sábado, fevereiro 05, 2011

Augustus Nicodemus Lopes

PCUSA prestes a se dividir

Ao que parece, a PCUSA (Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos) está no processo de sofrer uma grande divisão. Um grande número de pastores e igrejas que durante 35 anos ficaram no lado contrário da tentativa de aprovarem pastores gays e pastoras lésbicas, casamento gay e outros pontos da agenda liberal, estão liderando uma saída em massa da denominação. Argumentam que não suportam mais esta discussão, ao presenciarem durante estas décadas a PCUSA minguar, perdendo membros aos milhares a cada ano.

A convocação para uma reunião dos evangélicos que ainda restam dentro da PCUSA foi feita no dia 02 de fevereiro. Vejam a convocação e as razões apresentadas aqui.

A reunião está marcada para os dias 25-27 de agosto de 2011, em Mineápolis. Na pauta está incluida a viabilidade da criação de uma nova igreja presbiteriana que adote o que eles chamam de "Um núcleo teológico claro e conciso ao qual iremos subscrever, dentro da clássica tradição Reformada, bíblica e evangélica, e um compromisso de viver de acordo com essas crenças, independentemente de pressões culturais". 

Quando apelar para os concílios não resolve mais, quando o assunto em pauta é uma clara desobediência à Palavra de Deus, quando tudo o mais já foi tentado, sem resultado, nada mais resta aos crentes senão sair, com tristeza, e se reunir com outros que compartilham do mesmo apreço à Palavra de Deus.

[Foto: pastor da PCUSA em campanha pró-homossexuais] 

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

32 comentários

comentários
5/2/11 15:36 delete

Amado Rev. Augustus;

Na efetivação dessa cisão, que se mostra necessária, quais seriam, no seu entendimento, as consequências para IPB?

Que foto aviltante!!! É explícita provocação e desnecessário desrespeito, como se novamente cuspissem no nosso Salvador Jesus Cristo.

Amado Augustus, desejo que Deus o abençõe ricamente, assim como ao Mauro e ao Solano, para que continuem a preconizar o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo. Creio que Deus lhes concedeu dons e circunstâncias de vida especiais para tal propósito. Afirmo, testificando, que o apascentamento, por uma Igreja Prebeteriana do Brasil, a mim e a minha família é também fruto das sementes lançadas nos textos e demais documentos expostos neste blog. Serviu-me como um aio na procura de uma Igreja verdadeiramente séria, compromissada tão somente com a Palavra de Deus, proclamando-a e vivendo-a.

Paulo Celeste - Sorocaba/SP

Responder
avatar
5/2/11 16:05 delete

Caro Augustus:

Notícia bem pertinente e atualizada. Certamente um movimento a ser monitorado. A parte intrigante, é: por que não juntar-se a vários presbiterianos que já existem, alguns dos quais que saíram da PCUSA pelos mesmos motivos? Temos a PCA, a EPC, a BPC, a OPC - pelo menos; mas irão criar uma nova denominação?

Solano

Responder
avatar
5/2/11 16:13 delete

Solano,

Acho que a razão é que praticamente nenhuma destas denominações que você mencionou aceita ordenação feminina.

Esse pessoal da PCUSa que está planejando a retirada aceita. A briga deles é contra ordenação de homossexuais, etc.

Eu pessoalmente acho que apesar de serem duas coisas distintas, os argumentos usados para ordenação feminina, tais como o viés cultural das passagens de Paulo, são alguns dos mesmos argumentos usados para a aceitação da conduta homossexual. Uma vez que a PCUSA aceitou estes argumentos no caso da ordenação feminina, fica aberta a porta para se usar a mesma lógica em outros casos.

Responder
avatar
R.
AUTOR
5/2/11 16:32 delete

Já era hora dos membros da PC(USA) comprometidos com as verdades bíblicas tomarem uma atitude.

Como o Rev. Augustus apontou, quando a clara desobediência a essas verdades é identificada e nenhuma ação séria é tomada, a alternativa é, infelizmente, a divisão.

Triste ver como o liberalismo teológico e as influências culturais conseguem acabar com uma denominação tão significativa como a Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA), a maior presbiteriana daquele país.

Reverendo Augustus, a situação da Church of Scotland seria parecida com essa da Presbyterian Church (USA) atualmente? Você tem conhecimento de algum movimento de "retorno às origens" na igreja que deu origem ao presbiterismo e que agora também ordena homossexuais? A "World Reformed Fellowship" tem algum papel nisso?

Obrigado

Responder
avatar
5/2/11 16:50 delete

R.,

Existe dentro da Igreja Presbiteriana da Escócia um grupo de pastores e igrejas firmes teologicamente, mas receio que não com a mesma força que o grupo semelhante dentro da PCUSA.

Abs.

Responder
avatar
Charles Melo
AUTOR
5/2/11 19:57 delete

Rev. Augustus,

Creio que esta divisão não resolverá o problema do bloco confessional da PCUSA porque o método de interpretação que os levou a ordenar mulheres permanece em voga.

Abraço!

www.bibliacomisso.blogspot.com

Responder
avatar
6/2/11 23:59 delete

"Reverendo Augustus, a situação da Church of Scotland seria parecida com essa da Presbyterian Church (USA) atualmente? Você tem conhecimento de algum movimento de "retorno às origens" na igreja que deu origem ao presbiterismo e que agora também ordena homossexuais? A "World Reformed Fellowship" tem algum papel nisso?"

"R.,

Existe dentro da Igreja Presbiteriana da Escócia um grupo de pastores e igrejas firmes teologicamente, mas receio que não com a mesma força que o grupo semelhante dentro da PCUSA.

Abs."

Esta é a mesma igreja (Church of Scotland) que a CRIE-IPB recomendou e o SC acatou que a IPB estabeleça Contato Ecumênico? Se for, com se explica isto?

Att. Henrique

Responder
avatar
7/2/11 12:13 delete

Geraldo,

Se não estou enganado, não há esta decisão de estabelecer parceria com a Igreja da Escócia. Há vários níveis de relacionamento da IPB com outras igrejas, desde observação até relações fraternas e parceiras. Com certeza a IP da Escócia não está neste último nível.

Abs.

Responder
avatar
7/2/11 23:10 delete

Olá reverendo! Segue trecho da ata:

"SC/IPB-2010 - DOC.XV - Quanto ao documento 320 - Oriundo do(a): Comissão de Relações Inter-Eclesiásticas (CRIE) - (...)4) determinar que a CRIE/IPB continue os contatos iniciados para estabelecer o Nível 1 - Contato Ecumênico com as igrejas: - Church of Scotland - Igreja Presbiteriana de Moçambique - Uniting Presbyterian Church in Southern Africa..."

No relatório da CRIE há esta recomendação que foi aprovada pelo SC.

Responder
avatar
Zé Eduardo
AUTOR
8/2/11 10:41 delete

Lendo alguns comentários chega a ser engraçado como os puritanos brasileiros torcem contra as igrejas progressistas e bem estabelecidas que decidiram abandonar suas próprias verdades e encaram o evangelho de Jesus de forma aberta e descarregada de preconceitos.

Se dependesse de alguns evangélicos ainda viveríamos no tempo da escravidão.

Em Pindorama há muita gente lamentando o fato de os fundamentalistas americanos não conseguiram fazer o mesmo que os brasileiros. Acho que perseguição promovida pela IPB contra o que vieram a formar a Igreja Presbiteriana Unida não é bem vista no meio protestante dos EUA.

Responder
avatar
8/2/11 16:02 delete

Caro professor,

A Igreja nos States levou esses 35 anos pra chegar nesse ponto. Se não nos cuidarmos creio q a igreja brasileira seguirá o mesmo destino [seremos eles "amanhã"]. Somos a minoria da minoria. A não ser que o nível de ignorância bíblica, das interpretações equivocadas, da rebeldia contra as ordenanças e padrões instituídos por Deus se modifique. Se não...

Pois enquanto até mesmo gente de dentro do evangelicalismo entender como preconceituosas e retrógradas o que nós chamamos de evangelho genuíno, teremos um evangelicalismo aos moldes liberais e ao gosto do público: antropocêntrico e banalizado.

Creio q essa cisão americana
[radical, necessária e quem sabe até benéfica] será como o cair da primeira peça do dominó.

Imagine isso ter acontecido lá, dentro de um contexto de cinco séculos de uma colonização com base bíblica. Nós aqui crescemos em meio ao paganismo, ao misticismo e ao catolicismmo romano, entre outros credos; mal começamos a engatinhar no evangelho. Não tivemos tempo ainda de assimilar os valores bíblicos, e já nos deparamos com padrões morais q estão indo de mal e pior, padrões que mtos chamam de modernos e os aceitam por "não serem preconceituosos".

E Deus q se vire com as leis q Ele criou...

Abraços,
angelica.

Responder
avatar
Isaias Lobao
AUTOR
9/2/11 07:54 delete

Acordei cedo e antes de ir trabalhar dei uma olhada no blog. Sempre leio os comentários. São uma forma de ver como foram entendidas as postagens. Gostaria de comentar a respeito da resposta do sr. Zé Eduardo. Eu fico indignado com esse tipo de discurso "progressista" liberal. Princenton era um seminário conservador e com forte compromisso com a fé cristã histórica e foi assolado pelos liberais. Hoje é uma escola tenebrosa. Mantém a excelência acadêmica, mas não manteve sua integridade teológica. No Brasil os liberais querem fazer o mesmo. Destruir denominações conservadoras e implantar seu veneno. Aqui no DF existe uma IPU. Além dela existe uma outra congregação na cidade de Formosa-GO, implantada ainda no tempo que a missão americana tinha parceria com a IPB. Ambas sofrem demais. Politicagem, caciquismo, pessoas que se locupletam com a igreja. Mazelas terríveis, que preferia não ver em nenhuma igreja. Mas, como a IPU não é igreja, não me surpreende que isso aconteça. Se na igreja verdadeira, lobos surgem para devorar o rebanho, imagine no meio dos hereges e não-regenerados. O liberalismo é um câncer no meio da igreja. Depois de diagnosticado, o câncer deve ser extirpado.

Responder
avatar
tiago
AUTOR
9/2/11 14:23 delete

Nicodemos,

Esses acontecimentos nos EUA afetam ou mudam alguma coisa na Igreja Presbiteriana brasileira? Há algum movimento similar por aqui?

Em Cristo,

tiago

Responder
avatar
9/2/11 16:21 delete

Rev. Augustus,
Ainda bem que houve esse levante, tomara que os liberais/libertinos caiam no ostrascismo...!!!
A IPU já entrou nessa linha de ordenar homossexuais??? O comentário do Zé Eduardo passa essa impressão...
Daqui a pouco, essas denominações liberais, vão ordenar "pais de santo" evangélicos (parece que malsinada Universal já entrou nessa linha).
É um verdadeiro absurdo tudo isso!!!
Obviamente, não sejamos hipócritas porque não é apenas a orientação sexual que é obstáculo para o pastorado sadio.
Um pastor não convertido, causa um estrago enorme no seio da Igreja...
Não participo de nenhum concílio da nossa amada IPB, mas pelo que tenho acompanhado (à exceção de problemas localizados), vivemos um momento dem bonança.
Como é triste ver a disputa política, pelo simples deleite do poder, dentro da Igreja...
Creio que o grande ponto é o seguinte: se houvesse maior respeito ao Dono da Igreja, o nosso Salvador e Redentor Jesus Cristo, obedecendo-se à Sua Palavra, com certeza essas aberrações não estariam em pauta.
Cordialmente, em Cristo Jesus!!!

Cristiano Pereira de Magalhães

Responder
avatar
9/2/11 22:14 delete

A IPU não ordena homoafetivos, nem há forte discussão nesse sentido.
Só citei como exemplo de até onde vai o fervor e a vontade de proteger os fiéis das heresias.

O comentário está relacionado à postura histórica da IPB em abafar qualquer tipo de discussão que contrarie o 'status quo'. É muito confortável chover no molhado. Refletir e mudar é que é difícil. Ainda bem que os discípulos de Cristo tiveram coragem de mudar, ainda bem que os reformadores tiveram coragem de mudar.

Só por curiosidade... A quantas anda a discussão sobre ecumenismo? Ou vocês ainda mantém o céu fechado para os católicos? Fechar pra IPU tudo bem, a gente entende que deve ser difícil assumir tudo que a Supremo Concílio fez durante a "Inquisição sem fogueiras"...

As mulheres ainda não podem receber o título de pastoras?

Palavras violentas não vão fazer o suposto "liberalismo" desaparecer. Não adianta dizer que as IPU's sofrem demais. A gente sabe disso. A perseguição continua.

"IPU não é igreja" ou "a igreja verdadeira" faz parecer que ao invés de um blog estou lendo aqueles jornais do século XIX, da ultrapassada troca de farpas entre padres e pastores.

Irmãos, por favor, sejamos menos obtusos. Deixemos que o Cristo libertador oriente o nosso viver. O farisaísmo já foi superado.
Que o Espírito Santo nos ilumine e ajude a entender a vontade de Deus para nossas vidas e para Sua Igreja.

Responder
avatar
9/2/11 23:28 delete

E no Canadá já começou o debate para sobre o "Projeto Banheiro" onde pretende dar direitos aos transexuais.

Para acompanhar as argumentações (partido NDP, LIBERAL e BLOC Quebecois a favor e CONSERVATIVE que é minoria na Câmara contra) siga o link
http://openparliament.ca/bills/2076/#page=1

Responder
avatar
9/2/11 23:30 delete

ah..um detalhe, observem que é citado o apoio de um presbitério da Igreja Unida no Canadá.

Responder
avatar
10/2/11 10:11 delete

Prezado José Eduardo,
Desculpe-me, mas seu comentário deu a entender que realmente haveria espaço para esse tipo de comportamento.
O Ecumenismo é uma monstrousidade requentada pela Igreja de Roma (papa João XXIII, se não estiver enganado). Verdadeiro "canto da sereia", em nome da comunhão e do "politicamente correto", abre-se mão da Verdade, para acomodar "gostos", por mais estranhos que o sejam!!!
A IPB não fecha o céu a ninguém! Independentemente de "placa de Igreja", todo aquele que tem a fé cristocêntrica, baseada na Bíblia, é nosso irmão!
Ademais, o SR. JESUS CRISTO nos libertou para que vivamos de modo santo (separado do pecado), com total dedicação a ELE. Isso implica não se envolver com o mundo. Sem qualquer farisaísmo, pois devemos viver dessa maneira e não apenas falar. Não é legalismo é ordem do SENHOR (1 Tessalonicenses 4.1 a 8).
Peço ao irmão que medite, um pouco no seguintes textos bíblicos: Salmo 1, Epístola da Judas, 2 João, e, em especial, Gálatas 1 e 1 Coríntios 5.11.
Se o irmão conseguir mostrar na Bíblia o fundamento para o ecumenismo, fique à vontade (não adianta mencionar o Salmo 133, pois ele não a autoriza - quando se fala "irmãos" pressupõe identidade).
Não tenho nada contra a IPU, minha tia-avó congregou nessa denominação por muitos anos e sempre foi um exemplo de fé para toda a família.
Creio que há maior preconceito da IPU com a IPB do que o contrário... Falo por experiência própria (certa vez em visita a uma igreja da IPU em São Paulo, como representante da Diretoria de uma instituição beneficente, quando comentei ao pastor da Igreja que congregava na IPB, ele arregalou os olhos, como se fosse o maior herege...).
Quanto à ordenação feminina, o Rev. Augustus escreve nesse mesmo blog, pelo menos, dois artigos sobre o assunto.
Para encerrar, concluo que tudo seria diferente se os homens realmente obedecessem à Palavra de DEUS.
Cordialmente, em Cristo Jesus!

Cristiano Pereira de Magalhães

Responder
avatar
11/2/11 01:15 delete

Cristiano,

primeiramente, você está de parabéns pela educação com a qual trata os que discordam da sua opinião. Talvez outras pessoas partiriam logo para a violência verbal.

José Eduardo e Zé Eduardo são a mesma pessoa, ok? É que eu acessei de contas diferentes.

Digamos que a versão à qual eu tenho conhecimento, e que acredito ser a mais plausível, é que o ecumenismo é uma "invenção" surgida no meio protestante. Daí toda comemoração em relação à conferência de Edimburgo (1910).

Se essa é uma estratégia da Igreja Católica para atrair os "irmãos separados" acho que não tem dado muito certo. Na verdade, o movimento ecumênico caminha mais no sentido de reforçar as identidades confessionais. Eu participei de alguns encontros ecumênicos, especialmente um para formação de visitadores cristãos, e senti que realmente Deus age em todos os seus filhos. Apesar de nós, Deus tem feito a Sua Missão. É sensacional ver como a troca de experiência permite enxergar para além do nosso universo presbiteriano. Digo isso por que a convivência com os luteranos também foi muito importante.

Agora, existem alas das igrejas que realmente são contrárias ao ecumenismo e isso em diferentes confessionalidades. Tanto entre católicos, quanto entre protestantes. Na IPB e IELB, por exemplo, a tendência que se sobrepõe é a não-ecumênica. Na IPU e IECLB é a ecumênica. Na Católica também não é diferente. O Concílio Vaticano II apoiou o ecumenismo, o atual Papa não gosta do assunto...

Quer ler um texto muito interessante? Peço licença aos autores deste blog para indicar um outro: http://wwwcristianismolibertas.blogspot.com/2010/10/fe-reformada-e-o-ecumenismo.html .

Boa Leitura!

Responder
avatar
11/2/11 01:25 delete

Você sabia que em Vitória(ES) há duas Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória, fundadas na mesma data? A que está no templo original (IPU) e a que está no templo grande e é imensa, pastoreada pelo Rev. Hernandes Dias Lopes.

Recentemente o conselho da 1ª IPU entregou cópia de todos os documentos da igreja até a separação para a 1ª IPB. É uma demonstração de respeito e reconhecimento de que a memória pertence às duas comunidades.

Acho que não vamos chegar a lugar nenhum tentando dizer qual é a melhor, mais boazinha... Cada uma tem o seu valor. Eu prefiro estar na IPU, a maioria dos leitores deste blog prefere a IPB. Só isso.

Mas a reaproximação e o diálogo devem ser sempre buscados.

Responder
avatar
11/2/11 01:29 delete

Medite nestas palavras:

“Rogo não somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim;
para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.
E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um;
eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim.“

Jesus Cristo, evangelho segundo o relato de São João (17,20-23).

Responder
avatar
11/2/11 10:10 delete

Prezado irmão José Eduardo,

A minha cordialidade vem de berço, aprendi com minha mãe. Todo caso, muito obrigado pela gentileza.
O texto bíblico mencionado não trata do ecumenismo. O crente genuíno não compactua com a mariolatria (por exemplo).
Gostaria de esclarecer que participo de diversas organizações interdenominacionais. Acho muito interessante a convivência com os irmãos dessas Igrejas. Porém, todas, sem exceção, são igrejas Cristocêntricas. Em uma dessas organizações, convivi com irmãos da IPU.
Agora, tenho muita dificuldade de aceitar no mesmo nível Romanos, espíritas, testemunhas de Jeová, mormons etc.. As heresias são tão grandes que a comunhão é inviável!
Tenho muitos familiares romanos. Por essa razão, já tive que ir a batizados, missas de 7º dia etc.. É muito diferente, raramente há algo proveitoso. A mariolatria é insuportável!!!
Quanto à denominação, cada um congrega naquela que melhor lhe agrada. Particularmente, eu acho que as divisões do presbiterianismo são ruins e, quem sabe, um dia voltará a ter uma única Igreja Presbiteriana no nosso país...
Hoje, não tenho dúvidas, que me identifico mais com a linha adotada pela IPB (no passado, inclusive foi onde professei minha fé, estava filiado à IPI).
Cordialmente.

Cristiano P. Magalhães

Responder
avatar
11/2/11 14:44 delete

A questão discutida no post denuncia a ruptura da PCUSA por causa das diferenças existentes entre grupos por causa de suas posições baseadas nas suas interpretações bíblicas e teológicas.

Aprendi na primeira aula de Interpretação Bíblica que os pressupostos q cada um carrega dentro de si faz uma enorme diferença e tem um peso vital para sua compreensão do texto.

Na Teologia Bíblica, que além de existir teologia q não é bíblica, aprendi sobre o mitte, e sobre a analogia de fé, que une o pensamento teológico do qual não podemos escapar, e nem separar, para não vermos mutilados ou fragmentados o pensamento do autor.

Uma vez q sabemos q o autor último da Bíblia é um só e o mesmo em quem não há variação, não podemos correr o risco de retiramos textos fora do seu contexto para explicarmos nossas teorias. Ainda mais sabendo que somos carregados de pressupostos e preconceitos.

Abraços,
angelica.

Responder
avatar
11/2/11 15:19 delete

Mas ser ecumênico não é fechar os olhos para as nossas diferenças. É saber conviver com elas.
Ao invés de apontarmos os erros dos outros, aproveitamos para celebrar o que nos une, que é muito superior às nossas diferenças.

E o trecho do texto fala sim de ecumenismo. Não podemos afirmar que os católicos não creem em Deus. Se assim não fosse não haveria mútua aceitação do batismo (lembrar que o Brasil é exceção...).

Responder
avatar
11/2/11 18:45 delete

Professor,
Se me permite uma consideração sobre ecumenismo:

Apesar de sermos todos caídos e desprovidos da glória de Deus, a Bíblia deixa claro a divisão entre os "filhos de Deus" e "filhos do diabo", "gentios" e "judeus", "crentes" e "ímpios", "hipócritas" e "piedosos", "povo de Deus" e os que "não são povo de Deus", verdadeiros e falsos adoradores, "rebeldes", "perversos"etc.

Mesmo assim, ou por essa divisão, Deus dá ordens a Ezequiel (Ez. 3.17-2; ali constituído "atalaia") para falar aos "perversos", "quer eles ouçam quer deixem de ouvir". No NT, vemos Paulo se revoltar em seu espírito por causa da idolatria dos atenienses (At 17.16); q da História sabemos q esses já eram cultos e letrados, com destacados filósofos.

Mas em ambas as passgens não vemos Deus dizer a esses dois profetas para conviverem pacificamente com esses que desconheciam a Deus, de acordo com seu genuíno ensino, descrito nas Escrituras. A ordem de Deus a Ezequiel não deixa sombra de dúvida: era radical.

Penso se alguns daqueles "perversos" não poderiam ter achado Ezequiel um arrogante fudamentalista. E Paulo, q leva essa fama hoje, ao usar de uma estratégia inteligente parecendo se nivelar aos "sábios" atenienses, ao tomar da figura do "Deus desconhecido" lhes prega o evangelho verdadeiro. Não conviveu com aquele estado de entendimento.

Uns creram q as coisas eram assim como Paulo disse, outros desconversaram, outros zombaram e se foram. Assim, independentemente de como aqueles povos receberam a verdade ambos os profetas fizeram seu papel.

O meu ponto é que nenhum dos dois conviveu com aqueles q aos olhos da Palavra de Deus estavam errados, mesmo q eles dois fossem dois meros seres humanos (no caso "radicais", "retrógrados", "bitolados", "fundamentalistas", "machistas", e quaisquer outros adjetivos q ambos possam representar nos dias de hoje) os portadores dessa verdade.

Eles deram a cara pra bater (por isso q Ezequiel tem o nome q tem!) pagaram o preço, fizeram seu papel, denunciaram os erros teológicos, avisaram.
Quem ouviu, ouviu; quem deixou de ouvir, deixou.

abraços
angelica.

Responder
avatar
12/2/11 10:14 delete

José Eduardo, lendo seus comentários você diz que: “Ainda bem que os discípulos de Cristo tiveram coragem de mudar, ainda bem que os reformadores tiveram coragem de mudar.”
Gostaria de chamar atenção para um detalhe, que pra mim é suma importância. Os discípulos e reformadores fizeram as mudanças, não para inserir alguma coisa na igreja e sim para tirar aquilo que havia sido inserido. As reformas feitas pelos discípulos e os reformadores foi no sentido de fazer a igreja voltar às verdades bíblicas.

Tenho ouvido dizer, nos púlpitos de nossa amada Igreja Presbiteriana, que ela é uma igreja reformada e sempre se reformando, só que, quem tem dito isso, são pastores ditos progressistas e liberais que querem introduzir praticas mundanas em nossa igreja.

Abraços,
Maurício

Responder
avatar
Mauricio
AUTOR
13/2/11 12:06 delete

Isso e fruto do dialogo. Nao e um cisma. O que alias e bom. Por que esse grupo esta cansado de brigar. Nao e tao conservador como o new wineskins por exemplo. E menos militante e mais apto a ser melhor recebido pela ala mais progressista exatamente por nao viver jogando coquetel molotov. E de moderados e nao de fundamentalistas. E um grupo que abraca infalibilidade e rejeita inerencia por exemplo. E uma turma mais calma. Sucesso pra eles. Acho que eu mesmo irei pra reuniao. Fico feliz que o reverendo postou a noticia apesar de nao concordar com o reverendo quando diz que ordenacao de mulheres e de homosexuais seja consequencia dos mesmos erros de raciocinio teologico. Principalmente quando considero que na IPB mulher vive falando e nao sao caladas e tambem ensinam homens na escola dominical.

Responder
avatar
13/2/11 12:16 delete

Maurício,

Sucesso na reunião. Espero que Deus conduza este grupo em busca de águas de descanso.

A semelhança entre os argumentos para ordenação feminina e aceitação da homossexualidade reside em considerar as passagens que restringem o exercício da autoridade pelas mulheres na igreja, bem como aquelas que condenam a prática homossexual, como não tendo mais relevância para hoje, por serem fruto da visão limitada e retrógrada dos escritores bíblicos.

Responder
avatar
13/2/11 12:19 delete

Mauricio,

Continuando... a IPB permite que as mulheres falem nas igrejas não porque entende que as passagens que falam do ministério feminino estejam defasadas, mas porque entende que as mesmas impedem que a mulher exerçam os ofícios eclesiásticos apenas.

Abs.

Responder
avatar
14/2/11 14:45 delete

É isso aí, amados irmãos. O núcleo dos que ainda pregam a Palavra de Deus como única regra de fé e de prática sem relativizações ficará cada vez menor, mais criticado, mais perseguido e mais fragmentado. Não é profecia, é só um palpite. Certamente estarei nele!

Responder
avatar
11/5/11 12:02 delete

A luta que a Igreja Presbiteriana travou contra alguns de seus pastores, que desejavam ardentemente um relacionamento fraterno com a PCUSA, provou ser necessária e prudente.

O desenrrolar dos acontecimentos provaram a apostasia daquela instituição (não é mais igreja - visto ter deixado os traços mínimos da Igreja).

O site oficial da PCUSA diz a respeito da votação dos presbitérios. o último a votar foi o Presbitério das Cidades Gêmeas.

Lamentável, mas esperado.

O grupo que se opõe a esta desdita resolveu permanecer na PCUSA. Creio que não resistirão por muito tempo a pressão.

Ludgero Morais

Responder
avatar
11/5/11 18:43 delete

Rev. Augustus,

Não sei se o irmão se recorda de mim. Há alguns anos papai foi gerente de obras do Mackenzie (Pb Carlos Pereira de Magalhães Neto). Estivemos algumas vezes juntos na IP Pinheiros, sou membro por lá.
Recebi hoje uma mensagem confirmando a aprovação pela PCUSA da aprovação da abertura para a aordenação de oficiais homossexuais.
Não disponho de seu e-mail. Se houver interesse, posso remeter-lhe o original que recebi.
Qualquer contato, escreva para o seguinte e-mail - cristianomagalhes@yahoo.com.br ou cpmagalhaes@aasp.org.br
Já mandei para os Revs. Roberto Brasileiro, George Canelhas e Arival Casimiro a ata no original.
Achei importante divulgar-lhe a notícia.
Fiquei triste de ver nossa Igreja mãe passar por esse desastre!
Cordialmente.

Cristiano Pereira de Magalhães

Responder
avatar