sábado, outubro 22, 2011

Augustus Nicodemus Lopes

Emails a Jovem Cristã com Primeiro Namorado - contato físico

Enviada de: Augustus Nicodemus Lopes
Enviada em: 22/10/2011
Para: Maria do Socorro
Assunto: RES: Pastor, me ajude
--------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi, Maria do Socorro,

Fico feliz em saber que meu primeiro email ajudou você e o Cardoso a perceberem a importância da comunicação no namoro e como isto é importante como parte da preparação para o casamento.

Você pediu minha opinião sobre o contato físico no namoro. Tenho percebido que esta é uma área que provoca muitos problemas para os namorados cristãos. Beijos e abraços, depois de certos limites (que nem sempre são fáceis de colocar) despertam paixões e desejos que não devem ser satisfeitos no namoro, e que acabam levando os dois a passar dos limites. Não poucas vezes termina em relações sexuais no banco traseiro do carro, num motel ou na casa de alguém.

Como eu disse no email anterior, não há referências diretas na Bíblia ao namoro, uma vez que este tipo de relacionamento era completamente estranho para os israelitas e demais povos do Antigo Oriente. Todavia, encontramos vários principios na Palavra de Deus que podem nos ajudar nesta área. Menciono alguns aqui para vocês.

Primeiro, temos o princípio de não provocar ou despertar as paixões sexuais antes do tempo correto - que seria após o casamento. Veja o que Paulo escreveu aos crentes de Tessalônica:

3 Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; 
4 que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, 
5 não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; 
6 e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, 
7 porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação. 
8 Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo" (1Tess 4:3-8).

Paulo faz um contraste entre os que foram chamados por Deus para a santificação, e os gentios que estão cheios de desejos de lascívia. Nós devemos nos manter longe da impureza e manter nossos corpos no caminho da santificação.

Veja o que Paulo diz no versículo 6, sobre "não ofender e não defraudar o irmão". "Defraudar" significa privar alguém de alguma coisa de forma ilegal. No contexto, pode ser interpretado da seguinte maneira: quando provocamos pelo abuso do contato físico desejos que não podem ser satisfeitos de maneira legítima fora do casamento, estamos defraudando o namorado ou a namorada. E Deus se vinga destas coisas (versículo 7-8).

Segundo princípio: o sexo é para o casamento. Já escrevi vários posts sobre este assunto:
 Por favor, leia todos eles e medite nestas palavras de Paulo, que resumem bem este princípio:

1  Quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque em mulher; 
2 mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido. 
3 O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido (1Cor 7:1-3).

Aqui percebemos claramente que a solução para a "impureza" - que no contexto é claramente de natureza sexual - é o casamento. Mais adiante, neste mesmo capítulo, Paulo escreve:

8  E aos solteiros e viúvos digo que lhes seria bom se permanecessem no estado em que também eu vivo. 
9 Caso, porém, não se dominem, que se casem; porque é melhor casar do que viver abrasado 1Cor 7:8-9).

É a mesma coisa: quem não consegue dominar-se e vive queimando no fogo da paixão sexual, deve casar logo, pois somente no casamento é que se pode satisfazer esta paixão de maneira legítima.

Portanto, meu conselho a vocês dois é este:

  1. Não fiquem muito tempo sozinhos em lugar reservado;
  2. Não se vista de maneira a provocar e despertar o Cardoso;
  3. Aprenda a dizer "não," se ele começar a passar dos limites. Estes limites não são fáceis de colocar, mas um bom referencial é o que chamamos de "zona erógena," aquelas partes de nosso corpo, além dos órgãos genitais, que reagem prontamente ao contato e à carícia, provocando excitação sexual e todas as demais coisas que vêm junto com isto;
  4. Não coloco uma lista de regrinhas, mas o princípio de evitar todo contato que vai despertar sexualmente, provocar excitamento, e levar muito próximo da quebra das barreiras do recato, domínio próprio e vergonha.

É claro que você e Cardoso estarão indo na contramão do que os jovens de hoje pensam, se seguirem o que estou dizendo. Mas casar virgem não é vergonha alguma. A virgindade é colocada na Bíblia como símbolo da pureza da Igreja, a noiva de Cristo.

Espero ter ajudado.

Um abraço,
Augustus

Augustus Nicodemus Lopes

Postado por Augustus Nicodemus Lopes.

Sobre os autores:

Dr. Augustus Nicodemus (@augustuslopes) é atualmentepastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana doBrasil e presidente da Junta de Educação Teológica da IPB.

O Prof. Solano Portela prega e ensina na Igreja Presbiteriana de Santo Amaro, onde tem uma classe dominical, que aborda as doutrinas contidas na Confissão de Fé de Westminster.

O Dr. Mauro Meister (@mfmeister) iniciou a plantação daIgreja Presbiteriana da Barra Funda.

15 comentários

comentários
22/10/11 18:47 delete

Parabéns Reverendo pela seriedade e compromisso na resposta de um tema tão esclarecedor para uma geração que deseja agradar ao Senhor!!!!

um abraço

jeffo-jefferson.blogspot.com

Responder
avatar
23/10/11 00:39 delete

Existe tambem muita polemica com relacao ao proprio beijo no namoro. Pode ou nao pode? Fica uma pergunta para reflexao: E possivel beijar uma garota e nao ficar excitado? Baseado em sua resposta, é possivel entao beijar uma garota e obedecer aos versiculos relacionados a pureza que o senhor citou? Respondo por mim: nao é possivel. Por isso o contato fisico deve ser reservado para o casamento (nao estou falando de pegar na mao). Que o Senhor nos ajude a andar na contramao do mundo. Um grande abraco! (Desculpe-me pela falta de acentos! Estou no Canada :)) Rodrigo Lima

Responder
avatar
23/10/11 12:56 delete

Agurdei essa postagem ansioso.
Muito boa vossa reflexão.
Contudo, não aceitei assim de imediato quanto ao vosso primeiro princípio (I Ts.4.3-8), porque achei a palavra "prostituição" muito forte para um casal cristão de namorados.
Entendo a questão de toques acima do permitido entre namorados como algo que possa levar a prostiuição (visto que, sexo fora do casamento é prostituição)mas, não necessariamente como a prostituição em si, pois tenho como base relacionado a isso I Coríntios 7.9, não suportando a pressão do desejo sexual pelo outro (que é mais do que normal), case-se para não viver abrasado fora do casamento.
Esta passagem (I co.7.1-9) é a resposta para a questão que teima em deixar dúvidas sem necessidade quanto ao sexo fora do casamento.
Uma vez que Satanás está solto com sua turma no mundo fazendo contrariedades e criando sofismas dentro e fora do meio cristão, não podemos subestimas tais palavras mais do que sábias do apóstolo Paulo.

Deus te abençoe, querido!

Cf. II Co.4.4. Ele está solto!

Responder
avatar
23/10/11 18:40 delete

Rodrigo,

A questão do beijo é bem subjetiva mesmo. Acho que vai muito de cada um. No seu caso, não consegue beijar (ou não conseguia, se é casado agora) beijar uma garota sem ficar excitado e pronto para o ato sexual. Outros, são diferentes. Por isto, talvez fosse mais sábio não dogmatizar como você o fez.

Mas sempre deveríamos estar dispostos a renunciar a tudo que nos leve a pecar contra o Senhor.

Um abraço.

Responder
avatar
23/10/11 18:40 delete

Jones de Lira,

A palavra "prostituição" é a tradução de pornéia, palavra grega que tem um amplo sentido, significando qualquer imoralidade sexual. No caso, aqui a tradução poderia ser "fornicação", que é a relação sexual fora do casamento mas que não envolve prostituta.

É claro que Paulo não tem em mente aqui os contatos físicos entre namorados, pois "namoro" era coisa inexistente em seus dias. MAs o que eu quis aplicar foram os princípios aqui colocados. Especificamente, a defraudação mencionada.

Sobre 1Cor 7 eu mesmo já mencionei e coloquei como sendo o segundo princípios. Portanto, concordo com você neste aspecto.

Um abraço.

Responder
avatar
23/10/11 23:32 delete

Oi Reverendo...

Vou participar de uma conferência sobre família facilitando uma oficina com o seguinte tema: Solteiro. Tá difícil? Estou dando uma olhada em seus matérias que muito bons.
Realmente ter uma vida de solteiro, namoro e noivado sem sexo hoje é algo quase utópico, pois vemos em nossas igrejas justificativas de manipulações de todas as formas para o ato sexual. Então vamos engrossar a fila dos que remam contra a maré!

Sds,

Elivando Mesquita

Responder
avatar
Casal 20
AUTOR
23/10/11 23:39 delete

Rev, ótimo post e já peço licença para postá-lo no nosso blog mais adiante.

Mas o beijo realmente é uma coisa subjetiva. Até porque há beijos e beijos.

Eu e minha esposa, pela misericórdia de Deus, nos preservamos de uma união pré-conjugal e hoje (são 15 anos de namoro) colhemos bons frutos dessa escolha que fizemos.

Abraços sempre afetuosos.

Responder
avatar
24/10/11 01:28 delete

Olá Pastor! meu nome é Valdemar, e gostaria de pedir-lhe ajuda com algumas questões se possível.

1- união estável( entre homem e mulher) pode ser considerado casamento a luz da Palavra de Deus?

2- o senhor pontuou que a questão do namoro é algo característico da cultura ocidental, e não oriental. Nesse sentido como podemos entender o que é um casamento a Luz da Palavra de Deus, diante de tantas culturas diferentes?.

3- Como entender os casos bíblicos do antigo testamento onde servos do SENHOR casaram com mais de uma mulher?( acho que essa também está diretamente ligada a segunda pergunta)

4- no caso de um muçulmano se converter ao evangelho do Senhor Jesus, ele terá que abandonar três esposas?( no caso de ser casado com quatro, e não apenas com uma)

5- se a resposta a última pergunta for sim, então como deve se portar o missionário diante dessa questão? (no sentido de ter que explicar a esse novo cristão que ele terá que abandonar três esposas e ficar apenas com uma).

desde já agradeço pela sua atenção, uma ótima semana, boa noite e fique na paz do Senhor Jesus.

Responder
avatar
24/10/11 14:10 delete

Augustus,

Obrigado pela atenção.
Clareou ainda mais a minha mente e a palavra mencionada "fornicação" ficou um pouco mais agradável, visto que, nos dias de hoje, prostituição é algo bem mais podre do que sempre foi, principalmente aos leigos.

No mais, somente agradecimentos e a torcida (oração) para que continues compartilhando de suas idéias baseadas nas Santas Escrituras.

Responder
avatar
6/11/11 17:40 delete

Caro Augustus,

Procurei em seu Blog uma página de contato e não achei, por isso resolvi perguntar aqui mesmo:
Gostaria de saber o motivo de título "O Tempora! O Mores!". Que significa?

Grato.

Responder
avatar
6/11/11 22:28 delete

Está logo abaixo do título:

"Que tempos os nossos! E que costumes!" É uma frase de Cícero em que ele se queixava da época em que vivia.

Abraços.

Responder
avatar
12/11/11 15:54 delete

Muito bom! Sugere muito bem os tempos em que vivemos hoje. Parabéns!

Responder
avatar
14/11/11 01:53 delete

Como relacionar os textos bíblicos que descrevem o casamento nos nossos dias, já que casamento no período Bíblico era o próprio ato de entrega sexual do casal. Como não ter sexo antes do casamento se o sexo era o casamento. Graça e Paz!

Responder
avatar
14/11/11 18:37 delete

Gleydson,

"Como relacionar os textos bíblicos que descrevem o casamento nos nossos dias, já que casamento no período Bíblico era o próprio ato de entrega sexual do casal. Como não ter sexo antes do casamento se o sexo era o casamento."

Dê uma olhada nestas postagens minhas sobre este assunto, e depois continuaremos a conversa:

http://tempora-mores.blogspot.com/2008/07/carta-um-jovem-evanglico-que-faz-sexo.html

http://tempora-mores.blogspot.com/2011/09/reprimir-o-desejo-sexual-faz-mal.html

Abraços.

Responder
avatar
Crítico
AUTOR
29/11/11 08:59 delete

Augustus, alguns tem compreendido que justamente porque "namorar não fazia parte da cultura do Antigo Oriente Médio, onde e quando a Bíblia foi escrita", então não deveria haver namoro entre cristãos; que devido ao fato de que "naquela época e naquele lugar o costume era outro. Os casamentos eram normalmente arranjados pelos pais", então se deveria também manter o costume, o que incluiria a corte à moça apenas com a permissão explícita dos pais da moça, assumir certo período probatório com regras explícitas de conduta etc. Gostaria de ter seus comentários sobre esta estruturação do período pré-conjugal. É uma regra de fé e prática? É subjetivo, dependendo do arranjo familiar ou da tradição cultural e religiosa dos pais? Isto implicaria na idéia de se permitir namorar apenas com quem explicitamente há o compromisso de casamento já estabelecido? Enfim, comente sobre isto, se lhe for possível. Grato!

Responder
avatar