristãos para todas as matérias. Atualmente, a escolha fica a cabo do professor, que pode trabalhar um livro tipicamente neutro ou cristão. Digo isso porque minha esposa é professora de português numa destas escolas e os alunos são convidados a "respirar uma atmosfera cristã" diariamente, com devocionais para o início de todas as aulas, oração e é claro, o exemplo cristão passado pelos educadores.
    Quando referi-me a "respirar uma atmosfera cristã" o fiz porque os únicos que realmente tem que ser cristãos são os professores, educadores e trabalhadores. Estes são avaliados pelos seus pastores sobre sua contuda para continuar a ministrar aulas no próximo ano letivo.... Os alunos são um conjunto heterogêneo de todas as crenças possíveis. Se Deus quiser quem sabe, não estamos fazendo a diferença?
    Estão caminhando,..., com certeza, ..., mas como o Solano e o Mauro já disseram, sempre podemos melhorar, existem ótimos livros didáticos a serem lidos, selecionados e ministrados sobre os alunos e suas vidas...
    Basta após darmos o primeiro passo, realizarmos o seguinte, rumo ao alvo...
    Um abraço a todos....

    Responder
    avatar
    26/10/06 23:19 delete

    Caro Reverendo,
    Este assunto é de grande importância. "A preocupação de Calvino com a educação direcionava não somente para a natureza da educação, mas para o propósito da mesma, ele tinha a preocupação de cuidar das crianças, para que elas fossem devidamente instruídas na religião cristã, pois ele 'acreditava na religião inteligente, fruto do intelecto, tão bem como das emoções' e insistia que 'a ignorância é a mãe da heresia'. Ele (Calvino) também via que Igreja era mais do que uma comunidade de fé e de adoração a Deus, ele a via sendo uma escola onde se aprende e que o mestre era o Espírito Santo de Deus num sentido real e prático. Não havia aquela separação entre o ensino, vamos denominar este ensino como sendo 'ensino secular', do ensino religioso, pois todo o ensino visava, ou seja, visa o aperfeiçoamento do homem para sua vocação, onde esta vocação tem por finalidade atingir o mais alto propósito da existência humana que é a Glória de Deus. Encontramos, também, na história que a reforma foi à primeira na popularização do ensino e na abertura de escolas populares. 'Igreja e Escola de mãos dadas no grande propósito de bem servir o homem e glorificar a Deus'". Percebo de fato e concordo que não é fácil encontrar uma escola cristã. Será que as Igrejas, principalmente as reformadas, não estão em falta pelo fato dessa escassez de Escolas Cristãs? Por que muitos ministros (reformados) não atentam para esta tão grade responsabilidade?
    Um abraço e parabéns pela matéria.

    André

    Responder
    avatar
    27/10/06 00:12 delete

    Rev. Mauro,

    Saudações com a paz e a graça de nosso Senhor!
    Ótimo artigo.
    Fiquei intrigado com sua referência no post quanto a "uma tradução infeliz do título original". A tradução é ruim mesmo ou o é só quanto ao título?

    Ainda, sobre didática e metodologia de ensino o Prof. indica alguma bibliografia, mais especifica, além de Comenius e os livros da AECEP e todos os já citados? Além do Solano, hehehe, mais algum texto mais especifico anti-construtivismo?

    Um grande abraço,
    Em Cristo

    Dilsilei Monteiro

    Responder
    avatar
    Nagel
    AUTOR
    27/10/06 08:50 delete

    Obrigado pelo artigo. Enriquecedor.

    Nagel.

    Responder
    avatar
    silvia
    AUTOR
    27/10/06 11:27 delete

    Rev. Mauro, muito oportuno seu texto!

    Lembro que há 12 anos atrás, quando ainda estava em dúvida em qual seria meu ministério dentro da igreja (pois havia aquela idéia equivocada que somente o ministério da música no culto era considerado de "elite"), comecei fazendo aquilo que mais gostava e era minha atividade secular: lecionar.

    Nesses anos muita coisa mudou. Hoje sou defensora de uma "Pedagogia Reformada". Inclusive, esta cosmovisão reformada, tem influenciado fortemente minha prática pedagógica secular.

    É uma pena que temos poucas escolas confessionais (principalmente reformadas). Hoje uma pequena parcela da população de nosso país pode escolher e pagar um ensino de qualidade.

    A maioria tem seus filhos matriculados em escolas públicas (estaduais e municipais), onde nossa legislação educacional sugere a Progressão Continuada em Ciclos (ou promação automática), o Construtivismo (ou Destrutivismo)como principal teoria educacional e por aí vai.

    Nossa política educacional acarretou uma inversão de valores sociais: os pais escolhem as escolas não pela qualidade do ensino, pela capacitação de seus professores ou dos recursos que ela oferece. E sim, pelos "binifices" como leite, bolsa-escola, bolsa-família, uniforme, material, merenda etc.
    Basta constatar que o político que obteve mais votos como deputado federal em São Paulo, foi justamente o que introduziu o programa do "leve leite" quando era prefeito.

    Como dizia minha ex-coordenadora:"estamos dando o peixe ao invés de ensinar a pescar".

    Bem...o assunto vai longe! Gostaria também de sugerir a leitura do livro "O Conceito de Teologia e Pedagogia na Didática Magna de Comenius - Rev. Edson Pereira Lopes, Editora Mackenzie" e o livro do próprio Comenius "A Didática Magna".

    Lembrando que Comenius, educador e pastor reformado sistematizou ato de ensinar (institui a profissão de professor), ilustrou os livros, criando assim os livros didáticos como conhecemos hoje, criou métodos e técnicas de ensino (a didática)e condenava os castigos físicos nos alunos. Tudo dentro de uma perspectiva reformada.

    []s

    Responder
    avatar
    Anônimo
    AUTOR
    27/10/06 13:11 delete

    Caro rev. parabéns pela iniciativa do assunto. Fico sempre muito preocupado com uma visão integral na formação dos alunos. Sou professor de 2 escolas católicas e sinto falta de poder me expressar com mais liberdade.
    Mas fica uma pergunta? Será que as escolas cristãs tem realmente um modelo pedagógico para oferecer à educação brasileira? Trabalhei em algumas escolas e a única que eu vi que realmente tem um modelo são as escolas jesuítas. Um modelo completo que envolve professores, funcionários, alunos, coordenações. Nunca vi, até agora, uma escola que realmente aplique princípios totais de pedagogia ( Por exemplo uma escola 100% construtivista)
    Este modelo que o sr. está trabalhando aborda este aspecto?

    Um abraço e parabéns...

    Alexandre H.M. de Almeida

    Responder
    avatar
    27/10/06 16:06 delete

    Prezado Tripocó (interessante este apelido),

    Creio que algumas escolas estão em busca do ideal de Educação Cristã.

    Todo mundo que trabalha na área de educação sabe que esta é uma tarefa que nunca acaba... sempre temos mais alunos, sempre temos mais o que aprender e o que ensinar. Creio que algumas escolas já chegaram a bons patamares e outras estão ainda querendo engatinhar. Mas existe um movimento crescente na área e associações como as citadas no post tem buscado contribuir para isto.

    abs
    Mauro

    Responder
    avatar
    28/10/06 10:20 delete

    Prezado Pensador,

    É verdade... o movimento de escolas cristãs já está presente em muitos lugares, incluindo Campinas. Já fizemos um dos congressos da ACSI ai na cidade, com a participação das escolas locais. Achei interessante a sua frase: "os alunos são convidados a 'respirar uma atmosfera cristã' diariamente".

    Isto é, de fato, muito importante! No entanto, creio que as escolas cristãs precisam ir bem além disto. A atmosfera é importante, o professor cristão é importante e o material didático é importante.

    Existe uma pergunta que precisa ser feita sobre todo esse contexto: a direção, coordenação e professores, ensinam debaixo de uma COSMOVISÃO cristã? Além da atmosfera e material didático, está a grande questão do propósito com que cada disciplina é ensinada e como cada um identifica e promove este propósito. Conheço algumas escolas em Campinas que estão correndo para este alvo, interessadas e desejosas de desenvolver uma cosmovisão cristã que abranja o todo...

    abs
    Mauro

    Responder
    avatar
    28/10/06 10:23 delete

    JP,

    É verdade... mas creio que Deus pode promover grande mudança via educação REALMENTE cristã.

    Nagel, obrigado pelo incentivo...

    abs

    Mauro

    Responder
    avatar
    28/10/06 17:41 delete

    Rev. Mauro,

    Mais uma vez, parabéns pelo trabalho de equipe de vocês em nos trazer assuntos relevantes e contextualizados.

    Uma pergunta: Existe algum orgão cristão de avaliação das escolas? Poderia ser criado algo do tipo até para troca de experiências e discussões que possam abrir tanto às escolas como aos pais temas importantes a serem encarados numa perspectiva bíblica e contextualidada.

    Uma questão: em caso extremo seria aderir à polêmica "educação em casa"? Parece que nossa constituição permite isso, mas dificulta esta possíbilidade. Seria uma solução, talvez, diante da nossa sociedade. O problema disto seria o isolacionismo dos cristãos . Mas quem tem filhos pensa na sua família em primeiro lugar e eu não hesitaria em concordar com esta alternativa se a situação exigisse.

    A Igreja não pode se divorciar da educação, seja a Igreja-Instituição ou a Igreja-Indíviduo-Cristão. Vivemos num Estado laico, mas para nós, o Reino de Deus não se restringe à vida eclesiástica. Bavinck nos dá uma luz: a Igreja não é o Reino de Deus, mas é parte dele - dentre as outras partes, sem dúvidas, a escola é uma delas. Se temos liberdade para ter nossas escolas, esmeremo-nos nisso.

    Responder
    avatar
    28/10/06 20:08 delete

    Pastor Mauro,
    obrigado pelo artigo!

    Creio que os brasileiros em geral e os crentes em particular tem uma visão de mundo "católica", separando o sagrado do profano.
    Uma outra questão é o estado da educação brasileira piorou após a ditadura. Tiraram o Latim das escolas públicas, filosofia e sociologia.
    Além disso,a educação é pragmática e não visa a formação do ser.

    A idéia da educação cristã escolar está sendo um oásis frente a toda essa dificuldade e será de grande benção para o Reino de Deus!

    Que Deus os ajude e de graça em tal tarefa.

    Responder
    avatar
    28/10/06 23:11 delete

    Prezado André,

    É isto mesmo. Os reformadores compreendiam e aplicaram os conceitos de educação integral... ensino para a vida.

    Você pergunta: "Será que as Igrejas, principalmente as reformadas, não estão em falta pelo fato dessa escassez de Escolas Cristãs?"

    Creio que, de fato, existe este descaso. Ministros, conselhos e igrejas deveriam estar 'atentíssimos' à questão educacional, que é, normalmente, tratada com descaso. Isto tem contribuido profundamente para secularização do nosso povo. Poucos conseguem perceber que a escola é a grande fonte de 'paganismo' dos últimos dois séculos.

    "Por que muitos ministros (reformados) não atentam para esta tão grade responsabilidade?"

    Pode ser medo de enfrentar um problema tão grande, desinformação, falta de percepção ou mesmo falta de uma real cosmovisão cristã, que sabe que ao invés de 'almas' o Evangelho ensina a salvação de 'homens inteiros'.

    abs
    Mauro

    Responder
    avatar
    28/10/06 23:39 delete

    Dilsilei,

    A questão da tradução é que ficou ruim mesmo... o título deveria ser 'verdade total' ou 'verdade integral' e nunca, verdade absoluta... o problema é que não perguntaram a autora... E eu cheguei a mencionar isto a membros do corpo editorial, mas não ouviram. Tem, também, alguns termos que não estão bem traduzidos, e.g., 'design', que foi algumas vezes traduzido por 'designio'. Mas, com isto, não quero desestimular a leitura. O livro é muito bom.

    Dos indicados, os três livros da ACSI sobre 'fundamentos' são uma excelente inciação. Tem também um artigo do Solano que foi publicado na Fides, sobre construtivismo... http://www.mackenzie.com.br/teologia/ .


    Prezado Alexandre,


    Você pergunta: "Será que as escolas cristãs tem realmente um modelo pedagógico para oferecer à educação brasileira?"

    Estamos trabalhando nisto. A primeira pergunta, antes desta, é se o cristianismo tem um modelo pedagógico a ser adotado? A minha resposta é sim! Isto não significa o abandono de todas as propostas pedagógicas 'no mercado', mas perguntar o que nestas propostas contrariam os fundamentos do cristianismo. E quando vamos a fundo, vemos que todas elas tem bases epistemológicas que contrariam as Escrituras.

    Resultado: temos que nos debruçar e, com todo o conhecimento atual sobre educação, produzir um sistema cristão. Muitos tem trabalhado nisto. Temos adotado um modelo congnitivo-interacionista, entendendo que é o que mais se aproxima e mais facilmente se adapta aos pressupostos cristãos.

    Com certeza não aplicamos a teoria construtivista, principalmente pelos pressupostos da teoria (a base do pensamento autônomo não é mais do que um conceito de idolatria). Reconhecemos, no entanto, alguns beneficios que algumas idéias construtivistas trouxeram para educação como a interação, respeito a individualidade, importancia da do grupo na educação e etc. Não quero ir além disto na discussão, mesmo pq. começa a fugir do meu campo (recomendo a leitura do artigo do Solano).

    abs
    Mauro

    Responder
    avatar
    28/10/06 23:54 delete

    Prezado Charles,

    Você pergunta: Existe algum orgão cristão de avaliação das escolas?

    Estamos trabalhando na ACSI com programas de capacitação docente e, no futuro, queremos oferecer, com em outros países, um programa de certificação de escolas cristãs. A ACSI não impõe uma filosofia cristã específica de ensino, mas analisa e avalia o estado geral de uma escola de acordo com os pontos listados no artigo.

    A ACSI serve como um fórum nos seus congressos anuais e nos encontros de diretores. Promove, também, atividades entre alunos de escolas associadas.

    Você pergunta: "em caso extremo seria aderir à polêmica "educação em casa? Parece que nossa constituição permite isso, mas dificulta esta possíbilidade."

    Se eu entendi corretamente, esta não é um possibilidade diante da atual constituição brasileira, ainda que seja uma interferência do estado na esfera de soberania da família.

    abs
    Mauro

    Responder
    avatar
    29/10/06 22:45 delete

    Rev. Mauro, fiquei numa dúvida sobre o a traduçao do título do livro. O sr. diz errado no sentido semâtico do inglês ou filosófico? Nao entendi, pois se for filosófico "verdade total ou integral" nao teria a mesma dificuldade? O sr. parece q conversou com a autora. O q ela falou a respeito?

    Responder
    avatar
    1/11/06 16:33 delete

    Olá Francisco,

    Quanto a tradução do título, ficou errado mesmo, no semântico e no filosófico. Verdade Total corresponde ao título em inglês semantica e filosoficamente: o tema do livro é demonstrar que a verdade do cristianismo não é uma verdade particular e íntima, mas A VERDADE de toda a criação...

    abs
    Mauro

    Responder
    avatar
    1/11/06 18:19 delete

    Olá Silvia... desculpe a demora, mas os dias são 'ocupados' por demais.

    Obrigado pelo incentivo...

    Fico muito feliz de saber que, ao contrário do que acontece, o cristianismo faz diferença no que vc faz no mundo ('atividade secular'?!?!). Creio que o professor cristão, como outros profissionais, devem estar sempre conscientes de que seu papel, ensinando ou catando lixo, é o de glorificar a Deus.

    Vc disse: "É uma pena que temos poucas escolas confessionais (principalmente reformadas). Hoje uma pequena parcela da população de nosso país pode escolher e pagar um ensino de qualidade."

    É bem verdade... a educação cristã, ao contrário da educação religiosa, não é um forte movimento em nosso pais. Mas continuamos trabalhando para isto... E ainda temos a educação dada pelo estado, que é supostamente 'acessível a todos', mas que é uma veradadeira religião secularista/humanista.

    Vc disse: "A maioria tem seus filhos matriculados em escolas públicas (estaduais e municipais), onde nossa legislação educacional sugere a Progressão Continuada em Ciclos (ou promação automática), o Construtivismo (ou Destrutivismo)como principal teoria educacional e por aí vai."

    Enquanto no Brasil a grande parte de nossos pedagogo ainda cultua o construtivismo, vários países já descobriram que é uma teoria com imensos 'buracos' que só podem ser preenchido com 'boa vontade de não ver a realidade'.

    Concordo com vc que, a reforma protestante foi um passo importante na mudança da educação no mundo. Temos que 'cavar', reencontrar os princípios e aprender a usá-los em pleno século XXI!

    abs
    Mauro

    Responder
    avatar
    silvia
    AUTOR
    1/11/06 23:37 delete

    Não precisa se desculpar rev., afinal, professor é o último que descansa...rs! E pastor/professor então,deve ter a agenda super apertada!

    É interessante esta relação pastor/professor. Ontem no culto do nosso presbitério pelo dia da reforma do século XVI, o rev. Alderi expondo a Palavra de Deus, explicou de forma didática e envolvente esse movimento que marcou a História.

    Curiosamente, ontem (31/10)no calendário letivo é o dia do saci-pererê...

    O senhor tem razão, todas as nossas atividades são para honra e glória do nosso bom Deus!

    Ainda ontem, quando o rev. Alderi citou Calvino e a Academia de Genebra e que hoje é a Universidade de Genebra, lembrei que foi lá que Jean Piaget trabalhou e formou toda a sua teoria cognitivista, sendo chamado o "pai do construtivismo".

    Não podemos esquecer também daqueles educadores humanistas e muitos simpatizantes da teologia da libertação que complicaram mais ainda a situação da educação em nosso país. Um famoso educador brasileiro e ex-pastor, é aliás considerado na comunidade dos professores no Orkut, como um dos principais responsáveis pela desvalorização do professor!

    Esse mesmo educador, em uma material publicada pela Folha de São Paulo, trouxe um modelo de escola portuguesa, onde não há provas,salas de aula, os alunos escolhem o que querem fazer e aprender. Depois da QUEDA fico imaginando como deve ser esta escola...

    E para o educador brasileiro "é a escola que ele sonhava, sem imaginar que ela existia...".

    Rev., um forte abraço, um bom feriado e merecido descanso.

    Silvia

    Responder
    avatar
    Kim Salles
    AUTOR
    11/11/06 18:10 delete

    Caro Rv. Mauro,

    Parabenizo-o pelo artigo! Cita, realmente, as principais características de uma escola cristã.
    Sou estudante, agora concluindo o Ensino Médio, e já estudei em escolas supostament cristãs, pois não conseguiram sequer ser.
    Moro em Manaus e aqui sofremos com um currículo escolar em ordem diferente da maior parte do país e com a falta da verdadeira pedagogia. Munidas essas duas características a uma monovisão na matéria Educação Cristã, a maioria das escolas "cristães" passam a ter três problemas, sendo essa matéria o último.
    Dessa forma, trabalham a Palavra do Senhor como mais um composto no currículo escolar, ao invés de deixá-La no centro das perspectivas. Os alunos passam a enxergar não percebem o Senhor diariamente na Bilogia, Física, Química, etc., mas uma vez por semana somente em discurssões cheias de achismos.
    Os professores não são cristãos e, na maioria, são contra a própria idéia da educação cristã escolar, rudicularizando-a.
    Sofri bastante devido tais fatores, pois sempre percebi que a ideologia defendida pelas escolas onde estudei não passava de fachada, escondendo a falta da oração, da Palavra do Senhor e da família.
    Agradesço ao Senhor Deus que levantam cristãos, como o senhor, que lutam por tal modelo de educação.

    Responder
    avatar