sexta-feira, novembro 07, 2008

Augustus Nicodemus Lopes

Crente Fica Doente?

Creio em milagres. Creio que Deus cura hoje em resposta às orações de seu povo. Durante meu ministério pastoral, tenho orado por pessoas doentes que ficaram boas. Contudo, apesar de todas as orações, pedidos e súplicas que os crentes fazem a Deus quando ficam doentes, é um fato inegável que muitos continuam doentes e eventualmente, chegam a morrer acometidos de doenças e males terminais.

Uma breve consulta feita à Capelania Hospitalar de grandes hospitais de algumas capitais do nosso país revela que há números elevados de evangélicos hospitalizados por todos os tipos de doença que acometem as pessoas em geral. A proporção de evangélicos nos hospitais acompanha a proporção de evangélicos no país. As doenças não fazem distinção religiosa.

Para muitos evangélicos, os crentes só adoecem e não são curados porque lhes falta fé em Deus. Todavia, apesar do ensino popular que a fé nos cura de todas as enfermidades, os hospitais e clínicas especializadas estão cheias de evangélicos de todas as denominações – tradicionais, pentecostais e neopentecostais –, sofrendo dos mais diversos tipos de males. Será que poderemos dizer que todos eles – sem exceção – estão ali porque pecaram contra Deus, ficaram vulneráveis aos demônios e não têm fé suficiente para conseguir a cura?

É nesse ponto que muitos evangélicos que adoeceram, ou que têm parentes e amigos evangélicos que adoeceram, entram numa crise de fé. Muitos, decepcionados com a sua falta de melhora, ou com a morte de outros crentes fiéis, passam a não crer mais em nada e abandonam as suas igrejas e o próprio Evangelho. Outros permanecem, mas marcados pela dúvida e incerteza. Eu gostaria de mostrar nesse post, todavia, que mesmo homens de fé podem ficar doentes, conforme a Bíblia e a História nos ensinam.

1. Há diversos exemplos na Bíblia de homens de fé que adoeceram. Ao lermos a Bíblia como um todo, verificamos que homens de Deus, cheios de fé, ficaram doentes e até morreram dessas enfermidades. Um deles foi o próprio profeta Eliseu. A Bíblia diz que ele padeceu de uma enfermidade que finalmente o levou a morte: “Estando Eliseu padecendo da enfermidade de que havia de morrer” (2Re 13.14). Outro, foi Timóteo. Paulo recomendou-lhe um remédio caseiro por causa de problemas estomacais e enfermidades freqüentes: “Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades” (1Tm 5.23).
Ao final do seu ministério, Paulo registra a doença de um amigo que ele mesmo não conseguiu curar: “Erasto ficou em Corinto. Quanto a Trófimo, deixei-o doente em Mileto” (2Tm 4.20).

O próprio Paulo padecia do que chamou de “espinho na carne”. Apesar de suas orações e súplicas, Deus não o atendeu, e o apóstolo continuou a padecer desse mal (2Co 12.7-9). Alguns acham que se tratava da mesma enfermidade da qual Paulo padeceu quanto esteve entre os Gálatas: “a minha enfermidade na carne vos foi uma tentação, contudo, não me revelastes desprezo nem desgosto” (Gl 4.14). Alguns acham que era uma doença nos olhos, pois logo em seguida Paulo diz: “dou testemunho de que, se possível fora, teríeis arrancado os próprios olhos para mos dar” (Gl 4.15). Também podemos mencionar Epafrodito, que ficou gravemente doente quando visitou o apóstolo Paulo: “[Epafrodito] estava angustiado porque ouvistes que adoeceu. Com efeito, adoeceu mortalmente; Deus, porém, se compadeceu dele e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza” (Fp 2.26-27).

Temos ainda o caso de Jó, que mesmo sendo justo, fiel e temente a Deus, foi afligido durante vários meses por uma enfermidade, que a Bíblia descreve como sendo infligida por Satanás com permissão de Deus: “Então, saiu Satanás da presença do Senhor e feriu a Jó de tumores malignos, desde a planta do pé até ao alto da cabeça. Jó, sentado em cinza, tomou um caco para com ele raspar-se” (Jó 2.7-8). O grande servo de Deus, Isaque, sofria da vista quando envelheceu, a ponto de não saber distinguir entre Jacó e Esaú: “Tendo-se envelhecido Isaque e já não podendo ver, porque os olhos se lhe enfraqueciam” (Gn 27.1). Esses e outros exemplos poderiam ser citados para mostrar que homens de Deus, fiéis e santos, foram vitimados por doenças e enfermidades.

2. O mesmo ocorre na História da Igreja. Nem mesmo cristãos de destaque na história da Igreja escaparam das doenças e dos males. João Calvino era um homem acometido com freqüência de várias enfermidades. Mesmo aqueles que passaram a vida toda defendendo a cura pela fé também sofreram com as doenças. Alguns dos mais famosos acabaram morrendo de doenças e enfermidades. Um deles foi Edward Irving, chamado o pai do movimento carismático. Pregador brilhante, Irving acreditava que Deus estava restaurando na terra os dons apostólicos, inclusive o da cura divina. Ainda jovem, contraiu uma doença fatal. Morreu doente, sozinho, frustrado e decepcionado com Deus.

Um outro caso conhecido é o de Adoniran Gordon, um dos principais líderes do movimento de cura pela fé do século passado. Gordon morreu de bronquite, apesar da sua fé e da fé de seus amigos. A. B. Simpson, outro líder do movimento da cura pela fé, morreu de paralisia e arteriosclerose. Mais recentemente, morreu John Wimber, vitimado por um câncer de garganta. Wimber foi o fundador da igreja Vineyard Fellowship (“A Comunhão da Vinha ou Videira”) e do movimento moderno de “sinais e prodígios”. Ele, à semelhança de Gordon e Simpson, acreditava que pela fé em Cristo, o crente jamais ficaria doente. Líderes do movimento de cura pela fé no Brasil também têm ficado doentes. Não poucos deles usam óculos, para corrigir defeitos na vista e até têm defeito físico nas mãos.

O meu ponto aqui é que cristãos verdadeiros, pessoas de fé, eventualmente adoeceram e morreram de enfermidades, conforme a Bíblia e a História claramente demonstram. O significado disso é múltiplo, desde o conceito de que as doenças nem sempre representam falta de fé até o fato de que Deus se reserva o direito soberano de curar quem ele quiser.

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

35 comentários

comentários
8/11/08 00:26 delete

Caro amigo Nicodemus,
gostei muito da postagem, argumentos bíblicos e históricos. A verdade é que muitos cristãos não compreendem a soberania de Deus!

Abraço meu amigo, que Deus continue lhe usando grandemente na obra do Senhor.
Em Cristo,
Rev. Davi Buriti

Responder
avatar
Fake
AUTOR
8/11/08 02:01 delete

Excelente post. Não tem como negar diante dessa explanação que as doenças ainda estarão conosco até quando nossos corpos forem transformados.

Fico pensando se as esposas desses pastores não fazem pré-natal. Se fazem, entram em contradição, pois isso é para prevenir qualquer doença da mãe e do bebê. Se cressem mesmo, nem faziam isso. Se não fazem, agem com muita insensatez.

Responder
avatar
8/11/08 08:42 delete

Pr. Nicodemos,

O evangelho triunfalista pregado atualmente, em que o homem é "dotado" de superpoderes, traz conseqüências ainda mais danosas a sua vida. Há cristãos correndo de igreja em igreja atrás de bênçãos materiais e curas, e como não ocorrem, eles acabam por se rebelar ainda mais contra Deus (o estado em que se encontram já é de rebelião, de insubmissão à Palavra).
A soberania de Deus não só é incompreendida como desprezada; e muitos descobrem que a pretensa soberania do homem (na qual a fé distorcida é o seu "grande" poder) não passa de uma tolice, e é a prova da sua ignorância quanto à revelação das Escrituras. E esse é o mal: há uma legião de cristãos que desconhecem a Bíblia, e são guiados por outros evangelhos, não o Evangelho de Cristo.
O homem não tem buscado reconciliar-se com Deus, nem reconhecer o seu pecado e rebeldia diante dEle, muito menos, sujeitar-se a Ele, glorificando-O. A busca é pela auto-exaltação, erguer um altar onde a glória é para o homem, em contraste com às Escrituras: "qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado" (Lc 14.11).
Infelizmente, o que se tem visto são homens blasfemando contra Deus, sendo capazes de pecar mais e mais em defesa do próprio pecado.

Responder
avatar
Danilo Neves
AUTOR
8/11/08 13:01 delete

A idéia de que um crente não pode ficar doente é um dos sintomas de uma teologia enferma, contaminada pela ignorância espiritual. Os exemplos da história da igreja e das Escrituras são absolutamente inquestionáveis, reverendo! São provas incontestáveis de que Deus, na eternidade, jamais decretou imunidade a doenças aos seus filhos.

O entendimento do "movimento de cura pela fé" sofre com o paradoxo que ele mesmo criou, pois aquilo que os seus líderes defenderam e defendem nos púlpitos como verdade não se aplicou nem mesmo a todos eles.

Os curandeiros dizem ao que continuou doente: "Faltou fé". Mas Deus diz:

“O SENHOR fez todas as coisas para determinados fins e até o perverso, para o dia da calamidade.” Pv 16.4
“Cântico de Ezequias, rei de Judá, depois de ter estado doente e se ter restabelecido:[...] Senhor, por estas disposições tuas vivem os homens, e inteiramente delas depende o meu espírito; portanto, restaura-me a saúde e faze-me viver [...]” Is 38.9,16.

Dependemos “inteiramente” da vontade de Deus.

Soli Deo gloria.

Responder
avatar
Danilo Neves
AUTOR
8/11/08 13:31 delete

[...]
"Nota-se, também, que o efeito produzido pelos milagres sobre as pessoas era de enchê-los de reverência, e às vezes medo. Diriam: "Temos visto coisas maravilhosas hoje" (Lc 9.43; At 8.13), ou atribuiam o poder a Deus (At 3.12,13; At 4.7-12). Nalgumas das populares reuniões de cura de hoje em dia, no entanto, há risadas e jocosidade. Os líderes até se orgulham disso. Eu diria que a Bíblia ensina que qualquer manifestação do poder de Deus impõe respeito, e exclui qualquer espírito de frivolidade, ou de leveza de atitude"
[...]
(O Sobrenatural na Medicina - D. M. Lloyd-Jones- trecho da palestra proferida em maio de 1971 na conferência anual da Fraternidade Médica Cristã)

Responder
avatar
Joabe
AUTOR
8/11/08 16:12 delete

Rev Augustus,

Graça e paz !

Muito bom artigo. Deveria ser enviada em anexo a carta ao apostolo juvenal para todos os apóstolos e bispos neopentecostais. Infelizmente, não sei se por falta de conhecimento em exegese Bíblica e/ou por arrogância mesmo, muitos interpretam erroneamente Isaias 53, como se o crente nunca pudesse ficar doente(pelo menos um crente de “fé” da visão deles). O Autor pentecostal Hank Hanergraff no livro Cristianismo em Crise (CPAD), fala de alguns casos de pessoas que até morreram por crêem nesse vento de doutrina, por isso acho imprescindível que a Verdade da Palavra de Deus seja pregada pelos homens de Deus. E não deixem que o povo seja alimentado com essas doutrinas perniciosas.
Outra coisa que me deixa chateado é quando esses adeptos do “Movimento da fé”, é quando eles fazem “exigências”, que segundo eles são ao diabo, mas na verdade parece mais uma afronta a Deus. Nós Protestantes, não podemos deixar que a doutrina da Soberania de Deus seja minguada por essas heresias.


Um abraço.

Joabe

Responder
avatar
Anônimo
AUTOR
8/11/08 16:56 delete

Meu caro,

Fico pensado, se não for de doença ou acidente, do que eles morreram, morrem ou morrerão?rsrsrsrs

Por que e do que será que o Kenneth Hagan morreu? Será que foi como Enoque ou Elias? rsrsrsrs
Sobre quem então caiu a capa do Hagan? Será que repartiram e passaram para dois ou três aqui no Brasil? Não quero nem pensar sobre isso.rsrsrs

Abs
Renan
PS: Estamos com saudades. A Valentina tá perto de nascer.

Responder
avatar
8/11/08 17:25 delete

Olá Dr Augustus, tudo bem? Aqui é o David, biólogo pelo Mackenzie, está lembrado? Conversamos, acho que uma vez aí no seu gabinete...

Permita-me uma questão, ainda que seja especulativa, por que não há nenhum relato escriturístico que Jesus tenha ficado doente?

Abraço, Marcos.

PS: Excelente abordagem... um livrinho muito bom sobre o assunto é DOENÇA, de J. C. Ryle (Editora PES).

Responder
avatar
Claudia
AUTOR
8/11/08 22:10 delete

Rev. Augustus,

A bíblia deixa claro que "no mundo tereis aflições".
O cristão que pauta sua vida pelas verdades bíblicas, e não pelas teologias diversas saídas da mente criativa de pastores modernos especialmente os mais foguentos, não tem dúvida nenhuma da soberania de Deus. Inclusive nesta área. Entendo que alguém pode se angustiar diante de uma tragédia, da morte, da separação, da doença. Mas questionar Deus sobre a justiça ou não do cristão adoecer e morrer em função de doença para mim é prova de que o sujeito é tudo, menos cristão. Pois o cristão é aquele que entende que o salário do pecado é a morte, e nós não merecemos nada senão a própria morte.
O que passar disso é graça de Deus.

De modo que eu nunca fiquei confuso antes ao ler um post seu; sua clareza de idéias é uma constante. Mas, isso ocorreu agora.
Perdoe-me mas não consegui alcançar o objetivo exato do post

Responder
avatar
AFH
AUTOR
8/11/08 22:53 delete

O pensamento de que crente não fica doente, e que Deus QUER curar tudo, tem causado até mortes. Tenho conhecimento de alguns casos de crentes que não procuraram atendimento médico em casos de doenças, e até acidentes, e tiveram como consequência a morte do doente, o que não ocorreria se houvesse um tratamento médico adequado.

Responder
avatar
10/11/08 07:20 delete

David, tudo bem?

Sim, lembro-me de você! Sua pergunta é interessante. A resposta mais imediata é que Jesus nunca ficou doente. Se isso se deveu ao fato de que ele era um ser humano normal e saudável, ou se ao fato de que, sendo sem pecado, não podia ficar doente, fica aberto para especulações. Eu me inclino mais para a última. Imagino que sendo as doenças e a morte o resultado do pecado, quem não tivesse pecado estaria livre de ambos. É claro, Jesus só morreu porque estava levando sobre ele os pecados de outros.

Abraços!

Responder
avatar
10/11/08 07:25 delete

Oi, Cláudia,

Para você e outros crentes com sólida formação bíblica, realmente meu post fica sem sentido, pois a primeira reação seria: "puxa, e tem crente que acha que pode ficar imune às doenças se tiver fé suficiente?"

Infelizmente, tem, sim. Há milhares de crentes hoje (a julgar pelos números do movimento neopentecostal) que acreditam que toda doença é resultado de uma ação direta de Satanás ou um castigo de Deus. Em ambos os casos, a oração da fé removerá as doenças, quer rechaçando Satanás, que convencendo a Deus. Portanto, para essas pessoas, um crente doente é a mesma coisa que um crente sem fé.

Assim, o alvo de meu post -- que dessa feita não deve ter ficado tão claro, huaeuhaeuaheua -- era ajudar essas pessoas com informações da Bíblia e da História.

Abraços!

Responder
avatar
10/11/08 10:55 delete

QUE BELEZA DE ARTIGO, PASTOR AUGUSTUS.
PENA QUE OS "CURANDEIROS GOSPEL" BRASIL AFORA NÃO DEÊM A MÍNIMA PARA O ENSINO BÍBLICO A RESPEITO DE CURAS E MILAGRES. ELES ESTÃO INTERESSADOS EM TER A MASSA SOB O SEU PODER, PARA MANIPULAR E TER COMO SE MANTER NA MÍDIA.

UM ABRAÇO.

Responder
avatar
10/11/08 12:04 delete

Prezado dr Augustus
Mais uma vez, seu texto reflete um grito preso na garganta de tantos e tantos cristãos verdadeiros que não aceitam os ventos de doutrina. Peço novamente permissão para usar o texto em meu blog. Sabe o que é pior e me deixa mais triste? É que há hoje em dia, uma geração de pessoas frustradas nas igrejas. Pessoas que não entendem porque "Deus não as ouve". Nos 2 últimos cultos em minha igreja, que está indo por um caminho "triunfalista e de prosperidade" duas pessoas tiveram de ser consoladas, pois "Jesus não as atendia" mesmo que pedissem com tanta fé. E o pior é que não dá para simplesmente dizer: elas não são cristãs por isso estão em crise, pois sim, eram neófitas, e se não tomavam o leite espiritual da Escritura, comeram o bigmac da prosperidade, e agora aguenta a má-digestão! Lembro do Mestre dizer: Ai daquele que fizer tropeçar um destes pequeninos...
Abraços
Alberto M de Oliveira

Responder
avatar
kerux Enteu
AUTOR
10/11/08 17:46 delete

Gostaria de ver a cara de certo "missionário" da TV, que diz nunca, sequer ter ficado gripado (penso que mentiu, poi so vi fanho na TV), se um dia ficar enfermo!
Deus cura sim, mas temos de morrer de alguma coisa, e se for de doença, Glória a Deus; estaremos com Ele.
Meus respeitos e admiração por seu trablho pastor Nicodemus.

Paulo Tomchaca

Responder
avatar
10/11/08 18:40 delete

Rev. Augustus,

Gostei muito do artigo. Realmente, há muitas pessoas decepcionadas com Deus porque ele não atendeu aos pedidos...

O Evangelho da prosperidade é falso e deve ser duramente combatido.

Deixo, a seguir, alguns comentários a respeito de seu artigo.

Creio plenamente no poder de Deus para curar qualquer enfermidade. Mas, creio também, que Ele tem misericórdia de quem Ele quiser...

Não nos cabe questionar os Soberanos desígnios de Deus. Mas, pelo contrário, devemos clamar por misericórdia...

O SENHOR não teve misericórdia e concedeu mais 15 anos de vida para um dos Reis de Israel...??

O que falta para os evangélicos, de um modo geral, é saber ouvir NÃO!

Na minha vida, tenho duas experiências muito interessantes envolvendo meus avôs (paterno e materno), ainda quando criança:

Meu avô materno adoeceu gravemente (na época, tinha apenas nove anos). Meu pai me levava à Escola Dominical, mas eu não levava a sério... A partir da doença dele, comecei a orar!!!

Vovô morreu... Mas, não me revoltei e, pouco a pouco (levou bastante tempo...), tornei-me um Cristão. Considero o marco de minha conversão a morte de vovô.

Cerca de um ano depois, o meu outro avô adoeceu (câncer na região abdominal). Orei e pedi a cura. A cura veio. Vovô viveu mais vinte e um anos e depois morreu de câncer. O SENHOR teve misericórdia e prolongou os dias de meu avô paterno. Por sinal, era um homem crente, que deu um forte exemplo na família, de como ser um Cristão!!!

Conforme já disse, não nos compete questionar ao SENHOR, muito menos duvidar dEle!!! Precisamos de Fé (com efe maísculo) para enfrentar todas as dificuldades da vida, sabendo que o pior que poderia nos acontecer (morrer) já foi solucionado na Cruz do Calvário.

Todas as circunstâncias são passageiras (lembrei do Apóstolo Paulo em Filipenses - cap. 4 - 11 a 13). Nós somos perecíveis e passageiros, tudo o que nos acontece está nas mãos do SENHOR.

Então, por que temer??

Para concluir, gostaria de cumprimentá-lo, bem como aos demais membros do "BLOG" pelo excelente trabalho que tem sido feito e pela oportunidade de se debater temas de extremo interesse para a Igreja.

Cordialmente, receba um afetuoso abraço!!!

Cristiano Pereira de Magalhães

Responder
avatar
JOSÉ DANIEL
AUTOR
11/11/08 02:16 delete

Graça e Paz

Sou membro de igreja pentecostal e compartilho de sua opinião (na verdade sempre tive esse entendimento). Recentemente minha esposa veio a falecer, de uma doença rara (mas que tinha tratamento e grande índice de cura) mesmo após dias de intercessão não só em todas as congregações de nossa cidade como de outras cidades onde havíamos morado. Se fosse por fé, ela nem teria adoecido, se fosse por fé ela teria sido curada diante de tantos intercessores. Como já foi dito, o evangelho trinfalista causa grandes males. Quando nos deparamos com as doenças temos que entender que isso é uma consequência e que Deus pode curar ou não. A minha perda doeu, dói e doerá por muito tempo, mas estou convicto que Deus a recolheu dentro de seus planos e não por falta de fé dela ou de nós.

Soli Deo Glória

Responder
avatar
11/11/08 02:19 delete

Amado Pr. Nicodemus.

A doutrina de uma pessoa sincera define sua conduta. É exatamente isso o que se espera de um cristão maduro. A conduta deste, alicerçada em uma formação bíblica sólida, honrará sua vocação e abençoará sua igreja e os de fora mediante seu testemunho.

O lado negativo desse relacionamento doutrina/prática, ao meu ver, é que é possível haver pessoas sinceramente equivocadas. Assim, irmãos que sinceramente acreditam na doutrina falaciosa esposta pelos líderes do movimento de cura pela fé e sinais extraordinários acabam envolvidos em sérios problemas de ordem prática.

Em pouco tempo de ministério, já pude ver e tratar casos de irmãos vindos de comunidades neopentecostais com profundos ferimentos na alma. Gente decepcioada com Deus e consigo mesma; depressões causadas pela idéia da perda de salvação por conta da falta de fé diante de enfermidades e pela ausência de alguns sinais (línguas) que não "conseguiram adiquirir" (como se pudesse ser conquistado). Gente que se viu sem nada sólido em que se agarrar em momentos em que mais necessitava.

Enfim, o movimento de cura pela fé (diria, até, o movimento neopentecostal) é culpado por produzir pessoas emocional e espiritualmente ENFERMAS, às quais, nós, meros crentes tradicionais, teremos que tratar em nosso gabinete. Nada mais paradoxal!

O evangelicalismo brasileiro anda enfermo. Oro e luto por melhoras!

Responder
avatar
11/11/08 10:37 delete

Caro Alberto,

Permissão concedida, pode publicar esse texto ou quaisquer outros do blog em seu próprio site.

Abraços.

Responder
avatar
11/11/08 11:02 delete

Muito bom

Algumas bibliografias brasileiras e muito sucinta, mas que me ajudaram a lutar contra a doença cujo sintoma é crer que o crente não fica doente: Super Crentes, Evangélicos em Crise de Paulo Romero, Mundo Cristão.
Li sua obra recente: Decepcionados com a Graça que segue a mesma esteira.

São obras simples mas bem úteis.

A paz
Tales

Responder
avatar
Saulo R.
AUTOR
11/11/08 15:43 delete

Olá,

peço permissão para postar alguns post do blog em minha página pessoal.

Obrigado!

Responder
avatar
11/11/08 16:45 delete

Saulo,

Está autorizado.

Abraços!

Responder
avatar
Oliveira
AUTOR
12/11/08 00:27 delete

Oi

Sobre se Jesus teve doença ou não, quando eu leio o texto abaixo, eu penso que sim:

Isaías 53.3 Era desprezado e o mais indigno entre os homens, HOMEM DE DORES, experimentado nos trabalhos e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.

Pois entendo que as "dores" neste texto não se aplicam apenas para dores "existenciais", mas para com dores no seu pacote amplo: dores do sofrimento, dores do corpo, etc...

E a dor não é manifestação de que alguma coisa no corpo está doente?

Se falei bobagem pode me corrigir a vontade.

Até onde vai o significado de "homem de dores" do texto acima?

Um grande abraço.
Esta reflexão última como sempre foi irretocável.

Responder
avatar
Anônimo
AUTOR
6/12/08 18:35 delete

Pr Nicodemus,

Milnha esposa frequentava um denominação neo-petencostal, que como o senhor bem explicou, "acredita" que o crente não fica doente. Porém, minha esposa ficou! Ela cantava nesta denominação, e foi impedida de continuar, pois estava doente.

Ela não vai mais lá por este motivo.

Abraços!!!

Responder
avatar
Anônimo
AUTOR
6/12/08 18:37 delete

Pr. Nicodemus,

Devemos orar, expulsando as doenças em Nome de Jesus?

Abraços!!!

Responder
avatar
17/12/08 00:22 delete

Certamente nobre irmão Augustus continuarei a fazê-lo. Também tenho muito a agradecer-lhe, assim como a Igreja brasileira, por sua grandiosa contribuição na proclamação e preservação da integridade doutrinária das Escrituras Sagradas. Certamente o Senhor o honrara eternamente por esta feita (2 Tm 4.7,8). Obrigado por sua nobre visita e palavras de ânimo.

A Graça e a Paz do Senhor seja convosco. Amém.

Atenciosamente,
Ednaldo Brasileiro
e-mail: guardianfaith@gmail.com.br

Responder
avatar
19/12/08 19:46 delete

John Wimber morreu de Aneurisma cerebral, e não de câncer de garganta como o senhor disse.

Responder
avatar
21/12/08 16:55 delete

Vitor,

Obrigado, você tem razão. Eu confundi-me pelo fato de que ele também sofria de câncer, veja http://www.worship.co.za/la/tribute2.htm.

Veja ainda http://www.pastornet.net.au/renewal/journal5/wimber.html -- Wimber mesmo narra como ficou doente com câncer.

De qualquer forma, obrigado pela correção.

Abraços.

Responder
avatar
jinlin10
AUTOR
27/1/09 02:19 delete

Pr. Nicodemos,

O cristianismo esta enfermo com as afirmações infundadas sobre as curas mediante a fé.
Uma destas causas esta na interpretação erronea de Mt 22:21(corrija-me se estiver errado), uma vez que o texto suprime a explicação de que a vontade suprema pertence a Deus, dando a entender que essa vontade suprema foi transferida para o homem, quando ele tiver fé. Será que há alguém com fé neste momento clamando a Deus pela órbita do nosso sistema solar? ou para que a vegetação de nosso planeta não cesse de fazer a fotossintese?rsssr
Lembro-me de Ex 33:19 e Rm 9:15 onde Deus afirma a Moisés que se compadecerá de quem ele quiser se compadecer e terá misericordia de quem ele tiver misericordia, isso independentemente da fé e das orações de cada pessoa.
Bem, se de fato a pessoa alcança o favor divino por alguma coisa que ela possa fazer, incide sobre Rm 4:2, onde de fato têm de que se orgulhar, mas não diante de Deus como fazem os pregadores seguidores desta "doutrina" .

Parabéns pela tematica.

Responder
avatar
29/1/09 13:26 delete

Paz do Senhor,

Belo post, esclarecedor e cai bem em dias que transforma-se o Evangeho em "trampulim" para alcançar objetivos humanos e não divinos, o que é totalmente desprezível.

Penso que Deus está interessado, em primeiro lugar, na salvação do homem, em sua obediência aos preceitos divinos.A palavra de Deus nos revela que o grande líder Moisés não entrou em canaã por causa da desobediência, isso nos mostra que a santidade Deus independe da conduta do homem, Ele executará o que é reto quer o homem queira ou não. Como foi bem frisado no fim do post, Deus cura quem quiser e também pode recolher outros através de doenças, Ele é Soberano e não podemos entender todos Seus caminhos.

Abraço,

JP

Responder
avatar
Anônimo
AUTOR
22/4/09 22:50 delete

Prezado pastor Nicodemus, parabéns pelo excelente artigo. A experiência comprova que crente fica doente. Mas tenho pensado muito no que estamos vendo pela TV na Igreja Mundial do Poder de Deus. Jesus disse que "estes sinais hão de acompanhar os que crêem" (Mc 16:17). Será que nossa possível falta de fé ou ousadia ou grande precaução impedem que mais curas aconteçam em nosso meio? Em sua opinião, nesse contexto, qual seria o entendimento do "dom de curar" e "operação de milagres" citado por Paulo em 1 Co. 12:9-10?

Responder
avatar
23/4/09 11:35 delete

Anônimo,

Na minha opinião, a declaração de Jesus em Marcos 16.17 tem que ser interpretada à luz do livro de Atos, que narra os acontecimentos que vieram em seguida. E ali aprendemos que somente os apóstolos realizaram os sinais e prodígios prometidos e mesmo assim, nem sempre e nem todos. Não há caso de alguém beber veneno.

Se a promessa de Marcos 16 é geral, isso implicaria em dizer que durante 2 mil anos a Igreja não teve fé, pois esses sinais cessaram após o período apostólico. Seria dizer que os grandes homens de Deus nesse período tiveram uma fé deficiente, o que é um julgamento terrível e uma grande arrogância.

Outra coisa a ser lembrada é que as listas de dons no Novo Testamento não pretendem ser listas exaustivas de todos os dons disponíveis e nem ainda dizer que todos aqueles dons estão disponíveis a todos os crentes em todas as épocas. Apóstolos são mencionados nessas listas, mas não os temos mais. Da mesma forma, é minha opinião pessoal que os dons de curar e de realizar milagres, que estavam ligados à pessoa do apóstolo, foram restritos para aquela época. Não creio que existam hoje apóstolos com dons de curar e realizar milagres. Mas creio que Deus responde às orações e pode curar pessoas hoje, sem que isso represente o dom de curar.

Um abraço.

Responder
avatar
Anderson Paz
AUTOR
28/9/09 07:48 delete

Ótimo texto!

Recentemente eu estava conversando com um irmão que estava passando exatamente por essa crise: "Como pode um discípulo de Jesus viver enfermo?". Tal questionamento surge de uma convicção que é verdadeira: Jesus levou sobre si as nossas enfermidades. Contudo, ignora a realidade que ainda aguardamos a redenção dos nossos corpos. Hoje, as curas que acontecem são apenas sinais do que está reservado para a plenitude do Reino de Deus.

Como seria bom que todos os cristãos compreendesses isso.

Em Cristo,
Anderson Paz

Responder
avatar
6/7/13 11:44 delete

Pastor,
Muito obrigada. Creio que seu artigo consolou a muitos crentes sinceros.

Responder
avatar
23/4/15 01:22 delete

Pr. Nicodemos.

Graça e Paz !!!

Gostaria de saber se um cristão que acredita que Jesus na sua vida terrena, passou pelo processo de doença, mas sem ter pecado, está assim blasfemando contra o Senhor Jesus.
Sabemos que nem todos os casos de doenças e enfermidades são pelo motivo de pecado da pessoa, como exemplo de Jó e do cego de nascença.

Grato pela atenção.

Responder
avatar