domingo, dezembro 18, 2011

O Natal e o Nome do Menino

"Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles" (Mateus 1:21).

De acordo com o relato acima do Evangelho de Mateus, o nome de Jesus Cristo foi dado pelo anjo Gabriel quando anunciou seu nascimento a José, desposado com a virgem Maria.  Gabriel não somente disse que Maria estava grávida pelo Espírito Santo de Deus como orientou José a chamar o filho de "Jesus". 

A razão para este nome, cuja raiz em hebraico significa "salvar," é que aquele menino, filho de Maria e Filho de Deus, haveria de salvar o seu povo dos seus pecados, conforme anunciou o anjo.
Não precisamos ir mais longe do que isso para entender o significado do Natal. Está tudo no nome do Menino. No nome dele, Jesus, temos a razão para seu nascimento, a sua identidade e a missão de sua vida. Em outras palavras, aquilo que o Natal realmente representa.

A razão do seu nascimento é simplesmente esta, que somos pecadores, estamos perdidos, não podemos resolver este problema por nós mesmos e precisamos desesperadamente de um Salvador, alguém que nos livre das consequências passadas, presentes e futuras dos nossos erros. Deus atendeu nossa necessidade escolhendo um homem como nós para ser nosso representante e Salvador, alguém que partilhasse da nossa humanidade e fosse um de nós. Esse homem nasceu há dois mil anos naquela manjedoura da cidade de Belém, num pais remoto, lá no Antigo Oriente. E ganhou o nome de Jesus por este motivo.

Sua missão era assumir nosso lugar como nosso representante diante de Deus e sofrer todas as consequências de nossos pecados, erros, iniqüidade, desvios e desobediências. Em vez de castigar-nos com a morte eterna, como merecemos, Deus faria com que ele a experimentasse em nosso lugar, que ele experimentasse toda dor e sofrimento conseqüentes dos nossos pecados. Essa missão foi revelada logo ao nascer pelo anjo Gabriel ao recitar seu nome a José: Jesus.

Para nos salvar de nossos pecados, ele teria de sofrer e morrer, ser sepultado, ficar sob o domínio da morte e desta forma pagar inteiramente nossa dívida para com Deus. Somente assim poderíamos ser salvos das consequências eternas de nossa desobediência. Mas, para que os benefícios de seu sofrimento e de sua morte pudessem ser transferidos a outros seres humanos, ele não poderia ter pecado ou culpa pois, senão, ao morrer, estaria simplesmente recebendo o salário do seu próprio pecado. Mas, se ele fosse inocente, sem pecado e perfeito, sua morte teria valor para os pecadores. Por este motivo, ele foi gerado pelo Espírito Santo no ventre de Maria, ainda virgem, Filho de Deus, sem pecado. O Salvador tinha que ser Deus e homem ao mesmo tempo.

Quando um colunista, que objeta ao nascimento sobrenatural de Jesus, escreveu recentemente em um jornal de grande circulação de São Paulo que virgens não dão à luz todos os dias, ele estava mais certo do que pensava. Esse é o único caso. Jesus é único. Deus e homem numa só pessoa. Nem antes e nem depois dele virgens engravidam sobrenaturalmente. Da mesma forma que Deus não cria mundos todos os dias, também não gera salvadores de virgens cotidianamente. Pois nos basta este.

O famoso teólogo suíço Emil Brunner disse que todo homem tem um problema no passado, no presente e no futuro. No passado, culpa. No presente, medo. E no futuro, a morte. Jesus nos salva de todas estas consequências do pecado: nos perdoa da culpa de nossos erros passados, nos livra no presente do medo ao andar conosco e nos livrará da morte pois ressurgiu dos mortos e vive à direita de Deus. Um dia haverá de nos ressuscitar.

É isto que o Natal representa. É por isto que os cristãos o celebram com tanta gratidão e alegria. Nasceu o Salvador. Nasceu Jesus!  Como este anúncio alegra o coração daqueles que têm culpa, sentem medo e sabem que vão morrer!

15 comentários:

Jairo Rivaldo disse...

É sempre bom quando alguém nos lembra do verdadeiro significado do natal, principalmente nos dias em que vivemos, onde a grande maioria dos cristãos é constantemente influenciada pelo espírito mercantilista e consumista do chamado natal do papai noel. Apesar de não termos nenhum indício nas escrituras quanto a data do nascimento de Jesus, a celebração do natal comemorada por todo o mundo "cristão" é uma oportunidade que o Senhor nos concede de mostrarmos ao mundo o verdadeiro sentido e propósito do Natal.

Casal 20 disse...

Simples e claro como o Evangelho de ser! Parabéns, Pastor.

Abraços sempre afetuosos.

Fábio.

Salviano Adão disse...

A paz querido, meu nome é Salviano Adão do blog; A única verdade em sua própria bíblia. O motivo do meu contato é porque gostaria de fazer uma parceria em nome de Jesus, já postei o blog do querido em minha lista de blog, passa lá depois para dar uma conferida, e gostaria que você também postasse o meu blog em seu blog, mas essa parceria é só se quiser.
Que Deus abençoe e aguardo o seu contato.

Jaime Alves disse...

Olha!
Alheio a isto tudo, só passei aqui para desejar um feliz natal a todos!

Ao Reverendo Micodemus cujo mesmo sem conhecer aprendi a admirá-lo, são pessoas como ele que me tornam menos néscio.
Espero que ele seja o que ensina.
Acredito que sim!
Porque?

Eu tenho o Espírito Santo UAI!

Ricardo Luis Ferreira disse...

Parabéns Rev. Nicodemus. O irmão sempre consegue trazer textos lúcidos e edificantes. A sociedade tem que voltar ao real sentido do Natal, o de celebrar o nascimento do Salvador do Mundo. Viva ao verdadeiro Natal! O Natal de Jesus Cristo! Eu desejo à todos um feliz Natal!!!

http://sigocaminho.blogspot.com/

Carlos Seino disse...

Sensacional a citação de Brunner, e excelente texto!

Fábio Vaz disse...

Feliz Natal a todos os irmãos em Cristo e especialmente aos autores deste excelente blog.

Antonio Batalha disse...

O alvo de meu blog é divulgar o bom nome de Jesus. E levar cada crente mais perto de seu Senhor, ficarei feliz se quiser fazer parte dele, contudo não deixarei de visitar, e comentar em seu blog. Ficarei á espera da sua amizade virtual. Minhas saudações em Cristo Jesus., e um feliz Natal.

Igreja Presbiteriana Central de Senador Camará disse...

Publicamos esta mensagem, com os devidos créditos, em nosso blog.

http://tempora-mores.blogspot.com/2011/12/o-natal-e-o-nome-do-menino.html

jogois2009 disse...

PROFESSOR AUGUSTUS NICODEMUS, VOCÊ EXPRESSOU EXATAMENTE O MEU PENSAMENTO SOBRE O NATAL, EM PALAVRAS E COM RACIOCÍNIOS REFINADÍSSIMOS! DEIXAR DE CELEBRAR O NATAL SOB O ARGUMENTO DO PAGANISMO É COISA REALMENTE DE PAGÃO. NOSSA MOTIVAÇÃO PARA CELEBRAR O NATAL É OUTRA!

Pr Ivair José Lehm disse...

A Paz do Senhor

Magnifico texto, esclarecedor diante das mentiras e mesmices que vivemos atualmente.Mesmo tantos pastores renomados esquecem de esclarecer o povo sobre o real sentido e motivo do natal.
amo este blog e seu colunista, mesmo sem conhecê-lo, pois fala ao meu coração suas mensagens...
Excelente 2012 a todos

Sala de Adolescentes da EBD disse...

Isto é o Natal. E pronto. Deus veio ao mundo para salvar pecadores. Parabéns, Rev Augustus.

Jonathan Alves F. de Sousa disse...

Já ouvi de vários teólogos que Jesus não nasceu no Natal. Sendo verdadeira a informação, nao seria errado celebrar o Natal como sendo o nascimento de Jesus?

Aprendiz disse...

Jonathan

Com o perdão da palavra, mas você inverte as coisas. A festa de Natal é comemoração do nascimento de Yeshua (Jesus). Isso não é discutível.

O que esses estudiosos dizem é que a data que foi determinada para essa comemoração está errada, e relamente está. O motivo é que quando o Natal foi instituído, séculos depois do nascimento de Jesus, ninguém sabia mais qual a data correta, de maneira que ela foi marcada mais pela conveniência e pela política do que pela exatidão. E há diversas indicações na narrativa dos Evangelhos que dão a impressão de que a data correta não poderia ser a instituida oficialmente.

Para você ter uma idéia mais clara, darei um exemplo mais próximo. Entre os índios brasileiros, não existe o costume de marcar a data de nascimento de ninguém, nem eles tem uma marcação de todos os dias do ano, apenas marcam as estações e os meses (luas). Mas é direito de todo brasieiro ter certidão de nascimento. Assim muitos índios tem certidões de nascimento com datas supostas ou aproximadas. Muitos deles, indo depois morar em cidades, adquirem o hábito de comemorar o aniversário das crianças. Mas via de regra, são aniversários em datas fictícias, não na data exata.

Creio que é legítimo propor que, já que não sabemos a data certa, não comemoremos. Mas não é correto criticar aqueles que querem comemorar, como se estivessem fazendo uma coisa errada.

Luis Henrique disse...

Irmão gosto muito do seu trabalho, acabei escrevendo por engano para o Solano - não que eu nao goste dele, mas é que acompanho muito o SEU trabalho Augustus, assisti a diversos videos seus na conferencia da editora fiel, e venho acompanhando suas exposições.
se puder comentar sobre o link que lhe passarei abaixo ficarei muito feliz, obrigado por tudo.

http://www.salvacaoemcristo.com/?p=53

Que a paz do nosso senhor Jesus cristo esteja sempre presente em sua vida.