terça-feira, janeiro 08, 2019

Augustus Nicodemus Lopes

Um Engano Chamado Teologia Inclusiva

UM ENGANO CHAMADO TEOLOGIA INCLUSIVA

O padrão de Deus para o exercício da sexualidade humana é o relacionamento entre um homem e uma mulher no ambiente do casamento. Nesta área, a Bíblia só deixa duas opções para os cristãos: casamento heterossexual e monogâmico ou uma vida celibatária. À luz das Escrituras, relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo são vistas não como opção ou alternativa, mas sim como abominação, pecado e erro, sendo tratada como prática contrária à natureza. Contudo, neste tempo em que vivemos, cresce na sociedade em geral, e em setores religiosos, uma valorização da homossexualidade como comportamento não apenas aceitável, mas supostamente compatível com a vida cristã. Diferentes abordagens teológicas têm sido propostas no sentido de se admitir que homossexuais masculinos e femininos possam ser aceitos como parte da Igreja e expressar livremente sua homoafetividade no ambiente cristão.

Existem muitas passagens na Bíblia que se referem ao relacionamento sexual padrão, normal, aceitável e ordenado por Deus, que é o casamento monogâmico heterossexual. Desde o Gênesis, passando pela lei e pela trajetória do povo hebreu, até os evangelhos e as epístolas do Novo Testamento, a tradição bíblica aponta no sentido de que Deus criou homem e mulher com papéis sexuais definidos e complementares do ponto de vista moral, psicológico e físico. Assim, é evidente que não é possível justificar o relacionamento homossexual a partir das Escrituras, e muito menos dar à Bíblia qualquer significado que minimize ou neutralize sua caracterização como ato pecaminoso. Em nenhum momento, a Palavra de Deus justifica ou legitima um estilo homossexual de vida, como os defensores da chamada “teologia inclusiva” têm tentado fazer. Seus argumentos têm pouca ou nenhuma sustentação exegética, teológica ou hermenêutica.

A “teologia inclusiva” é uma abordagem segundo a qual, se Deus é amor, aprovaria todas as relações humanas, sejam quais forem, desde que haja este sentimento. Essa linha de pensamento tem propiciado o surgimento de igrejas onde homossexuais, nesta condição, são admitidos como membros e a eles é ensinado que o comportamento gay não é fator impeditivo à vida cristã e à salvação. Assim, desde que haja amor genuíno entre dois homens ou duas mulheres, isso validaria seu comportamento, à luz das Escrituras. A falácia desse pensamento é que a mesma Bíblia que nos ensina que Deus é amor igualmente diz que ele é santo e que sua vontade quanto à sexualidade humana é que ela seja expressa dentro do casamento heterossexual, sendo proibidas as relações homossexuais.

Em segundo lugar, a “teologia inclusiva” defende que as condenações encontradas no livro de Levítico se referem somente às relações sexuais praticadas em conexão com os cultos idolátricos e pagãos, como era o caso dos praticados pelas nações ao redor de Israel. Além disso, tais proibições se encontram ao lado de outras regras contra comer sangue ou carne de porco, que já seriam ultrapassadas e, portanto, sem validade para os cristãos. Defendem ainda que a prova de que as proibições das práticas homossexuais eram culturais e cerimoniais é que elas eram punidas com a morte – coisa que não se admite a partir da época do Novo Testamento. É fato que as relações homossexuais aconteciam inclusive – mas não exclusivamente – nos cultos pagãos dos cananeus.

Contudo, fica evidente que a condenação da prática homossexual transcende os limites culturais e cerimoniais, pois é repetida claramente no Novo Testamento. Ela faz parte da lei moral de Deus, válida em todas as épocas e para todas as culturas. A morte de Cristo aboliu as leis cerimoniais, como a proibição de se comer determinados alimentos, mas não a lei moral, onde encontramos a vontade eterna do Criador para a sexualidade humana. Quando ao apedrejamento, basta dizer que outros pecados punidos com a morte no Antigo Testamento continuam sendo tratados como pecado no Novo, mesmo que a condenação capital para eles tenha sido abolida – como, por exemplo, o adultério e a desobediência contumaz aos pais.

PECADO E DESTRUIÇÃO
Os teólogos inclusivos gostam de dizer que Jesus Cristo nunca falou contra o homossexualismo. Em compensação, falou bastante contra a hipocrisia, o adultério, a incredulidade, a avareza e outros pecados tolerados pelos cristãos. Este é o terceiro ponto: sabe-se, todavia, que a razão pela qual Jesus não falou sobre homossexualidade é que ela não representava um problema na sociedade judaica de sua época, que já tinha como padrão o comportamento heterossexual. Não podemos dizer que não havia judeus que eram homossexuais na época de Jesus, mas é seguro afirmar que não assumiam publicamente esta conduta. Portanto, o homossexualismo não era uma realidade social na Palestina na época de Jesus. Todavia, quando a Igreja entrou em contato com o mundo gentílico – sobretudo as culturas grega e romana, onde as práticas homossexuais eram toleradas, embora não totalmente aceitas –, os autores bíblicos, como Paulo, incluíram as mesmas nas listas de pecados contra Deus. Para os cristãos, Paulo e demais autores bíblicos escreveram debaixo da inspiração do Espírito Santo enviado por Jesus Cristo. Portanto, suas palavras são igualmente determinantes para a conduta da Igreja.

O quarto ponto equivocado da abordagem que tenta fazer do comportamento gay algo normal e aceitável no âmbito do Cristianismo é a suposição de que o pecado de Sodoma e Gomorra não foi o homossexualismo, mas a falta de hospitalidade para com os hóspedes de Ló. A base para esta afirmação é que se diz, no original hebraico, que os homens de Sodoma queriam “conhecer” os hóspedes de Ló (Gênesis 19.5) e não abusar sexualmente deles, como é traduzido em várias versões, como na Almeida atualizada. Já a Nova versão internacional e a Nova tradução na linguagem de hoje dizem que os concidadãos de Ló queriam “ter relações” com os visitantes, enquanto a SBP é ainda mais clara: “Queremos dormir com eles”. Usando-se a regra de interpretação simples de analisar palavras em seus contextos, percebe-se que o termo hebraico usado para dizer que os homens de Sodoma queriam “conhecer” os hóspedes de Ló (yadah) é o mesmo termo que Ló usa para dizer que suas filhas, que ele oferecia como alternativa à tara daqueles homens, eram virgens: “Elas nunca conheceram (yadah) homem”, diz o versículo 8. “Assim, fica evidente que “conhecer”, no contexto da passagem de Gênesis, significa ter relações sexuais. Foi esta a interpretação de Filo, autor judeu do século 1º, em sua obra sobre a vida de Abraão: segundo ele, os homens de Sodoma se acostumaram gradativamente a ser tratados como mulheres.”

Ainda sobre o pecado cometido naquelas cidades bíblicas, que acabaria acarretando sua destruição, a “teologia inclusiva” defende que o profeta Ezequiel claramente diz que o erro daquela gente foi a soberba e a falta de amparo ao pobre e ao necessitado (Ez 16.49). Contudo, muito antes de Ezequiel, o “sodomita” era colocado ao lado da prostituta na lei de Moisés: o rendimento de ambos, fruto de sua imoralidade sexual, não deveria ser recebido como oferta a Deus, conforme Deuteronômio 23.18. Além do mais, quando lemos a declaração do profeta em contexto, percebemos que a soberba e a falta de caridade era apenas um entre os muitos pecados dos sodomitas. Ezequiel menciona as “abominações” dos sodomitas, as quais foram a causa final da sua destruição: “Eis que esta foi a iniquidade de Sodoma, tua irmã: soberba, fartura de pão e próspera tranquilidade teve ela e suas filhas; mas nunca amparou o pobre e o necessitado. Foram arrogantes e fizeram abominações diante de mim; pelo que, em vendo isto, as removi dali” (Ez 16.49-50). Da mesma forma, Pedro, em sua segunda epístolas, refere-se às práticas pecaminosas dos moradores de Sodoma e Gomorra tratando-as como “procedimento libertino”.

Um quinto argumento é que haveria alguns casos de amor homossexual na Bíblia, a começar pelo rei Davi, para quem o amor de seu amigo Jônatas era excepcional, “ultrapassando o das mulheres” (II Samuel 1.26). Contudo, qualquer leitor da Bíblia sabe que o maior problema pessoal de Davi era a falta de domínio próprio quanto à sua atração por mulheres. Foi isso que o levou a casar com várias delas e, finalmente, a adulterar com Bate-Seba, a mulher de Urias. Seu amor por Jônatas era aquela amizade intensa que pode existir entre duas pessoas do mesmo sexo e sem qualquer conotação erótica. Alguns defensores da “teologia inclusiva” chegam a categorizar o relacionamento entre Jesus e João como homoafetivo, pois este, sendo o discípulo amado do Filho de Deus, numa ocasião reclinou a sua cabeça no peito do Mestre (João 13.25). Acontece que tal atitude, na cultura oriental, era uma demonstração de amizade varonil – contudo, acaba sendo interpretada como suposta evidência de um relacionamento homoafetivo. Quem pensa assim não consegue enxergar amizade pura e simples entre pessoas do mesmo sexo sem lhe atribuir uma conotação sexual.

“TORPEZA”
Há uma sexta tentativa de reinterpretar passagens bíblicas com objetivo de legitimar a homossexualidade. Os propagadores da “teologia gay” dizem que, no texto de Romanos 1.24-27, o apóstolo Paulo estaria apenas repetindo a proibição de Levítico à prática homossexual na forma da prostituição cultual, tanto de homens como de mulheres – proibição esta que não se aplicaria fora do contexto do culto idolátrico e pagão. Todavia, basta que se leia a passagem para ficar claro o que Paulo estava condenando. O apóstolo quis dizer exatamente o que o texto diz: que homens e mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza, e que se inflamaram mutuamente em sua sensualidade – homens com homens e mulheres com mulheres –, “cometendo torpeza” e “recebendo a merecida punição por seus erros”. E ao se referir ao lesbianismo como pecado, Paulo deixa claro que não está tratando apenas da pederastia, como alguns alegam, visto que a mesma só pode acontecer entre homens, mas a todas as relações homossexuais, quer entre homens ou mulheres.

É alegado também que, em I Coríntios 6.9, os citados efeminados e sodomitas não seriam homossexuais, mas pessoas de caráter moral fraco (malakoi, pessoa “macia” ou “suave”) e que praticam a imoralidade em geral (arsenokoites, palavra que teria sido inventada por Paulo). Todavia, se este é o sentido, o que significa as referências a impuros e adúlteros, que aparecem na mesma lista? Por que o apóstolo repetiria estes conceitos? Na verdade, efeminado se refere ao que toma a posição passiva no ato homossexual – este é o sentido que a palavra tem na literatura grega da época, em autores como Homero, Filo e Josefo – e sodomita é a referência ao homem que deseja ter coito com outro homem.
Há ainda uma sétima justificativa apresentada por aqueles que acham que a homossexualidade é compatível com a fé cristã. Segundo eles, muitas igrejas cristãs históricas, hoje, já aceitam a prática homossexual como normal – tanto que homossexuais praticantes, homens e mulheres, têm sido aceitos não somente como membros mas também como pastores e pastoras. 

Essas igrejas, igualmente, defendem e aceitam a união civil e o casamento entre pessoa do mesmo sexo. É o caso, por exemplo, da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos – que nada tem a ver com a Igreja Presbiteriana do Brasil –, da Igreja Episcopal no Canadá e de igrejas em nações européias como Suécia, Noruega e Dinamarca, entre outras confissões. Na maioria dos casos, a aceitação da homossexualidade provocou divisões nestas igrejas, e é preciso observar, também, que só aconteceu depois de um longo processo de rejeição da inspiração, infalibilidade e autoridade da Bíblia. Via de regra, essas denominações adotaram o método histórico-crítico – que, por definição, admite que as Sagradas Escrituras são condicionadas culturalmente e que reflete os erros e os preconceitos da época de seus autores. Desta feita, a aceitação da prática homossexual foi apenas um passo lógico. Outros ainda virão. Todavia, cristãos que recebem a Bíblia como a infalível e inerrante Palavra de Deus não podem aceitar a prática homossexual, a não ser como uma daquelas relações sexuais consideradas como pecaminosas pelo Senhor, como o adultério, a prostituição e a fornicação.

Contudo, é um erro pensar que a Bíblia encara a prática homossexual como sendo o pecado mais grave de todos. Na verdade, existe um pecado para o qual não há perdão, mas com certeza não se trata da prática homossexual: é a blasfêmia contra o Espírito Santo, que consiste em atribuir a Satanás o poder pelo qual Jesus Cristo realizou os seus milagres e prodígios aqui neste mundo, mencionado em Marcos 3.22-30. Consequentemente, não está correto usar a Bíblia como base para tratar homossexuais como sendo os piores pecadores dentre todos, que estariam além da possibilidade de salvação e que, portanto, seriam merecedores de ódio e desprezo. É lamentável e triste que isso tenha acontecido no passado e esteja se repetindo no presente. A mensagem da Bíblia é esta: “Todos pecaram e carecem da glória de Deus”, conforme Romanos 3.23. Todos nós precisamos nos arrepender de nossos pecados e nos submetermos a Jesus Cristo, o Salvador, pela fé, para recebermos o perdão e a vida eterna.

Lembremos ainda que os autores bíblicos sempre tratam da prática homossexual juntamente com outros pecados. O 20º capítulo de Levítico proíbe não somente as relações entre pessoas do mesmo sexo, como também o adultério, o incesto e a bestialidade. Os sodomitas e efeminados aparecem ao lado dos adúlteros, impuros, ladrões, avarentos e maldizentes, quando o apóstolo Paulo lista aqueles que não herdarão o Reino de Deus (I Coríntios 6.9-10). Porém, da mesma forma que havia nas igrejas cristãos adúlteros e prostitutas que haviam se arrependido e mudado de vida, mediante a fé em Jesus Cristo, havia também efeminados e sodomitas na lista daqueles que foram perdoados e transformados.

COMPAIXÃO
É fundamental, aqui, fazer uma importante distinção. O que a Bíblia condena é a prática homossexual, e não a tentação a esta prática. Não é pecado ser tentado ao homossexualismo, da mesma forma que não é pecado ser tentado ao adultério ou ao roubo, desde que se resista. As pessoas que sentem atração por outras do mesmo sexo devem lembrar que tal desejo é resultado da desordem moral que entrou na humanidade com a queda de Adão e que, em Cristo Jesus, o segundo Adão, podem receber graça e poder para resistir e vencer, sendo justificados diante de Deus.

Existem várias causas identificadas comumente para a atração por pessoas do mesmo sexo, como o abuso sexual sofrido na infância. Muitos gays provêm de famílias disfuncionais ou tiveram experiências negativas com pessoas do sexo oposto.  Há aqueles, também, que agem deliberadamente por promiscuidade e têm desejo de chocar os outros. Um outro fator a se levar em conta são as tendências genéticas à homossexualidade, cuja existência não está comprovada até agora e tem sido objeto de intensa polêmica. Todavia, do ponto de vista bíblico, o homossexualismo é o resultado do abandono da glória de Deus, da idolatria e da incredulidade por parte da raça humana, conforme Romanos 1.18-32. Portanto, não é possível para quem crê na Bíblia justificar as práticas homossexuais sob a alegação de compulsão incontrolável e inevitável, muito embora os que sofrem com esse tipo de impulso devam ser objeto de compaixão e ajuda da Igreja cristã.

É preciso também repudiar toda manifestação de ódio contra homossexuais, da mesma forma com que o fazemos em relação a qualquer pessoa. Isso jamais nos deveria impedir, todavia, de declarar com sinceridade e respeito nossa convicção bíblica de que a prática homossexual é pecaminosa e que não podemos concordar com ela, nem com leis que a legitimam. Diante da existência de dispositivos legais que permitem que uma pessoa deixe ou transfira seus bens a quem ele queira, ainda em vida, não há necessidade de leis legitimando a união civil de pessoas de mesmo sexo – basta a simples manifestação de vontade, registrada em cartório civil, na forma de testamento ou acordo entre as partes envolvidas. O reconhecimento dos direitos da união homoafetiva valida a prática homossexual e abre a porta para o reconhecimento de um novo conceito de família. No Brasil, o reconhecimento da união civil de pessoas do mesmo sexo para fins de herança e outros benefícios aconteceu ao arrepio do que diz a Constituição: “Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento” (Art. 226, § 3º).

Cristãos que recebem a Bíblia como a palavra de Deus não podem ser a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, uma vez que seria a validação daquilo que as Escrituras, claramente, tratam como pecado. O casamento está no âmbito da autoridade do Estado e os cristãos são orientados pela Palavra de Deus a se submeter às autoridades constituídas; contudo, a mesma Bíblia nos ensina que nossa consciência está submissa, em última instância, à lei de Deus e não às leis humanas – “Importa antes obedecer a Deus que os homens” (Atos 5.29). Se o Estado legitimar aquilo que Deus considera ilegítimo, e vier a obrigar os cristãos a irem contra a sua consciência, eles devem estar prontos a viver, de maneira respeitosa e pacífica em oposição sincera e honesta, qualquer que seja o preço a ser pago.

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

116 comentários

comentários
9/1/19 10:42 delete

Que caia sobre ti o peso do SENHOR!

Responder
avatar
9/1/19 12:52 delete

Thiago, por que o Senhor faria cair seu peso sobre mim? Por acaso sou eu quem está torcendo as escrituras? Se eu disse ou escrevi alguma coisa que não está de acordo com as Escrituras, por que você não refuta, em vez de me amaldiçoar? Na verdade, sua maldição não vale nada, porque não procede da verdade. Você simplesmente está fechando os olhos para não ver a verdade clara das Escrituras sobre esse ponto.

Eu não lhe amaldiçoo, mas peço que Deus tenha misericórdia de sua vida.

Responder
avatar
9/1/19 13:20 delete

Não estou lhe amaldiçoado, estou imprecando o Juízo do Senhor sobre a sua vida!

O Senhor é teólogo e pastor não preciso lhe refutar, sabe muito bem discernir o bem e o mal, a teologia do SENHOR e a má teologia, conhece muito bem as escrituras, sabe muito bem que seu fundamentalismo destrói vidas, e não as salva.

Logo quando está distorcendo a palavra, rogo que o Senhor te Julgue segundo seu amor e misericórdia, e for possível dei-lhe tempo para o arrependimento. Antes que arruineis mais vidas.

Responder
avatar
9/1/19 15:27 delete

Como não está me amaldiçoando? É claro que está.
Se sua preocupação é que eu estou arruinando vidas, por amor a essas vidas refute aqui o que escrevi. Demonstre a falácia dos meus argumentos. Mostre que a teologia inclusiva está certa.

Não venha com essa de "o senhor é teólogo e pastor não preciso lhe refutar" e que minha teologia é má. Pois mostre para os leitores que estão acompanhando que ela é má.

O que vejo é simplesmente a reação emocional e irada de alguém que não tem resposta nem fundamento quando vê seu estilo de vida e suas convicções confrontadas pela Palavra de Deus.

E agora, ainda vem mudar o discurso no final dizendo que quer que Deus faça cair o seu peso sobre mim "segundo seu amor e misericórdia". Acho que já ficou claro para os leitores quem tem argumentos sólidos nessa conversa.

Responder
avatar
Karen Adorno
AUTOR
11/1/19 11:03 delete

Pastor, perdão por fugir do tema,eu não consegui enviar um e-mail pra tirar a dúvida, se for possível, o senhor poderia me explicar qual é a diferença entre estas duas citacoes?
Segue abaixo:

Mateus 12:36-37 - Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo; porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado."

Romanos 3:24 "sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus,

Desde já, muito obrigada!
Deus te abençoe e ilumine cada vez mais, em nome de Jesus!

Responder
avatar
11/1/19 16:40 delete

Karen,

A salvação é pela graça, mediante a fé em Cristo. Contudo, a pessoa que é salva é mudada pela graça de Deus. E essa mudança se verifica inclusive pelas palavras que ela profere. Uma pessoa que tem boca suja, fala mentiras, lança calúnias contra o próximo está dando sinais de que não foi salva pela graça. A graça de Deus salva inclusive nossa boca. Abraços

Responder
avatar
Karen Adorno
AUTOR
11/1/19 21:03 delete

Acho que entendi! Salvar de nossa boca, significa dizer que as palavras que (agora) dela saem, são palavras de vida (não são mais torpes) porque primeiro o dono da boca foi justificado pela graça, mediante a fé em Cristo! Bom, se é assim, então, pelo o que as pessoas falam ja dá pra ter uma boa base se elas conhecem ou não a Cristo e tb se servem a ELE! Hum... Isso faz todo sentido!
Entendi certo, pastor?
Muito obrigada por responder.

Responder
avatar
11/1/19 21:26 delete

Não estou irado, dias se passaram vi tua resposta hoje, sim o sr. é pastor e teólogo, e principalmente como pastor dará conta a Deus pelas vidas que podem vir destruir por esse meio de interpretação. Não, não sou adepto do modelo critico textual, porém teu fundamentalismo sim destrói vidas; porque é pastor e, pastor midiático da IPB o que faz com que suas palavras cheguem muito mais longe e despedace ainda mais vidas. Por isso Rogo sim o Peso do Senhor para tua vida.

Não refuto teologia em blog de internet, aliais com ninguém.
Se o senhor realmente tiver interesse em minha visão, e não apenas refutação tola que não nos levará a lugar algum, deixo meu e-mail a disposição.

Responder
avatar
BeSt
AUTOR
12/1/19 10:13 delete

Pastor o senhor poderia me tirar uma duvida, como devemos tratar um gay que está vindo agora para igreja?, pois tenho em meu coração que enquanto ele vir pode haver um agir de Deus na vida dele transformando-o

Responder
avatar
12/1/19 10:20 delete

Parabéns pelo texto e pela coragem reverendo!

Responder
avatar
Mateus
AUTOR
12/1/19 10:35 delete

Sempre gosto de acompanhar os seus artigos e ministrações por conta da simplicidade, clareza e objetividade das palavras e, diga-se de passagem, deixando um pouco o sentimentalismo, que coloca o homem no centro das coisas, de lado. Entendo que não seja fácil para muitos e que isso seja motivo de críticas por tantos outros, mas, é assim mesmo, a verdade é como uma espada. Que o Espírito Santo de Deus continue a lhe dar sabedoria, paz e discernimento.

Responder
avatar
12/1/19 10:40 delete

Sensacional pr. Augustus! Deus continue abençoando sua vida!

Responder
avatar
12/1/19 10:43 delete

Que coisa boa encontrar alguém que explane esse tema com tanta clareza e sabedoria! Quando pesquisei sobre o assunto em questão, na Bíblia, nem precisei me aprofundar tanto para chegar à mesma conclusão. O que Jesus aconselhou à prostituta vale para a mesma situação: Vá e não peques mais. Arrependimento é a condição primeira para a conversão e Salvação. Eis que tudo se faz novo...

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 10:45 delete

Pastor o Senhor e uma bencao em nossas vidas.e sempre mostrando com.suas palavras e atidudes como um cristao deve se comportar diante questionamentos e ira de outras pessoas obrigado pastor por ser tao dedicado e que Deus te abencoe.

Responder
avatar
12/1/19 10:49 delete

Meu querido irmão, como me alegro ao ler seu texto e ver diversas coisas que tenho ensinado em minha igreja na escola dominical. Isso mostra que o Senhor tem dado a direção em amor e graça. Que muitos possam ser tocados ao ver que também os homossexuais são alvo da graça do nosso Deus em Jesus Cristo.

Responder
avatar
12/1/19 10:50 delete

Excelente explanação do tema. Deus o abençoe.

Responder
avatar
Talita Anjos
AUTOR
12/1/19 10:53 delete

Um texto que certamente leva a reflexão. So gostaria de pontuar que a palavra homossexualismo caiu em desuso, pq o sufixo ISMO se refere a doença, e comprovado está, cientificamente, que não é uma doença.

Responder
avatar
12/1/19 10:55 delete

Obrigado pelo artigo, muito bem escrito e pautado por uma séria e responsável interpretação bíblica. Pena que nós cristaos Não somos capazes de argumentar assim quando a conversa surge. Quase sempre conota preconceito e discriminação. Que Deus continue lhe dando graca para ser "mestre" nas escrituras. Abraço

Responder
avatar
12/1/19 10:56 delete

Excelente texto, reverendo! Deus continue a abençoa-lo ricamente.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 10:59 delete

Muito bom! Gostei assim evita de sermos levados por qualquer ventos de doutrinas. Crer somente nas escrituras sagradas.

Responder
avatar
12/1/19 11:00 delete

Abençoado PR. Augustus.

Cresço na vida cristã e entendimento da Palavra a cada texto ou vídeo de suas exposições bíblicas.
Tentando contribuir com o debate, deixo abaixo uma pequena reflexão que escrevi para o grupo de louvar que eu liderava a um tempo atrás:

"O Cristianismo segundo Jesus está fundamentado em dois princípios básicos; AMOR e VERDADE!!

Ao estudar os evangelhos veremos que Cristo sempre agia aplicando estes dois princípios em total harmonia, sem "priorizar" um ou outro!

Quando a Verdade supera o amor torna-se legalismo; quando o Amor supera a verdade torna-se assistencialismo ou emocionalismo vazios!

Que assim como Cristo, nosso Amor seja sempre firmado na Verdade e que a Verdade seja sempre transmitida com todo o Amor!"

Um forte abraço e que nosso Deus de amor siga usando a sua vida pra abençoar a muitos!

Responder
avatar
12/1/19 11:04 delete

Amado, reverendo, belíssimo trabalho, estou feliz em que nossa igreja tem se posicionado de forma coerente e com clareza nas escrituras que DEUS continue te abençoando.

Responder
avatar
Ricardo L P
AUTOR
12/1/19 11:04 delete

Como dito no belo e bíblico texto, nós não precisamos afrontar ou insultar ao próximo, seja ele quem for. A própria Palavra de Deus é a vara que açoita e fustiga o "Adão" para que saia detrás do arbusto da hipocrisia e pecado, demonstrando tudo aquilo que nós somos. Glória a Deus pela vida do Rev. Augustus.

Responder
avatar
Wemerson
AUTOR
12/1/19 11:04 delete

Bom Reverendo e triste car está realize aqui nos Estados Unidos e meditar como e quando se distanciaram das Escrituras. No Brasil muitas igreja madam a passos largos para is to. Glória a Deus

Responder
avatar
Robson Silva
AUTOR
12/1/19 11:15 delete

Bom dia reverendo, louvo a Deus por sua vida, que com muita clareza tras a nós igreja de Cristo a palavra de Deus abordando um tema como este que infelizmente muitos não estão inteirados, O Senhor com misericórdia abençoe a sua vida rica e abundantemente!

Responder
avatar
Badusca
AUTOR
12/1/19 11:29 delete

Perdão à intromissão Thiago. É sobre isso que o Reverendo está alertando. O conceito de amor e ódio.Esse é um ponto de vista onde ativistas e adeptos ao homossexualismo atrelam-se para dizer que quem se opõe a eles, estimulam o ódio. Ao tornar-se adepto de tal orientação, torna-se adepto das implicações que acarretam. Não precisa distorcer a Bíblia, tampouco criar mais um segmento religioso. Se deseja usar a Bíblia, infelizmente há de reconhecer a infalibilidade dela. Infelizmente o politicamente correto e outros fins impedem muitos líderes de tratar esse assunto com coragem. Sem ofensa.

Responder
avatar
12/1/19 11:29 delete

Parabéns pastor! Verdade e amor bíblicos claros neste texto ���� Que o Senhor continue lhe abençoando ��
Paola

Responder
avatar
12/1/19 11:40 delete

Muito lúcidas suas considerações, pastor e devidamente ancoradas nas Escrituras. Confesso ao senhor que antes de ser alcançado pela preciosa graça de Deus, eu concordava com o método histórico-crítico de interpretação da bíblia e, consequentemente, com a teologia inclusiva. Depois que fui convertido ao Senhor, meu coração foi transformado. No início foi difícil admitir que minhas convicções eram inferiores a Palavra de Deus. Porém, o Espírito Santo trabalhou em minha mente e em meu coração e mudou minha consciência e minhas convicções, atrelando-as a Palavra de Deus. Hoje vejo a homossexualidade, biblicamente, como um pecado. Discordo de como muitas igrejas a tratam - como o pior pecado. Vejo-a como um pecado que precisa ser abandonado. Tampouco vejo os homossexuais como meus inimigos, os vejo como pessoas que necessitam da graça de Deus e sou solidário a sua dor e a sua luta contra o pecado.

Abraços, pastor! Sempre leio seus artigos, assisto seus vídeos, acompanho suas pregações....

Responder
avatar
ruiluizeto
AUTOR
12/1/19 11:41 delete

Referendo,
Muito pertinente esse artigo, que Deus lhe abençoe e continue conduzindo a sua vida para esclarecer o que a Palavra de Deus trata diversos assuntos da vida do ser humano.
Que a paz de Jesus nosso Senhor esteja convosco.

Responder
avatar
12/1/19 11:42 delete

Pastor muito esclarecedor, que o espiríto santo de Deus continue capacitando o senhor.

Responder
avatar
12/1/19 11:43 delete

Perfeito pastor! Explanou muito bem e já augumentando contra qualquer argumento contrário. Muito bem explicado e com respaldo!

Responder
avatar
12/1/19 11:43 delete

Como é bom saber que em tempos tão difíceis ainda nos resta por parte do Senhor homens comprometidos com a verdade! Tenho sido taxado de fundamentalista também, não me importo desde que seja bíblico. Meu desejo é que Jesus mude os corações enganados pelo erro

Responder
avatar
Dr vader
AUTOR
12/1/19 11:48 delete

Assisti o Filme A Caminho da Fé, que conta a história do Pastor Carlton Pearson, acho que se encaixa bem neste contexto. Um Deus que "salvou" todos, independentemente de quem aceitou Jesus, numa leitura a meu ver errônea da Palavra de Deus. Seu livro "The Gospel of Inclusion" é um exemplo dessa permissividades e prega a diversidade, que penso, leva muitos ao engano sobre esse e outros temas.

Responder
avatar
12/1/19 11:51 delete

Excelente texto apologético. Deus abençoe pastor. Hoje vivemos uma época em que dizem que deua é amor se referindo a Eros, o deus grego erótico do amor. O Deus bíblico é agape, é santo e abomina o pecado.

Responder
avatar
davidcs
AUTOR
12/1/19 11:56 delete

Paz, pastor Nicodemos. Um dos maiores calos de nossa sociedade é a falta de leitura. Quando me refiro ao povo cristão, isso é de uma gravidade maior, pois a conduco, muitas das vezes, é baseada naquilo que se acredita que é bom. Nesse seu texto/artigo, este claro que o amor de Deus é inclusivo, mas não permissivo. Assim como diversas outras práticas pecaminosas que por falta de conhecimento e temot, muitos cristãos ainda insistem em fazê-los. Deus lhe abençoe.

Responder
avatar
Ylana
AUTOR
12/1/19 12:05 delete

Excelente texto Reverendo! Muito bem embasado nas escrituras.

Responder
avatar
12/1/19 12:15 delete

17. Pois, se pela transgressão de um só homem, a morte reinou por meio desse, muito mais os que recebem da transbordante provisão da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por intermédio de um único homem: Jesus Cristo!
(Romanos, 5)

Responder
avatar
12/1/19 12:16 delete

Karen, tomo a liberdade de informar pra você que há um vídeo no YouTube, do Pastor Augustus, que trata deste assunto: Nossas palavras revelam quem somos.Eu assisti!muito bom!

Responder
avatar
Naldo Matos
AUTOR
12/1/19 12:23 delete

Pastor, sendo o homossexualismo fruto da queda, se um homosexual assumir sua homossexualidade e querer viver uma vida de luta contra essa tentação, a igreja deveria aceitar e tratar como um pecado igual aos demais? E qual a dificuldade das igrejas em enxergarem o pecado da homosexualidade igual aos demais?

Responder
avatar
12/1/19 12:24 delete

Ótimo texto, pastor. Fica claro que quando a igreja abandona a inerrância das escrituras, tudo é permitido, tudo é relativo.
Que o SENHOR abençoe sua família ministério, pastor.

Responder
avatar
Marcia Melo
AUTOR
12/1/19 12:25 delete

Pr Augustus,

Parabenizo pelo texto, entretanto tenho uma dúvida real: como cristãos, como devemos nos posicionar em relação à união civil? pois a meu ver não tem o mesmo "peso" do casamento como instituição divina.
Nem acho que a igreja tenha se posicio ado corretamente em relação a isso, o que gera duvidas e polêmicas. Eu mesmo tenho me isentado nesse quesito por entender que, sendo o estado laico a igreja não teria como se opor,mas lendo seu artigo vejo que a igreja teria que se posicionar ativamente e ser contrária. É essa a sua posição? Não quero polemizar. Estou realmente com essa duvida.
Desde já agradeço sua atenção!!

Responder
avatar
12/1/19 12:43 delete

Deus te abençoe, pastor Augustus! Texto muito bem preparado e embasado nas Escrituras que são nossa regra de fé e prática.

Responder
avatar
Vania
AUTOR
12/1/19 12:46 delete

Agradeço à Deus pela sua vida, pois hoje muitos líderes se calam amando suas cabeças.

Que Deus abençoe sua vida à cada dia mais e lhe dê espírito de ousadia para continuar proclamando a Verdade sem querer agradar a homens

Responder
avatar
12/1/19 12:51 delete

Graça e Paz Rev. Augustus Nicodemus.

Pra mim, é uma grande honra poder falar com alguém como o senhor, quem tem minha estima e meu respeito.

No caso, uma dúvida que eu tenho: quando a Bíblia se refere a "homossexualidade", ela está falando da relação entre pessoas do mesmo sexo ou do sexo anal? Por que os textos bíblicos são claros para homossexuais masculinos, mas são ambíguos para homossexuais femininos. Por exemplo, a única referência usada para mulheres homossexuais é Romanos 1:26, o qual também pode ser interpretado como mulheres que praticam sexo anal, semelhante aos homossexuais masculinos (v.27). Além disso, no contexto histórico, o lesbianismo não era comum em Roma, entretanto era comum as romanas praticarem sexo anal, para preservar o hímen até o casamento.

Desde já grato pela atenção e aguardo esclarecimentos, Reverendo.

Responder
avatar
12/1/19 12:51 delete

Reverendo Augustus eu o admiro pela sua capacidade de expor a palavra de Deus. Eu irei enviar essa reflexão a um aluno meu que se diz crente é homossexual e oro ao Senhor que ele possa abrir a mente e o coração para receber.
Vítor Resende (PIPG)

Responder
avatar
12/1/19 13:09 delete

Pastor, excelente texto. Muito bem embasado. Que Deus continue lhe dando sabedoria e força.

Responder
avatar
12/1/19 13:11 delete

A paz do senhor.
Pastor, gostaria de parabenizar-lo pelo estudo, um alerta para os falsos mestres que conforme foi pré anunciado, se cumpre nos dias hodiernos, espero que a igreja tenha compreensão do nosso papel na sociedade, não vos conformeis com esse mundo, mas devemos buscar a renovação do entendimento, se os argumentos supracitados ( "teologia inclusiva" ) sao mentiras e ofensas a sã doutrina da palavra de Deus, devemos nos ate a isso que está surgindo com mais crédito para proteger o rebanho que Deus nos confiou de tantas heresias, te agradeço pelo alerta e oro por sua vida continue usando o conhecimento que Deus te deu em favor da humanidade, Deus te abençoe! Um abraço. Evangelista Gerlandio.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 13:22 delete

Esclarecedor pastor👐 minha interpretação também.. Deus ama o pecador mas não o pecado🙌 Precisamos muito interpretar a Bíblia de forma correta e não adequada-la as nossas necessidades. Deus abençoe.

Responder
avatar
12/1/19 13:38 delete

Excelente argumentação Rev.Augustus.
Saiba que o senhor tem meu respeito.
Que Deus continue te dando graça para expor as verdades imutáveis da palavra de Deus.

Responder
avatar
Simone S.
AUTOR
12/1/19 13:42 delete

A diferença de ler um texto maravilhoso escrito por um homem abençoado como o senhor reverendo e sua postura firme e coerente com as verdades da escritura...Deus continue te abençoando

Responder
avatar
12/1/19 13:43 delete

Excelente pastor! Deus continue abençoando sua vida. Compartilharei com os jovens da minha igreja!

Responder
avatar
Gabriela
AUTOR
12/1/19 13:55 delete

Graças a Deus pela sua vida. Precisamos de teólogos com conhecimento e fidelidade às escrituras. Tenho visto e lamentado que cristãos aceitem o homossexualismo, mas também é preocupante ver que pra outros cristãos o homossexualismo é colocado como um pecado "mais grave".

Vou compartilhar esse texto com amigos. Obrigada.

Responder
avatar
Marcos
AUTOR
12/1/19 13:56 delete

Pastor Nicodemos, que o Senhor Jesus continue lhe abençoando e te dando força para continuar adiante.
Tenho aprendido muito com as suas ministrações, fico maravilhado como o Senhor transmiti a Palavra de Deus. Sou amante da pregação expositiva.
Um forte abraço.

Responder
avatar
12/1/19 14:04 delete

Obrigado pelo excelente texto! Que o Senhor continue lhe dando saberia.

Responder
avatar
Mel Barbosa
AUTOR
12/1/19 14:21 delete

Excelente texto. Refuta a Teologia Inclusiva deixando claro que não devemos odiar os homossexuais, bem como nenhum outro pecador...e que nos posicionarmos diante do pecado é Bíblico. O SENHOR o abençoe e continue a capacita-lo cada vez mais na instrução das SAGRADAS ESCRITURAS.

Responder
avatar
12/1/19 14:26 delete

Excelente artigo! Refutou cada argumento da "Teologia Inclusiva" com sabedoria e Escrituras!

Que Deus o abençoe!

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 14:29 delete

Pastor a biblia abrange tudo sobre
Deus? Deus possui padrões? Uma familia do oriente médio onde um homem possui varias esposas é possível ser incluso no cristianismo? A diversidade e a diferença faz parte do evangelho? Poderia me auxiliar com essas dúvidas?

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 14:54 delete

Belo texto.
A Palavra deve ser aceita como é, mesmo parecendo dura. No início, a disciplina (abandonar os nossos maus desejos) é desagradável, mas o resultado da colheita é a vitória em Cristo (vida eterna de alegria e comunhão com o Criador).

Responder
avatar
Alex
AUTOR
12/1/19 15:04 delete

Excelente texto!!! Parabéns pela coragem de abordar um tema tão difícil para os dias atuais. Entendo que o amor às almas que estão sendo enganadas por esta teologia nos obriga a adverti-los quanto ao engano em que estão vivendo.

Responder
avatar
Ricardo
AUTOR
12/1/19 15:05 delete

Thiago Herrera, por que não nos apresenta argumentos que sustentem as acusações que fez acima? A Teologia do Pastor Augustus é sem dúvidas a mais sóbria que conheço. O homossexualismo é pecado sim e redunda em condenação sobre os que o praticam, assim como insultar um irmão, ou você nunca leu Mateus 5:22
" Mas eu lhes digo que qualquer um que ficar com raiva do seu irmão será julgado. Quem disser ao seu irmão: “Você não vale nada” será julgado pelo tribunal. E quem chamar o seu irmão de idiota estará em perigo de ir para o fogo do inferno.
Mateus 5:22 NTLH
???
Fica evidente que ou você não conhece a sã doutrina ou você foi confrontado por ela e não consegue aceitar a verdade.

Responder
avatar
Nekson
AUTOR
12/1/19 15:22 delete

Deus abençoe pastor ótimo artigo

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 15:22 delete

Excelente texto pastor! Estamos vivendo o tempo do relativismo extremo, mas a palavra do Senhor permanece para sempre (Mateus 24.35)!

Responder
avatar
gaa
AUTOR
12/1/19 15:27 delete

O Senhor continue lhe encorajando com toda graça e poder amado pastor!!! Não me canso de agradecer a Deus pela vida do querido pastor Augustus!!! Forte abraço, Deus te abençoe!!!

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 16:00 delete

Reverendo!!
Então se a pessoa têm uma inclinação homossexual independente das situações as quais o senhor sitou em seu texto isso não seria uma anomamia??
Mesmo ela tendo essa inclinação o ideal não seria ela se abster da vida sexual e tomar uma posição de eunuco???
Tenho um primo homossexual e ele me disse que não fez a escolha mas nasceu assim,e essa situação que ele diz que nasceu com essa inclinação comi fica???

Responder
avatar
Mateus Mori
AUTOR
12/1/19 16:05 delete

Oi Augustus, escrevi faz um bom tempo sobre o tema, mas infelizmente parece que aos poucos alguns cristãos estão sendo tragados pelos ventos de doutrinas de homens (ou por ingenuidade ou porque são lobos mesmo). O texto parece bem completo em relação ao estado atual das coisas.

Nesse meu texto* (link abaixo) fiz uma reflexão de qual era a situação no período apostólico e do Império Romano. Fica muito claro que se tem algo ou alguém que rompeu com vãs tradições, esses foram o cristianismo e Jesus Cristo. Qualquer tentativa de torcer as Escrituras, escolhendo trechos específicos e não fechando com ela toda já estava profetizada pelo apóstolo Pedro: "Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras...muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade" (2Pe 2.1 e 2).

* https://pensamentobleh.weebly.com/fundamento-do-casamento-e-dos-relacionamentos/uniao-civil-homoafetiva-e-casamento-gay

Responder
avatar
Guto Rocha
AUTOR
12/1/19 16:07 delete

Caríssimo Rev. Augusto, seu texto é lúcido, portanto, esclarecedor sob todos os aspectos bíblico-teológicos. A teologia inclusiva é tolerante com o pecado e ponto final. Os que torcem a Palavra de Deus são considerados anátemas, isto é, os que tiram ou acrescentam uma vírgula são considerados hereges, logo, malditos. É isso.

Responder
avatar
12/1/19 16:18 delete

Os cristãos têm falhado em um ponto importante em não demonstrar o amor que deve ter para com os homossexuais, quando faz críticas ofensivas às suas práticas. Em hipótese nenhuma um cristão deve concordar com o homossexualismo como uma prática permitida por Deus pois a Bíblia não deixa dúvidas quanto a isso, mas falta a muitos cristãos demonstrar o amor, que é o fruto mais importante do Espírito Santo em nossas vidas, para com aqueles que não foram convertidos! Há no meio cristão um repúdio particular ao comportamento sexual pecaminoso considerando-o como mais afrontoso e ofensivo do que os demais pecados? Isso é falta de sensibilidade ao sofrimento e a cegueira daqueles que são dominados por este pecado em particular? Lembremos sempre que um dia estivemos distantes de Deus como eles estão hoje e que estes poderão estar como estamos hoje : salvos pela graça e misericórdia daqueles que nos salvou! É preciso um ministério específico na Igreja para tratar dessa questão delicada e pouco abordada em nossos cultos e ensinos em geral. Quantos homossexuais eu levei à Igreja para ouvir o Evangelho? Quantas prostitutas e quantos travestis eu apresentei ao pastor da minha Igreja nos últimos 10 anos?

Responder
avatar
Aline Netto
AUTOR
12/1/19 16:24 delete

Que artigo!
Obrigada por permitir que o Senhor Nosso Deus fale através de sua vida, pastor!

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 16:25 delete

Excelente exposição Rev. Augustus Nicodemus!
Que Deus continue lhe dando graça, sabedoria, discernimento e coragem!

Responder
avatar
jose renato
AUTOR
12/1/19 16:35 delete

Olá boa tarde PR..Graça e paz!

Excelente artigo,expõe de maneira clara o significado literal e contextual de cada referência bíblica, além de bons argumentos...de fato tem ficado cada vez mais difícil falar sobre o referido tema sem receber uma manifestação contrária aos nossos argumentos..engraçado que as pessoas buscam a Deus e querem vivem segundo seus deleites e inclinações do coração, e descansam somente na "esfera do amor e da graça", e esquecem que Deus também é um Deus Santo e Justo..logo requer dos seus também tal postura..e mais não somos nós que mensuramos ou estabelece o amor de Deus...creio que o amor de Deus relacionado a nós implica antes de mais obediência aos seus princípios e mandamentos...Jesus deixa claro isso na sua despedida em João 15...Vivemos Pr a era da Pós verdade onde as pessoas estão fundamentadas em achismos e sensações..ignorando qualquer fundamento bíblico ou científico que vão contra suas convicções e valores...Grande abraço PR e valeu pelo artigo!

Responder
avatar
12/1/19 16:51 delete

Caro Rev Augustus. Graça e Paz vos sejam abundantes da parte de Deus Pai, e da Do Nosso Senhor Jesus Cristo.

Estou escrevendo sobre o tema. Confesso que estou há dias com dificuldades de compor certos comentários. Lendo seu texto me arrepiou. Digo isso pois o Rev expressou o que eu gostaria de falar.

Assim, peço autorização para citar partes do texto com a devida referência.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 17:00 delete

Aunque es en español, le doy gracias a Dios por su vida y por la enseñanza profunda acerca de este tema. Siempre habrá personas que cuestionen nuestro punto de vista, sin embargo, la verdad se defiende por si sola, y es lógica la respuesta a lo que usted escribe porque checa perfectamente con la razón. Sin embargo los que tienen la mente distorsionada, pues han permitido que sus emociones y estilo de vida les gane, pues están discapacitados para discernir lo que significa la ley moral. Finalmente la cuestión de las desviaciones sexuales son tan placenteras, porque el placer que provoca, es semejante al placer de la heroina, por lo que será muy difícil que una persona hedonista entre en razon. Su razón, está bajo el dominio del placer. Felicitaciones por este artículo. Dr. Armando Chavez de México.

Responder
avatar
12/1/19 17:01 delete

Ótimo texto, pastor. É sempre reconfortante ver que ainda existem líderes religiosos que não abandonaram a sã doutrina.

Que Deus continue abençoando seu ministério :)

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 18:00 delete

Eu não consigo entender como as pessoas conseguem ser tão néscias ao ponto de não entender que a palavra de Deus não negocia com que é errado. O que eu penso é que essas pessoas querem que a palavra de Deus se adaptem a elas , mas elas não querem se adaptar . Mas espero que Deus tenha misericórdia dessas vidas !

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 18:03 delete

Cuidado com que você profere , conheço muitas histórias na Bíblia de pessoas que que foram contra um servo de Deus que no final , o fim foi trágico! Pensa nisso.

Responder
avatar
Gabriel
AUTOR
12/1/19 18:14 delete

Olá pastor,

Muito esclarecedor o seu artigo, mas eu continuo com uma dúvida. O Estado proibir o casamento homossexual, mesmo não obrigando as igrejas de realizarem tais cerimônias, não seria uma espécie de teonomia violando a laicidade do estado? O senhor poderia recomendar algum material com essa temática, o cristão e o estado laico?

Obrigado

Responder
avatar
Evelyn
AUTOR
12/1/19 18:26 delete

Fiquei muito feliz em encontrar esse artigo. Eu tenho amigos homoafetivos por quem tenho muita consideração e respeito, e vejo sim um sentimento sincero e não uma depravação sexual. Eu vejo. Mas eu lendo a Bíblia não consigo conciliar o que ela diz com isso. Assim como o adúltero pode chegar a amar a amante mais que a própria esposa, por admiração sincera, vejo que o homosexual também pode.
Obrigada por esclarecer esses pontos com tanto respeito. Deus continue te abençoando. Incrível como através dessa ferramenta da internet, Deus se comunica com a gente e responde nossas perguntas!

Responder
avatar
12/1/19 18:27 delete

Sou grato a Deus por sua vida e seu conhecimento passado de forma simples e didática. Que Deus continue o abençoando e sustentando em fé

Responder
avatar
12/1/19 19:41 delete

Parabéns Pastor. Muito bem embasado, explicado, exemplificado e tocando nos principais pontos defendidos pela "teologia inclusiva". Compartilhado nos grupos da comunidade em que faço parte.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 19:45 delete

Pastor, fugindo do assunto, que por sinal é muito esclarecedor gostaria da indicação de algum meio (site,livro, etc) para estudo bíblico completo, uma vez que onde moro tive e continuo tendo dificuldade para encontrar uma igreja bíblica, infelizmente.

Responder
avatar
Jef Thrash
AUTOR
12/1/19 19:47 delete

É realmente assustador esses tempos em que vivemos.
É uma completa inversão de valores e a gente é que ta errado por defender o certo.

Os caras querem adaptar a bíblia conforme a vil fantasia grotesca e desejo deles.
Não duvido nada daqui a pouco ta aparecendo fornicador, adúltero, ladrão, homicida querendo caçar uma brecha também pra se justificar, do jeito que as coisas tão andando, hoje em dia não se pode mais duvidar de nada.

Vou te dizer uma coisa e presta bastante atenção nisso: não é a palavra de Deus que tem que se adaptar as nossas vontades e caprichos não, somos nós que temos que nos adaptar e ela e mudar os nossos caminhos!

Ora, se antes eu era um mentiroso compussivo e não conseguia ficar um dia sem mentir, se me converto a Cristo, tenho que mudar esse aspecto ruim do meu caráter.

Sabe uma palavra que todos nós conhecemos a respeito da vontade de Deus para o homem?
aquela famosa palavra "crescei e multiplicai". E quando Deus faz aliança com Abraão dizendo para ele contar as estrelas, por que numerosa seria sua descendência.

Agora me responde ai, um homem mais outro homem pode ter filhos?
e uma mulher com outra mulher pode ter filhos?
É um dos desejos de Deus para o homem, que ele tenha descendência, que ele se multiplique na terra(salvo os que são separados para a vida celibatária).
No dia que duas pessoas do mesmo sexo gerarem um filho eu calo a minha boca.

Agora vocês vêm querer justificar uma atrocidade moral dessas usando ainda por cima a bíblia?
Toma vergonha nessa cara e vai se converter!
Jesus disse "ide por todo mundo e pregai o evangelho. Aquele que crer será salvo, o que não crer JÁ ESTÁ condenado."

Jesus disse pra pregar o evangelho, e não pra distorcer o evangelho, que é o que vocês fazem.
Na palavra de Deus diz que ai daquele que acrescentar ou tirar algo das santas escrituras.
Paulo disse que se aparecer homem OU MESMO UM ANJO que diga palavra contrária aquela, que seja anátema!(que seja amaldiçoado)
Então eu digo com toda a certeza que não é o Pastor Nicodemus que está sob maldição, já você...

Ta pensando o quê... que alcançar a salvação é um piquenique, um paseiozinho no parque? ta achando que é fácil? aaahhhh meu amigo, pois eu te digo que não é não! não se engane...
ser cristão é negar a própria carne, é renúncia, e isso dói, porque a carne quer uma coisa e te puxa pra um lado, mais o espírito tem que prevalecer. É nadar contra a maré e o censo comum, isso dói cara, não é fácil. "Negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me". Tu acha que isso é simples, que é fácil?

Por isso o próprio Jesus disse que há duas portas, a larga e a estreita, e como são muitos que vão pela larga! o caminho que conduz a vida é apertado, por que requer renúncia, e o pecado é bom demais, essa é a verdade, é prazeroso na hora, porque se fosse ruim ninguém pecava. Bem aventurado é o homem que busca sabedoria em Deus e procura se afastar da vaidade.

Arrependa-se e se converta dos seus maus caminhos e do engano do diabo, caso contrário, já sabe o que te espera.

Responder
avatar
12/1/19 19:56 delete

Gostei muito desse texto:

"O casamento está no âmbito da autoridade do Estado e os cristãos são orientados pela Palavra de Deus a se submeter às autoridades constituídas; contudo, a mesma Bíblia nos ensina que nossa consciência está submissa, em última instância, à lei de Deus e não às leis humanas"...

Muito bem pastor que Deus continue lhe dando ousadia de defender as sagradas escrituras e padrões dovinos.

Responder
avatar
James Assis
AUTOR
12/1/19 20:20 delete

Ótimo texto!
Parabéns Pastor Nicodemos. Que o Senhor Deus o continue abençoando para que o senhor também nos abençoe como fez, nos transmitindo essa maravilhosa informação.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 20:21 delete

Fico maravilhada com o entendimento e sabedoria que o Espirito Santo derrama sobre Reverendo Augustos Nicodemos.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 20:41 delete

Explicação perfeita, pastor! Deus abençoe grandemente sua vida. As suas pregações que tenho assistido pelo YouTube tem sido uma benção pra mim. Torço para que o senhor venha pregar em Belo Horizonte o mais rápido possível. Um grande abraço!

Responder
avatar
xxxxx
AUTOR
12/1/19 20:47 delete

Infelizmente estamos num tempo em que muitos querem a Deus, mas rejeitam serem santos e seguirem a sua palavra! É cômodo seguir a Jesus e fazer uma interpretação equivocada da Bíblia, apenas, para ser aceito e colocar panos quentes em cima do pecado. Concordo com cada palavra do senhor Rev. e glorifico a Deus pela sua vida, pois existem muitos que querem empurrar o falso evangelho goela abaixo, mas o senhor sempre está ao contrario deles e propagando a verdade do Reino!

Responder
avatar
fpv set
AUTOR
12/1/19 21:18 delete

Excelente texto pastor. Deus continue babenvaben o senhor e sua família. Fica na paz

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 21:24 delete

Magnífica explanação obre o tema Pastor Nicodemus, mas uma vez vale a máxima "E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará". A "Teologia Inclusiva" está arrebatando a muitos.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 21:30 delete

Simplesmente palavra abencoadora, baseada na biblia e muito atual. Muito bem colocada a questao que o pecado do homossexualismo não é passivel de condenação eterna, enquanto houver vida há tempo para arrependimento. Deus abençoe sua vida pastor.

Responder
avatar
12/1/19 21:31 delete

Obrigada pastor, por compartilhar conosco com profundidade um tema como este!!!!

Responder
avatar
ELCE Leal
AUTOR
12/1/19 21:35 delete

Muito bom Pr! O Sr tem coragem e autoridade para falar nesse assunto. Deus continue lhe abençoando e lhe ueando para maior glória dEle!

Responder
avatar
ELCE Leal
AUTOR
12/1/19 21:37 delete

Parabéns Pr pelo texto! O Sr tem coeacor e autoridade para falar nesse assunto. Deus continue lhe abencabenç e lhe usando para maior gligló dEle!

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
12/1/19 21:42 delete

Apesar da não aceitação da verdade da bíblia, a palavra é viva e eficaz não mudará nem passará; fato este que milhões já se renderam, mudaram de vida em todos os aspectos.O importante é pregar a tempo e fora de tempo,E é o que têm feito a igreja de Jesus Cristo :graça e paz.

Responder
avatar
12/1/19 22:06 delete

Excelente comentário Pr Augustos nicodemos Lopes ! Que DEUS continue trazendo luz a sua mente e incendiando seu coração .

Responder
avatar
12/1/19 22:44 delete

Concordo com o que o Sr escreveu, pois acredito nas Sagradas Escrituras, qualquer conceito fora da Biblia considero conversa pra boi dormir, obrigado Pastor.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
13/1/19 01:00 delete

Bom texto. Acho um pouco complicado o uso do termo "natural". Práticas homossexuais são naturais em mamíferos e aves por exemplo. Se homo-afetividade está presente no comportamento humano então está de acordo com a natureza humana. Sim podemos usar da teologia para discutir a questão da queda na natureza e então defender que prática homossexual não é o telos do Criador. Bioestatisticamente, comportamento homossexual se encontra em uma distribuição inferior a 10% dos animais, inclusive humanos. Portanto não é "normal" mas é "natural". A natureza portanto não deve ser tomada como argumento para a defesa da teologia cristã, mas sim somente a revelação. Já que a natureza, segundo a revelação, entendemos que se encontra em um estado "caído".

Responder
avatar
Martha
AUTOR
13/1/19 06:05 delete

Parabéns pastor Nicodemos muito sábia que Deus abençoe sua vida.

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
13/1/19 10:04 delete

Sensacional e muito esclarecedora suas colocações rev. Augusto Nicodemos DEUS conserve seu coração na verdade e na vontade da palavra de DEUS..

Responder
avatar
13/1/19 10:41 delete

Reverendo, vendo isso aqui, acreditando na infalibilidade e na inerrância das escrituras, lembrei-me de Mateus 5:11-12. Para mim o texto foi instrutivo e edificante. Que Deus continue abençoando e dando sabedoria ao senhor.

Responder
avatar
13/1/19 12:38 delete

Como disse certa vez Mcarthur
A heresia vem montada no lombo da tolerancia

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
13/1/19 16:25 delete

PR.Augustus .não perca seu precioso tempo, com quem não está com interesse de aprender ! Louvamos a Deus por sua vida ,o Senhor é precioso para nos..Eu entendo seu bom coração de " se explicar" ..mas veja, as escrituras te justifica. Basta.

Responder
avatar
13/1/19 18:34 delete

Ola Nicodemus. Acho que o artigo pistadp no blog de John Piper complementa teu artigo. Abraços, Marcos.

The biblical opposite of homosexuality is not heterosexuality — that’s not the ultimate goal. But the opposite of homosexuality is holiness.

https://www.desiringgod.org/articles/what-is-the-opposite-of-homosexuality?utm_campaign=Daily+Email&utm_source=hs_email&utm_medium=email&utm_content=68922429&_hsenc=p2ANqtz-940v9tGiYWnXKC1qtWdccsm6gW2YwsYfQZG_4iPqWiszLFzDxi5mKtMA2v98a88Od3dV6Td1ZidQrOG7tzlcOD3ih0lA&_hsmi=68922429

Responder
avatar
14/1/19 17:18 delete

Que Deus continue te abençoando, querido Reverendo, e lhe dando os meios pra nos ajudar a crescer em conhecimento. Grata.

Responder
avatar
15/1/19 21:03 delete

Parabéns pastor, muito bom e esclarecedor seu texto. Que Deus continue te usando!! Abraços

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
18/1/19 23:20 delete

O senhor é com vc POSTO AUGUSTUS NICODEMOS

Responder
avatar
Unknown
AUTOR
19/1/19 07:19 delete

Pastor, sou psicólogo e atendo algumas pessoas homossexuais. Não concordo com a prática homossexual, porém preciso receber essas pessoas em consulta com amor e amparo, de forma que elas se percebam como seres humanos que são.
E uma linha muito tênue.
Em psicanálise trabalhamos com a chamada transferência e contra- transferência. Em transferência percebo a angustia com a qual o paciente se apresenta, em contra transferência, deixo ele perceber o quanto Deus o ama, e quer resgata-lo.
Em todos esses casos fico em oração, para que Deus pelo seu Espírito Santo, revele sua vontade ao coração dessas pessoas e que elas sejam arrebatadas das garras de Satanás, em cuja vontade estão presas.
Artigos como esses me ajudam a corrigir minhas rotas, amar os perdidos aborrecendo o mal.
Deus abençoe sua vida, sua família e seu ministério.
Abraços

Responder
avatar
Davison
AUTOR
1/2/19 19:02 delete

Ser tentado não é pecado, mas o desejo por aquilo pelo que eu estou sendo tentado, é pecado, e carece de arrependimento!

Responder
avatar
5/3/19 14:46 delete

Boa tarde, Pastor Augusto!
Parabéns pelo excelente artigo!
Permitam-me tão somente uma palavra: certos tipos de comentário nem merecem resposta. Infelizmente, há pessoas cujas mentes são tão limitadas que não conseguem alcançar o conteúdo deste blog. Falta-lhes de tudo: conhecimento bíblico, autoridade, sabedoria e, até mesmo, educação e bom senso. Infelizmente, muitas igrejas estão cheias de gente sem conteúdo e impregnadas de fanatismo.
Eu e minha família temos sido muito abençoadas pelo seu canal no YouTube.
Que Deus continue lhe dando graça e sabedoria!

Responder
avatar
10/3/19 19:15 delete

Grande artigo, pr Augustus.

Parece que oa cristãos hoje em dia têm medo de falar a verdade, pois vivem num mundo que a sufoca. Louvo a Deus por ainda existirem vozes como a sua, que não perderam a coragem e a fé para, se necessário, se opor ao senso comum imposto pela minoria falante desse país.

Sempre acompanhado suas pregações e artigos. Deus te abençoe.

Responder
avatar
Lucas Soares
AUTOR
29/3/19 09:23 delete

Muito bom artigo pastor. Gloria a Deus eu te dou pela sua vida e q vc possa continuar nos pastorendo e fortalecendo nossa fé!!!

Responder
avatar
Unknow
AUTOR
9/4/19 20:57 delete

Muito obrigada reverendo, eu estive acompanhando alguns desses movimentos nos meios cristãos e encontrava pouco material que me ajudasse a estudar o tema, foi de muita valia!

Responder
avatar
20/4/19 18:44 delete

Excelente iniciativa Reverendo, esclarecer algumas linhas de pensamentos contrárias às Escrituras, e denunciar falsas teologias.

Responder
avatar
24/4/19 18:56 delete

Quantas identidades de gênero há no Brasil?

Gerhard Erich Bœhme 

O tema é importante e deve ser denunciado, como o faz a Ministra Damares Regina Alves:

70 tipos de identidade de gênero
https://youtu.be/GVsE8W4P5qc

Na realide o que temos, como mostram inumeros estudos sérios, é que entramos na era das parafilias, agora há mais uma opção para os esquerdistas, nos seus diversos tons de vermelho até o furtacor. Terão a opção da robôfilia, assim como o iPhone de última geração que é o sonho de consumo capitalista deles. São bonecas que irão satisfazer os desejos dos que adotam inúmeros comportamentos.


Robôfilia

http://www.jornalciencia.com/robos-sexuais-com-penis-funcional-e-inteligencia-artificial-podem-entrar-no-mercado-este-ano/


Ao longo dos tempos a homofilia deixou de ser crime e eles quase que conseguiram torná-la obrigatória nas escolas. 

A pedofilia ainda é crime, mas por conta deles já virava arte nos seus Queermuseu com verbas do contribuinte via Lei Rouanet, além de aprovarem esta conduta tida como normal pelos muçulmanos. 

A necrofilia ainda é crime, tipificada no Código Penal, assim como a zoofilia, que é crime devido ao potencial de se levar ao sofrimento e contaminar os animais, está prevista na Lei de Crimes Ambientais, que também foi recepcionada pelo Código Penal. 

A coprofilia, assim como a homofilia, é aceita pela sociedade, mas sua prática deve se dar reservadamente, embora já ocorram as práticas coletivas em muitas universidades federais e nas universidades públicas paulistas. Agora terão a opção da robôfilia.

Parece que o "ser" (nada) humano caminha para a bestialidade. 

Eu, que não sou especialista, entendo que merece ser tratado. Outros defendem a ideia de que devem ser "glorificados", principalmente na Avenida Paulista nas suas passeatas "alegres" financiadas com dinheiro público Federal e  pela Prefeitura de São Paulo na época de Haddad e outros socialistas.

Recomendo que o tema seja debatido:
https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/distúrbios-de-saúde-mental/sexualidade/considerações-gerais-sobre-parafilias-e-transtornos-parafílicos

E afirmo isso pelo fato de que não está apenas limitado a impor custos apenas a eles, que sofrem ou apoiam estes comportamentos, no meu entender, doentios, mas a toda a sociedade, principalmente porque  os elevados custos  estão sendo repassados por eles  nos planos de saúde privados, como o sistema público de saúde, como nos esclarecem muitos especialistas, com destaque que deve ser dado ao alerta da Dra. Anete Guimarães:

https://youtu.be/AfIAQ6qmLKc

Recomendo que as entidades de saúde informem estes custos, para que a sociedade possa decidir se deve ou não arcar com eles, principalmente quanto aos transtornos mentais  impostos, os quais estão levando parcelas significativas de jovens a se mutilarem ou se suicidarem.

Qual o custo para o contribuinte e o impacto para a saúde humana?

Responder
avatar