quinta-feira, junho 21, 2012

Fundamentalista é Isso?


"Agnósticos Fundamentalistas:
Dá para ter até mesmo estes?"
O termo "fundamentalista" está entre os rótulos mais mal compreendidos e mal empregados nos meios evangélicos. É o rótulo preferido por alguns para se referir, sempre com viés pejorativo, a quem adere com firmeza a determinadas doutrinas que são consideradas como antigas e ultrapassadas.

Nada mais natural do que procurar esclarecer o significado do termo. Acho que a primeira coisa a ser feita é lembrar que o termo "fundamentalista" tem sido usado para diferentes grupos através da história e no presente.

1) O fundamentalista cristão histórico não existe mais. Ele existiu no início do século XX, durante o conflito contra o liberalismo teológico que invadiu e tomou várias denominações e seminários nos Estados Unidos. J. G. Machen, John Murray, B. B. Warfield, R. A. Torrey, Campbell Morgan, e mais tarde Cornelius Van Til e Francis Schaeffer, são exemplos de fundamentalistas históricos.

2) O fundamentalista cristão americano ainda existe, mas perdeu muito de sua força. Embora tenha surgido ao mesmo tempo em que o fundamentalismo cristão histórico, separou-se dele quando adotou uma escatologia dispensacionalista, aliou-se à agenda republicana dos Estados Unidos, exerceu uma militância belicosa contra tudo que considerasse inimigo da fé cristã. Defendia e praticava o separatismo institucional de tudo e todos que estivessem ligados direta ou indiretamente a esses inimigos. Pouco tempo atrás faleceu o que pode ter sido o último grande representante desse gênero de fundamentalista, o famigerado Carl McIntire. Alguns consideram que Pat Robertson é seu sucessor, embora haja muitas diferenças entre eles.

3) O fundamentalista denominacional é aquele membro de denominações cristãs que se consideram oficialmente fundamentalistas e que até trazem o rótulo na designação oficial. Após um período de grande florescimento no Brasil, especialmente no Nordeste e em São Paulo, as igrejas fundamentalistas, presbiteriana e batista, sofreram uma grande diminuição em suas fileiras. Grande parte das igrejas fundamentalistas presbiterianas regressou à Igreja Presbiteriana do Brasil, de onde estas igrejas saíram na década de 50. Em alguns casos, o fundamentalismo denominacional do Brasil foi marcado por laços financeiros e ideológicos com McIntire. Hoje, até onde eu sei, não há mais esse laço. No Brasil, o fundamentalismo denominacional que sobrou desenvolveu em alguns de seus grupos (mas não em todos) uma síndrome de conspiração mundial para o surgimento do Reino do Anticristo através do ocultismo, da tecnologia, da mídia, dos eventos mundiais, das superpotências. Acrescente-se ainda o desenvolvimento de uma mentalidade de censura e apego a itens periféricos como se fossem o cerne do evangelho e critério de ortodoxia (por exemplo, só é bíblico e conservador quem usa versões da Bíblia baseadas no Texto Majoritário, quem não assiste desenhos da Disney e não assiste “Harry Potter”).

4) O fundamentalista cristão xiita é sinônimo de intransigência, inflexibilidade, ser-dono-da-verdade e patrulhamento teológico. Essa conotação do termo ganhou popularidade após o avanço e crescimento do fundamentalismo islâmico. Esse tipo tem mais a ver com atitude do que com teologia. Nesse caso, é melhor inverter a ordem e chamá-lo de xiita fundamentalista. Na verdade, xiitas podem ser encontrados em qualquer dos campos protestantes. A propalada tolerância dos liberais e neo-ortodoxos é mito. Há xiitas liberais, neo-ortodoxos, e obviamente, xiitas fundamentalistas. Teoricamente, alguém poderia ser um fundamentalista e ainda não ser um xiita.

5) Por fim, o fundamentalista cristão teológico, outro sentido em que o termo é muito usado e que significa simplesmente ortodoxo ou conservador em sua doutrina. O fundamentalista teológico se considera seguidor teológico dos fundamentalistas históricos e simpatiza com a luta deles. Sem pretender ser exaustivo, acredito que podem ser considerados fundamentalistas teológicos atualmente os que aderem aos seguintes conceitos ou a parte deles:
  •  a inerrância da Bíblia
  • a divindade de Cristo
  • o seu nascimento virginal
  • a realidade e historicidade dos milagres narrados na Bíblia
  • a morte de Cristo como propiciatória, isto é, por nossos pecados
  • sua ressurreição física de entre os mortos
  • seu retorno público e visível a este mundo e a ressurreição dos mortos
Outros pontos associados com o fundamentalismo histórico são o conceito de verdades teológicas absolutas, o conceito de que Deus se revelou de forma proposicional e a aceitação dos credos e confissões da Igreja Cristã.

Numa esfera mais periférica se poderia mencionar que a maioria dos fundamentalistas históricos prefere o método gramático-histórico de interpretação bíblica e tem uma posição conservadora em assuntos como aborto, eutanásia e ordenação feminina. Muitos ainda preferem a pregação expositiva. 
E todos rejeitam o liberalismo teológico.

Em linhas gerais, o fundamentalista teológico acredita que a verdade revelada por Deus na Bíblia não evolui, não cresce e nem muda. Permanece a mesma através do tempo. A nossa compreensão dessa verdade pode mudar com o tempo; contudo, essa evolução nunca chega ao ponto radical em que verdades antigas sejam totalmente descartadas e substituídas por novas verdades que inclusive contradigam as primeiras. O fundamentalista teológico reconhece que erros, exageros e absurdos tendem a ser incorporados através dos séculos na teologia cristã e que o alvo da Igreja é sempre reformar-se à luz dos fundamentos da fé cristã bíblica, expurgando esses erros e assimilando o que for bom. Admite também que existe uma continuidade teológica válida entre o sistema doutrinário exposto na Bíblia e a fé que abraça hoje.

Acho que é aqui que está a grande diferença entre o fundamentalista teológico e o liberal. Esse último acredita na evolução da verdade a ponto de sentir-se comissionado a reinventar a Igreja e o próprio Cristianismo.

Muitos me chamam de fundamentalista. Bom, não posso ser fundamentalista histórico, pois nasci muito depois da luta de Machen. Contudo, sou fã dele, que era um perito em Novo Testamento. Não sou um fundamentalista americano, pois sou brasileiro da Paraíba, nunca recebi um tostão de McIntire e sou amilenista. Aliás, nem conheci McIntire pessoalmente. Fui fundamentalista presbiteriano denominacional por decisão dos meus pais quando eu tinha doze anos. Saí da denominação fundamentalista após conversão e entrada no ministério pastoral. Também não me acho xiita. Há controvérsia sobre isso, eu sei.

Na categoria de fundamentalistas teológicos encontramos presbiterianos, batistas, congregacionais, pentecostais, episcopais, e provavelmente muitos outros. É claro que nem todos subscrevem todos os pontos acima e ainda outros gostariam de qualificar melhor sua subscrição. Contudo, no geral, acho que posso dizer que os fundamentalistas teológicos não fariam feio numa pesquisa de opinião sobre o que crêem os evangélicos brasileiros. Por esse motivo, e por achar que o assim chamado fundamentalismo teológico é simplesmente outro nome para a fé cristã histórica, não fico envergonhado quando me rotulam dessa forma, embora prefira o termo calvinista ou reformado.

18 comentários:

Alex Barbosa disse...

Muito grato pelo texto, estava tentando explicar para a minha esposa, porém, certamente esse panorama fala muito mais.
Deus o abençoe reverendo.

biscoito disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Dâmaso disse...

Shalom. Caro Irmão. Sou estudante de teologia e congrego na Igreja Cristã reformada de Juiz de Fora Do Pr. Irio Ferreira. Respeito e aceito o fato de que Mulher segundo a Biblia, não deve presidir no ministério eclésiastico, ou melhor dizendo, exercer função de liderança ou pastoral na igreja,certo? Mais me responda uma coisa, há algum erro de uma mulher pregar num culto de Domingo? Acredito que o culto de domingo é um momento de comunhão cuja a palavra que será ministrada é de função evangelistica correto? Preciso muito saber da sua opinião,pois eu pregava na minha igreja, eu era a unica mulher que pregava ( não era consagrada, pois seria um erro)e isso foi mudado segundo um estudo feito pelos presbiteros da igreja. Agora não prego mais e o desejo arde no meu coração, pois prezo pelo ministerio da palavra. agradecida desde já.
Que a paz do Senhor esteja contigo!

Cléber disse...

Recentemente meus pais estavam comentando sobre o que o Dr. Lloyd-Jones disse: que os católicos romanos estão muito mais "próximos" do cristianismo verdadeiro do que os liberais. E, se virmos essa listinha que você citou, faz muito sentido:

-a inerrância da Bíblia - ok
-a divindade de Cristo - ok
-o seu nascimento virginal - duplo ok
-a realidade e historicidade dos milagres narrados na Bíblia - ok
-a morte de Cristo como propiciatória, isto é, por nossos pecados - ok
-sua ressurreição física de entre os mortos - ok
-seu retorno público e visível a este mundo e a ressurreição dos mortos - ok

Acho curioso. Até então, não havia atinado para isso. Se tentarmos a mesma lista com liberais, fica algo como:

-a inerrância da Bíblia - de forma alguma!
-a divindade de Cristo - se você quiser acreditar nisso, tudo bem...
-o seu nascimento virginal - a maioria dos estudiosos nega que isso tenha de ser interpretado dessa forma;
-a realidade e historicidade dos milagres narrados na Bíblia - fraudes santas;
-a morte de Cristo como propiciatória, isto é, por nossos pecados - que idéia horrenda! De onde vocês tiraram isso?
-sua ressurreição física de entre os mortos - é, talvez...
-seu retorno público e visível a este mundo e a ressurreição dos mortos - sobre isso, discutiremos outro dia;

=/


Para os colegas leitores, eis um pouquinho mais sobre o irmão Machen: http://reformados.com.br/john-greshan-machen-contra-o-liberalismo-em-defesa-da-fe-crista/

De brinde, um artigo que me parece relacionado (e ainda envolve a própria IPB), do querido irmão Manoel Canuto: http://reformados.com.br/neopuritanismo-ou-neopresbiterianismo/

Abraço!

Pb/teólogo Leonardo Dâmaso disse...

Muito bom o artigo reverendo. Álias, gostaria de lhe dizer que tenho todos os seus comentários bíblicos já lançados, que por sinal são muito bons graças a Deus na sua vida e por lhe dar uma exímia capacitação para escrever. Todavia, gostaria de saber se o reverendo tem a pretensão de lançar mais comentários bíblicos, porém, de uma carta ou livro todo da bíblia? Seria muito bom se lançasse mais comentários bíblicos como por exemplo de apocalipse, seria bem interessante um comentário seu deste livro com a visão amilenista, 1 e 2 Timóteo e por aí vai. Um abraço em Cristo...

Fábio Vaz disse...

Então sou batista fundamentalista cristão teológico (rsrsrs)... bem, como o senhor, Rev. Augustus, prefiro simplesmente o termo calvinista ou reformado... de qualquer forma, como dizia Spurgeon, "isso que chamam de Calvinismo é o Evangelho e nada mais". Excelente texto, como sempre. Tive professores liberais que chamavam de "fundamentalista" qualquer um que cresse que a Bíblia é a Palavra de Deus. Como disseram num comentário anterior, até os papistas têm mais fé do que esses saduceus modernos.

Augustus Nicodemus Lopes disse...

Priscila,

Nestes casos, deveríamos sempre seguir a orientação dos líderes da igreja, uma vez que este assunto não é matéria de fé essencial para a salvação.

Abs.

Casal 20 disse...

Pastor, só posso dizer uma coisa: o senhor é uma benção! Que Deus continue lhe dando conhecimento e sabedoria para nos presentear com seu pastorado e ensino.

Abraços sempre afetuosos.

Fábio.

Dani Lima disse...

Eu quero é ser fundamentalista!
E me livrar por completo de qualquer influencia de ventos de doutrina, teísmo aberto, liberalismo e qualquer coisa parecida e que não tem nada haver com a verdade bíblica, confesso que ainda dava crédito a muitos pastores, talvez por ter ficado desigrejada um tempo e naquele momento ter sido de "grande ajuda", más vejo que tais conceitos errados é uma decida no barranco molhado.
Bendigo o dia que assisti o primeiro vídeo do verdadeiro culto a Deus que mudou minha vida, posturas pensamentos e busco mesmo que minha mente seja controlada pela palavra de Deus interpretada corretamente.
Hoje sou uma entusiasta da fé reformada e sinto muita gratidão a Deus por sua benevolência para comigo e creio mesmo que a resposta a muitos dos problemas da cristandade atual pode ser resolvida com um retorno a "reforma".
Hoje já somos membros de uma IPB aqui de Rib.Preto e não somos a única família que foram para lá por ter conhecido seus textos e vídeos .

Um Abraço Dani Lima

Mauricio disse...

Rev Augustus Nicodemus. Que saudade me deu de te ouvir no PV de Caldas. Que momentos preciosos passamos la. Agradeco a Deus por homens de Deus que assim como o senhor tem moldado minha vida.
O senhor precisa vir aki em Calgary/Canada. O seu ex-aluno, pastor Jaime Cisterna, esta dirigindo o ministerio dos Cristaos Brasileiros em Calgary.
Nao faz nem um mes e seu colega Solano Portela esteve aki pregando.
Venha que o senhor sera muito bem recebido e ja tem hospedagem garantida!

Felipe Prestes disse...

Agradeço pela postagem. Como um bom nordestino, digo: "êta nomezin difícil"!

Usado por alguns como vanglória e por outros como desprezo, o rótulo de fundamentalista é uma grande controvérsia, exatamente porque, quando usado, só se tem "fundamentalista", não se acrescentando os termos mais específicos como o senhor muito bem descreveu.

Tenho, porém, uma pergunta. No contexto dos EUA, qual a diferença entre Fundamentalistas e Evangelicais? Se for uma resposta muito longa, entenderei, mas seria uma sugestão para um post.

Um grande abraço,

Em Cristo,

Felipe Prestes

Pastor Rogério Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pb/teólogo Leonardo Dâmaso disse...

Shalom reverendo Nicodemus. Uma outra questão que gostaria de trtar com você seria esta: Acredito que os crentes do AT eram habitados pelo Espírito Santo. O Sl 51.11 é uma das provas insofismáveis, onde Davi pede a Deus em arrependimento por ter pecado contra Deus para não retirar dele o Espírito Santo. Acredito que este "retirar do Espírito" não seja uma espécie de unção sobre a sua vida, mas sim a própria presença do Espírito na sua vida. Dentre muitas outras passegens também. Portanto, eis que surge um pequeno problema, tenho "gastado os meus neurônios raciocinando e estudando sobre este tema e como conciliar as passagens de Jo 7.39; 20.22 com At 1.5, e Lc 24.49. Passagens que praticamente estão interligadas e que tratam do tema proposto. Todavia, não há unanimidade entre muitos teólogos reformados como Calvino, D.A. Carson, John Stott, John Macarthur, William Hendriksen, F.F. Bruce entre outros que consultei sobre este tema e a despeito da interpretação de Jo 20.22 e também sobre a habitação do Espírito Santo no AT. Por exemplo, John Macarthur não crê nesta linha de interpretação juntamente com Wayne grudem. Po isso, gostaria de que o reverendo me ajudasse a conciliar estas passagens. Se puder, mande um artigo escrito se tiver sobre este tema para o meu email: tadeudamaso@yahoo.com.br ou pelo blog mesmo nos ditos difíceis de Jesus. Um Abraço em Cristo. Shalom...

Dr. Armando Micheleto Jr. disse...

Caríssimo Rev. Augustus.
Boa tarde!
Gostaria de parabenizá-lo pela aula de fundamentalismo "religioso", mesmo revervando-me o direito de ter algumas opiniões contrárias.
Parabéns, novamente.
Armando Micheleto Jr.

Thiago Rocha disse...

Isso serve para esclarecer melhor para certas pessoas o real sentido de ser um fundamentalista.Parabéns reverendo Augustus, essas palavras foram de grande valia para minha compreensão.

Fábio disse...

Rev. Augustus, no CFL falando sobre inerrância, o senhor cita uma declaração de fé reformada com alguns temas atuais. Ela está disponível em algum lugar? Poderia compartilhá-la? Gostaria de sugerir um tema relacionado ao envolvimento de cristãos na política. Tenho acompanhado alguns pastores em cargos públicos e a minha tendência tem sido preferir os que se manifestam em temas que afetam a nossa cosmovisão, em detrimento dos que tem se posicionado de forma mais "conservadora" e "profissional" sem entrar em polêmicas de valores e princípios.. Creio que político cristão não deva ser despachante de igreja, alguns não tenham um chamado profético, mas tem faltado pessoas qualificadas que possam se levantar como uma voz mais ativa. Não almejo essas posições para mim e até reverbera na minha consciência que espero algo que eu mesmo não teria capacidade para oferecer.

Suenia disse...

Sou fundamentalista teológica ate debaixo d'agua!! :)
Abco. Dr. Augustus!!!!

Calvin Berg disse...

Sou fã dele...