terça-feira, novembro 06, 2012

Augustus Nicodemus Lopes

O deus de Dawkins: examinando os ataques ateus contra o Cristianismo


Aproveitei a viagem para Manaus, ida e volta, para ler no avião o livro de Alister McGrath "O Deus de Dawkins: genes, memes e o sentido da vida", publicado pela Shedd Publicações em 2007. A leitura é cativante e embora os temas sejam complexos para quem não tem formação em biologia, química e física, como eu, McGrath consegue falar deles de maneira simples e fácil. Acho que entendi os pontos principais da obra.

Dr. Richard Dawkins
Como todo mundo sabe, Richard Dawkins é um dos principais ateus modernos, conhecido pela maneira radical e raivosa com que ataca a religião e os religiosos em geral. Possuidor de uma vasta cultura e sólida formação em sua área (biologia evolutiva), Dawkins é um dos mais ferrenhos defensores do evolucionismo darwinista, tendo sido apelidado de "o rottweiler de Darwin". 

Alister McGrath tem doutorado em biofísica e teologia, ambos em Oxford. Foi ateu e evolucionista darwinista até se converter ao Cristianismo ainda estudante universitário. Este é seu segundo livro sobre Dawkins. O primeiro, "O delírio de Dawkins," foi uma reposta ao "Deus - um delírio" do famoso ateu, best-seller no Brasil.

Rev. Dr. Alister McGrath
McGrath leu todas as obras de Dawkins – O Gene Egoísta, O Capelão do Diabo, Desvendando o Arco Íris, etc. – e responde em "O Deus de Dawkins" às principais acusações de Dawkins à religião em geral e ao cristianismo em particular, que são estas: (1) A visão darwinista de mundo tornou Deus uma ideia desnecessária e impossível; (2) A religião faz afirmações com base na fé e abandona a verdade calcada em evidências; (3) A religião oferece uma visão de mundo extremamente pálida e pobre; (4) A religião leva ao mal, como um vírus (meme) que infecta a mente.

Foi intelectualmente satisfatório ler a demolição radical que McGrath faz destes conceitos usando os mesmos argumentos de Darwin e de outros cientistas ateus, sem sequer citar a Bíblia uma única vez. McGrath traz informações e resultados da pesquisa histórica e científica que Dawkins faz questão de omitir em sua obra, como por exemplo os 80 a 100 milhões de mortos debaixo dos regimes comunistas ateus ou ainda as mudanças de paradigmas científicos ao longo da história da ciência. McGrath submete as idéias de Dawkins a rigoroso exame científico e empírico e constata que, em que pese o brilho do cientista ateu e sua extraordinária capacidade e domínio da sua área, boa parte de seus ataques ao cristianismo não passa de retórica, por vezes do mais baixo tipo.

Recomendo a obra de McGrath para quem lida com colegas, amigos ou professores ateus admiradores de Dawkins. Veja abaixo os links para os livros de McGrath sobre ateísmo em português:



Louvei a Deus por levantar homens preparados em todas as épocas para responder aos que dizem em seu coração, "Não há Deus" (Salmo 14:1).

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

10 comentários

comentários
o ser livre
AUTOR
6/11/12 20:27 delete

Caro Rev. Augustus, têm um ótimo debate entre eles no youtube, legendado em português: http://www.youtube.com/watch?v=tV9GDuhb-ec&feature=relmfu

Acho que também seria importante a informação de McGrath, conservador em sua teologia, também é evolucionista teísta. Ele inclusive afirma no debate que não incompatibilidade entre as posições.

Abs
Renato

Responder
avatar
6/11/12 22:11 delete

Eu tinha ouvido que ele era evolucionista teísta e sempre o li com isto em mente. Mas, acho que o teísta pesa muito mais que o evolucionista, pois ele parece rejeitar a ancestralidade comum, o elemento fortuito e randomico da seleção natural e considera a teoria darwinista da evolução como carecendo de revisão e mudança. Além do mais, não fica claro para mim se ele acredita na macro evolução (esta é problemática) ou somente na micro, que é cientificamente provada e nunca negada pelos cristãos. De qualquer forma, o ponto forte dele é arrebentar com o ateísmo como corolário inevitável da ciência e especialmente da teoria da evolução. Abs.

Responder
avatar
Ana
AUTOR
7/11/12 16:51 delete

Pastor Augustus,
Preciso de sua ajuda e orientação em algo sério e pessoal. Gostaria de seu email, pois já enviei um e não sei se o mesmo está ativado, foi um que econtrei no site Mundo Cristão. Perdão por estar usando essa ferramenta, não sabia mais como e por onde entrar em contato. Desde já, agradeço sua atencão.

Responder
avatar
7/11/12 20:06 delete

"Ana",

Não tenho como lhe passar meu e-mail aqui no blog, pois prefiro mantê-lo reservado. Crie um e-mail e coloque num comentário. Não publicarei o comentário e escreverei para você.

Augustus

Responder
avatar
Orlando
AUTOR
8/11/12 09:03 delete

A micro evolução não gera espécie diferente, o problema é a macro, que nunca foi provada (darwinismo propriamente dito). Parece que McGrath somente faz comentários da micro, como muitos outros doutores protestantes (Norman Geisler por exemplo)!

Abraços, bela sugeestão
Orlando
souteologico.blogspot.com

Responder
avatar
10/11/12 12:35 delete

Pessoas como Dawkins são o tipo de néscios do salmo 14, porque demitem o próprio Criador para que suas trevas interiores sejam o índice máximo de sabedoria e pureza sem nem ao menos haverem criado a si mesmos.

Os dawkins que tropeçamos pela vida afora são a prova que a ignorância é o melhor garoto-propaganda de si própria, porque quanto mais ignorância melhor. Quanto mais na deprevação total do pecado em que nos encontramos, mais nos achamos os mais ungidos e santos.


JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

Responder
avatar
Rogério
AUTOR
17/11/12 15:50 delete

Li esse livro numa viagem recente também, e fiquei muito feliz pelo jeito que McGrath escreve. Ele consegue ser cristão e bíblico ao mesmo tempo que é humilde em reconhecer os pontos em que a Ciência de Dawkins é relevante.

Só uma correção ao post: na verdade, "O Deus de Dawkins" oi escrito antes de "O Delírio de Dawkins". Li os dois, e acho o primeiro mais completo que o segundo.

Responder
avatar
17/11/12 23:36 delete

Rogério, obrigado pela correção, anotado. Abs.

Responder
avatar
23/5/15 18:11 delete

Como é mesmo ? O Sr. Alister McGrath era ateu e deixou de sê-lo? Quer dizer, o sujeito descobriu que as religiões são superstições mais elaboradas mas passou acreditar nelas? Seu Deus era imaginário mas passou a seer real? Seus livros ditos sagrados eram fabulescos mas passaram a ser a fonte da verdade? Ao invés de de ter sido ateu, por acaso ele não era apenas um religioso relaxado que resolveu tornar-se mais ortodoxo? Pois é difícil abandonar a realidade e adotar a fantasia. Assis Utsch

Responder
avatar