domingo, agosto 21, 2011

Vamos esclarecer as coisas!

Os tempos ficarão difíceis, não para a Igreja Evangélica, mas para aqueles evangélicos que:
  • insistirem que a Bíblia é inerrante; 
  • acreditarem que foi Deus que criou o mundo e não a evolução; 
  • afirmarem que o casamento é entre um homem e uma mulher; 
  • declararem que só Jesus Cristo salva e que o Cristianismo é a única religião verdadeira; 
  • acreditarem na necessidade da Igreja; 
  • se recusarem a negar qualquer das posições acima.

48 comentários:

Tania Cassiano disse...

Sim, e aí?
O que é que a gente tem que fazer?
Socorroooooooooooooooooo!
PS: a gente já está no milênio? Pode parecer tolice, mas é vero.
Abs.

dra. Angelica Mansano disse...

Creio q a secularização da Igreja tem ajudado nesse tipo de pensamento.

Mtos dos membros das nossas igrejas [incluindo IPB] não têm noção teológica nem de doutrina, sendo apenas piedosos no sentido do emocionalismo q os coloca ao nível do meramente humano, popular, corriqueiro, ou daquilo q agrada a todas as religiões.

Certa vez Jesus disse q os inimigos são os da própria casa. Mtos falsos profetas e alguns mercenários têm jogado crentes covardemente pra fora do aprisco, apesar destes saberem da necessidade da igreja [Hb 10.25].

Dias piores virão.
Mas os q perserverarem receberão a coroa da vitória.
Peço a Deus q me faça perserverar mantendo os olhos fixos nesse alvo, apesar de tamanha oposição.

angelica.

Francikley Vito disse...

Também acho... Infelizmente!
www.vosbi.blogspot.com

Patty Pimenta disse...

Excelente síntese, Rev.
É isso e ponto!

Danilo Neves disse...

Acho, reverendo, que caberia um ponto sobre a pregação expositiva!

Abraço.

Camila e Barroso disse...

só desta forma Rev. Augustus, com visões radicais do cristianismo iremos criar cristãos fortes para suportar nos últimos dias, visões fracas e que agradam as massas ira criar cristãos que não iram suportar nos últimos dias aos quias creio eu que já estamos. no mundo tão sincretista e pluralista.

jussamenezes disse...

na realidade esta é a visão!

Kleber Teles disse...

Ainda não creio dessa forma. "Os tempos ficarão difíceis" é uma afirmação exagerada. Gostaria que o Dr. Nicodemos descrevesse fatos na nossa realidade evangélica brasileira que apontam para as afirmações, sendo assim, poderíamos pensar e discutir um pouco melhor sobre essas questões, que de fato são relevantes.

Kleber Teles
www.salmoparavoce.blogspost.com

Alex Z disse...

Se a bíblia é inerrante, então o cristianismo não é a religião verdadeira, pois ela diz(Tiago) que a religião verdadeira é socorrer o órfão e a viuva e não se contaminar com o mundo...

dra. Angelica Mansano disse...

Professor

Ana Biederman acaba de me mandar o seguinte artigo sobre esse assunto q saiu em jornal há 2 dias.

Está em:
http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/08/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/940367-evangelicos-fe-longe-do-templo.html#

Q triteza.
Fala de um grupo de mulheres da comunidade Caminho da Graça, em Itapoã, Vila Velha (ES?).

abraços
angelica

Pb. Wanderley Santana disse...

Rev. Augustus, graça e paz!

É certo que a falta desses referenciais expostos pelo senhor são a principal causa da grande aceitação que os "evangélicos" e os televangelistas da atualidade (não todos...)tem tido por parte do mundo.

Um evangelho relativista, imediatista e totalmente desprovido da verdade. Acredito piamente que quanto mais o mundo entender sobre a pessoa de Cristo e sobre sua verdadeira mensagem, muito mais o odiará. E é claro que, se o mundo odiar a Nosso Senhor, o mesmo ocorrerá conosco.

Um abraço fraterno!

Washington Luiz disse...

Caro Reverendo,
estou de pleno acordo, continuar acreditando nessas cousas e manter-se fiel a tudo isso será o grande desafio e a grande provação para os salvos alcançarem a coroa da vitória.
Penso que a Igreja será a fortaleza, aonde os santos terão que se refugiar e se reunir, fortalecendo-se principalmente com a Palavra e com a Oração.
É preciso manter firme o desejo de que a Igreja (ai digo a "Instituição") deve ser preservada e valorizada.Em algumas de nossas igrejas (IPB); falemos então da nossa,quando se estuda na EBD uma lição especificamente sobre Igreja e, notadamente vemos que se trata da Instituição, alguns líderes desvirtuam o assunto focando na pessoa do indivíduo.Ninguém discute o papel do indivíduo como "Igreja que é" como "Templo do Espírito Santo", mas uma coisa é diferente da outra.A Fortaleza tem que ser mantida em pé.Observo inclusive que, para muitos é mais fácil se declarar-se Flamenguista (e eu sou, mas não é o meu caso) do que dizer que é Presbiteriano.
Sabemos que os tempos são outros e as cabeças pensantes (não digo aqui, algo relacionado a doutrina etc...)dentro das Igrejas aumentaram e, essas pessoas da mesma forma que cobram respeito, conduta e transparência na sociedade,esperam ter também na Igreja ( nas coisas de DEUS ) a mesma coisa.Infelizmente, isso nem sempre acontece, comprometendo e desacreditando essa que será num futuro talvez não muito distante a "casamata dos bravos guerreiros do Senhor" .
Precisamos, não de uma nova reforma ( se assim entendermos, “uma nova reforma” iremos admitir que estamos crendo ( o legado deixado pelos reformadores) em algo que ou foi mal interpretados por aqueles homens ou devido as circunstâncias atuais não mais nos atende.Precisamos simplesmente, realmente cumprir o que já é determinado em nossa Constituição e termos mais coragem de sair as ruas e dizer que JESUS está chegando.Afinal, Igreja no grego não significa “ chamados para fora ? “.
Graça e paz ,
Washington Luiz.

Sandro disse...

Bem esclarecido. É isso mesmo. Parabéns!

sandro barcelos disse...

rev,, isso so prova que há muita gente com aparcecia de cristão mais com coraçao e mente de pagão.

rev,, eu tenho me dedicado muito ao estudo das profecias biblicas pricipalmente a de 2 timoteo 3:1a5
onde está prevista a chegada de uma geraçao perversa eu acredtio que sociologicamente falando essa gerçao começou a ser formada depois da 2º guerra mundial e agora estamos vendo o climax desta geraçao apostata o que voce pensa disso? gostaria de saber e aprender se estou errado

sandro barcelos
maranata!!

sandro barcelos disse...

eu guando li isso hoje de manha cedo,,, fiquei com um turbilhão de sentimentos e pensamentos ,, uma misturas de coisas dentro de mim tipo adimiraçao e espanto , alegria e ansiedade,,segurança e medo,, por que ? um dia ainda quando era criança tinha meus ideais , sonhos com o futuro de minha geraçao dentro da igreja,, mais hoje vejo que sou um entre outros sobreviventes da ortodoxia biblica,,,e quando li isso hoje fui as lagrimas e senti mutia coisa em relação o que relmente nos espera o amanha

que Deus nos ajude

sombras do apocalipse e tempos tempestuosos para a igreja de cristo

sandro barcelos

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Meu caro Alex Z,

"Se a bíblia é inerrante, então o cristianismo não é a religião verdadeira, pois ela diz(Tiago) que a religião verdadeira é socorrer o órfão e a viuva e não se contaminar com o mundo..."

O Cristianismo é exatamente isto. E onde os cristãos não se comprometem com estes valores, não se trata de verdadeiro Cristianismo.

A falha de alguns cristãos não acarreta falha na Bíblia.

Abraços.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Kleber Teles,

"Ainda não creio dessa forma. "Os tempos ficarão difíceis" é uma afirmação exagerada. Gostaria que o Dr. Nicodemos descrevesse fatos na nossa realidade evangélica brasileira que apontam para as afirmações, sendo assim, poderíamos pensar e discutir um pouco melhor sobre essas questões, que de fato são relevantes."

Sempre corremos o risco de fazer afirmações exageradas, é verdade. Mas não creio que seja o caso desta afirmação minha em particular.

1) É uma declaração bíblica: todos os que quiserem viver piamente em Cristo Jesus sofrerão perseguição (2Tim 3:12).

2) Outra: "nos últimos dias virão tempos difíceis" (2Tim 3:1-5).

3) No Brasil, cresce a influência do Estado laico nas instituições particulares, extrapolando suas competências e legislando sobre moralidade e outras questões.

4) A mídia é decididamente anti-cristã e anti-evangélica no Brasil.

5) Na Europa as denominações históricas já capitularam nestes pontos e o processo geralmente é imitado nos Estados Unidos e depois no Brasil.

Um abraço.

fisio disse...

É verdade, pastor. Em minha própria igreja (IECLB) já começo a me sentir desconfortável com a frequência no uso de palavras como 'inclusão'. Ora, o corpo de Cristo sempre foi instado a acolher o perdido. Falar agora de inclusão é chover no molhado. A menos que exista (e existe!) uma agenda insidiosa por trás. Lamentavelmente as igrejas estão pouco a pouco seguindo a cultura mundana politicamente-correta. A mesma igreja que usa e abusa da palavra inclusão, abertamente se referindo aos perdidos (mas pouco falando da necessidade de arrependimento!) postou em seu site um parecer sobre a ordenação de homossexuais praticantes ('praticantes' estava lá mesmo), dizendo que 'a igreja ainda não estava preparada para lidar francamente com essa questão.
Ou seja, a IECLB claramente recua de uma rejeição contundente do homossexualismo. Ordenar pastores gays praticamente parece ser questão de tempo.
Ou alguém acha pura coincidência ouvir 'inclusão' ad nauseam em seus cultos hoje?
O terreno está sendo preparado.
Triste!
Mas tal fato se costumando, não hesitarei em me desvincular dela.
Romanos 1 mostra que a prática homossexual é um tipo de punição divina sobre os incrédulos.
Ordenação de gays praticantes É O FUNDO DO POÇO, a marca de uma igreja apóstata.

Fábio disse...

Creio que ajuda a perceber que a nossa sociedade não está firmada em bases cristãs (não falo, necessariamente, de teocracia), mas pelo menos podemos perceber que não há nenhuma vaga memória de absolutos instrinsecos ao Cristianismo, como a verdade, o referêncial de Deus criador e Senhor e o ser humano como criado à imagem e semelhança dEle. Os objetivos, incluindo dentro da Igreja, tem sido por paz pessoal e prosperidade crescente, e, vale qualquer coisa para garantir estes direitos. Olhe para alguns países da América Latina e veja como eles toleram despotas, mas justificam-se pelas promessas ou melhorias pragmáticas. Importa para nós no Brasil (pensando nas escolhas eleitorais) um governo ético e com princípios ou um que mantenha o status quo e melhore a qualidade de vida do povo? Qual o preço que estamos dispostos a pagar? Permaneceremos calados enquanto se constrói uma sociedade em bases historicamente (e progressivamente) humanistas-manipulantes-alienantes e pós-cristãs?

Tania Cassiano disse...

Ah! Entendi, hehhehe, e concordo plenamente.
Abs.
PS`:às vezes sou meio lerda.
Abs.

Camila e Barroso disse...

Rev. sei que o artigo não trata desse assunto Rev. Augustus, mas por favor responda-me, muitos pastores falam que a riqueza é perigosa, e as escrituras falam disso muito antes deles falarem, em I Timóteo 6:9 e 10 - Os que
querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os
homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas
pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos, mas a realidade que muitos pregam sobre o perigo das riquezas e detém uma vida luxuosa, não sou contra a um pastor viver bem financeiramente sei que o pastor é digno de dobrados honorários, principalmente a aqueles que se afadigam na palavra de Deus e São mestres, mas isso não mostra uma certa incoerência, pastores vivendo de forma regala enquanto a comunidade passa por necessidade, não sei se fui tão claro, mas por favor descora um pouco sobre esse assunto Rev. é um erro crescer financeiramente como isso pode se tornar errado ajude - me.

Camila e Barroso disse...

desde de já agradeço pela resposta Rev. Augustus, e desculpe se a pergunta foi boba. abraço

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Camila e/ou Barroso,

É fato que a Bíblia adverte contra o amor ao dinheiro, a cobiça, a avareza, a dissolução e o desperdício. Todos os pastores deveriam pregar sobre isto.

Eles também deveriam pregar que Deus pode eventualmente abençoar alguns de Seus filhos com segurança e conforto financeiro. Neste caso, estes irmãos deveriam lembrar que não podem colocar sua esperança nas riquezas e que devem contribuir abundantemente para os pobres e necessitados e para a obra de evangelização no mundo.

Não é pecado ser rico. Abraão era rico, bem como Jacó, Isaque, Nicodemus, e muitas das mulheres que seguiam Jesus e o assistiam com seus bens. Pecado é a arrogância,a avareza e colocar a confiança no dinheiro e desprezar o pobre.

Pastores que enriquecem de maneira vergonhosa, às custas da ignorância e da credulidade do povo são lobos devoradores e haverão de dar contas a Deus.

Um abraço.

Oliveira disse...

risos...

Gostei da lista.
Em todas as épocas de certa forma foi mais ou menos assim.

Mas dias melhores virão.
Eu sou pós-milenista...
risos...

Inclusive interpreto Timóteo nesta passagem de forma bem diversa.

Me sinto desafiado.

Sinceramente o cenário do passado me aterrorizava mais: Cortados ao meio, queimados vivos, fome, sede, em cavernas, sem vestimentas, jogados aos leões, etc...

Vamos continuar afirmando:

Inerrância, criação, casamento hetero, verdade cristã, igreja, etc...

O sal é meio sopinha aguada, mas é um salzinho ainda.

Eu que nasci e fui criado na... sei que é possível ser todo errado em quase todas as doutrinas e mesmo assim ser verdadeiramente convertido, logo... nem tudo está perdido.

Deus ainda é por nós.
Não há o que temer.

E se eu estiver errado sobre o pós-milenismo, ainda assim prefiro viver de forma otimista pensando que posso fazer algo para que os tempos melhorem e que a igreja viverá melhores dias.

Quem sabe?

Reuna todo mundo do Makenzie e coloque no planejamento estratégico:

- Onde houver coca-cola, e uma IEAD, lá teremos uma unidade do Makenzie ensinando a garotada os valores do Reino.

- Meta para 2020... risos...

Grande abraço!

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Oliveira,

Sim, em todas as épocas foi mais ou menos assim, às vezes mais e às vezes menos. Houve períodos de grandes bênçãos e largueza para a Igreja mas outros de grande opressão e dificuldade. Que os cristãos debaixo da cortina de ferro e de bambu o digam.

É um destes períodos de grande dificuldade que diviso no horizonte brasileiro, não para toda a Igreja, mas para aqueles que dentro dela tomarem posição firme nestes pontos mencionados e outros. E, é claro, espero estar errado na minha avaliação.

Não quer dizer que é o fim da história - até pode vir a ser - mas um daqueles vales sombrios pelos quais Deus, historicamente, tem permitido que seu povo passe.

Seu otimismo é invejável, embora calcado numa visão escatológica sem muita fundamentação, que é a pós-milenista. Mas... é melhor que dispensacionalista, com certeza!

Não se trata de Deus ser por nós. Ele era pelos apóstolos e todos morreram de maneira trágica. Ele era pelos cristãos pós-apostólicos e isto não evitou Nero, Domiciano e outros de torturarem e matarem milhares deles.

Outra coisa, não são somente os otimistas que fazem alguma coisa no presente para aliviar o atual sofrimento das pessoas - mesmo não sendo otimista quanto ao futuro todo cristão continua tendo a obrigação de amar a seu próximo como a si mesmo e ajudar os necessitados.

Grande abraço!

o tempo e a igreja "reflexões Reformadas" disse...

Caro Rev. Augustus
Recentemente escrevi algo parecido no meu blog, e aqui volto a repetir.

Se em um tempo não tão distante, cristãos verdadeiros viraram luzeiros para iluminar as trevas de uma geração perversa. Acredito que num futuro não tão distante,a churrasqueira dos perversos será acesa novamente.

Bom , aqui em casa já somamos três espetos.

"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim." (Gálatas 2 : 20)

Camila e Barroso disse...

obrigado pela resposta Rev. Augustus,
gostei da lista, RISOS...

Tania Cassiano disse...

Pastor,
O sr. tem paciência!
Aff!

Oliveira disse...

Querido Reverendo Augustus

Voltei... Não resisti... risos...

Gostei da sua gentileza para comigo em ventilar que poderia ser mais um daqueles períodos de grande dificuldade... Nisto concordo plenamente.

De fato deve ter sido bem difícil ter sido pós-milenista durante a primeira e segunda guerra mundiais.

"Morri de rir" quando li "... embora calcado numa visão escatológica sem muita fundamentação...", mas como disse alguém "data máxima venia"...

Me permita mais um surto de otimismo e já me despeço, mas como tenho tido repetidas vezes em outro blog de um amigo, o Reino começou com 12 depois 70 depois 400 depois 3000 depois milhares hoje milhões e no futuro quiçá bilhões e chegará um tempo em que serão tantos quanto as incontáveis estrelas que Abraão não conseguiu contar e tantos quanto as areias do mar, de tal forma que como as águas cobrem o mar o conhecimento do Reino cobrirá toda a terra e então em sua plenitude se cumprirá a profecia que diz que todas as famílias das nações se converterão ao Senhor.

Concordo com o senhor que passaremos por um período difícil, mas em perspectiva a coisa promete.

Com grande amor, respeito e admiração pelo senhor, me despeço.

PS1: Vou te mandar por e-mail uma lista de notáveis pós-milenistas... He, he, he, he...

DC. ADRIANO TAVARES disse...

Saudações!!
O que dizer sobre a identidade da igreja!?
Att
Adriano

Augustus Nicodemus Lopes disse...

DC Adriano,

Eu falei em "necessidade da igreja", isto é, a necessidade de termos as igrejas locais organizadas onde celebrar os sacramentos, ouvir a palavra e exercer a disciplina bíblica. equivale ao que diz o Credo Apostólico, "Creio na santa igreja, universal".

Orlando disse...

Querido irmão Nicodemus segue aqui um complemento que julgo relevante de sua resposta ao Alex Z e demais provocadores de plantão:

Me parece que muitos tem achado que o mais importante no cristianismo são as boas obras e textos isolados como os de Tiago são apresentados. Assim despreza-se por completo outras condições muito mais importantes dentro da fé bíblica como p.x. as verdades doutrinais/teológica (1Tm 4; 6), a pregação expositiva/evangelismo (Mc 16.15; 2Tm 4.2), a primordialidade da fé (Hb 11.6; 1Jo 5.10), etc. Isso comumente se percebe em debates com católicos, ou seja, percebendo os mesmos a inferioridade teológica/teórica de sua religião descambam em acusações de uma supósta inferioridade prática evangélica - como se as comunidades protestantes não se preocupassem com as obras assistenciais, uma falácia energúmena sem nenhum sentido!

As vezes o analfabetismo contextual da Bíblia da vontade de vomitar e é o que leva aos principais erros interpretativos! Pois quem não sabe que a situação atual das viúvas e dos orfãos é bem diferente dos da época de Tiago - hoje em dia o governo paga pensão e existe os orfanatos, albergues, profissionais da assistencia social, etc! Se aparecer a oportunidade de ajudar alguém amém, mas não precisamos sair por ai correndo atrás de pessoas necessitadas para ajudar só para cumprir o que diz nossa religião! Como as pessoas ritualizam tudo, estou errado reverendo?

Sendo assim, creio como D.M. Lloyd Jones expõe no 1º capítulo de "Pregação e Pregadores" (Ed. Fiel 1998); Que as questões deste mundo são secundárias em relação as coisas de Deus! O mesmo cita corretamente Lucas 12.14 e Atos 6.1,2,4 para fundamentar sua opinião de que Jesus e os apóstolos davam mais prioridade a pregação do que em fazer caridades! Pois, reflito eu, do que vale ajudar todas as pessoas do mundo e negar a palavra de Deus em aspéctos fundamentais?! Parece que boa parte das religiões pregam a caridade, mas, e as outras verdades fundamentais como p.x. João 14.6; 17.3,17? Não é mesmo?

Tem gente que, infelizmente a maioria, narcotizada com o pragmatismo sentimentalista acha que religião é só fazer o bem para o próximo e esquecem do que é primordial - fazer o bem para Deus! (Mt 22.37,38)

Escutem; sem teoria certa a prática é errada! Crenças tem consequências, quem não crê direito não obedece direito! Nâo adianta levantar textos isolados falando de prática que eu replicarei com textos falando de crença e doutrinas - é preciso refletir em síntese/paralelos para entender o geral e alcançar o equilíbrio! Valeu?

Abraços
Orlando
souteologico.blogspot.com

sandro barcelos disse...

sinceramente adimiro o otimismo triunfalista do pos-milenismo mais confesso com toda cinseridade tenho dificuldades hermeneuticas e historicas em relaçao a esse otimismo triunfante do evangelho de cristo em nossa era, agora eu creio a haver uma diferença entre o evangelho de cristo que é seu dominio sobre o poder do pecado através do novo nascimento e esse reino ja esta presente e o evangelho do reino pregado pelas duas testemunhas do apocalipse.. eu sei que é assunto para longa sala de debates de ideias

obrigado

sandro barcelos

Salomão disse...

Concordo com o sr. Pr. Augustus.
Mas gostaria de acrescentar alguns dados que assisti de um vídeo sobre uma palestra. A palestra foi patrocinada por uma entidade católica romana, mas o palestrante dá informações importantes sobre o que ele chama de cristianofobia, ou cristofobia. E veja bem, que a perseguição é bem abrangente, conforme as informações do vídeo. A perseguição já existe contra vários grupos designados cristão, seja evangélico/protestante, ortodoxo ou católico romano. Conforme as informações do Prof. Alexandre Del Valle o ódio ao cristianismo vem do islamismo, budismo, induísmo, comunismo, além da perseguição velada e aberta no Ocidente.
Segue vídeo abaixo:
http://pt-br.justin.tv/institutoplinio/b/292284729

Jean prostado aos pés de Cristo Jesus disse...

Vejo que só desta forma alcançaremos o nosso objetivo como cristão que é o da Salvação.
Sendo Cristão perseverantes no Evangelho de Cristo e não um "evangelho" criado pelos homens em sua natureza pecaminosa...
é tempo de orarmos por um arrependimento mundial. Para que todos os seres da terra se prostem ao verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo, que prega o AMOR, a Sua Soberânia de Justiça e Todo Poder de Glória.
Temos que crer que o secularismo e a libertinagem hoje existente nas igrejas iram acabar.

"temor a Deus é o principio...

em Cristo Jesus:

Jean

Hothir disse...

No último capítulo da novela “Insensato Coração” conversam um homem e mulher, não casados, que têm um filho e viveram até então entre idas e vindas. Ele está definitivamente de partida, diz que não nasceu para ser casado e que ela como ninguém merece ser muito feliz. Ela concorda. O casamento é uma instituição falida! Na cena seguinte ocorre a valorização do casamento, mas aí entre dois homens! Há cerimônia, presença da família, um pai constrangido, cheio de culpas, por não aceitar a união de pessoas do mesmo sexo , mas disposto a mudar de opinião.
De fato, “que tempos que costumes os nossos” e o coração, de onde procedem as fontes da vida, que “Coração Insensato”! Diante das verdades da Bíblia não podemos conformar com este tempo, mesmo que seja difícil. Deus nos faça e nos dê homens assim! Muito bom Reverendo Augustus!

Salomão disse...

Ainda sobre cristianofobia, o Prof. Alexandre Del Valle cita o livro A Islamização da Europa. Na palestra que citei anteriormente, ele transmitiu várias informações contidas no referido livro. Isso tudo lembrou-me de um outro vídeo que assisti, produzido por uma igreja Batista de São José dos Campos - SP (http://www.youtube.com/watch?v=6D9oud80UV8&feature=player_embedded). Esse vídeo informa sobre mudanças demográficas, principalmente na Europa, onde, conforme informações dadas no vídeo, a taxa de fertilidade em 31 países é de 1.38 entre os nativos europeus. Já o crescimento das populações de emigrantes e seus descendentes, que são majoritariamente muçulmanos, têm uma taxa de fertilidade de 8.1.
Apesar de que alguns sociólogos e políticos de esquerda e centro-esquerda contestarem esses dados, acusando de alarmismo, não se deve menosprezar as denúncias de perseguição e crimes contra cristãos no mundo islâmico, nos países com predomínio de hindus e budistas.
O Professor Alexandre Del Valle colocou uma questão importante sobre as relações políticas entre os países ocidentais e muçulmanos. Nos países ocidentais, democráticos, as constituições garantem a liberdade de expressão e religiosa. Os muçulmanos por isso têm liberdade de praticar sua religião, construir suas mesquitas, etc. Já nos países deles, a fé cristã não pode ser divulgada. Na Arabia Saudita, por exemplo, é proibida construção de templos cristãos e nativos convertidos ao cristianismo são perseguidos, presos e condenados a morte. O Prof. Del Valle pergunta, "onde está o princípio da reciprocidade entre as nações?" Como podem os emigrantes e seus descendentes muçulmanos usufruírem das liberdades constitucionais na Europa e Américas, não tendo qualquer compromisso em garantir os mesmos direitos em seus países?
Creio que isso deveria ser debatido e questionado nos parlamentos ocidentais.

Neryvan Felipe disse...

Quando Deus nos conduz a seguir o caminho de Cristo, Ele nos leva uma luta que não cessa até a volta de Seu Filho, para sermos recompensados, glorificados nEle.

Oliveira disse...

Caro Sandro Barcelos

Me escreva sobre as suas dificuldades hermenêuticas e históricas sobre o pós-milenismo no endereço oliveira@monergismo.com

Não quero convertê-lo... risos... Apenas testar a minha capacidade de ter respostas coerentes e bíblicas para justificar as razões da minha fé.

Te "vejo" no e-mail se me deres esta honra.

Abraço!

Alexander de Araújo Boechat disse...

Tô dentro! Vamos encarar!

bjaraujo disse...

Lamentavelmente muitas igrejas no Brasil estão se esvaziando da verdade e do evangelho, se tornam biônicas, apenas mais uma instituição de doutrinação marxista e muitas uma ferramenta de tropeço.
Muitas igrejas pregam a felicidade e riqueza (nada contra) como se este fosse o fim (aqui está o problema) e acabam por louvar o hedonismo e desviar-se do evangelho.
Acho importante denunciar-mos, não atacando a denominação ou doutrina alheia (muitas igrejas fazem disso parte da pregação) mas mostrando o verdadeira evangelho.
Parabéns pelo texto.

Salomão disse...

Pr. Augustus,

Postei anteriormente, material sobre cristianofobia. Postei também um vídeo sobre mudanças demográficas na Europa associada ao crescimento islâmico no velho Continente. Nos dois casos, somos informados a respeito da perseguição a cristãos praticadas por muçulmanos, budistas, hinduístas, comunistas e secularismo/materialismo ocidental. Mas hoje li matéria no site Portas Abertas, onde somos informados sobre uma nova onda de perseguição de velhos inimigos de Cristo e de Sua Igreja: o judaísmo( http://www.portasabertas.org.br/noticias/noticia.asp?ID=6657).
É como o sr. diz Pr. Augustus, são tempos difíceis sim para a Igreja de Cristo. Deus nos dê mais de Sua graça e poder no Espírito Santo para vencermos as lutas pela Fé.

Salomão disse...

Pr. Augustus,

Hoje no culto dominical da noite, tivemos o privilégio, pela graça de Deus, de ouvir um sermão cuja leitura foi Atos dos Apóstolos 16.11-40 e o texto foi Filipenses 1.27-30. Toda a congregação presente foi consolada e exortada para continuar firmes na esperança que vem das promessa eternas do nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo. No sermão fomos lembrados de como o apóstolo Paulo iniciou seu trabalho na importante cidade de Filipos. Como Deus abriu os olhos de Lídia, bem como o apóstolo Paulo e Silas foram presos por ter Paulo expulsado do corpo de uma jovem mulher um espírito de adivinhação. Antes de terem sido presos, entretanto, Paulo e Silas foram açoitados, e depois, então, foram presos num cárcere, onde tiveram os pés amarrados num tronco.
Na pregação, ouvimos qual foi a reação de Paulo e Silas, que oravam e cantavam hinos a Deus. Fomos lembrados o que o Senhor Jesus nos ensina em Filipenses 1.29,30: "Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele, pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, ainda agora, ouvis que é o meu." Foi lido também Mateus 5.11,12: "Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós.". Fomos exortados também a, como Deus nos ensina em Filipenses 1.27, a vivermos "por modo digno do Evangelho de Cristo,...firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica;".
Que o SENHOR nos ajude.

Salomão disse...

"Lutando juntos pela fé evangélica" (Filipenses 1.27b).
Pr. Augustus Nicodemus,
Essa exortação de Deus, dada num contexto de forte perseguição pagã contra a Igreja de Cristo, não pode ser compreendida hoje como o dever de, pela graça, no poder do Espírito Santo, a Igreja,empreender maior preparo e luta apologética, especialmente na formação de seus oficiais - ministros do Evangelho e presbíteros?

Adam disse...

By: Adam

Nesses últimos dias estou sendo alvo de xacota na faculdade por defender expressamente os conceitos citados.
Discutir ética numa sala de formandos em Agronomia é fooogo.


Augustus, me aceita ai no facebook. Tem um tempão que estou solicitando uma amizade.

Abraços

Anderson Costa disse...

Quem sabe ainda aja tempo de pedir perdão. É tempo de choro, planto e lamentação.

Faustino Junior disse...

Sr. Kleber Teles, mora aonde? Na terra mesmo?

佐藤 Suely disse...

Com licença, acrescentaria nesta lista, a questão de defenderem o casamento legítimo, e que o " Divórcio e Recasamento" é pecado. Sim, pois hoje em dia é motivo de perseguição e separação entre familiares e amigos. Faltou doutrinação correta nas igrejas. Tempos difíceis!